O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 19 de fevereiro de 2011

A Indomada e o Sheik - Miranda Lee



3º Livro da Série Clube do Pôquer


Charmaine é uma top model australiana que não suporta ser tratada como uma mulher-objeto. Muito menos por homens ricos e poderosos que pensam poder comprar tudo – principalmente amantes.

O príncipe árabe Ali de Dubar está mais do que decidido a ter Charmaine como sua convidada para um jantar a dois, mesmo que isso signifique ter de adquirir esse privilégio por meio de um leilão de caridade.

Após muitas ofertas e recusas, Charmaine e Ali dão início a uma disputa entre o prazer e o orgulho que começa em uma mesa à luz de velas e termina em cômodos mais confortáveis – e por muito mais tempo do que o planejado!

Mas será que Charmaine irá ceder a todas as exigências de Ali?
 
 
 
Palavras de uma leitora...
 
 
- Bem... Antes de começar a fazer a resenha desse livro, deixo bem claro que terá SPOILER. Então, se vocês não quiserem saber os segredos desse livro, simplesmente NÃO leiam essa resenha. Eu vou tentar fazê-la do modo mais racional possível (embora esteja fervendo de raiva), mas não prometo nada.
 
Outra coisa que gostaria de deixar claro é que a minha opinião é bem pessoal. Não posso dizer que vocês também odiarão o livro se o lerem. A história é boa, bem feita, interessante. E muita gente deve amá-la. E eu não detesto a história. Eu detesto a suposta mocinha do livro. Foi ela que fez meu sangue ferver e por culpa dela eu abandonei a leitura do livro! Pois é... Não consegui terminar de ler esse livro. Faltou o último capítulo e o epílogo. Mas li o bastante pra fazer a resenha. Só o que eu deixei pra trás foi o "felizes para sempre". Não quero saber que a mocinha foi feliz. Já estou sendo meio irracional, não é? Mas é a verdade! Eu não quero ler isso. Acho que ela podia merecer ser feliz um dia... mas não ainda. Precisava pagar antes pelo que fez. Seu arrependimento não basta pra mim, gente! Não posso chegar aqui e dizer maravilhas da mocinha e dizer que amei tudo porque seria mentira. Eu sempre procuro ser bem sincera ao fazer as resenhas do blog. Nunca disse que gostei de uma história que não gostei. E não vai ser agora que irei mentir. Detestei a mocinha e não consegui terminar de ler o livro porque não queria ler o que sabia que o livro teria. Ela seria feliz e teria filhos. A segunda parte me deixa ainda mais revoltada. Não merece ser mãe. Não depois do que fez.
 
- Bem... Vocês foram avisadas. Vai ter SPOILER. Se não quiserem saber os segredos da história NÃO leiam essa resenha. Depois não digam que não avisei!
 
