O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 16 de outubro de 2010

Rede de Sedução/O Preço de Amar - Penny Jordan


À meia-luz do luxuoso quarto do castelo, os olhos cor de safira espelhando medo e uma ansiedade profunda, Hope esperava Alexei Serivace, que viria completar uma cruel vingança contra seu pai, sir Henry Stanford. Sabia que aquele homem iria possuí-la sem remorsos, tirar-lhe a inocência resguardada nos longos anos que passara no convento, apenas para satisfazer sua enorme sede de punir o causador da desgraça de sua família. Mas Alexei não queria apenas subjugar seu corpo virgem. Desejava submetê-la a deliciosas carícias jamais experimentadas, dominá-la com sua excitante virilidade, escravizá-la com sua paixão avassaladora, e depois proclamar ao mundo: "Essa mulher me pertence. Farei dela o que bem entender!"





Ao conhecer Alexei Serivace, Helen (Hope) descobrira que o mundo podia ser seu desde que pagasse o preço. A vingança fora o desejo ardente de Alexei, e Helen (Hope), seu meio para atingi-la. Agora ele estava de volta, disposto a viver de novo a paixão que um dia os unira. Helen (Hope) sabia que bastaria uma palavra daquele homem para cair outra vez nos braços de Alexei, mas trataria de certificar-se de que, caso reatassem o romance, seria ele quem teria de pagar o preço!




Palavras de uma leitora...


- Alguém aqui já assistiu aquele seriado Law & Order: SVU (Lei e Ordem: Unidade de Vítimas Especiais)??? Eu assisto sempre que posso.... É um seriado muito interessante... Meus personagens favoritos desse seriado são: a promotora de justiça, Alexandra Cabot e, os detetives: Elliot Stabler e Olivia Benson.

O que são as "vítimas especiais??? Leia:

"No sistema judiciário criminal, crimes de caráter sexual são considerados especialmente hediondos. Na cidade de Nova Iorque, os dedicados detetives que investigam esses terríveis delitos são membros de um esquadrão de elite, conhecido como a Unidade de Vítimas Especiais".

- Já sabem quem são, né? São as pessoas que foram estupradas, violadas, violentadas, desonradas... Seja lá o nome que for! Os personagens representam pessoas que sofreram uma das piores violências que existem e posso garantir pra vocês que elas não acharam nem  um pouco romântico terem sido estupradas.

Então eu pergunto: O QUE AS AUTORAS (não todas) VÊEM DE ROMÂNTICO NO ESTUPRO????

- É inaceitável uma coisa dessa! Como a maravilhosa escritora Penny Jordan teve coragem de destruir, com as próprias mãos, uma história que tinha tudo para ser linda? Como ela pôde fazer isso???!!! O livro é maravilhosamente bem escrito, desperta emoções fortes... Tem um enredo envolvente... Mas o estupro manchou a história e estou com raiva até agora por isso...

- Eu li esse livro por indicação de uma leitora e amiga, a Monica. Não. Eu não fui iludida. Ela me avisou desde o início que havia odiado o livro e que não perdoou o mocinho-vilão/desgraçado da história. Ela me indicou o livro para saber o que eu acharia dele. Acho que vocês já perceberam o que eu acho, né? Se eu pudesse entrar no livro e fosse a encarregada de punir o Alexei... Adivinhem como eu o puniria??!!! Duas palavras: Lorena Bobbit.

A Monica disse que uma outra excelente forma de punição é se a mocinha não ficasse com ele no final da história. Se ela encontrasse outra pessoa, se casasse com essa pessoa e quando Alexei fosse ver o filho que teve com ela, tivesse que presenciar todo o amor existente entre o casal e sofresse pelo que perdeu por causa da sua estupidez.

- Eu estou revoltada até agora. Colocar esse elemento num romance é o cúmulo do absurdo! Eu aceitaria muito bem se o trauma não fosse causado pelo mocinho da história. Se fosse um vilão e o estupro fosse acrescentado para dramatizar mais a história, como no caso do livro Audácia, eu aceitaria numa boa. Mas o mocinho da história? O herói? E ainda por cima ele foi escolher uma das mais vulneráveis mulheres que existe. A garota foi criada num convento! Tinha acabado de fazer 18 anos e não conhecia nada do mundo. Nem sequer tinha tido permissão para sair do convento durante todos os 18 anos de sua vida lá. Nunca havia recebido nem um selinho na boca. Era inocente! Inocente...

