O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 11 de junho de 2011

Lua Escarlate - Shannon Drake




1º Livro da Série Vampiros



Maggie Montgomery, dona da Magdalena's, uma elegante butique em Nova Orleans, fica chocada ao saber que um misterioso assassinato foi cometido na rua, em frente à sua loja, e que havia uma trilha de sangue entre a vítima e a porta da butique. Mas o choque se transforma em perplexidade quando Maggie fica conhecendo Sean Canady, o policial que vem interrogá-la... e que lhe inspira uma perigosa atração!


Algo poderoso, e além da razão, uniu Maggie e Sean. Algo relacionado com um passado em comum e que começou gerações antes, sob uma lua vermelha como sangue. Pois naquela noite, mais de um século atrás, eventos perturbadores aconteceram na família Montgomery, e agora Maggie precisa encontrar um homem cujo amor seja puro o suficiente para salvá-la da escuridão à qual ela pode estar condenada...



 
Palavras de uma leitora...
 
 
 
- Bem... Estou feliz! Estou muito feliz por ter dado uma chance à esse livro apesar das resenhas negativas. Quando havia ido até o skoob para ver a "imagem" dele lá, encontrei três resenhas negativas e comentários nada animadores também. Somente uma pessoa havia gostado do livro. A maior parte das pessoas achou o livro apenas regular. Isso não é animador, certo? Nada. Mas aí eu procurei no Google e encontrei uma resenha razoável...rsrs... A leitora não achou o livro maravilhoso, mas, pelo menos, não o achou regular...rsrs... E a minha opinião? A história valeu a pena? Concordo com as outras leitoras? Bem... O livro tem uma história de amor linda, dolorosa e que já dura mais de um século... Duas pessoas que se amavam com todo o coração, mas que pareciam marcadas para sofrer... Uma mocinha que acreditava em Deus apesar de ser vampira e, "logicamente", não ter alma... Ela acreditava no amor, em Deus, na vida... Ela queria uma chance. Não era o que era por escolha própria... E havia visto as duas únicas pessoas que amou na vida, serem assassinadas. Como se não bastasse, ela ainda conheceu o Lucian, a quem inicialmente odiou e por causa dele também sofreu... Ela não era feliz. Havia perdido todos que amava... Mas tinha esperanças. Queria uma chance. Só uma chance de ser feliz. É motivo para eu gostar desse livro? Não. É motivo para eu amar! Mas ainda temos mais... Temos um mocinho que se apaixona pela amada logo que coloca os olhos nela... que mesmo depois de saber o que ela era, lutou com todas as suas forças para protegê-la, pois preferia morrer do que permitir que aquele mal levasse para sempre a mulher da vida dele. Ele bateu de frente com a morte várias vezes por ela... Mas no final... Toda a fé da Maggie os libertou. Todo o amor dos dois foi suficiente para libertá-los. Eles acreditaram e um milagre aconteceu. Dois milagres, na verdade. Dois milagres da vida. A libertação dos dois (ambos não acabaram como vampiros.)  e a gravidez da Maggie. Vê-la subir correndo as escadas para contar para o Sean que estava grávida, foi emocionante. Ela chorando... Consegui imaginar ela parecendo uma menina que havia recebido a melhor notícia da sua vida. E quando ele a abraçou? Lindo demais! O amor desse casal é lindo. Admirável. Impossível não amar esse livro. Não se apaixonar pela história dos dois. O livro ganhou todas as cinco merecidas estrelas do skoob! E merecia muito mais! É M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!!!!!!!!!!
 
 
- Quem leu minha resenha anterior sabe que comecei a série pelo livro errado...rsrs... Pelo segundo! Isso não atrapalhou em nada a leitura, mas quando a Maggie, o Sean e o filhinho deles aparecem no decorrer da história, a gente não sabe como tudo começou para eles. A história não era sobre o casal apesar deles terem uma participação importante no segundo livro (digamos que a Maggie é meio como o anjo da guarda do Lucian. Ela o ama como amigo e tenta ajudá-lo como pode. Se metendo em problemas que não eram dela e se arriscando também.). Eu amei a história do Lucian e da Jade... Achava o Lucian TDB no segundo livro e seu amor pela Jade era lindo também. Eu perdoei todas as suas falhas no segundo livro (o fato de fazer amor com a Jade sem ela saber, sua arrogância...rsrs...)... E não imaginava que pudesse gostar mais de outro livro da série. Para mim, "Ao Cair da Noite" seria o melhor livro da série por ter o Lucian. Só a presença impactante dele já bastaria para o livro ser o melhor... Mas eu também fiquei muito curiosa. Apesar da minha vontade de continuar a série, eu tinha uma curiosidade especial em relação a história da Maggie e do Sean. Eles marcam presença no segundo livro, entendem? Quando o Lucian vai até a casa dela, pede ajuda e dorme lá... se sentindo em segurança para isso, pois a Maggie estava lá... eu desejei conhecer melhor a história da Maggie. E o Lucian chega a comentar que foi apaixonado por ela. Ele parecia ter um carinho muito especial por ela e eu queria saber quem era essa pessoa tão incrível e que era a única amiga que o Lucian tinha. Sua melhor amiga. E quando o Sean apareceu para ajudar também, a vontade de ler o primeiro livro aumentou muito mais...rsrs... Enfim... Esse casal me atingiu no segundo livro e me vi obrigada a ler a história deles. E, para mim, esse livro é muito mais especial do que o segundo. O Lucian também aparece nesse livro (creio que ele vai aparecer em todos, por ser o rei dos vampiros), mas a história é inesquecível e mais especial por causa do casal: Maggie e Sean. É por causa deles que o livro se tornou inesquecível para mim.
 