- Nos livros anteriores, nós conhecemos A Dominique e o Charles, o Rico e a Renée. No primeiro livro (A Vingança), eu me emocionei muito com a história linda de amor do Charles e da Dominique. O livro tinha muito amor... Uma história que pretendo reler um dia. Linda! Chorei com o livro e adorei o final. Então, já sabem que meu problema não é com a autora...rsrs... Eu me apaixonei pelo livro A Vingança. Mas quando cheguei na segunda história (Amante por um Mês) me aborreci um pouco com algumas coisas, embora não tenha chegado a detestar a história ou o casal do livro. Não odiei o Rico nem a Renée. Achei que faltou o romantismo do primeiro livro e foi isso que me decepcionou um pouco. Também não gostei da aposta... Mas cheguei a dar quatro estrelas ao livro (o máximo de estrelas no skoob é cinco.), embora tenha sido pelo final... Enfim... Nesses livros anteriores, também conhecemos um pouco o Ali (que é o mocinho desse terceiro livro). Não gostei muito dele nos outros livros, tenho que confessar. O modo como ele considerou a Renée prostituta (e ele realmente disse essa palavra) me deixou furiosa. Ele disse que mulher mantida era prostituta. Acontece que a Renée nem sequer era mantida pelo Rico! E mesmo que fosse, não merecia ser considerada prostituta por isso. Prostituição, na minha opinião, é quando a mulher se vende ao homem exclusivamente por dinheiro, interesse, ambição. Ela não se vendeu e nem tinha dinheiro incluído no caso deles... Enfim... O Ali passou uma imagem negativa no segundo livro e juro que não estou julgando-o por ser árabe...rsrs... Não esqueçam que adorei o livro Fantasias no Deserto. Simplesmente não gostei muito dele pelo que ele tinha dito sobre a Renée. Mas confesso que cheguei a gostar dele nesse terceiro livro...rsrs... Ele fez coisas bem erradas, mas eu acabei sentindo carinho por ele. Não era mau. Machista, sim! Mas não mau. Acho que eu gostei dele quando percebi que o fato dele ter comprado a Charmaine (e ele realmente a comprou) envolvia mais da parte dele. Ele a queria como mulher e não só como objeto sexual. Ele estabeleceu um tempo de cinco dias com ela. Depois desse período, ele queria continuar com ela, mas não queria que tivesse dinheiro incluído dessa vez. Gostei dele. Não é meu tipo preferido de mocinho (risos), mas ele me conquistou um pouco. A amava. Se importou com aquela mulher (vocês já sabem que não gosto dessa "mocinha") e isso me fez gostar dele. Mesmo depois dela tê-lo rejeitado de maneira tão fria, ele não tentou ofendê-la. Até pensou em fazer isso, mas não fez. E ainda disse que não queria fazer sexo com ela e sim amor. Ai! Ele simplesmente me conquistou! rsrs... E nem preciso dizer que a mocinha não o merece, não é? Isso é óbvio!
 
- Bem... (se controla, Luna)sobre a mocinha agora. Eu já sabia que ela iria se vender nesse livro antes de lê-lo. A Monica tinha me contado isso (eu quis saber algumas coisas sobre o livro antes de lê-lo). Me disse os motivos tbm. Eu confesso que não gostava muito dela antes de ler o livro. Não posso mentir dizendo que não a pré-julguei. Eu fiz isso. Eu tbm sabia que ela tinha tido uma filha e que a menina tinha morrido. A Monica não sabia de que a menina morreu, mas achava que era por culpa da mocinha. Ela achava que a mocinha tinha tido depressão pós-parto e que a menina poderia ter morrido acidentalmente. Isso mexeu muito comigo antes de ler o livro. Quando há criança envolvida, o livro sempre me atinge de alguma forma (não tenho filhos ainda. Mas passei por um problema de saúde que quase me tirou a possibilidade de poder ser mãe. Mas isso não vem ao caso) e isso me atingiu. Uma mãe causar a morte da própria filha é difícil de aceitar... Enfim... Eu comecei a ler o livro. Foi difícil. Eu não passava das páginas iniciais. Mas ontem eu decidi que iria parar de julgar a mocinha antes de conhecê-la e ia ler a história com a mente aberta. E fiz isso. Procurei entendê-la. Quando o livro revelou que a filha dela morreu de leucemia (a mocinha não causou a morte da filha) eu cheguei a entendê-la ainda mais. Cheguei até a aceitar melhor o fato dela ter se vendido pro Ali. Não que eu achasse certo, mas pensei assim: "por causa da morte da filha, causada por câncer, ela faria qualquer coisa pela fundação de combate ao câncer infantil que foi fundada por ela". Eu realmente passei a entendê-la melhor. Eu achei que ela sentia tanta dor pela morte da filha que aceitaria as piores humilhações só pra ter mais dinheiro pra poder ajudar outras crianças. Não julgo isso muito certo, mas posso entender. Mas o momento no qual senti um desprezo enorme pela mocinha (e ainda sinto) veio quando o livro revelou que ela rejeitou a criança desde o ventre e que ainda iria dar a menina em adoção. Assim.. Como se fosse algo vergonhoso, que tinha que ser descartado o mais rápido possível. E não pensem assim: "pelo menos, ela não quis abortar, matar a criança antes que a menina pudesse nascer". Ela só não fez isso porque só aceitou que estava grávida quando já não podia mais abortar, senão morreria também. Quando a criança nasceu, ela queria doá-la. Sabe quando você não quer mais algo e dá pra alguém? Assim... Não servia pra ela. A menina só não foi parar na mão de qualquer um porque a mãe da Charmaine pegou a criança pra si. A Charmaine nunca voltou atrás. E isso é tão triste, gente! Aquela criancinha a amava tanto e nem sabia que ela era sua mãe. Nunca soube. Morreu sem descobrir a verdade. Nossa! Se a Charmaine estivesse na minha frente eu seria capaz de lhe dar uma surra. Ela bem que merecia! Quando eu fiquei sabendo que a criança morreu nos braços da avó (no caso a menina pensava que a avó fosse sua mãe) em vez de, pelo menos, morrer nos braços da Charmaine.... Eu não consegui! Não deu pra aceitar! Não consigo! A criança era só uma criança... Inocente, não tinha culpa pela maldade do pai e a tolice da mãe. Merecia ser amada e não jogada fora como se fosse lixo. A Charmaine a visitava de vez em quando e lhe dava presentes muito caros (e ela mesmo disse que foi por culpa), mas não lhe deu amor de mãe. Renunciou a filha. Rejeitou. E eu odeio essa suposta mocinha por causa disso. Nem nos últimos momentos ela chegou perto da filha e pediu perdão por tudo que tinha feito. Mesmo que não dissesse que era sua mãe (a criança não merecia receber esse choque no leito de morte), mas pelo menos pedisse perdão e a segurasse enquanto ela partia. Aí sim eu poderia perdoá-la. Mas ela nem fez isso.... Enfim... É por esse motivo que não consegui terminar de ler o livro. Não posso ler que a mocinha engravidou, recebeu bem e cuidou dos filhos que vai ter. Não posso. Sei que sou uma boba que se envolve demais com as histórias que lê, mas não conseguiria aceitar isso. Senti muito carinho pela Becky (a menininha que morreu) e acharia muito injusto que os futuros filhos da mocinha sejam recebidos bem só porque ela ama o mocinho. Mãe é mãe independente de qualquer coisa. Sei que não tenho filhos, mas sei que nunca (não importa o que aconteça) seria capaz de rejeitar um filho como essa mocinha fez.
 
