O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Agora e Sempre - Judith McNaught


1º Livro da Série Sequels

Em 1815, órfã e sozinha, a jovem americana Victoria Seaton atravessou o vasto oceano com destino à Inglaterra. Determinada a assumir a herança perdida havia tanto tempo, surpreendeu-se diante da suntuosa propriedade de seu primo distante, o mal-afamado lorde Jason Fielding.

Disputado pelas mais belas mulheres da alta sociedade, solteiras ou casadas, Jason era um mistério para Victoria. Confusa por sua postura arrogante e, ainda assim, atraída por seu arrasador poder de sedução, ela vislumbrou dolorosas lembranças nos profundos olhos verdes de Jason. Quando ele, incapaz de resistir ao charme e ousadia de Victoria, tomou-a nos braços e a beijou com paixão, ela foi envolvida em um redemoinho de sensações desconhecidas e profundamente perturbadoras...


Palavras de uma leitora...


"— Você deveria ter me contado — ela gritou, incapaz de controlar o tom de voz, ou as lágrimas que cobriam seu rosto. — Mas não podia, porque se envergonha do que, na verdade, deveria se orgulhar! Teria sido melhor se ele não tivesse me contado. Antes, eu o amava apenas um pouco. Depois, quando me dei conta de quanto você é forte e corajoso, passei a amá-lo muito mais. Eu...


— O quê? — Jason indagou com um sussurro quase inaudível.


— Eu não o admirava, antes de ouvir a sua história. Agora, admiro e não posso mais suportar o que está fazendo...


Através das lágrimas, Victoria viu Jason se mover e, em seguida, sentiu-se quase esmagar em um abraço desesperado.


— Pouco me importa quem são seus pais — soluçou com o rosto enterrado no peito dele.


— Não chore, querida — Jason murmurou. — Por favor, não chore.


— Detesto quando você me trata como uma boneca idiota, dando-me vestidos de baile e...


— Nunca mais comprarei outro vestido — ele tentou brincar, mas sua voz soou rouca e sufocada.


— E me cobrindo de jóias...


— Também não comprarei mais jóias.


— E, quando se cansa de brincar comigo, me deixa de lado.


— Sou um imbecil — ele concluiu, afagando-lhe os cabelos.


— Você nunca me diz o que pensa, ou sente, a respeito das coisas e eu não sou capaz de adivinhar o que se passa pela sua cabeça.


— Nada se passa, pois perdi a cabeça há meses.


Victoria sabia que havia vencido, mas o alívio era tão intenso, que os soluços continuaram a sacudi-la.


— Ah, pelo amor de Deus, não chore assim! — Jason implorou. — Juro que nunca mais farei você chorar. Vamos para a cama. Deixe-me fazê-la esquecer a noite de ontem.


Em resposta, Victoria passou os braços em torno do pescoço de seu marido e se deixou carregar até a cama, onde Jason se deitou a seu lado, beijando-a com terna paixão. "


"— Eu amo você — confessou. — Eu amo tanto...


Então, seus lábios traçaram linhas de fogo na pele de Victoria, à medida que ele cobria seu corpo de beijos.


— Por favor — pediu com voz rouca e apaixonada —, toque-me, deixe-me sentir suas mãos em meu corpo."


