O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

terça-feira, 4 de maio de 2010

Noites de Amor e Ódio - Kay Thorpe

Jos deixou o coração de Dale tão confuso, que ela não sabia
se fugia ou se, louca de amor, se atirava nos braços dele!

A tempestade fazia Dale estremecer de medo e frio, molhada até os ossos, andando e escorregando na lama da estrada deserta. Mas Dale não ia desistir! Tinha de chegar até a casa de Jos Blakeman, o famoso escultor, e fazer uma sensacional reportagem. Isso seria difícil, porque pior que a tempestade seria enfrentar aquele homem solitário, irascível, que detestava ser perturbado e que nunca, jamais, havia dado uma só entrevista! Dale, porém, estava decidida a enfrentar Jos usando qualquer arma, especialmente as armas de uma mulher jovem e bonita...


Atualizado 04/08/2010 20:03 h

-O motivo para eu não ser fã desse livro é quase o mesmo motivo pelo qual não gosto do livro: "Encontro com o destino". Depois do tapão que Jos deu na Dale quase parei a leitura e ainda por cima ele não tinha razão nenhuma. Quer dizer que a Dale tinha que assistir numa boa sua própria mãe dando em cima do seu marido e vice-versa? Ela não tinha que dizer nada? Tinha que se fazer de cega como uma boa esposa? Peraí! Ninguém merece isso!

2 comentários:

Beatriz Solano Pinzon disse...

Livrinho tosco, horroroso, um mocinho pra lá de esquisito, estranho, frio, nem parecia um ser humano, totalmente desprovido de qualquer sentimento, e ainda covarde e violento, odiei o tapa que ele deu na cara da esposa, quando ela estava com ciúmes dele e com toda a razão, afinal o seu marido e a mãe dela estavam flertando descaradamente na frente dela, e o idiota achava que ela não tinha razão de ficar brava? E ainda o vagabundo e a vagabunda da mãe dela confirmaram que realmente se sentiram atraídos um pelo outro e que poderiam sim se tornarem amantes, se assim eles quisessem. Ora tenha santa paciência onde é que esta a beleza dessa trama que eu não consegui enxergar? Desculpe-me aos que gostaram, mas a estória me dá asco!!!

Luna disse...

Olá, Beatriz!

Faz muito tempo que li esta história, mas ainda me lembro de como me senti. E concordo completamente com você! Ele nem era digno de ser chamado de mocinho. Era alguém totalmente desprezível!

Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.