- Bem... Eu tenho que dizer porque a mocinha rejeitou a própria filha. Ela foi estuprada. Uma coisa terrível, eu imagino. Detesto quando há estupro nos livros. É um crime terrível, imperdoável. Mas mesmo isso não justifica ela ter rejeitado a filha. A criança não tinha culpa de nada. E a mocinha teve seis anos pra se curar. Ela seguiu com sua vida, se tornou uma modelo de sucesso, famosa, rica, seguiu com sua vida sexual também... embora não sentisse prazer. Então, porque não pôde ser mãe da menina também? A menina podia ser filha do traste que a violentou, mas também era sua filha. Era metade dela também...Enfim... Mas a mocinha também foi uma completa imbecil! Não estou dizendo que ela queria ser estuprada. Nada disso... Mas ela foi tão idiota! Saiu com um cara bem mais velho que ela, bebeu com ele e depois (o mais grave) foi pro apartamento com ele tarde da noite. O que ela pensou que ele faria? É claro que ele não foi pra lá pra ficar conversando! Ele queria fazer sexo com ela e até crianças hoje em dia teriam percebido isso! E ela não era nenhuma criança! Já não era inocente. Foi estúpida isso sim! Saiu com um estranho porque quis, encheu a cara com ele porque quis e cometeu a estupidez de ir pro apartamento dele porque quis.... Enfim... Quando chegou lá... ele colocou uma droga na bebida dela e ela apagou. No dia seguinte, quando acordou ela soube que havia sido tocada enquanto estava inconsciente. Isso gerou um trauma, entendo isso. Ela queria até dormir com ele (o que faz com que eu não entenda o porque do estupro. Deve ter sido por maldade mesmo, embora não tenha envolvido violência física. O estupro, obviamente, é uma violência em todos os sentidos. O que eu quis dizer é que ele não bateu nela. O que NÃO o torna menos covarde, claro), se sentia atraída por ele... Enfim... e ela rejeitou a filha porque também era filha desse traste.
 