- Confesso que mesmo depois de ler sobre a parte do estupro, de acompanhar todas as maldades do mocinho... Eu ainda não havia decidido se o perdoaria ou não. Só decidi que não posso perdoá-lo quando a história terminou. Eu tinha dito para mim mesma e para a Monica que dependeria de muitas coisas para eu me decidir... E eu cheguei a conclusão de que o mocinho não sofreu o suficiente para ser perdoado. Ele teria que sofrer, literalmente, os tormentos do inferno na Terra para eu poder perdoá-lo. Ele sofreu, sentiu dor, se culpou, emagreceu e ficou abatido por todo o mal que fez contra a Hope. Ficou derrotado. Mas ele precisaria sofrer mil vezes mais para ser digno de perdão. Ele destruiu a vida de uma menina inocente que não merecia sofrer metade do que sofreu. E ele não tinha nenhuma desculpa viável para ter agido assim... A irmã dele havia se deitado com o pai de Hope de boa vontade e acho que ele foi muito mais homem do que o Alexei, pois não teve que se rebaixar ao ponto de forçar uma mulher...

- Ele machucou demais aquela criança, gente! E foi muito além do fato de tê-la violentado. Não. Ele torturou a mente e o coração daquela menina... E depois ainda vinha com lições de moral! Ele é louco! Tinha que ser internado num hospital psiquiatra. Só um doente pode ter coragem de agir dessa forma e ainda mais com uma criança. Ela era uma criança. E ele mesmo admitiu isso centenas de vezes. Não passava de uma menininha solitária com corpo de mulher. E ele a fez amadurecer de uma forma que eu não desejo pra ninguém. E se alguém fizesse isso com uma filha minha... Ou até mesmo com minhas primas (três crianças que trato como se fossem minhas próprias filhas)... Iria desejar nunca ter nascido! Ah, se ia!

Mas antes de falar mais... Vou fazer o "um pequeno resumo" (com spoiler)

Um pequeno resumo:

Ela estava lá naquele convento desde que tinha 8 anos de idade. Chegou lá como uma criança assustada, sozinha e carente. Foi arrancada do mundo que conhecia e trancada dentro daquele lugar, onde as meninas eram preparadas para serem boas esposas. Mas Hope não conhecia o próprio destino. Não sabia o que seria dela, pois seu pai nunca havia dito. Seu pai... Como desejou dia e noite que ele a amasse e cuidasse dela. Que a tirasse de lá. Mas nem as férias ele queria passar ao seu lado e eram raras as vezes em que o via. Ele também não lhe dava permissão para passar as férias com as amigas do convento, que sempre iam  passar essa época com suas famílias. Não. Ele queria que o mundo não a alcançasse. Queria que ela permanecesse pura de corpo e espírito, para depois vendê-la à um homem cruel e deixar que ele a destruísse... Mas os planos dele, cuidadosamente arquitetados, vão por água à baixo depois que ele tem a coragem de usar e jogar no lixo Tanya Serivace, a irmã do conde Alexei Serivace. Mas não foi só o fato de usar Tanya que provocou o intenso ódio de Alexei.... Não. O que o fez querer destruir Sir Henry Stanford foi o suicídio de Tanya, que estava grávida....

Alexei decidiu que iria matar Sir Henry, mas depois, ao tomar conhecimento dos planos que ele tinha para Hope, decidiu que a melhor forma de acabar com seu inimigo, seria destruir os planos dele... E é aí que ele decide raptar a garota do convento e torná-la sua prisioneira e prostituta (sim, prostituta. Era nisso que ele queria transformá-la, embora o infeliz tenha a coragem de negar)...

Alexei chegou no convento com uma procuração falsificada de Sir Henry, onde ele permitia que Alexei levasse Hope do convento, supostamente, para entregar à ele (Henry) depois que ele chegasse na França. Ele iludiu a garota e a fez fazer tudo que ele queria, desde a mudança na roupa ao corte de cabelo. Ele queria que ela tivesse a aparência de uma mulher... Talvez para não se sentir tão culpado ao violentá-la.

Quando Hope finalmente descobre a verdade, já é tarde demais, pois ela está presa no castelo de Alexei. E ninguém iria ajudá-la. Ele não sente pena dela. Nem lhe dá alguns dias para se acostumar com a violenta mudança que aconteceu em sua vida e com a ideia de que ele iria fazê-la dele. Nada disso! Como se não bastasse todo o choque causado pela revelação do que ele prentedia fazer, ele ainda tem coragem de possuí-la naquela mesma noite. E acredita que o infeliz ainda teve coragem de dizer que não pretendia machucá-la?

Naquela noite maldita, Hope ficou profundamente apavorada... Um estranho que odiava seu pai iria invadir o seu corpo.... Como ele queria que ela não ficasse com medo???!!! 

Alexei não tem consideração pelo medo e fraqueza dela. Embora tenha sido gentil e tentado arrancar uma resposta dela, ele não teve piedade ao vê-la lutar com todas as suas forças. A possuiu com gentileza, porém ela não estava nada preparada para recebê-lo e isso provocou muita dor nela, fazendo-a gritar e chorar muito.

