O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A Senhora do Jogo - Sidney Sheldon com participação de Tilly Bagshawe (Desafio de Férias)


A aguardada continuação de um dos maiores sucessos de Sidney Sheldon. No seu bestseller mundial, O reverso da medalha, o autor nos apresentou à glamurosa e manipuladora família Blackwell e sua inesquecível matriarca, Kate. Tilly Bagshawe, autora do elogiado Adorada, retoma a saga dos Blackwell, seus amores, dramas e conspirações desde a década de 1980 até os dias atuais, quando uma nova geração comanda os negócios da família. Tenso e provocativo, A senhora do jogo agradará aos milhões de fãs de Sidney Sheldon e tem tudo para conquistar novas gerações de leitores.


Palavras de uma leitora...

- Tenho tanta coisa para dizer e não sei nem por onde começar... Talvez deva começar dizendo o que senti depois de terminar de ler essa história. Eu terminei de ler o livro era quase meia-noite. Depois de fechá-lo fiquei parada pensando em tudo que os personagens viveram e no quanto eu torci para que a Lexi, o Robert e o Gabe vencessem. Não torci pelo Max porque o prólogo revela que ele morre, senão também teria torcido por ele. Me senti péssima com o final da história. Ao lembrar de cada detalhe, cada sofrimento, perdas e medos, eu comecei a chorar. As coisas não precisavam ter terminado como terminaram. Foi horrível. Uma destruição em massa. Nossa "Senhora do Jogo"? Como sinto compaixão por essa menina. Ela se destruiu durante o jogo. Ninguém precisou destruí-la. Ela mesmo fez isso. Lexi pode até pensar que venceu, mas quem ler o livro até o fim e ver como ele termina, vai perceber que ela nunca vai ser feliz. Seu verdadeiro eu está destruído, acabado. Ela está viva, mas não está, entende? Eu me senti mal em ver no que ela se transformou. Confiei nela durante a história inteira.  Acreditei no seu potencial para vencer, mas ela me decepcionou. Perdeu quem realmente era durante sua luta por vingança. Maldito desejo de vingança! É horrível o que a verdadeira vingança pode fazer com uma pessoa. Ela destrói. Saiu destruindo tudo por onde passava sem piedade. Eu fiquei chocada com o final de cada personagem. E não é só a vingança que tem esse poder destrutivo. A culpa também. Nesse livro culpa e desejo de vingança saem destruindo os personagens. E as destruições são chocantes. As pessoas morrem de maneiras que você não deseja pra ninguém.

- Mas antes de continuar, preciso avisar que minha resenha pode ter spoiler. Nada que eu escreva pode chegar aos pés de como esse livro realmente é. Só quem lê-lo vai saber. Mas se você pretende ler o livro de olhos fechados (sem saber nada sobre ele) como eu fiz, não leia essa resenha. Não vou contar tudo que acontece nem como o livro termina, mas vou contar algumas coisas. Ok?

- Eu ainda não li o livro O Reverso da Medalha. A Senhora do Jogo é a continuação dele. Para entender melhor essa "família" eu deveria procurar esse livro pra ler e até tinha intenção de fazer isso em breve, mas agora não tenho mais. Para que vou conhecer melhor essa gente? Já sei o suficiente. Nesse livro nem os bonzinhos vencem. Pelo contrário, são os primeiros a partir. Os que ficam, se transformam em outras pessoas. Mudam completamente. E se você não se apegar ao que eles foram e entender o que muitos deles sofreram, vai odiá-los com todo o seu coração. Eu cheguei a odiar o pai do Robert e da Lexi. Ele fez coisas horríveis. Quase matou os próprios filhos e eu cheguei a dizer, durante o histórico de leitura no skoob, que se ele morresse eu não sentiria a menor falta. Mas retiro o que eu disse. Eu sinto muito por esse homem. Ele perdeu a mulher que mais amava na vida, sua doce Alexandra (Lexi recebeu o nome de Alexandra em homenagem a mãe), para a morte. Alexandra era a única Blackwelll boa. Parece que ela também sofreu bastante antes de se casar com o Peter. Ela foi casada com outro homem antes e conheceu o Peter durante uma consulta com ele. Ele era psiquiatra. Acho que isso nos diz algo sobre o que ela deve ter passado, né? Mas aí alguém matou o marido dela (sei quem foi, mas não vou dizer) e ela se casou com o Peter. Viveu feliz durante mais de dez anos, mas morreu ao dar à luz ao segundo filho do casal, que foi nossa pequena Lexi. A morte da Alexandra é horrível. Foi um dos momentos que senti vontade de chorar. Ela deu sua vida pela da filha. Entendo a dor do Peter. Deve ter sido horrível ver o amor da vida dele sangrar até morrer, bem na sua frente, e não poder fazer nada. Ele perdeu a vida junto com ela, sabe? Saiu daquele hospital uma outra pessoa. Uma pessoa destruída que quase levou seus filhos juntos... Mas não posso nem dizer que o Robert e a pequena Lexi venceram. Talvez o Robert tenha encontrado um pouco de paz ao renunciar a maldita herança dos Blackwell, mas há traumas que permanecem para sempre. Ele não perdoou o pai e nem a si próprio no final das contas. Só tento imaginar na minha cabeça que pelo menos ele encontrou a felicidade.