- Bem... Judith McNaught conseguiu me conquistar com suas belas histórias de amor. E Jason Fielding é o primeiro mocinho que abusa de uma mocinha (estou tentando evitar a outra palavra por ela ser forte e não quero usá-la pra falar do que ele fez...rsrs... Fazer o quê? Ele me conquistou!) e não ganha o título de mocinho-vilão ou entra na categoria de "homens cruéis". Não estou desculpando o que ele fez, mas seria hipócrita se falasse que odiei o mocinho, que desejei matá-lo e que sofri pra perdoá-lo. Seria uma grande mentira. Eu não consegui odiá-lo. E juro que tentei...rsrs... Porque não conseguia entender o motivo de não odiá-lo. Reli a cena da violação quatro vezes e mesmo assim não consegui. Não sei explicar o motivo. A cena não é nada agradável e não gostei nada dela. Detesto esse tema e sinto muita raiva dos mocinhos que fazem essas coisas em algumas histórias que já li. E já mandei livros pra categoria "romances que odiei" só pelo motivo de conter abuso por parte do mocinho. Quando não mandava a história pra essa categoria, colocava o mocinho na categoria "homens cruéis". Então, é óbvio que eu não fiquei muito satisfeita por não odiá-lo...rsrs... O que ele fez foi muito errado e vergonhoso, mas ele não ganhou o meu desprezo. Pelo contrário. Senti vontade de cuidar dele. Como a Carla disse, ele precisava de colo...rsrs... De proteção. A proteção e o amor que lhe foram negados na infância. Aí vocês vão pensar que eu o perdoei por causa da infância infeliz dele, mas isso também não é verdade. Logo depois do pesadelo que foi a noite de núpcias deles, eu já o havia perdoado. Ele fez meu coração amolecer ao se desprezar como se desprezou e levar aquela joia de presente para a nossa pobre Victoria...rsrs.. Não foi o presente, mas achei engraçado o pensamento dele de que ela o perdoaria porque ele lhe deu um presente belíssimo. Achei divertido e senti compaixão por ele, pois meu querido mocinho acreditava que se comprava afeto, perdão, amor... A experiência que teve com a ex-maldita-esposa o fez pensar assim. Ele não fez por mal, entende? Realmente acreditava de todo coração que estava pedindo perdão e sendo perdoado ao lhe dá aquele colar valioso (acho que era colar)... Sei lá... Isso amoleceu meu coração e tbm o pedido "sinto muito" e ainda o afeto dele ao cobri-la com a coberta... Achei aquele momento significativo. Significou muito para mim e depois de saber o que ele passou na infância, soube que não ouviria ele pedir perdão com as palavras certas. Ele teve que repetir muito essas palavrinhas na infância e sem ter feito nada de errado... Acho que me sentiria péssima se ouvisse ele pedir perdão. Nunca quero ouvir essas palavras dele. Com relação ao Jason, elas seriam uma tortura.

- Acompanharam o trecho que coloquei no início das "palavras de uma leitora"? Apesar de eu ter dividido em dois trechos elas fazem parte de uma mesma cena. Uma das cenas mais lindas pra mim. Foi a primeira vez que o Jason disse que a amava e foi lindo. Ele tinha feito algo horrível na noite passada... Havia humilhado a mocinha ao ordenar que ela tirasse a roupa e depois dissesse que o queria. Ela era tímida e ele fez aquilo com a intenção de humilhá-la e ele mesmo admitiu isso (embora não com essas exatas palavras) ao falar o seguinte: "Deixe-me fazê-la esquecer a noite de ontem." Foi tudo por causa do ciúme. Mas nossa mocinha não deixou por menos...rsrs... No dia seguinte, ao ver que ele havia deixado mais um presente (sempre a presenteava depois que eles faziam amor. Pra ela, era como se a estivesse pagando, comprando... Para ele, era um ato de carinho...rsrs...), ela levantou e foi atacar o presente nele! Eu adorei! Aí ela começou a gritar que nunca o perdoaria e coisa e tal... E foi a atitude dela que provocou o trecho que coloquei no início da resenha. Foi depois disso que eles se entenderam. Ela disse o que sentia e ele finalmente confessou que a amava. Eu amei. É como dizem "há males quem vem para o bem". A atitude desagradável dele na noite anterior, provocou a ira dela e fez eles finalmente se comportarem como marido e mulher e confessarem o que sentiam. Sem dúvida essa história de amor é daquelas inesquecíveis. Esse casal já me marcou.



- Já disse que esse mocinho está entre os meus preferidos? Juro que está! Mesmo tendo agido como um cafajeste estúpido na noite de núpcias, ele conseguiu ganhar o meu coração e entrar pra lista de preferidos. Eu o adoro! Ele merece amor. É isso que ele merece. Não pensem nele como um mocinho mau só pela noite de núpcias. Tenho certeza que ao começar a ler o livro e conhecer o Jason, você também vai amá-lo, pois ele nos conquista bem antes daquela cena e nos encanta logo depois com seu ato errado, mas certo pra ele (o presente) e com o "sinto muito" (só o Jason pra me fazer aceitar essas palavras, né? Com ele essas palavrinhas significam pedido de perdão, pois as outras palavras são humilhantes nessa história) e também com o afeto ao cobri-la:




"Vestindo o robe, Jason retirou uma caixa de veludo da gaveta da penteadeira e voltou ao quarto de Victoria. Ficou parado ao lado da cama, observando-a dormir.