 
- Mas creio que antes de falar mais sobre a história, sobre minha opinião, preciso fazer um resumo, certo? :)
 
 
 
Um pequeno resumo:
 
 
 
Ela se sentia sozinha...
 
 
Era assim que ela se sentia. Embora tivesse várias pessoas ao seu redor, era como se estivesse só no mundo. Se sentia triste, vazia, abandonada... E, no fundo do seu coração, tudo que desejava era uma chance. Uma oportunidade de voltar ao passado e recomeçar... De ser humana de novo, ser amada, casar e ter os filhos que sempre desejou. Mas sabia que isso era impossível. Seus sonhos jamais se realizariam... Deus não ouviria jamais o pedido angustiado de uma vampira... Ou ouviria? O mesmo Deus no qual ela acreditou quando humana... podia olhar para ela ainda? Mesmo que ela não tivesse mais alma? Que fosse... um monstro?
 
 
Por amar, ela havia sido condenada...
 
 No ano de 1840, ela havia se apaixonado. Se sentia no céu. Ele era lindo, perfeito e carinhoso. E a amava. Ambos planejavam se casar e construir a família que desejavam... Eram sonhadores e tinham sonhos semelhantes... Acreditavam nas coisas boas da vida e Magdalena não podia imaginar ninguém que pudesse ser contra essa relação. E a surpresa não poderia ser mais chocante quando a última pessoa que ela podia imaginar que pudesse machucá-la tanto, deixa em pedaços todos os seus sonhos. Seu pai. Seu herói e melhor amigo.
 
Ela havia revelado ao pai que amava Alec, um conde francês, e que iria se casar com ele. Acreditava que o pai fosse parabenizá-la e apoiá-la em tudo... Mas isso não aconteceu. Ele ficou furioso e disse que ela jamais se casaria com aquele homem. Não quis lhe explicar seus motivos e Magdalena o desafiou. Seu pai, desesperado, disse que ela se casaria com Robert Canady, o homem por quem ela se sentia atraída antes de Alec aparecer, mas Maggie não quis lhe dar ouvidos. Não sentia mais nada por aquele Canady... Ela amava Alec e era com ele que se casaria. Seu pai então, decidiu recorrer à força e ordenou que a trancassem no quarto até o dia de seu casamento com Robert. Naquele dia, Maggie sentiu seu coração se partir pela primeira vez e pediu ao pai que jamais voltasse a chamá-la de filha.
 
Mesmo arrasada, Maggie não desistiu. Havia aprendido com o pai que tinha o direito de pensar e ter opiniões e vontades próprias, apesar da época na qual vivia... E ela havia aprendido muito bem a lição. Não se curvaria à vontade de ninguém. Nem mesmo à de seu pai... Ela amava o pai, mas existia um amor diferente, mais profundo, que era capaz de fazê-la desobedecê-lo. E, sem pensar nas consequências, Maggie fugiu pela janela do quarto para se encontrar com Alec.
 
 
Ele a esperava... Sabia que ela iria até ele e havia tomado a decisão de transformá-la naquela noite... Não desejava condenar a mulher amada à escuridão, mas tinha fé que o amor os transformaria de novo em humanos. Uma lenda antiga dizia isso... Que o amor os libertaria... E ele acreditava. Amava Maggie o suficiente e acreditava que o amor que sentiam um pelo outro bastava para libertá-los. Ele só beberia um pouco do seu sangue... e nesse momento, ele acreditava, o amor os salvaria. Ela não se transformaria em vampira e ele voltaria a ser humano. Ele tinha fé e a esperou... Quando Maggie chegou, ela sabia de uma das coisas que aconteceria naquela noite. Sabia que faria amor com ele pela primeira vez, mas desconhecia a verdadeira natureza do homem que amava... Não acreditava em vampiros.
 