- Mas antes de continuar é melhor deixar vocês conhecerem um pouco dos personagens principais, né? Assim vocês podem entender melhor o que ainda vou dizer.


Robert Blackwell Templeton: viveu feliz até os dez anos de idade, ao lado da mãe e do pai. Muito apegado a mãe, estavam sempre juntos. Peter se orgulhava do laço de amor incrível entre mãe e filho. A vida deles era perfeita e outro bebê estava chegando apenas para completar a felicidade. Mas quando o pai de Robert voltou para casa, sua mamãe não estava com ele. Apenas a pequena Lexi voltou. Sua mamãe não e ele soube naquele momento que estava sozinho no mundo. Não chorou. A dor era tão grande que ele não tinha forças nem para chorar. Seu bálsamo foi a pequena Lexi, a irmãzinha da qual ele cuidou com todo seu amor. Ao está com ela, ele se sentia próximo da mãe. Prometeu a sua mãe que cuidaria da Lexi sempre, mas não conseguiu cudar nem de si mesmo. Ele sentia a cada dia que seu pai o odiava. Na mente de seu pai, Robert havia roubado momentos preciosos que ele poderia ter tido com a esposa. Ele queria esses momentos e culpava Robert por não tê-los, por isso, passou a desprezar o filho e se dedicar a mimar a menina que nem teve a oportunidade de conhecer a mãe. Robert sofreu calado durante anos, mas seu comportamento foi sofrendo significativas mudanças com o passar do tempo. Foi expulso de todos os colégios no qual estudou e se envolveu com bebidas e drogas... Mas também não conseguiu sentir desejo por nenhuma mulher. Na adolescência, tentava lutar contra isso, mas não conseguiu. Ainda adolescente, desiste e vira homossexual. Renuncia a amaldiçoada herança da família Blackwell e decide seguir sua pópria vida. E é justamente quando ele parte, que Lexi vive o pior pesadelo de sua vida. A culpa e o amor pela irmã faz Robert fazer um trato com Deus: se Lexi sobrevivesse, ele pararia de beber e largaria as drogas. Seu pedido foi atendido e ele cumpriu sua promessa.