Hope ficou traumatizada, chegando a quase desmaiar. Teve que tomar um tranquilizante pra dormir. Sua mente rejeitava com todas as forças o que tinha lhe acontecido... Ela nunca imaginou que pudesse se sentir tão ferida.

O tempo passa e Hope continua como prisioneira de Alexei. A liberdade dela viria no dia que viajassem ao Caribe e o pai dela soubesse que Hope era a vagabunda (como o pai dela a chama e outras pessoas tbm) de Alexei. Só depois disso Alexei deixaria Hope finalmente livre.... Mas Hope estava profundamente apaixonada pelo homem que a estava destruindo...

Se sofria quando não o amava, o sofrimento de Hope aumentou muito quando passou a amá-lo. Saber que o homem que a tratava de maneira tão cruel era o mesmo que possuía o seu coração.

Ela pensava em fugir... Ir pra longe... Para algum lugar onde ele não pudesse feri-la. Mas a gota que faz o copo transbordar vem no dia que, guiado pelo ciúme, Alexei a violenta mais uma vez... só que dessa vez com a intenção de machucar e humilhar.

Hope o deixa, sabendo que estava esperando um filho dele e que o amava com todo o coração. Ela vai embora disposta a recomeçar do zero...

E é aí que o sofrimento de Alexei começa....

- Bem... O único momento que realmente senti piedade do Alexei, foi quando ele implorou que ela o fizesse companhia quando ele estava com enxaqueca. Foi quando ele disse "Eu preciso de você." Mas essa piedade não durou muito tempo, pois o Alexei, como sempre, faz questão de estragar tudo.

- Sabe uma das coisas que mais me deixaram furiosa? Foi que o Alexei tinha tudo para ser um dos meus personagens favoritos. Ele tinha um enorme potencial para ser uma boa pessoa... Mas preferiu deixar vir à tona seu lado mais cruel. Até quando estava sofrendo ele insistia em agir de forma cruel com a Hope, ferindo-a com palavras, e ferindo tbm a si próprio. Eu não posso nem dizer que ele amava somente a si, pois não é verdade. Ele não amava nem a si próprio. Se torturava, alimentando os piores sentimentos... Falava palavras bonitas, às vezes... Palavras sábias. Mas não colocava em prática nada do que dizia. Mesmo amando com todas as forças a menina que ele estava destruindo, ele não parou. Não pôs um ponto final em tudo aquilo... Ele a tratou de forma odiosa na última noite que passaram juntos antes dela partir, mesmo amando-a. Ele nunca a odiou, mas não soube amar. Poderia amá-la com todo o seu coração. Reconheço. Ele não sentiria tanta dor se não a amasse. Mas ele não soube amar.

- Eu não julguei a Hope por voltar para ele no final, embora ele não merecesse alguém tão especial como ela. Eu a entendi depois que ela pensou em como estaria sua vida daqui há vinte anos... Ela sabia que nunca encontraria a felicidade sem ele. Era um fato. Talvez ela vivesse toda sua vida com outra pessoa, alguém que a tratasse com todo carinho e consideração... E quando sua vida estivesse acabando... Qaundo estivesse prestes a partir... Pensasse somente nele. Em tudo que viveu com ele, em todo mal que ele lhe fez e em todo amor que ainda sentia por ele e se arrependesse de não ter ficado ao seu lado. Do que adiantaria ela manter seu orgulho se nunca seria feliz com outra pessoa? Não é justo alguém como ela viver toda uma vida em vão... Se ela só poderia ser feliz ao lado dele... Eu não sou ninguém para dizer que ela agiu errado. Tudo que eu queria era que a Hope fosse feliz, pois ela merecia e muito.

- Sabe um dos momentos que mais odiei o Alexei? Foi quando a Hope estava dando à luz e gritou por ele. Eu não consegui me segurar. Achei essa parte muito forte. E o odiei com todas as minhas forças por fazer tanto mal àquela menina.

- Não posso colocar esse livro na lista dos livros que odiei porque a Hope e o casal formado pela Bianca e o Dale salvaram o livro. Amei esses três personagens e isso me impede de classificar esse livro como "romance que odiei".

E termino a resenha deixando algumas frases bonitas e outras tristes do livro:

"Console-me com maçãs, pois estou doente de amor" (Hope lê a parte da bíblia que fala da canção de Salomão)

"O meu amado está em mim como um cacho de Chipre nas vinhas de Engedi" (recitado por Alexei)

"- Só os muito jovens acreditam que a vida nos dá algo sem cobrar. Pegue o que você quer, dizem os deusses. Pegue... e pague por isso."

