O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 25 de julho de 2010

Passado que Condena - Lynne Graham


Casamento?… Sob as condições dele!


A mãe de Olympia necessita de um tratamento médico dispendioso. O que Olympia pode fazer? Deixar o orgulho de lado e pedir a Nikos Cozakis para reconsiderar a idéia de casamento, dez anos depois de terem rompido? Olympia não tem escolha. E Nikos concorda, com uma condição: ele quer um filho. Mas Olympia sabe que ele quer mais… Quer uma oportunidade para vingar-se da traição dela!



Palavras de uma leitora...

- Odiei o livro... Acredita nisso? Normalmente digo que odiei alguma personagem da Lynne Graham, mas nunca odiei suas histórias... Mas só que essa não deu para engolir! Pela primeira vez, depois de ler quarenta e um livros dessa autora... Um de seus livros vai para a categoria "Romances que odiei"!!!!!!!!!! Até eu mesma ainda não acredito. Mas nada no mundo me convence a aceitar e perdoar toda a lambança dessa história. Odiei a Olympia também por ela perdoar o Nikos muito fácil e por deixar passar toda a maldade de todos que a conheciam. Até sua mãe foi uma estúpida!

Vou logo para "um pequeno resumo" para tentar explicar minha amargura.


Um pequeno resumo:

A mãe de Olympia a criou com muita dificuldade durante toda sua vida, apesar de ser filha de Spyros Manoulis, um magnata grego. Tudo porque ela se apaixonou perdidamente por um inglês e foi embora da Grécia. A mãe de Olympia poderia ter sido feliz se o amor da sua vida não tivesse morrido num acidente. Irini fez o que pôde e lutou como uma guerreira para criar a filha, mas aceitava o desprezo de seu pai como se ele estivesse certo. Enviava sempre fotos de Olympia para ele e lhe dava notícias suas, mas seu pai não fez nada para ajudá-las, mesmo sabendo onde e como elas viviam. Essa é a atitude de um pai que ama sua filha? Eu respondo que não.

Quando Olympia fez dezessete anos, seu avô lhe enviou uma carta informando que ela seria levada à Grécia para conhecê-lo (sua mãe não foi convidada. E ele não queria ao certo conhecê-la, mas dar-lhe à Nikos Cozakis junto com sua imensa fortuna.). Spyros nomearia Olympia sua herdeira (só porque não tinha nenhum outro) e com o casamento dela com Nikos, os dois impérios se tornariam um só e sua fortuna passaria para boas mãos. Os sentimentos de Olympia não foram levados em consideração. Por que seriam?? Ela não passava de uma mercadoria, um objeto... Algo sem importância que só serviria como instrumento para juntar a fortuna das duas famílias ("família" é uma palavra do livro. Eu não chamaria "aquilo" de família. Nem a de Olympia nem a de Nikos). Tudo parecia perfeitamente acertado... Mas como nenhum plano é 100% perfeito...

Olympia se apaixonou perdidamente por Nik (facilitando os planos de seu avô). Sonhava e respirava Nik, mas sua distância começou a incomodá-la. Ela tinha que ser a noiva perfeita, não podia reclamar, exigir alguma coisa dele e muito menos falar a palavra sexo ou algo relacionado com isso. Ela tinha que ser uma santa, uma virgem intocável... E ele tinha as mesmas obrigações? Claro que não! Ele podia ter dormido com várias mulheres no passado... Mostrava o quanto ele é macho, viril! (quanto machismo! Eu já teria castrado aquele homem! Estou tentando me acalmar, mas ainda estou fervendo com essa história). Como Olympia era muito boba, alguém tinha que livrá-la daquele casamento arranjado... E a cobra da prima "queridinha e amada" do Nikos entrou em ação. Ela se fez de amiga de Olympia, fez todos pensarem que ela era "um anjinho", a prima perfeita que queria se tornar priminha e amiga da futura esposa de seu primo... Todos a amavam! E claro que acreditariam em tudo que ela dissesse sobre Olympia. Montou o teatro e ficou só assistindo enquanto Olympia era acusada por todos sem chance de defesa. Seu avô a expulsou e prometeu nunca perdoá-la e jurou ódio por sua mãe também... Nik virou as costas para Olympia e a culpou por sua desonra (a desonra dele, deixemos bem claro. A vergonha dele, deixemos bem claro).

Mas dez anos depois, Olympia se vê sem opção, senão, recorrer à Nik para salvar sua mãe. Ele se aproveita da situação fazendo-a se casar com ele e passar toda sua herança para o nome dele... E sem que ela soubesse, no contrato também passaria seu futuro filho para ele.  Nik queria vingança e estava decidido a fazer Olympia pagar por todos os seus "pecados" de dez anos atrás. Que amor pode sobreviver a tanta maldade, ódio e traição??? Somente o de Olympia...

