O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 6 de junho de 2010

Fuga Alucinada - Lynne Graham

POR AMOR... OU POR VINGANÇA?...


Dias antes de Jamie nascer, Emily fugiu de seu marido, Duarte Álvares Monteiro, um rico e poderoso banqueiro português. Soube, por uma amiga, que Duarte queria ficar com o bebê e não com ela...Mas a fuga foi em vão, pois Duarte conseguiu descobrir o paradeiro de Emily e de seu filho e obrigou- a a voltar à Portugal para viver sob sua vigilância.


Ao contrário do que Emily imaginava, Duarte a aceitou de volta...principalmente porque ele sabia que bastava um simples toque seu para vê-la entregar-se com paixão. Emily não conseguiu deixar de ser submissa àquele homem poderoso e sedutor, por isso entregou-se por amor, disposta a reconquistá-lo. Mas será que Duarte realmente a ama? Ou será que ele a trouxe de volta somente por causa do bebê?


Palavras de uma leitora...

Me arrependi de ler o livro logo nas primeiras páginas. Duarte me irritou profundamente, mesmo assim continuei a ler. Quando ele mencionou que ela o havia traído com outro homem minha raiva aumentou, pois já sabia que as mocinhas da Lynne Graham são santas demais para cometer infidelidade. Então, já sabia que a mocinha estava sendo pré-julgada como sempre. Mas se eu sei que os livros da Lynne Graham são sempre assim e que sempre me irritam, então por que continuo a lê-los? A resposta é simples: é um vício. Os livros da Lynne são uma droga para mim. Não consigo parar de lê-los. Talvez porque sejam bons demais. Sim. Porque apesar dos contras seus livros são muito bem escritos, realistas e envolventes.

Achei estranha, desaforada e suspeita a informação que a secretária de Duarte deu para o investigador que Duarte contratou para encontar sua esposa. E percebi logo a ligação que existia entre a "melhor amiga" de Emily e a secretária de Duarte.

Como na maioria dos livros da Lynne, há os conflitos familiares. Pais que desprezam os filhos e os culpam por seus erros, irmãs invejosas... Me apeguei bastante a Emily. Achei sua história de vida muito injusta. Ela era desprezada antes mesmo de nascer e depois que nasceu ficou pagando pelos erros que não cometeu. E até quando casou com o homem amado continuou pagando sempre por erros que nunca cometeu. E ninguém nunca acreditava nela. Ninguém nunca a aceitava, nem mesmo seu próprio marido. 

Um pequeno resumo:

Emily se apaixonou por Duarte assim que o viu pela primeira vez e não conseguiu esconder sua paixão. Mas Duarte manteve-se à distância. Até que Emily, apaixonada por animais, arrisca sua vida para salvar o cachorro de Duarte de um incêndio. Apartir desse momento os dois se aproximam e ele a pede em casamento. Mas egoísta como é, só pensou na própria felicidade, privando Emily de um tão sonhado casamento na igreja, uma festa de casamento e até mesmo de uma lua-de-mel. E ainda a leva para viver na mesma casa que a mãe da sua falecida esposa. Lá Emily fica a ponto de enlouquecer. Duarte só confessa que não a ama depois que estão casados e só a procura quando quer satisfazer seu apetite sexual. Como viver num inferno como esse? Já não bastou ter sido rejeitada por sua família? Precisa agora ser rejeitada pelo marido também?

Emily não aguenta tanta humilhação e foge com o seu filho ainda dentro do ventre. Oito meses depois, Duarte finalmente a encontra e está disposto a prendê-la de novo com suas correntes de ouro. Mas com o passar do tempo se vê prisioneiro de sua mulher e passando pela mesma situação que ela. É aí que descobre que quem havia arruinado seu casamento desde o início havia sido ele... Ainda há tempo para salvá-lo? Será que Emily pode confiar em um homem que nunca confiou nela? Que acreditaria nas palavras do inimigo de Deus, mas jamais nas dela?

O que me revolta é isso. Duarte acredita em todos menos em Emily. Se eu estivesse no lugar dela o teria feito penar durante muito tempo antes de perdoá-lo. Mas até que nas páginas finais ele virou um homem de verdade...


Beijos e até a próxima!

Luna.

4 comentários:

Leu disse...

OI Luna, tem um selinho p vc no meu blog....bjus
e já, já vou postar sobre o livro Um homem sem coração

Leu disse...

http://romancesforever.blogspot.com/2010/06/meu-1-selinho.html

Beatriz Solano Pinzon disse...

Achei esse Duarte um tremendo escroto, egoísta, insensível. Como assim levar a esposa pra morar com a ex-sogra, na mesma casa que vivia com esposa falecida, a menina já traumatizada por ser rejeitada pela família e aí casa com o casca grossa do Duarte. Como pode um homem de 29 anos levar um casamento tão escroto quanto ele, com camas separadas e ainda dizer que não a amava logo após o casamento, ele não deu sequer o direito de escolha pra Emilly. O que todos faziam com ela era agressão psicológica, sim!

Luna disse...

Sim, Beatriz! O suposto "mocinho" da história é tudo isso que você falou! Concordo completamente!

A Emily sofre muito nessa história. Era um tormento atrás do outro e o mocinho era um péssimo marido! Não sei o que eu teria feito no lugar dela. E se chegaria a perdoá-lo. É bem provável que não.rsrs

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.