— Victoria — sussurrou.


Ela se moveu levemente ao ouvir o som de sua voz e Jason foi imediatamente invadido pela dor do remorso. Ela parecia tão vulnerável, tão linda, com os cabelos espalhados no travesseiro, refletindo a suave luz da vela.


Jason observou-a em silêncio atormentado, sem querer perturbá-la.


Após alguns momentos, puxou as cobertas sobre os ombros delicados e afastou os cabelos de seu rosto.


— Sinto muito — murmurou baixinho."

 
- Foi nesse exato momento que eu o perdoei. Tentei me convencer de que ainda não tinha decidido, mas não adiantou eu lutar. Fiquei lembrando desse momento e soube que já tinha perdoado o Jason. Senti muita compaixão por ele. Não gostei de ele magoar a Victoria, pois também gosto muito dela, mas senti mais por ele. Motivo? Ele se considerar o filho do "coisa ruim". Não foi palavra de momento, não. Ele acreditou naquilo pelo que a bruxa que o maltratou na infância falou. Ela repetia essas palavras abomináveis e, após fazer o que fez com a Victoria, ele acreditou nisso. Mas estava errado! Assim como a louca que o maltratou! Ele é uma pessoa maravilhosa e que comete erros como todos nós e nunca na vida quis realmente fazer mal a Victoria. Eu o amei cada vez mais com o prosseguir da história. Como não amá-lo? Amei o menino ferido, que não recebeu amor e foi cruelmente maltratado e amei o homem atormentado, que havia perdido o filho pra morte e que se achava indigno de receber amor. E depois também amei a pessoa na qual Victoria o transformou. Sem dúvidas ela era a pessoa certa pra ele! E se falo isso é porque é verdade, pois eu não aceitaria ninguém que não fosse digna...rsrs... Teve um livro que li certa vez no qual cheguei a dizer que não achava a mocinha suficiente para o mocinho. Que ele merecia alguém melhor. Não lembro que livro foi esse... E acho até que a mocinha era uma boa pessoa, mas não achei suficiente para o mocinho. No caso desse livro, não. A mocinha é perfeita pra ele. Ela o fará feliz para sempre.... e tbm fará com que nenhum dia seja chato. Ainda bem que ele é forte... Só alguém assim conseguiria viver ao lado dessa mocinha. Ela é doidinha... Acreditam que ela domesticou um lobo? Estou falando de um animal de verdade e não do Jason...rsrs... Não era um animal 100% lobo. Era metade lobo e metade cachorro, mas era um animal assustador. Ela o domesticou! Acreditam nisso? Foi muito engraçado. Aí sim... Depois ela domesticou a pantera com a qual se casou...rsrs...




"O motivo pelo qual fui a Londres foi porque queria comprar isto para você — Victoria explicou.


Ele continuou olhando o pacote, imóvel, as mãos ainda metidas nos bolsos. Com um súbito aperto no peito, Victoria se perguntou se, alguma vez, alguém dera um presente a Jason. Era improvável que a primeira esposa, ou mesmo a amante, houvesse pensado nisso. E seria desnecessário dizer que a louca que o criara jamais lhe dera qualquer coisa.


A compulsão de se atirar nos braços dele já era quase incontrolável, quando Jason finalmente tirou as mãos dos bolsos. Apanhou o pacote e girou-o nas mãos, como se não houvesse o que fazer com ele. Disfarçando a profunda ternura que a invadiu com um sorriso largo, Victoria se sentou na beirada da mesa e perguntou:


— Não vai abri-lo?


— Quer que eu o abra agora? — Jason indagou, visivelmente confuso e embaraçado.


— Que momento poderia ser melhor? — ela brincou e deu um tapinha na mesa a seu lado. — Pode colocá-lo aqui, antes de abrir, mas tenha cuidado, pois é frágil.


— É pesado — Jason comentou com um sorriso hesitante, enquanto desfazia o embrulho.