- Bem... Já sabem que não gosto da mocinha e que gosto do mocinho. Agora deixa eu falar um pouco da história deles (que é o principal da história). Eles se conheceram durante um evento (acho que era uma corrida, eu não lembro...rsrs...). Ele a desejou naquele dia e quis que ela dormisse com ele. Ela o rejeitou, lógico! Só que ela não fez só isso. Também o ofendeu, agindo por impulso. Disse várias coisas ofensivas e depois foi embora. O mocinho ficou furioso.
 
Um ano e pouco depois, a mocinha estava trabalhando temporariamente para a agência da Renée (a mocinha do segundo livro). Aí, durante esse tempo, ela fez uma campanha pra levantar fundos pra fundação de combate ao câncer infantil que ela mesma criou (por remorso, culpa). A meta era atingir 10 milhões de dólares. Foi feito um leilão no qual vários objetos foram leiloados e vendidos por preços favoráveis à fundação. Mas o maior prêmio do leilão seria um jantar com ela. Quem desse o maior lance, teria direito a um jantar num restaurante famoso com ela... em público. Tudo muito respeitável, exceto pelo fato da mocinha ter se vestido como se tivesse oferecendo ela mesma como jantar (que coisa feia, eu julgar dessa forma, não? Mas é a verdade! E ela mesma se arrepende da roupa que usou depois. Qualquer um que olhasse pra ela, dada as circunstâncias, teria pensado o mesmo. E ela pensou! Tanto que não viu a hora de tirar aquela roupa depois.). Mas até que eu procurei aceitar isso normalmente depois. Era só um jantar. Nada indecente... É claro que foi o Ali que comprou o jantar com ela. Foi por 5 milhões de dólares... Tudo bem... A Fundação recebeu o total de 12 milhões de dólares. Mais do que a meta da mocinha exigia. Ok. Ela só precisava se preocupar em arrecadar mais fundos no ano que vem.
 
Aí ela e o Ali foram jantar. Durante o jantar ele disse o seguinte: passe uma semana comigo e doarei 500 milhões de dólares à Fundação. É claro que a mocinha não disse não! Ele disse que ela tinha uma semana livre. Na outra semana ela poderia começar a cumprir o acordo. Mas a Charmaine disse não! Por que não podiam começar no dia seguinte? Ótimo para o Ali! Enfim...rsrsrs... Foi assim que tudo começou. Eles se envolveram, se gostaram. O Ali passou a amar a Charmaine. Ela também se apaixonou por ele. Quase no final do livro vem a revelação sobre o passado da Charmaine.. e aí eu não li o "felizes para sempre", então não sei o que acontece. Provavelmente os filhos que a Renée estava esperando já terão nascido, a Charmaine e o Ali devem ter se casado, ela deve ter engravidado e atét tido filhos no epílogo. Pra que irei ler? É melhor não ter certeza.
 
- Enfim... Como disse no início. A opinião é totalmente pessoal. Nem recomendo que vocês não leiam o livro. Dêem uma chance a história. A história é interessante, bem feita, bem hot pra quem gosta... Minha resenha foi feita num momento de raiva. Eu ainda estou fervendo por causa da mocinha e depois que estiver com a cabeça mais fria (risos) talvez até termine de ler o livro. Se não tivesse o fato da mocinha rejeitar a filha, eu teria até aceitado algumas coisas que considerei bem erradas. Acho que no fim, até aceitei. Não considero certo, mas eles são humanos, adultos e sabem o que fazem... só o que a mocinha fez contra a própria filha foi o que mais me enfureceu.
 
- Como disse, não deixem de ler o livro por causa da minha opinião. A história não é ruim. Irei dar três estrelas ao livro mesmo abandonando-o antes de terminar a leitura.
 
- A próxima resenha será, talvez, sobre um dos livros do Desafio de Férias. Eu atrasei as resenhas desse desafio esse mês. Como são livros de livraria, já era pra eu ter lido, pois são meio longos. Eu mudei a lista dos livros do desafio desse mês, sabiam? Se quiserem ver quais livros serão, cliquem AQUI


Faz parte do Clube do Pôquer:

A Vingança
Amante por um Mês
A Indomada e o Sheik





9 comentários:

Anônimo disse...

