O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Deusa de Pedra - Sally Wentworth


Glenda ficou desesperada ao receber a notícia sobre seu irmão. Ele tinha roubado uma quantia enorme da firma onde trabalhava, e agora estava na cadeia.

Disposta a tudo para vê-lo livre, foi falar com a única pessoa que poderia retirar a queixa: o milionário Marc Kiriakos, ex-patrão dele. Marc concordou. Em troca, ela tinha que se tornar sua esposa, a anfitriã que ele precisava para suas reuniões de negócios. Glenda aceitou, claro; afinal, era um emprego como outro qualquer.

Mas como estava enganada! Na noite de núpcias, Marc a procurou, exigindo seus direitos de marido. Violentada, usada como objeto de prazer, Glenda se tornou fria como a estátua de Afrodite que havia no jardim...



Palavras de uma leitora...


Confesso que não me surpreendi ao ler como foi a lua-de-mel (se é que se pode chamar isso de lua-de-mel) de Glenda e Marc. Quem já leu os livros Noites de Tortura e Fascinação da escritora Charlotte Lamb, também não se surpreendeu. Ou ainda quem leu o livro Paixão Diabólica da mesma escritora... Bem, alguns livros contam esse tipo de história. Não critico, pelo contrário, acho bom falar sobre a realidade nos livros... Embora gostemos de ler sobre paixões doces... Juras de amor, declarações apaixonadas, almas gêmeas, no qual só o vilão é mal... A vida real não é bem assim. Normalmente quem mais nos machuca é justamente quem amamos.



No livro Deusa de Pedra, ficou óbvio desde o início que o Marc não queria se casar com a Glenda só para fazê-la pagar a dívida do irmão. Por que ele ajudaria um estranho? O que ganharia com isso? O cara tinha furtado ou como o livro diz, pego “emprestado” o dinheiro da empresa do Marc, tinha mais  é que ficar na cadeia. Só que ele ficou impressionado com a lealdade, a coragem e o gênio da Glenda. Sem falar na sua beleza... E decidiu mantê-la junto à si. Casando-se com ela teria mais direitos sobre a moça. Então, inventou aquela desculpa esfarrapada. Mas na própria lua-de-mel ele já começou a ofendê-la. Como pode um homem querer ganhar o coração da mulher amada dessa forma? Ela disse que era virgem, mas ele (como os típicos arrogantes machistas da maioria dos livros de romance que existem) não acreditou na palavra dela. Para ele, ela era igual a todas as aeromoças, que segundo a teoria de muitos, se oferecem a todos os homens que embarcam nos aviões. Uma teoria falha, pois nem todas as pessoas são iguais. Caramba, ele a forçou na noite de núpcias, ela implorou para que ele não fizesse daquela maneira, mas ele ainda disse que não tinha outro jeito. Uma ova que não tinha outro jeito! E abusou dela, não uma, mas duas vezes... Depois ainda queria que ela não ficasse fria e indiferente...


Uma coisa de bom é que ele não mais a forçou. Resolveu mudar a tática e conquistar o coração dela, mas também não se saiu muito bem nessa missão.


A Glenda, apesar de querer ser tocada e amada por ele, não se ofereceu... Bem, não foi só por falta de vontade, mas também por falta de oportunidade.


Mas mesmo assim, acho que ela ainda foi bastante forte e uma anfitriã perfeita, apesar de todos os problemas conjugais.


Só que no fim, Glenda não suporta mais e resolve ir embora (e ela realmente vai). Seu irmão consegue vender seu projeto e lhe dar todo o dinheiro que devia a Marc para que ela possa pagá-lo e ir... Ela vai. Volta para seu antigo trabalho de aeromoça, para sua antiga vida e mesmo com muita dor no coração, não vai atrás de Marc... É ele que vai atrás dela (como tinha que ser) e se declara. Pela primeira vez ele faz a coisa certa e assim a recupera. É uma parte muito bonita.

8 comentários:

Renata Cristina disse...

Luna .... vc nao tem ideia de como eu odiei esse livro!!!!!
hhumm .. então o final foi bonito ... nem cheguei nele! fiquei tão irritada que parei de ler na parte lua-de-mel hehehe

Luna disse...

Renata,

É mesmo um livro chocante. Mas como disse, não me surpreendi... você já leu algum livro da Charlotte Lamb? Gosto dessa escritora, mas me afastei um pouco dos seus livros por causa da violência de alguns de seus mocinhos... Uns batem outros estupram e outros ainda fazem os dois. Foi por causa do meu indesejado conhecimento desses "tipos" de livros da Charlotte Lamb, que não me surpreendi. O livro "Deusa de Pedra" é violento no início... E sim, é uma péssima primeira impressão. Só li o livro todo porque não gosto de abandonar o que comecei... Mas foi com muito esforço que segui em frente. O infeliz do mocinho se arrepende e se mantém afastado dela... Como para tentar se redimir. A Glenda brilha como anfitriã e ganha a simpatia de todos... E até um grande admirador. Com o tempo, Marc vai ficando cada vez mais apaixonado pela esposa e tbm mais arrependido...Mas só no fim se declara.

Bjs!

Mil suspiroos disse...

Oi Luna!
Vim aqui pra pegar esse livro pra terminar de ler!
Eu deixo um livro qd me irrito e depois volto, depois que já me acalmei hehehehee
Aiaiaiaia espero conseguir levar até o final agora.
Qd eu terminar de ler volto aqui

Ps: vc ta lendo Sidney Sheldon! adoooooro! ótima escolha.

Bjosss
Renata

Luna disse...

Renata,

Oi!!!!! Tudo bem????

Bem... Vou ficar aguardando sua resenha sobre o livro. Acho que promete ser muito boa....rsrsrs...


Sobre os livros do Sidney Sheldon: quais os livros dele que vc já leu? Tem alguma dica para me dá?

Bjs!

Renata Cristina disse...

Menina .... eu comecei a escrever o post no blog acabando com o livro, detesto esse tema, não entendo essas escritoras ..... só que tem muita gente que entra no blog q adora esse livro, fiquei com medo de ofender alguém que tivesse gostado sabe, afinal gosto não se discute, ai abrandei o tom hehehehehe.

Vou responder sobre o Sidney - olha a intimidade rsrsrr- no post dele.

Bjossss

Luna disse...

rsrsrs... Renata, eu não abrando, não. Só se eu estiver de muito bom humor...rsrsrs... Quando o livro consegue esquentar o meu sangue demais, eu desconto minha raiva na resenha. Talvez, um dia, acabe ofendendo algum fã de um livro que eu critique. Espero que não...rsrsrs...

Já li sua resenha sobre o livro e gostei muito. Parabéns!

Bjs!

Beatriz Solano Pinzon disse...

Poderia ter sido um ótimo livro, se não fosse por um determinado acontecimento por parte do mocinho que eu achei repugnante. A autora foi esperta em não descrever a cena da noite fatídica, acho que para amenizar o impacto ao leitor. Quando a mulher diz não... é não! A mocinha não foi bobinha, e nem se fez de vítima, enfrentou o grego idiota de igual pra igual! Mas, depois disso, pra mim não teria perdão não!

Luna disse...

Olá, Beatriz!

Penso como você! Não há desculpa para a atitude do mocinho desgraçado! Eu não explodi nessa resenha, mas jamais me esqueci do que senti ao ler sobre o que ele tinha feito com ela.

Só li dois livros desta autora na vida. Não senti vontade de dar outras chances para ela. :(

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.