— Fez com que eu me lembrasse de você — Victoria confessou, observando-o retirar da caixa forrada de veludo a linda pantera esculpida em ônix, com olhos de esmeraldas.


Como se um felino vivo houvesse sido capturado em um passe de mágica e, então, transformado em ônix, cada linha do corpo da pantera transmitia a idéia de movimento, graça e poder. Os olhos verdes exibiam perigo e inteligência.


Jason, cuja coleção de obras de arte era tida como uma das melhores da Europa, estudou a pantera com tamanha reverência, que Victoria foi obrigada a lutar contra as lágrimas. Tratava-se, sem dúvida, de uma peça belíssima, mas ele a estava tratando como se fosse um tesouro inestimável.


— É linda — ele finalmente murmurou, passando um dedo pelas costas da pantera. Com extremo cuidado, colocou a peça sobre a escrivaninha e virou-se para Victoria. — Não sei o que dizer — admitiu com um sorriso maroto, quase infantil.


— Não precisa dizer nada... exceto “obrigado”, se quiser — Victoria replicou, sentindo-se mais feliz do que nunca.


— Obrigado — Jason murmurou com voz rouca.


Agradeça com um beijo. As palavras surgiram na mente de Victoria e, sem pensar, ela falou:


— Agradeça com um beijo.


Jason respirou fundo e, apoiando as mãos na mesa, inclinou-se e roçou os lábios nos dela."



- Está aí outra cena que me emocionou. Ninguém nunca tinha comprado um presente pra ele. Ninguém nunca demonstrou afeto dessa forma e ele não sabia nem como agir. Essa cena me tocou muito. Ele não mereceu nada do que sofreu e eu seria mentirosa se dissesse que fiquei indiferente ao saber do que ele passou. Quanta humilhação! Ele era só uma criança e não merecia tratamento tão cruel. Está aí uma pessoa que odiei com todas as minhas forças! A bruxa maldita e fanática que o maltratou. Até hoje ele leva as marcas físicas daquela maldade. As emocionais foram curadas pela Victoria, mas as físicas ficarão pra sempre. Eu imaginei um final para a ordinária que fez aquilo com ele, mas é melhor guardar pra mim mesma...rsrsrs... Só digo-lhes que ela desejaria ir logo para o inferno que seria bem melhor pra ela. Vocês tbm irão se revoltar, isso eu garanto! Mas bem... Ao descobrir o que o Jason passou eu lembrei de um outro personagem. Quem adivinha qual é? O Rowland do livro "Assim Fala O Coração". Fiz a resenha desse livro há pouco tempo e perdoei o mocinho por sua crueldade, mas não gostei muito dele, não. Não o odiei no final da história (só durante a história), mas tbm não era um mocinho muito querido. Porém, depois de acompanhar a narração do que o Jason passou e lembrar do que o Rowland também viveu, esse mocinho que outrora foi mocinho-vilão pra mim, ganhou um lugar especial no meu coração tbm.... Enfim... rsrs...



 
Um pequeno resumo:


Inglaterra, século XIX. Victoria Seaton sabia o que era felicidade. Tinha crescido num lar cheio de amor e proteção. Era adorada por todos que a conheciam e vivia cada dia com muita alegria. Aos quinze anos, era uma menina inocente e sonhadora... Mas seu mundo sofre o primeiro abalo quando ela presencia uma discussão entre seus pais.

Na época ela não entendeu o que a cena significou. Somente anos mais tarde ela veio a perceber que, naquele dia, seu pai desejava fazer amor com sua mãe e ela havia se negado com desespero... E somente anos mais tarde, ela também veio a descobrir o motivo.

Mas, apesar daquele pequeno abalo aos quinze anos, Victoria cresceu feliz e sabendo o que o futuro lhe reservava: quando completasse dezoito anos, iria se casar com Andrew, seu melhor amigo e o rapaz que ela amava. Eles sempre estavam juntos para tudo e Victoria sabia que podia ser feliz ao seu lado... Porém, o destino não pensa igual e decide separá-los...


Ela já tinha completado dezoito anos e Andrew havia ido fazer sua última viagem como solteiro. Tudo estava caminhando bem... até que a carruagem na qual seus pais fizeram um passeio, capota e eles morrem.