Alexandra Blackwell Templeton (conhecida como Lexi): não conheceu a mãe. Sempre soube que sua mãe havia morrido ao tê-la e cresceu sendo mimada pelo pai que transferiu todo seu amor para ela. Não era só seu nome que era igual ao da mãe. Lexi era a própria imagem da Alexandra. E poderia ter sido como a mãe no caráter e personalidade também, mas diversos fatores contribuíram para torná-la a mulher fria e loucamente desejosa de vingança. Além de ser mimada, aos quatro anos Lexi viu o próprio pai, bêbado, apontar uma arma para a cabeça de seu irmão, Robert, e logo em seguida para a cabeça dela também. Escutou a arma disparar e não atingi-la porque a empregada lutou com o patrão e acabou sendo a atingida. Ela gravou as palavras do pai. Seu pai disse que Robert deveria ser punido por ter roubado a Alexandra dele e tentar fazer o mesmo com a Lexi. E isso ficou gravado na cabeça da menina de quatro anos, que passou a decapitar a cabeça das bonecas, punindo-as por terem feito algo errado. Na sua cabecinha de criança, já estava plantada a semente da vingança... E o terrível pesadelo que ela viveu aos oito anos, marcou pra sempre a sua vida. No mesmo dia que Robert decide finalmente partir para não voltar, Lexi é sequestrada no próprio quarto e jogada dentro da mala de um carro. Vivendo trancada durante mais de onze dias, sua mente fica confusa e amendrontada, mas o pior vem quando o homem da máscara de porco abusa de seu corpo de criança. Lexi nunca sentiu tanta dor, mas também nunca sentiu um desejo de vingança tão intenso. Sua mente registrou o que aconteceu e também o que ela tinha que fazer: se vingar. Punir o homem da máscara de porco. No dia do resgate, uma explosão acontece. Dois dos homens que a sequestraram tentam tirá-la de lá com vida, mas ela se recusa a partir. Não queria sair de lá viva sem antes pegar o porco. E quando ela está caminhando a procura dele, a explosão a envolve e por um milagre e a bondade de um policial, ela sobrevive. Não sofre queimaduras, mas perde a audição por causa da explosão. Quando está no hospital, tem uma crise, na qual grita como se a estivessem matando... E depois disso, passam-se oito longos anos. Todos pensam que a menininha que havia sido tão covardemente ferida, estava lidando bem com a situação, mas só ela sabia que as coisas não era bem assim. Aos 16 anos de idade, ela contrata um detetive para encontrar o porco. Sua mente dizia que ele ainda não havia sido encontrado pelos policiais porque era ela quem deveria encontrá-lo e puni-lo. E ela estava disposta a fazer isso. Também aos 16 anos, durante sua festa de aniversário, ela decide ter relações sexuais com o garoto mais popular da escola. Estava determinada a gostar de sexo. Não queria que o porco vencesse e faria de tudo para não dar essa glória pra ele. Mas logo após ela e o garoto terem relações, ela começa a gritar sem controle. E foi naquele momento que ela decidiu o que iria fazer para gostar de sexo e vencer o porco. Ela decidiu que iria ter relações com o maior número de homens que conseguisse e de todas as formas que pudesse. E assim faz... Durante a faculdade, faz as maiores loucuras que consegue: sexo com todos os homens e até mulheres da faculdade, bebidas, drogas...

Com o passar dos anos, ela para de agir assim. Se apaixona por Max (seu primo, filho da Bruxa Eve) e vive com ele intensas noites de paixão. Mas ao ser duplamente traída por ele e perder a presidência da Kruger-Brent após ele divulgar suas fotos e filmagens da época da faculdade, Lexi decide fechar seu coração definitivamente para o amor e passa a nutrir um ódio destruidor. Ódio que não destrói só ela, mas passa a destruir as pessoas que a cercam...

A menina na qual confiei e pela qual torci, estava perdida para sempre....

Gabe McGregor: durante toda sua vida ele ouviu seu pai gritar seu ódio pela família Blackwell. Eles eram parentes dessa família, mas não ficaram com nada. Eram a parte pobre. A revolta do seu pai e o ódio irracional (irracional porque há um motivo relevante para eles não terem ficado com nada) do mesmo foram direcionados para sua mãe, que sofreu as consequências disso. Gabe assistia ela ser constantemente agredida e após a morte do pai, quando ele tinha 16 anos, decide sair de casa para tentar vencer na vida. Mas ao chegar na cidade grande em busca de emprego, ninguém lhe dá uma chance. Todos fecham as portas para ele. Desesperado, ele encontra refúgio nas drogas e passa a enganar mulheres mais velhas para ser sustentado por elas. Com o passar do tempo, Gabe se torna totalmente escravo das drogas e perde a noção de quem é. Desorientado pela heroína, ele invade uma casa e após bater quase até matar no dono da casa, ele é preso e condenado há muitos anos de prisão. Lá dentro, por se sentir um fracassado e pensar que não vai poder mais se drogar, ele tenta suicídio e por pouco não consegue. Depois disso, ele conhece um médico e um amigo de cela dispostos a fazê-lo se livrar do vício e um outro, o ensina como funciona o mundo dos negócios. Essa mesma pessoa que o ensina sobre os negócios, o convence a se livrar do advogado e pedir ajuda a algum amigo para pagar um advogado de verdade para ele. Gabe faz isso. Escreve para todos que conheceu, embora não tivesse esperança que fossem ajudá-lo. Mas ajudam. Todas as mulheres que ele um dia roubou e enganou, lhe enviam dinheiro e uma delas contrata o melhor advogado para ele. Gabe sai da prisão disposto a pagar todos que ele devia. E vai para a África fazer fortuna como um dia o fundador da Kruger-Brent fez. Demoram anos, mas ele consegue. Vence, paga quem devia, se conserta, casa com uma mulher maravilhosa e tem dois lindos filhos. Sua vida estava perfeita. Mas após uma tragédia aterrorizante, ele perde a vontade de viver e começa a se destruir aos poucos... Mas é nos braços da pessoa que ele menos imaginava, que ele encontra um motivo para viver... Porém não sabe que essa mesma pessoa e o amor intenso que ele sente por ela, podem condená-lo a uma vida de muito sofrimento. Ele se apaixonou novamente. Só que dessa vez ( e sinto muito dizer isso) ele se apaixonou pela pessoa errada. Seria melhor que ele terminasse sozinho.