" - O que eu poderia dizer? - Hope alegrou-se com a escuridão, que o impedia de vê-la. - Nada, a não ser que você mentiu. Pode ser que existam pessoas que me julgarão por mim mesma, como você disse, Alexei, mas ainda não encontrei nenhuma. Sir Henry, Hal, os pais de Hal... Todos me julgaram em relação a você. Eu mereci o que você acaba de me fazer. Seria esse o veredicto, se eu tentasse levá-lo a julgamento por ter me violentado, não é? - Ela riu com amargura. - Até você me julga, sabendo a verdade. Aposto que teria acreditado que não fiz amor com Hal, depois de apenas dois encontros, se eu não tivesse dormido com você. Eu sou o que permiti que você fizesse de mim, e não posso me defender. As freiras me ensinaram que temos que pagar por todos os nossos crimes, omissões e pecados, mas as mulheres pagam um preço mais alto que os homens...

"- Não, Hope, quem sente sou. Por ter feito o que fiz, por ter sido tão idiota a ponto de lhe dar motivos para fugir de mim."

"-Agora quem precisa de você sou eu. Só para ficar perto, Hope. Eu preciso de você."

11 comentários:

Anônimo disse...

Xii, esse tb não li, um pouco tb por causa das resenhas. Por vezes eu dou uma segunda chance pois não é raro alguém não gostar e acontecer de eu amar. Mas com mocinho estuprador é muito difícil eu gostar.

bjs
Carla

Luna disse...

É Carla!

O que estraga o livro é o mocinho estuprador, pois o livro em si é bom. Tem uma história muito boa e bem feita. Se não tivesse esse pequeno (grande) detalhe, o livro seria ótimo.

Bjs!

Grupo Sol disse...

Amei sua resenha!!! Vi logo que ficou mesmo envolvida pelo livro,eu tinha certeza que você não iria ficar indiferente ao livro,alias acho difícil que alguém fique.

bjs

Mil suspiroos disse...

Afff! foi bom ler sua resenha agora, assim vou passar longe desse livro rsrssrsrsrs.

Estou lendo um livro em que a mocinha tbm é tomada "a força", o romance é histórico e eu até engulo um pouco - só um pouquinho - qd o romance é histórico e a autora quer retratar o modo de como a mulher era vista antigamente, ou seja como um objeto para o puro prazer do homem, se bem que nesse livro a autora deixou o ato .. digamos ... "leve" já que a mocinha começava a gostar do mocinho e ele era "bem carinhoso". Bom, nem cheguei na metade do livro ainda vou comentar melhor mais lá pra frente ... heheeh. O nome do livro é "assim fala o coração".

Ahhh mas em romances contemporâneo ... Não! rsrs

Até mais Luna!
Bjosss
Renata

Luna disse...

Grupo Sol,

Obrigada. É... Não consegui ficar indiferente, não. Fiquei foi com muita raiva. E tbm acho que é meio difícil alguém ficar indiferente. Embora tenha gente que goste bastante do livro, como algumas resenhas do skoob provam. Bem...

Bjs!

Luna disse...

Olá Renata!

Bem... É melhor passar longe dele mesmo...rsrsrs...

Não sei se sou capaz de aceitar muito em romances históricos tbm não. Sou meio crítica às vezes e a maioria dos livros que estão na minha lista de "romances que odiei" é porque tem estupro.

Sei que tem alguns livros no meu blog que não foram para essa lista, embora tbm tenham estupro ou agressão, mas acho que é porque alguma coisa acabou salvando o livro... Como é o caso de REDE DE SEDUÇÃO.

Enfim... Mas quando vc terminar de ler esse livro, vou dá uma olhada na sua resenha e ver se posso acabar lendo o livro tbm...rsrs...

Bjs!

Saudades...

Lucila disse...

Concordo com você! Não tem nada de romântico em um estupro. Uma coisa é um cara com boa pegada, outra é usar de motivos sórdidos e usar a força... E ela ainda se paixona por ele? Põe Síndrome de Estocolmo nisso. Não convence!
Pena que não havia lido sua resenha, teria me poupado tempo.
beijo

Luna disse...

Olá, Lucila!


Esse livro da PJ perde apenas para Dança do Destino. É o segundo pior livro que li dela. Não consigo entender como uma autora que escreve histórias tão lindas, pode perder tempo escrevendo isso!


Bjs!

Lucila disse...

Dança do Destino, pela sua resenha (e eu sigo seus comentários), eu nem vou me dar ao trabalho de ler. Passei raiva neste, naquele eu vou desistir de ler qualquer coisa dela. Sem chance!
Ainda bem que existem suas resenhas!!!! rsrsrsrs
Continue assim....
beijinho

Lucila disse...

Com certeza!
Sorte a minha que vc me salvou de Dança do Destino, porque este já foi horrível.
Ainda bem qie existem as suas resenhas!!!!!
beijos

Luna disse...

rsrsrs...

Gracias, Lucila! :)


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.