Oi Luna! Isso é inédito. Você abandonou um livro!! rs Bem, eu sinceramente não vou arriscar. Se vc não gostou dificilmente eu gostaria. Até pq não sou muito fã de histórias de sheik e tb ando um pouco cansada desses temas de chantagem e mocinha amante.. Se for bem escrito posso até amar a história, mas nas condições que vc relatou acho que eu tb abandonaria.

beijos
Carla

Luna disse...

Olá Carla!

rsrs... Pois é! Não aguentei chegar no fim. Mas não me arrependo, não. Não sinto a menor falta do livro e pouco me interessa como ele termina. Já dá pra ter uma ideia do final e achei melhor interromper a leitura.

Bem... se vc decidiu não ler posso dizer que não está perdendo nada...rsrs...

Bjs!

Jaque disse...

Bem o que eu posso dizer...
Eu sabia que vc não ia gostar, mas como não sabia se alguem tinha te indicado esse livro resolvi não me meter.
Eu ja li esse livro faz um tempo, mas não esqueci dele pq é muito ruim mesmo, como vc odeio livros que tem estupro, esse eu li até o final pensando erroneamente que ia melhorar, mas fiquei com muito nojo pq ela deu a filha dela mesmo que para os pais e ja vou contar que ela não pegou a menina de volta, fora que ela é meio galinha rsrs...
Resumindo... odiei
Não recomendo
bjus

Luna disse...

Olá Jaque!

Deu pra perceber que vc odiou mesmo o livro! rsrsrs... Eu entendo. E o que vc disse sobre a mocinha, é meio verdade mesmo...rsrsrs... Difícil admitir isso. Não entendo porque a Miranda Lee criou uma mocinha assim. Essa mocinha inaugurou a categoria de "mocinhas que detesto". Não merecia ser a heroína de livro nenhum!

Esse livro foi uma indicação sim! Toda a série Pôquer foi, mas não lembro quem indicou. Faz já algum tempo e na época eu não anotava os nomes das pessoas que me indicavam livros. Mas eu agradeço a essa pessoa mesmo assim, pois o livro A Vingança compensa o estresse com esse livro. O primeiro livro da série é com certeza o melhor! Lindo!

Anônimo disse...

Oi Lunaaa :D
Por isso esperei a sua resenhaa pra poder
dizer que também detesteeeei essa história!
Não importam os motivos, as intenções nem nada,
o que me revolta foi a mocinha ter se vendido!
Nãoo tem outro modo de dizer isso, ela se vendeu
como uma prostituta!
Isso que mais me irritou mais...
Sou da mesma opinião sobre o livroo,
por isso esperei pela resenha kkk..
É triste viu ¬¬
Não tem nada de romance nesse livro.



Fernanda :B

Luna disse...

Olá Fernanda!

"Nãoo tem outro modo de dizer isso, ela se vendeu como uma prostituta!" rsrsrs...

Parece que essa "mocinha" conseguiu ganhar nosso desprezo o que realmente é muito triste e revoltante. Ela ofende nós mulheres em todos os sentidos!

Mas o meu maior motivo pra detestá-la é ter abandonado a filha. Isso foi mais do que imperdoável.

Eu acho que ela é a mocinha que mais detesto. Normalmente quem me irrita além do limite são alguns mocinhos-vilões.

Bjs!

Anônimo disse...

eu gostei achei interessante ...

Beatriz Solano Pinzon disse...

A estória é muito boa, no início pensei que seria igual ao livro 02 da Renée e do Rico, onde só teve pegação, sexo, mas depois a trama foi melhorando e passou a ficar interessante. Ali realmente era um príncipe, tudo de bom e Charmaine combinou com ele. E então final feliz para os três casais da trilogia. Mais uma série da Miranda Lee que não decepciona!!!

Luna disse...

Beatriz, eu odiei profundamente esta história! Faz muitos anos que a li, mas nunca pude esquecer todo o mal que a mocinha fez contra a própria filha. Jamais poderei perdoá-la.

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.