Max Blackwell Webster: seu nascimento foi planejado pela bruxa da sua mãe, a maldita Eve e o único objetivo era ser seu vingador. Eve era má e se torna vítima de sua própria maldade. Ela é chantageada para se casar com o renomado cirurgião, KeithWebster e o mesmo, temendo perdê-la, a engana e opera disposto a desfigurar todo seu rosto. Contaminado por um amor doentio, Keith acha que um dia ela vai entender que fez aquilo "por amor", pra não perdê-la para alguém que não a merecia. Porém ele não sabia que assinou sua sentença de morte ao se casar com ela. Prisioneira dentro da própria casa, Eve engravida disposta a fazer do fruto do seu corpo, seu vingador. E desde que o menino é um bebê, ela o contamina sem piedade. Pressionado pela mãe que tanto amava, Max faz coisas horríveis... E quando adulto, trai a Lexi, embora a amasse na época. Ele a amava de verdade e isso, mais o que ele fez na infância, destroem seu cérebro. É como se todos os fusíveis queimassem de uma só vez e ele enlouquece. Nessa época, ele está casado com uma mulher que o ama e luta para salvá-lo, e já tem dois filhos gêmeos. Mas a culpa destruidora o leva a loucura e ao suicídio. E sua morte é terrível.

- Bem... Acompanharam, né? E essa é a destruição apenas dos principais. Não coloquei de todos aqui. Mas nada que eu disse pode prepará-los para a realidade do livro. É tudo muito horrível. Eu vi cada um caindo sem poder fazer nada para mudar. E sabe o que mais machuca? Saber que a realidade crua está relatada nessa história de ódio, vingança e ambição. Acontecimentos horríveis, como o estupro da Lexi, o vício nas drogas, a prostituição, e assassinatos de pessoas inocentes... Basta eu ligar a televisão para ver, basta eu ouvir um rádio ou ler um jornal. Até mesmo digitar no google algumas palavras. É a realidade mostrada de forma transparente. Sem palavras que amenizem alguma situação. Sem fantasia. Nesse livro, o autor nos mostra o lado mais escuro da vida, das pessoas... Durante a leitura o livro grita o que a vingança pode fazer com as pessoas, o que ódio é capaz de fazer... A culpa, a obsessão, a riqueza, as drogas, a prostituição (a pequena Lexi se prostituiu).

- Odiar essa história? Impossível. É a realidade, por mais cruel que seja. Não é um livro que eu vá reler um dia, mas é um livro que me ensinou muito através de cada personagem. Acho que nunca conseguirei esquecer nenhum deles. Suas histórias de vida conseguiram me ensinar bastante, entre essas coisas, a aprender a perdoar. Não é fácil perdoar gente, mas ontem, após terminar de ler essa história e sentir por esses personagens, eu pensei em cada pessoa que um dia me magoou e perdoei todos eles. Sei que perdoei, pois sinto que perdoei. Ou seja, lutei para aprender a perdoar durante anos, e depois de ler esse livro e ver o que cada personagem fez um contra o outro e contra eles mesmo, eu liberei o perdão. E agora me sinto leve, sabe? Me sinto melhor. A principal lição que aprendi com esse livro foi a perdoar. A segunda, e não menos importante, foi que a vida é muito curta e que não sei o que pode acontecer amanhã. Tenho que dá valor as pessoas que amo agora e não amanhã, pois ele pode não existir. Antigamente eu dizia "eu te amo" com mais frequência, mas a correria do dia-a-dia e a insegurança, me fizeram deixar de dizer palavras tão simples, importantes e que não vão me machucar se eu disser.