 
Ele a tocou e ambos se entregaram à paixão, ao amor que sentiam... Alec sentiu necessidade de saber se Maggie realmente o amava e ela confirmou... Repetiu que o amava, olhando para ele com os olhos cheios de amor... E ele revelou o que era. Ela não acreditou, é claro. Mas ao sentir os dentes dele mordendo seu pescoço, sentiu pânico... Não podia ser... Mas, apesar de tudo, ela o amava e mais uma vez disse isso... Alec sorriu, mas antes que pudesse dizer que também a amava, uma estaca foi cravada em seu coração, acabando com sua vida antes que ele pudesse saber se a profecia era verdadeira ou não.
 
Maggie sentiu como se estivesse tendo um pesadelo. Ela viu e sentiu quando Alec foi assassinado. Seu sangue banhou o corpo dela e ela gritou. Seu pai, dois amigos dele e Robert Canady haviam invadido o quarto e matado o homem que ela amava... E não satisfeitos, eles ainda deceparam a cabeça dele. Maggie não quis o consolo de ninguém. Sentia uma dor terrível em seu interior e só queria acordar... Ela viu Robert se aproximar com o olhar triste, ouviu ele defendê-la quando os amigos de seu pai também desejaram matá-la por ela estar maculada... mas era como se ela não estivesse mais ali... estava longe... estava morrendo.
 
Naquele dia, Magdalena morreu... mas seu pai e Robert não permitiram que ela fosse enterrada... Seu pai sabia que ela voltaria. Não importava que fosse como vampira... Ele só não podia perder sua única filha. Sua garotinha. E ele a alimentou... lhe deu o que ela precisava para viver... E Magdalena voltou...
 
 
Com o pai aprendeu como se alimentar sem matar os humanos, foi amada e protegida e depois... enviada à Europa para ter um suposto filho ilegítimo... Seu pai sabia que ela viveria por séculos e criou a história que ela deveria seguir sempre: de vinte e vinte anos, uma Magdalena se apaixonaria pelo homem errado, dele teria um filho ilegítimo e iria para a Europa para tê-lo... E assim, Magdalena poderia voltar para sua cidade natal de vinte e vinte anos... sempre como a nova herdeira.
 
 
Ao ser enviada à Europa pela primeira vez, ela conheceu Lucian DeVeau, o rei dos vampiros... Que a ensinou as regras de sua nova vida e a tomou sob sua "proteção". Inicialmente, ela o odiou... Mas Lucian se tornou seu único apoio quando Maggie enfrentava a terrível dor de perder as pessoas que amava... Por mais que tentasse, ela não conseguia protegê-los e ele estava sempre lá para apoiá-la e oferecer seu ombro para que ela chorasse... Com o passar do tempo, ela passou a amá-lo como um amigo. Seu único amigo.
 
 
Em 1860, ela voltou para Nova Orleans e conheceu Sean Canady, um tenente pelo qual se apaixonou... Com ele, viveu momentos de intensa paixão e também... de tristeza, pois sabia que jamais poderia se casar com ele mesmo que desejasse isso com todo o seu coração. E foi nessa época também que Maggie conheceu Aaron Carter, um vampiro cruel e obecado por ela... E a partir desse momento, Maggie não só teve que suportar o peso de ser vampira, um monstro da escuridão... mas também teve que enfrentar o tormento de ser o objeto de atenção de Aaron. Por causa da obsessão dele, ela mais uma vez perdeu... E dessa vez a perda foi muito pior do que as anteriores... Doeu ver o pai morrer, seu coração se partiu quando Alec foi assassinado diante dela... mas nada podia se comparar à terrível dor de perder Sean... O amor que ela sentia por ele era muito maior do que tudo... Ela lutou para mantê-lo vivo e seu desespero foi tanto que ela decidiu transformá-lo para que ele vivesse mesmo que fosse como vampiro... mas era tarde demais. Não havia mais vida no corpo dele... Aaron o havia matado.

Maggie sofreu muito por perder Sean e nem o apoio de Lucian foi suficiente para diminuir aquela dor que ameaçava acabar com ela. E tomada por uma fúria cega, ela tentou acabar com Aaron, mas foi detida por Lucian, que sabia que ela seria condenada se matasse outro da sua espécie.