-Eu fiquei uma fera com todas as personagens desse livro. Ninguém escapou. Tanta falsidade me deu náuseas. Conforme eu ia lendo, não acreditava em tanta injustiça... Nikos é grego e um dos piores: meteu na porcaria de sua cabeça sem cérebro que Olympia o havia traído com seu melhor amigo e mesmo depois de fazer sexo com ela (palavra dele não minha. Ele disse que fez sexo com ela e não amor e que ela só servia para ele na cama.) e descobrir que ela era virgem, teimou que ela o havia traído. Tive que rir com essa! Depois de ter 100% de certeza, dez anos atrás, que ela o havia traído e permanecer com essa convicção até hoje... Ao descobrir que ela era virgem, sua mente suja inventou uma nova versão para os fatos: Katerina (a prima cobra) havia surpreendido seu melhor amigo e Olympia juntos e os impedido de fazerem o que pretendiam. Aos seus olhos, Olympia continuava sendo a "zorra" da história, a culpada, a traidora...

- Quando ele quebra a cara passa a culpa para Katerina que é culpada, mas nem tanto quanto ele. Ele foi quem não confiou em Olympia, quem a feriu com palavras e atitudes e a fez assinar um nojento contrato pré-matrimonial. Ele tinha que pagar caro por tudo que fez, mas não pagou... Se pelo menos ele tivesse pago, eu teria perdoado todo o livro... Mas não foi o que aconteceu. Achei legal o que o cafajeste do avô dela fez, mas achei sua atitude de "avô zeloso e protetor" muito tardia.

- O livro poderia ter sido bom e pode ter encantado muitos, mas não a mim. Isso não me impede de continuar lendo os livros dessa maravilhosa escritora até porque é um livro contra quarenta!

8 comentários:

Su disse...

Meniiina, e eu pensei que gostasse de ler romances, mas você...você não somente as lê, você as vive, sofre com as mocinhas (adooooro quando você expressa sua vontade de assassinar os mocinhos!rss)
Mas, enfim, parabéns pelo blog, sou uma visitante recente e estou adorando suas impressões sobre os livros e talls, me ajuda muito a escolher o romance certo para o meu "estado de espírito"!rss Obrigada!

(Ah, esse livro eu já havia lido antes, "ao vivo", e lembrava que era um livro duplo... procurei na net e o encontrei no blog "Romances Nine" http://nine-romances.blogspot.com/2010/07/passado-que-condena-lynne-graham.html, lá tem a foto da capa do livro)

Luna disse...

Obrigada mais uma vez, Su! Como não desejar matar esses mocinhos vilões e arrogantes? rsrsrs...

Obrigada pela dica. Vou dar uma conferida.

Minha intenção é justamente ajudar as pessoas e incentivar a leitura de romances, principalmente os de banca, que não são muito respeitados por algumas pessoas que só consideram livros de livrarias saudáveis.

Bjs!

Maria Lucelia - A magia da ternura disse...

Olá, Luna!

Adorei a resenha e com isso fiquei curiosa (*risos), mesmo vc odiando as personagens.
Quero saber se esse livro foi publicado no Brasil, se vc tem e-book em português.
Sou uma visitante de fim de semana, ou quando tenho acesso a net ;)

Sucesso sempre!

Anônimo disse...

Tambem senti o mesmo que vc foi muito injusto o que aconteeeu com a Olympia e ela perdoar o Nikos facil assim .
eu quria mesmo é que a olympia tivesse se dado bem na vida e não fosse uma pobretona que precisasse do Nikos para sobreviver .

Simone Mendes disse...

Luna adoro ler seus comentários, gosto mesmo e esse só não vou ler porque ela sendo virgem ele ainda não se deu conta, aí não, malvadezas até gosto , sim eu gosto kkkkk , mas desanimei por este motivo kkkkk

Luna disse...

Olá, Simone!

Obrigada, querida! :)

kkkkkkkkk... Este livro foi um dos piores que li da LG. Mocinho cretino além da conta. E mocinha estúpida demais.rs

Bjs!

Beatriz Solano Pinzon disse...

É um bom romance que desperta vários sentimentos no leitor como raiva e pena ao mesmo tempo. Tive pena da mocinha por ser julgada por todos como uma vagabunda, ninguém deu ouvidos a ela. As famílias dos dois lados, tanto do mocinho quanto da mocinha não passavam de uns esnobes, fingidos, metidos a moralistas... Não senti muita firmeza no mocinho mulherengo, que sempre estava envolvido com alguma mulher, tanto no passado quanto no presente, ele não conquistou minha simpatia! É aquela coisa de sempre, é muito mais fácil julgar e jogar a culpa nos outros para encobrir suas próprias safadezas!!!

Luna disse...

Pois é, Beatriz! O livro mexe muito com as nossas emoções! É uma das histórias que mais lembro da autora, pela forma como me deixou furiosa! Eu quis esganar o suposto mocinho! Odiei quase todos os personagens da história e quis sacudir a mocinha por ser tão passiva e imbecil! Ela o perdoou muito fácil! Nem o deixou penar pelo que tinha feito! Não pude tolerar isso.

Nik é desprezível. Um cretino sem caráter.

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.