- Enfim... Não odiei a história e foram poucos personagens que ganharam meu desprezo. Lexi, Robert, Gabe e Max, ganharam minha compaixão. Sinto pelo que aconteceu com eles e gostaria que tivesse sido diferente. Quando lembrar da pequena Lexi nessa história, lembrarei do que ela foi e não no que se transformou. E se eu pudesse escolher um final diferente para ela, seria um fnal feliz no qual ela teria desistido da vingança e teria sido feliz para sempre ao lado do mesmo homem com o qual se casou e teve a filhinha. Embora no livro ela tenha se casado e tido uma filha, ela não teve final feliz. Ela se transformou numa pessoa vingativa, amargurada e egoísta demais para ser capaz de ser feliz. Nunca será. E isso me deixa triste, pois ela tinha tudo para ter construído um futuro melhor. Mas preferiu se destruir... E sabe? No final das contas o império Blackwell caiu, virou cinzas... Do que adiantou? Ela não venceu.

- Recomendo esse livro a quem gosta desse tipo de história. Não vou dizer nem que recomendo aos fãs do autor, pois nunca li um livro dele que terminasse com a destruição da personagem principal. Nos três livros anteriores que li desse autor, os personagens principais saem vitoriosos de alguma forma no final. Nesse, não aconteceu isso.

E para quem não conhece os livros do autor, mas quer ler esse livro ou algum outro, deixa eu dizer uma coisa: esse autor escrevia histórias maravilhosas e transparentes, reais (pelo menos as que eu li foram) e exatamente por terem um toque de realidade crua, sua histórias tem palavreado vulgar. Não é algo que eu goste de ver nos livros que normalmente leio, mas já estou acostumada com isso nos livros do Sidney. Mas para você que não está, deixo essa informação para que não fique chocado (a).

- E o que dizer da autora que continuou o livro? Não sei em que parte ela começou ou se escreveu a história toda baseada no que o autor pretendia criar, mas o livro prende no prólogo e durante boa parte da história... Porém, em um determinado momento a história cai na monotonia e fica sem sal durante umas vinte ou trinta páginas... Mas, felizmente, pega o ritmo de novo com o relacionamento entre Lexi e o Max e segue prendendo a atenção do leitor até o final. Ela é uma boa escritora.... Mas espero que não faça outra continuação dessa história. No final da história, pode parecer que ainda vai existir uma continuação, mas eu não quero isso...rsrs... Ela é uma escritora muito boa, talentosa, mas não é o Sidney Sheldon. Tenho certeza que ela vai fazer sucesso escrevendo suas histórias. Mas a família Blackwell foi criação do Sidney Sheldon e deve permanecer assim. Pois é. Sou ciumenta com os autores que gosto. Cada autor é único e ainda não estou muito contente com o fato da Tilly continuar algo do Sidney. Sei lá... Eu sou complicada mesmo. Mas deve ter alguém que pense o mesmo....rsrs...Às vezes um autor é especial para nós e não queremos ver ninguém fazendo sombra no nome dele... Tenho diversos autores que são especiais para mim e penso da mesma forma pra todos eles. São úncos. Tilly pode ter continuado de forma talentosa a história do Sidney, mas essa história é dele e não dela.

- Bem... O blog Emoções à Flor da Pele irá entrar de férias no final do dia de hoje e voltará só no dia 06/01/11. Já sinto saudades de vocês, mas não estou abandonando-os. É só que não terei tempo nenhum para resenhar e nem para ler. Vai ser um desafio resistir a tentação de parar alguns minutos para ler...rsrs... Mas também sei que não terei nem esses minutos..rsrs... Comentários que enviaram ontem (ainda não publiquei), vou publicar e responder hoje. Quem comentar até as oito horas da noite de hoje, ainda terá seu comentário publicado e respondido. Passou desse horário, o blog já estará de férias e somente no dia 06/01 voltarei, publicarei e responderei os comentários enviados após o horário que falei. Vcs entendem, né? É por pura falta de tempo.