E mais anos se passaram... Maggie sobreviveu durante os anos seguintes, mas não voltou a se apaixonar. Não havia lugar para mais ninguém em seu coração. Era como se seu coração tivesse sido enterrado com Sean e ela se julgava incapaz de voltar amar... Até...


Reencontrá-lo... Ela não pôde acreditar que aquilo estivesse acontecendo... Mas quando aquele policial invadiu seu escritório acreditando que ela havia cometido um crime bizarro, ela soube que era ele... Seu Sean... O homem que ela amou e perdeu no passado. Mas como isso era possível? Seria essa a chance que ela tanto havia pedido? Seria sua oportunidade de recomeçar? Não importava... Tudo que Maggie desejava era aproveitar o tempo que pudesse ter ao lado dele... Do homem que ela amava mais do que a própria vida.


Como será que termina essa história? Será que Maggie realmente terá a chance que pediu a Deus? Bem... O amor é capaz de operar milagres...



- Sei... Meu "um pequeno resumo" não foi tão pequeno assim...rsrs... Mas é que depois que comecei a falar sobre essa história, não conseguia mais parar...rsrs... Mas sei que preciso me segurar para não contar todos os detalhes. Não. Ainda não revelei tudo embora pareça que sim. Embora o livro tenha poucas páginas, muita coisa ainda vai acontecer... Esse resumo que fiz falou basicamente do passado de Maggie. E nem contei tudo. Mais coisas acontecem no passado dela, mas vou deixar vocês descobrirem sozinhos. Também deixo claro aqui que eu cheguei a odiar muito o rei arrogante dos vampiros nesse livro. Aquele tal de Lucian DeVeau... rsrs... Ele realmente me enfureceu. Fez algo que eu desprezo. Algo, digamos que, imperdoável, mas não quero dizer com todas as letras o que foi. Só digo que foi contra a Maggie e que eu jamais esperaria algo assim dele. No segundo livro eu o via como herói e nunca poderia sequer imaginar que ele pudesse ser capaz de magoar a Maggie assim. Mas ele foi. Não a conhecia direito na época e achou que por ter "o poder" podia fazer o que quisesse. E ele tem sorte, viu! Pois apesar de tudo, a Maggie o perdoou e se tornou sua amiga. Perdoei o Lucian depois de tê-lo odiado e jurado para a Carla e para a Mónica que não o perdoaria??? (risos) Perdoei!kkkkkkk... Mas é que esse infeliz tentou se redimir ajudando a Maggie sempre que ela se metia em problemas... Ele salvou a mocinha da morte, a apoiou quando ela perdeu o Sean no passado e, no presente, ainda teve uma conversinha com o Sean. E foi durante essa conversa que eu o perdoei e quase chorando!kkkk... Sei! Sou uma boba, mas é que o que ele disse me deixou um pouco emocionada. Ele conversou com o Sean, se despediu dele, desejou felicidades para o casal e disse que não iria se despedir da Maggie, pois isso seria doloroso. Acho que tenho o coração muito mole, mas parece que ele tinha se apaixonado por ela. Na verdade, ele chega a dizer isso e diz que também não importava. Sei que ele encontrou a pessoa certa no segundo livro mesmo assim eu fiquei com peninha dele...rsrs... Não sei se ele se arrependeu pelo que fez com a Maggie décadas antes, mas ele parecia realmente ter passado a sentir algo por ela. Estava sempre tentando protegê-la e deixou ela partir... Seguir seu próprio caminho e ainda a ajudou a manter o Sean vivo no presente... Como posso continuar furiosa com ele???!! Não dá, gente! E eu não fico muito contente com isso, pois não gosto de perdoar mocinhos que façam o que ele fez... mas contra toda a minha vontade, meu coração o perdoou :D


- Já disse no início da resenha que amei o livro. Isso é fato. Eu amo esse livro de paixão e muito mais do que o segundo. A história do segundo livro é preciosa e emocionante também, mas não pode se comparar com essa... A história de amor da Maggie e do Sean me tocou muito mais, sabe? Eu senti vontade de chorar durante os momentos que eles estavam juntos. Era tão lindo... tão natural. E eu já era muito fã da Maggie (desde o segundo livro), então, desejava que ela parasse de sofrer. Que pudesse ser feliz com o Sean. Eles brigaram algumas poucas vezes, mas resolveram as brigas de forma tão natural como faziam amor... Eles se amavam e dá para sentirmos esse amor enquanto lemos essa história. O amor entre o casal é mais forte do que os momentos assustadores...