Profundamente chocadas e sofrendo, Victoria e a irmã veem suas vidas sofrerem drásticas mudanças. São forçadas a se separarem para irem viver com parentes ricos na Inglaterra e que haviam oferecido um teto para as duas... em casas separadas.


Dorothy vai viver com a bisavó, uma duquesa atormentada por um terrível erro do passado e que, ao negar abrigo para Victoria, acredita está tentando consertar esse erro (mas essa é uma longa história).


Já Victoria, após ser rejeitada pela bisavó, vai viver com o duque Charles, um primo distante e que tem seus próprios motivos para receber de braços abertos essa jovem desamparada em sua casa... Ou melhor, na casa de seu suposto sobrinho (na verdade, filho... Mas isso não é um segredo secreto. Essa revelação acontece logo no início da história), Jason. Charles também havia cometido um erro terrível no passado e queria ver Victoria e Jason juntos, para só assim conseguir viver em paz.


Por causa da duquesa de Claremont e o duque Charles, Victoria e Jason acabam se aproximando e, depois de uma armação do Charles, se casando... Mas as coisas não começam nada bem...


No dia do casamento, Victoria quase abandona Jason no altar. Ela estava apavorada. Tudo estava acontecendo rápido demais e, movida por um impulso, ela decide abandoná-lo. Porém, Jason a impede, mas fica profundamente magoado ao pensar no que ela pretendia fazer.


Como se não bastasse isso, Victoria decide se embriagar por medo da noite de núpcias. Sua dama de companhia havia dito coisas horríveis sobre o que acontece entre um homem e uma mulher. Então, Victoria bebe acreditando que a bebida facilitará as coisas... Mas esquece de um detalhe: sempre passa mal ao ingerir álcool.

Confundido o medo da mocinha com repulsa, Jason fica furioso e decide terminar tudo de uma vez. E assim, possui a esposa sem qualquer cuidado ou preparação. Transformando a noite de núpcias de ambos num verdadeiro pesadelo.

Mas o que será que acontece depois disso? Como ambos conseguirão resolver seus problemas e se perdoarem?


 
- Bem... Essa é uma história de amor linda e que eu recomendo à todos. Apesar da cena desagradável o livro é lindo.



Nele você irá conhecer a história de vida de Victoria e Jason. Seus medos, sonhos, esperanças.... Seus problemas e o amor que começa a surgir entre eles. A história não é um mar de rosas o tempo todo. Tem alguns altos e baixos, mas nosso casal querido não irá fugir dos problemas. Eles irão enfrentá-los e procurar construir um futuro juntos.


Tenho certeza absoluta de que vocês irão se apaixonar pelo Jason e se encantar com a Victoria.


Amor, sensualidade, drama, humor, superação.... Essa é uma história inesquecível e já tem um lugar especial no meu coração. Está difícil decidir qual livro mais me marcou esse mês. Só mesmo no final de janeiro saberei. São tantas histórias lindas... E agora já não consigo comparar Agora e Sempre com Alguém Para Amar. As duas histórias são apaixonantes de maneira diferente. Únicas.


- Bem... Comecei a série do modo errado: primeiro o último, depois o primeiro e agora irei ler o segundo...rsrs.... Mas a ordem não afeta a história. Você nem precisa ler a série toda se não quiser. Eu estou lendo porque não consegui ficar em um livro só. Essa autora escreve com o coração e você sente saudades das histórias dela logo depois de lê-las. Aconteceu isso quando li Alguém Para Amar e está acontecendo tbm agora que li Agora e Sempre. Dá uma saudade, sabe? Já sinto falta dos personagens, da história de amor deles... de tudo. Leria o livro todo de novo se pudesse. Mas não posso. Tenho muitos livros na lista e não posso reler livro nenhum no momento. Mas acho que ainda esse ano vou reler essa série...rsrs....