Como disse no aviso que coloquei no blog, emails ainda serão respondidos. Pode não ser na hora, mas responderei.

- É isso, gente... Desejo à todos um Feliz Natal e Próspero Ano Novo. Que vocês possam realizar seus sonhos nesse ano que vai se iniciar, que tenham muita felicidade, amor e paz. Que seja um ano de vitórias e não de tristeza.

Amo muito todos vocês! Estão no meu coração!

Carla, Monica, Lulu, Renata, Bruna, Laila, Pamela, Carol, fico muito feliz por ter a amizade de vocês. Quando criei o blog jamais imaginei que pudesse fazer amizades preciosas através dele. Mas hoje tenho vocês e as guardo no meu coração. Muito obrigada por existirem!

Um beijo grande à todos que leem o blog, todas as amigas que fiz através dele... Enfim... à todos! rsrs... Já sinto muita, mas muita saudade...

Fiquem com Deus. Que Ele os guarde e proteja. E não se esqueçam de convidar o aniversariante para a festa de Natal. O Natal simboliza o nascimeno de Jesus Cristo e essa festa é para ele. Divirtam-se, curtam, mas não se esqueçam de agradecê-lo por estarem vivos. Ele nos ama muito e deu sua vida por nós. Se fez carne e sofreu no nosso lugar. Eu sou grata por isso. E amo muito o Deus que fez isso por mim e por você também.

21 comentários:

Anônimo disse...

Luna, querida amiga, te desejo igualmente um excelente Natal, com tudo de bom, família reunida, felicidade. E que o Ano Novo te traga maravilhosas notícias e a concretização de todos os seus objetivos, sonhos e desejos. 2010 me trouxe uma amiga linda. Estou feliz por te conhecer. Beijos

Carla

Ana Carolina Nonato (BLOG O DESAFIO DE CADA DIA) disse...

Olá!

Devo dizer que não gosto muito de Sidney Sheldom, mas que sua resenha até que me fez cogitar a hipótese de lê-lo novamente.
Quanto ao blog sair em férias... Aaaah, mas eu vou ficar com saudade das resenhas! :( Tudo bem, né? Ano que vem tem mais, MUITO mais, não?

Forte abraço, Feliz Natal e Ano Novo!

Lulu Sempre Romantica disse...

Oie amiga, tudo bem?

Desculpa mas desses livros eu fujo como o diabo foge da cruz, aí fico pensando no história pordias , as vezes tenho até deprê acho que até hoje somente li um livro do Sidney, o reverso da medalho começei a ler mas aí parei e isso faz muito tempo, ainda era moleca. Enfim, não leio livros assim nãooooooo.

Beijos

Luna disse...

Olá Carla!

Já respondi por email, mas agradeço mais uma vez pelo carinho. E tbm desejo tudo de bom para vc nesse novo ano que está chegando.

Te adoro!

Luna disse...

Olá Ana!

Seja bem-vinda!

Sidney Sheldon foi um autor maravilhoso, mas que nem sempre desperta o amor dos leitores... É como muitos outros autores: agrada uns e desagrada outros...rsrs... Eu sou fã dele, apesar de às vezes ter que dá um tempo para não perder a sanidade. Ele escrevia realidade e adoro muito suas histórias por isso, mas não o recomendo à todos! rsrs...

Com certeza! Nesse novo ano que vai entrar teremos muito mais! Autoras novas, autoras antigas, lançamentos... Ano novo, vida nova, resenhas novas! rsrs...

Bjs!

Luna disse...

Olá Lu!

rsrsrs... Eu entendo. Tbm não costumo ler muitos livros assim, não. Prefiro os famosos "água com açúcar" que as vezes não são tão doces assim... rsrs... Enfim... Mas gosto muito dos livros do Sidney Sheldon. É um dos meus autores preferidos.

E sei como é... Ainda não tirei A Senhora do Jogo da cabeça, embora tente...rsrs...

Bjs!

Jéssica disse...

Luna de Sidney Sheldon eu ja li "um estranho no espelho" e "Se houver amanha", gostei muito do 2° e nem um pouco do 1°, acho que pra gostar dos livros dele, tem q ler vários, pq ele escreve de diversos assuntos, e depende de cada pessoa gostar.
Assim como eu, gostei de um e de outro não, mais continuo lendo ele...
Começando "Conte-me seus sonhos"
Bjus.
Ate mais.