- Sim. O livro é ainda mais assustador do que o primeiro. O próprio Jack, O Estripador decide sair matando mulheres enquanto a Maggie e o Sean tentam se entender... Esse assassino cruel, se julga Deus e decide condenar as prostitutas de Nova Orleans. Ele dormia com elas e matava elas depois... bebendo todo o sangue, decepando a cabeça e mutilando todo o corpo também. Isso mesmo! Ele mutilava as vítimas... E só imaginar isso, já me deixava em pânico! (risos) Teve vários momentos de verdadeiro terror... E como se não bastasse, ainda existia o suspense para me amedrontar ainda mais... Tanto que eu acreditava que se dormisse teria pesadelo (quando li o segundo livro da série não dormi. Não consegui!kkkkkkkk). Como já disse antes, um dos motivos para eu parar de assistir filmes de terror é a tendência a ter pesadelos horríveis depois. Mas como disse ainda agora, o amor do casal supera o terror do livro e... não tive pesadelos!!!! Fui dormir bem de madrugada, mas consegui dormir e não sonhei com nada! kkkkkkkkk.... Bem... Fico feliz por isso. Não dormi todas as horas necessárias, mas pelo menos não fiquei acordada durante toda a madrugada.


- O que mais posso falar do livro sem revelar tudo? Já disse bastante, não? Já revelei algo super importante (que a Maggie deixa de ser vampira), mas tinha que fazer isso! Não conseguiria guardar para mim algo que era o sonho da mocinha e isso me lembra de algo... Da fé que comentei no início da resenha. Já li alguns livros de vampiros antes (poucos, mas li...), mas nunca havia visto um vampiro que tivesse tanta fé em Deus como a Maggie. Ela frequentava igreja apesar de ser vampira (muitos vampiros não conseguem sequer chegar perto de uma igreja, mas ela conseguia fiar tranquilamente lá dentro), era católica e andava com uma linda cruz no pescoço (sim! Outra coisa que os vampiros não suportam!) e o principal, acreditava muito em Deus. Eu achei isso muito surpreendente. Ela não acreditava ter alma e muito menos que Deus pudesse ainda se lembrar da existência dela ou perdoá-la por ser o que era, mesmo assim ela o amava e tinha fé nele. O Lucian fala disso com o Sean depois e ele acredita que possa ter sido isso também que libertou a Maggie. O amor e a fé a libertaram. O livro tem um cenário sombrio na maior parte do tempo, mas também tem a fé da Maggie em Deus. Não acho estranho alguém acreditar em Deus. Claro que não! Mas é que ela era vampira e isso me surpreendeu, entendem? Talvez, não...rsrs... Enfim... E o Sean agradece a Deus por tudo no final... É como se a autora quisesse nos dizer isso, que a fé em Deus pode tudo. E realmente pôde, pois a Maggie foi liberta.


- Enfim... É isso. Eu recomendo muito esse livro! Vale muito a pena ler essa história e acho que até quem não gosta de histórias de vampiros, mas ama romance de amor, vai gostar desse livro. Não prometo nada, é claro. Mas recomendo mesmo assim. Leiam essa história!



" - Está feliz com o bebê?

- Encantado. Nada no mundo poderia me fazer mais feliz. Exceto estar com você. - Ele a abraçou com força. - E você, Maggie? Está feliz? Nós vamos envelhecer e morrer.

- Sei disso. Não é maravilhoso? Sean, quero envelhecer ao seu lado. E quanto à morte... não haverá problemas. Desde que nos enterrem juntos."


 
 
Faz parte da série Vampiros:
 
 
Lua Escarlate
Ao Cair da Noite
Anjo do Mal
Filho da Lua
O Anjo Caído
Estranha Sedução

3 comentários:

Faby - Adoro Romances de Aracaju. disse...

Luna!

Gosto dessa autora, esse livro eu tenho.
Esta na pilha ... nem sei quando vai ler, pois tenho um monte de livros na fila! kkkk.
Mas como é série de vampiros, tenho de dar uma prioridade! kkkk.

Bjs!

Beli disse...

Vc já tem resenha desse livro aqui! (Acabei de ler sua resenha p a Maratona! rsr)
Desse eu gostei! A Maggie é meia esquisitinha para uma vampira kkk Mas o que é esse Sean! Lindo, maravilhoso, apaixonado... aiaiaia
Ai, o Lucian... não gosto dele! kkk
Adorei a resenha! =)

bjuss

Luna disse...

Olá Faby! Olá Beli!


Faby, realmente esse livro vale a pena! Creio que você irá gostar. :)


Beli, a Maggie nunca teve jeito para vampira!kkkkk... Ela era humana demais. Especial. E por isso ficou com o Sean: ele é tão maravilhoso que merece alguém especial para sua vida, certo? :D

O Lucian... Ele é complicado...rsrsrs...


Obrigada!


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.