- E quem me indicou essa série foi a Carla, que é muito fã dessa autora. Muito obrigada, Carla! Nem preciso dizer que estou amando essa série, né? Graças a Carla tenho mais alguns livrinhos da autora na minha lista e, em breve, eles tbm estarão resenhados aqui. Agora também sou fã dessa autora :)


- A próxima resenha será sobre o livro Um Amor Maravilhoso, que é o segundo livro dessa série. Nele a gente vai conhecer a história da Alexandra (melhor amiga da Elizabeth do livro Alguém Para Amar) e do Jordan (primo do Ian). Eu fiquei muito curiosa para conhecer a história dos dois. No terceiro livro eles pareciam se amar tanto que não pude resistir...rsrs...


Para conhecer o terceiro livro da série (já resenhado) clique AQUI.


A ordem certa da série:


1- Agora e Sempre (Victoria e Jason)
2- Um Amor Maravilhoso (Alexandra e Jordan)
3- Alguém Para Amar (Elizabeth e Ian)


- E sabem um momento que tbm é imperdível nesse livro? O final. O desespero do Jason emociona muito. Ele chora, gente! Desde que era criança ele não chorava... mas chora quando pensa que a perdeu. Com Victoria ele aprendeu a amar e confiar e não podia viver sem ela. E quando ela volta e eles se reencontram... Nossa! É uma cena muito engraçada e emocionante! Engraçada por quê? rsrs... Não vale contar tudo, né? rsrs...


- Sabe... Toda vez que penso no Jason sinto uma vontade de chorar... e não estou conseguindo terminar essa resenha. Não quis revelar os detalhes do que ele sofre, mas isso me marcou. E o momento que a Victoria beija as cicatrizes dele... Nesse momento eu não aguentei. Consegui me segurar durante boa parte da história... Mas essa cena... Achei muito injusto tudo que ele sofreu e também a dor que ele sentiu ao perder o filho. Sofreu na infância e mesmo assim não perdeu a esperança, a vontade de sonhar e crescer... Ele sonhava com uma família, uma esposa que o amasse e um filho a quem ele daria tudo que não pôde ter quando criança... Mas a vida novamente decide bater nele e dessa vez  é lhe arrancando a criança que ele tanto amava. Essa não é uma história só de amor. Também é de superação. A pessoa certa fez o Jason sair do seu mundinho fechado e solitário e o fez aprender a confiar novamente. E é lindo quando ele deposita sua confiança nas mãos da Victoria ao ponto de confessar o que sente. Sem dúvidas, esse livro me marcou. E eu não podia desejar final melhor para essa linda história de amor e superação. A Judith criou personagens reais, com problemas reais. Que sofrem, erram e sentem. Que precisavam encontrar seu lugar no mundo. Ela fez a gente se envolver na história deles e se apegar aos personagens. Tanto a Victoria quanto ao Jason. Acho que nunca conseguirei esquecer essa história....

10 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Luna. Você me fez "viajar" de novo pelo livro e revisitar algumas cenas belíssimas. Tem uma outra que eu achei linda, que é quando ele tenta se redimir por tê-la forçado a implorar na cama. Então a autora frisa que "humildemente" ele se coloca no papel dela e tb ele pede "por favor". Achei tão lindo e emocionante. Se estivermos com atenção ao texto a gente vê que ele pede perdão à mocinha imensas vezes embora nunca com palavras. *suspira*

Acho que em "Whitney, Meu Amor" o mocinho tb vai aprontar uma parecida (sexo forçado)... vamos ver... rsrs Mesmo assim tem imensas meninas apaixonadas pelo mocinho e pela história, por isso eu acho que a gente tb vai perdoá-lo. rs Beijos

Carla

Luna disse...

Olá Carla!

É verdade! E é uma cena muito linda. Eu adorei esse mocinho. Tão perfeito, apesar de imperfeito, né? rsrs... E quando ele pensa que ela morreu.. Ai, Carla! Deu uma vontade de chorar. Ele estava louco para vê-la e, de repente, é como se tivesse revivendo o dia que perdeu o filho... Foi muito triste! Mas quando eles se reencontram...rsrs... Achei engraçado e emocionante!

"Whitney, Meu Amor", não está na minha lista. Vc me indicou o livro? Vou anotar agora...rsrs... Não estava lembrada. Com certeza! Acho impossível odiar algum mocinho dessa autora. Acredito que ela nos dará todos os motivos para perdoar esse mocinho...rsrs...

Bjs!

Anônimo disse...