Luna disse...

Olá Jessica!

Eu não li "Um Estranho no Espelho", mas já li e adorei Se Houver Amanhã (é meu preferido)!

Sidney Sheldon me conquistou com suas histórias, fortes, reais e cruas. Adoro seus livros, embora não os leia com muita frequência.

Conte-me seus sonhos está na minha lista! Depois me diz se o livro é bom. :)

Bjs!

Jéssica. disse...

Bom Luna deixei 'conte-me seus sonhos' de lado e estou lendo 'Alguem Para Amar' como sabe...
hum... mais o Sidney Sheldon é um dos poucos escritores homens que leio pois tenho um preconceito terrível com homens escritores kk pq li uns de Jo Goodman e até hoje me dão dor de cabeça por ter lido o livro todo... mto sei lá... cansativo de se ler...
Bom vou indo, boa noite.

Luna disse...

Olá Jessica!

Está aí uma coisa que os livros do Sidney Sheldon nunca são: cansativos. Ele nos prende até a última página.

Bjs!

Jéssica. disse...

Luna, acabei de ler 'a senhora do jogo' tava sem tempo de ler pelo pc, por isso resolvi comprar, ao contrario de vc (rsrs) gostei muito da história, os persongens são verdadeiros e pra quem quer ler Sidney Sheldon é isso que vai encontrar independente do livro, todos os personagens são bastante crus. Bom, eu acho que no fim a Lexi não vai desistir até ter oq quer, não importa se ela ta fugindo do FBI e tudo mais, ela sempre dá um geito.
Quanto ao Max fiquei com muita pena dele no fim, pois ele foi manipulado desde o nascimento, ñ tinha culpa sei lá, eu queria um fim melhor pra ele. mandando a mae dele ir pro inferno kkkkk
Mais gostei do final, ela ficou com o Gabe e teve a Maxine. (ela ainda gostava do Max véi)

Luna disse...

Olá Jessica!

Mas eu gostei do livro!!!!!!!!!! rsrsrs... Eu não disse que não gostei da história, pelo contrário, eu amei e nem sequer consegui odiar os personagens principais. Foram poucos os personagens desse livro que ganharam meu desprezo...rsrs... O que eu não gostei foi do modo que a Lexi terminou. Eu queria que ela tivesse vencido. Eu achei que ela se transformou numa pessoa egoísta e fria demais, porém, mesmo assim não consegui odiá-la, pois sempre me lembrava do que ela havia sido.

Sobre o Max: eu tbm desejava que tivesse sido diferente pra ele. Era uma boa pessoa apesar de tudo. E como vc disse, só tinha sido manipulado desde o nascimento pela pessoa que deveria cuidar dele: sua mãe, a Bruxa Eve. Seria maravilhoso se ele e a Lexi pudessem ficar juntos e se fossem felizes... Enfim... mas nem sempre as coisas são como a gente quer, certo? rsrsrs...

E realmente a Lexi não esqueceu o Max... E como vc percebeu, o nome da menina lembra o nome dele. M-A-X...INE...rsrsrs...

Jéssica disse...

kkkkkk, pois é o 1° amor é assim... é no fundo eu queria que ela ficasse com o Max apesar de eu gostar muito do Gabe e ele ser um fofo. o final não foi tão legal por ela ter ficado muito marcada pelos acontecimentos de sua vida, acho que o tal Porco nojento acabou com ela mesmo ela insistindo que não e fazendo de tudo pra se 'livrar' do que sentia, mais sei lá, gostei mesmo assim, no fim quis dizer que não importava o que acontecesse ela 'Lexi' não ia desistir de modo algum, acho isso nela perfeito, pq sem isso ela acabaria louca (predisposição da familia) com tudo que aconteceu na sua vida, sem essa válvula de escape ela não ia conseguir viver muito tempo. No fim Lexi 'tinha' de ser como era ou nao sobreviveria.

'Chorando pelo Max, raiva de Eve, depois de velha e louca, ainda conseguiu destruir muitas vidas...'

Bjus ate a Próxima...

P.S: Pensando em comprar 'O reverso da medalha'
quero conhecer mais a Kate, pq Lexi acabou destruindo o império que ela construiu, queria ver como ela fez e pq ela deserdou a Eve,(coisa boa q nao foi) q nao conta nesse livro...