Não indiquei pois pertence à serie Westmoreland (tb histórica). Eu ainda não li nenhum dessa série. Só li a contemporânea (ainda falta ler um) e estou lendo a Sequels agora.

Ah, o Jason. Eu não sei como teve meninas (especialmente no goodreads) que não gostaram dele. Acho que ele é um incompreendido. É um personagem cheio de profundidade e a gente tem que ler com o coração para poder entendê-lo. Eu tb me enterneci muito com essa cena. Ele pensava que estava delirando e pediu para ela continuar a falar. rs Foi muito divertido o final. A autora faz a gente chorar para dois minutos depois a gente rir feita boba. Ela é exímia em afundar a gente no poço e depois nos levar às nuvens. rsrs Beijos
Carla

Anônimo disse...

Esqueci de referir que o que eu já ouvi dizer tb é que a mocinha de "Whitney, Meu Amor" dá um pouco nos nervos. Que é um pouco chata. rsrs Agora não sei se vou ter a mesma opinião.
bjs
Carla

Luna disse...

Olá Carla!

Já sinto falta do Jason...rsrs... Apesar de "tudo" (esse tudo significa aquela cena lamentável) ele é inesquecível...rsrs...

Estou curiosa para ler "Whitney, Meu Amor". Já coloquei a série na minha lista.

Bjs!

P.S. O livro "Um Amor Maravilhoso" está muito bom agora.

Anônimo disse...

Acho que tem mais um livro dessa série editado no Brasil. Acho que se chama "Até Você Chegar".

Que bom que melhorou. Espero que até ao final só melhore!!

beijos
Carla

Luna disse...

Olá Carla!

Já coloquei na lista. Tem muita gente elogiando esse livro lá no skoob. Deve ser ótimo tbm! :)

Bjs!

Victoria's Secret girls disse...

Luna obrigado pela indicação. Que livro lindo e claro agora irei ler o resto da serie. Como você havia indicado o livro eu sabia que ele seria bom mas na verdade foi maravilhoso. Não fui tão rápida quanto você a perdoar o que ele fez. rsrs Na verdade só perdoei quando na manhã seguinte a Victoria entra no quarto e dá bom dia para ele e agradece pela festa e tudo mais e ele fica tão comovido por se sentir perdoado, quando ele próprio não se perdoava e se achava o filho do coisa ruim. Aí não resisti e perdoei! Amei todas as cenas que você referiu: quando ele diz que a ama, quando ela oferece o presente pra ele. E também quando ele fazia amor com ela até faze-la confessar que o amava. Ele precisava tão desesperadamente do amor dela que era comovente. E tinha vontade de atirar as joias na cabeça dele, não preciso dizer que amei quando a Vitoria fez isso né? No fim do livro quando o Jason fala com a Vitoria na biblioteca, me fez lembrar um música do Luis Fonsi "Imaginame sin ti".Também tenho um final perfeito que imaginei para aquela bruxa que eu DETESTEI! Acho que é a 2ª personagem que mais odeio, mais do que ela só o Lonnie de "Uma luz na escuridão" esse me dá vómitos!

Luna disse...

De nada, Cris!


Fico muito feliz por você ter gostado da história e ter se apaixonado pelo meu querido Jason! :D

O que ele fez com a Victoria foi terrível, mas ele nos conquista de tal forma que acabamos sentindo a necessidade de perdoá-lo.rsrs... Ele era tão carente, tão necessitado de amor que se tornou meu "bebê".kkkkkk...

A Victoria foi feita especialmente para ele! Eu a adoro! :)

Ai, Cris! Essa música é simplesmente linda! Amo as músicas do Luis Fonsi! Tive que colocá-la para eu ouvir neste exato instante.rsrs...

Aquela mulher era mesmo uma maldita. Devia ter um pacto com o coisa ruim. E ela formaria um belo par com a peste do Lonnie. Seria o casal ideal!


Bjs e ótimo final de semana!

Anônimo disse...

Só de ler esse resumo já me emocionei muito por mais que o mocinho tenha errado eu não consegui ter raiva dele pois ao longo que você vai lendo se percebe que ele vai mudando com ajudada dela e poxa nao tem alguem que goste pois é muito linda estoria e comovente

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.