Luna disse...

Olá Jessica!

Eu não desejo ler 'O Reverso da Medalha' nem tão cedo! rsrs... Não gosto da Kate. Segundo o livro 'A Senhora do Jogo', ela foi responsável pela loucura do próprio filho. Acho que iria odiá-la, sabe? Ela parece ter sido feita de pedra.

Bjs!

Jéssica disse...

Eu gosto de me martirizar... kkkkkkkk

Kynne Sanva disse...

Oi, Luna, né? Tudo bem? Amei sua resenha... gosto de pessoas que escrevem realmente com as "Emoções a flor da pele". Bem, eu sou super fan de Sidney Sheldon, mas sou louca pelo estilo de escrita da Tilly Bagshawe, li dela Adorada e outros dois que levam o nome de Sheldon porque ele começou o romance que são A Senhora do Jogo e Depois da Escuridão sendo que a A Senhora do Jogo só leva o nome dele porque é continuação do Reverso da Medalha. Resolvi te deixar um recadinho porque vi como você ficou chateada com o final do livro (alias, é bem caracteristico da Tilly fazer a gente sentir cada emoção do personagem principal), pois bem... você leu o Reverso da Medalha? Se você ler vai entender muita coisa, vai ver que apesar da Lexi ter se destruído para destruir a Kruger-Brent e concretizar sua vingança, a destruição da empresa para tira-la de Eve era o que a gente esperava desde o fim do Reverso da Medalha já que ela fez muito mau a Alexandra e no final de tudo acabou ficando com 50% da empresa, foi como se tudo que ela tivesse feito tivesse valido a pena. Também lamentei pelo Max... pq realmente havia amor entre eles e a Lexi foi a única mulher que ele realmente amou e até isso a Eve tirou dele, que mãe, viu? rsrs. Leia o Reverso da Medalha e depois me fale.
Ah, pensei que só eu tivesse achado estranho o nome da filha da Lexi... e se bem me lembro quando o Max morreu a Lexi já estava grávida... ou não? Será? hahah
Bjus

Luna disse...

Olá, Kynne!!!


Gracias! :)

Ainda não li O Reverso da Medalha, mas talvez seja minha próxima leitura do Sidney Sheldon. Já estou morrendo de medo!kkkkk...


kkkkkkkkk... Kynne, sinceramente eu não lembro!rsrs... Acho que agora até preciso reler sobre isso!kkkkk...


Bjs!

Kynne Sanva disse...

Ei, Luna! Como eu disse leia e depois me diga! A primeira coisa que vc vai sentir é a diferença entre Sheldon e Bagshawe, mas não precisa ficar com medo não kkkk
Pois é... tomara que um dia escrevam a continuação da Senhora do Jogo porque continuo achando estranho o nome da filha da Lexi kkk
Ah, deixa aqui pra mim seu face e seu skoob adoro conversar com quem gosta de livros rsr
Bjus!

Luna disse...

Olá, Kynne!


Eu sou fã do SS e prefiro os livros dele, do que esse livro escrito pela Tilly.kkkk... Provavelmente gostarei mais de O Reverso da Medalha. :)


rsrsrs... Eu não quero a continuação da história, não! Eu preferia que a Tilly escrevesse suas histórias usando somente o seu nome e não o nome do meu autor.

Skoob: http://skoob.com.br/usuario/173932
Facebook: http://www.facebook.com/luna.delua


Bjs!

Kynne Sanva disse...

Ei, Luna! Concordo, prefiro quando Tilly escreve os próprios romances... o estilo de Sheldon sem ser misturado ao dela é bem mais interessante... apesar de gostar dela tenho que concordar com isso rsrsr
Ah, mas eu queria o fim da história e queria muito kkkk e infelizmente Sheldon não tem como escrever mais, né?
Adicionei você no face e no skoob.
Bjus

Luna disse...

Pois é! Gosto dos livros que são só dele!kkkkkk... Nada de Tilly escrevendo-os!rsrs...


kkkkk... Eu não quero!rsrsrs...


Verdade. Ele não pode escrever mais, mas isso não significa que essa Tilly tenha que ficar escrevendo usando o nome dele.


Ok! :)


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.