O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 11 de setembro de 2011

Desejo Lavrado - Emilie Rose (Maratona de Banca 2011 - Setembro)


Em Setembro: Bebês


2º Livro da Trilogia Vale Tudo no Amor


As regras do testamento eram pétreas.

Mitch precisava obter a custódia do filho ilegítimo de seu pai, ou não herdaria a fortuna da família. O acordo final deveria ser simples. Um gordo cheque para Carly Corbin e ela seguiria sua vida. Mas Carly era uma mulher provocante, e Mitch se sentia cada vez mais atraído. Além do mais, ela não trocaria seu sobrinho, ainda bebê, por todo o dinheiro do mundo! Não havia escolha para Mitch. Ele teria de permitir que ambos fossem morar em sua casa. Porém, nem ele, tampouco Carly, imaginaram que brincar de casinha poderia se tornar tão sério…


Para a família Kincaid, aqui se faz, aqui se paga... com uma vingança!







Palavras de uma leitora...



"Querida leitora,

Acho que a maioria de nós já viveu o antigo provérbio: A vida é aquilo que acontece quando você está ocupada fazendo outros planos. Caso contrário, tome cuidado. Sua hora pode estar chegando. :) E, acredite em mim, ser tirada de sua rotina a força não é algo tão ruim, depois que o choque inicial passa.

O que mais gosto nos romances femininos é que, depois de algumas dificuldades, os personagens deixam de ignorar os problemas e começam a enfrentá-los, em vez de tentar fugir deles, como a maioria de nós faz.

As vidas de Mitch Kincaid e Carly Corbin estão indo alegremente e então blam! A vida acontece. Tentando atender os últimos desejos de seus entes queridos, Mitch e Carly são forçados a enfrentar seus maiores medos e fraquezas, mas no processo são capazes de forjar algo melhor juntos do que aquilo com que qualquer dos dois começou.

Estou brindando com minha caneca de café com chocolate e torcendo para que todas sejamos tão corajosas e sortudas se a mudança vier bater às nossas portas.

Boa leitura!


Emilie Rose"



- E foi assim que tudo começou. Era dezembro e eu tinha entrado numa banca de jornal. Não lembro se trouxe outros livros naquele mesmo dia, mas lembro que o livro me chamou a atenção por causa do bebê na capa. Depois disso, eu abri o livro e fui ler as palavras da editora. Algo que eu sempre faço...rsrs... E recebi uma agradável surpresa. Dessa vez quem falava era a própria autora e o que ela disse despertou minha curiosidade. Aí eu percebi que o livro fazia parte de uma série e fiquei desanimada. Outra série?! Mas eu tinha tantas para terminar! rsrs... E além do mais tinha perdido o primeiro livro da trilogia e não tinha esperanças de encontrá-lo naquele momento (dou graças por não ter encontrado. Se eu tivesse aquele livro, seria provável que no momento ele fosse só cinzas. Não deixaria nenhuma amiga salvar a vida dele. Aquele livro... Bem... é melhor não falar dele). Fiquei parada na banca por algum tempo. Pensando se trazia ou não o livro...rsrs... Lembro que o moço da banca sugeriu outros livros. Você pode levar dois pelo preço de um...rsrsrs... Havia algumas promoções na banca. Leve dois, pague um. Não lembro se trouxe os que ele sugeriu... Enfim... Ele já devia estar cansado da minha presença. Eu demorei para decidir trazer o livro!kkkkkkkkkk... Aí, trouxe! E quando o terceiro livro saiu tbm fui atrás dele. E para resumir essa história: tive medo de ler os livros por não conhecer a autora. Então, quando decidi participar da maratona, escolhi o livro "Desejo Lavrado" para o mês de setembro, para ser forçada a lê-lo...rsrs... Era a única forma dele não passar muito tempo no armário. Enfim... Vamos falar sobre o livro agora? Valeu a pena lê-lo?!


- Sim!!!!!!!!! rsrsrs.... Confesso que depois da decepção que sofri ao ler o primeiro livro da trilogia (Risco da Paixão) achei que tinha feito uma escolha terrível. Que me arrependeria amargamente de ter escolhido esse livro. E quando comecei a ler a história, tive certeza. Fiquei muito desanimada e tentada a ler outro livro. Porém, tinha que ler o livro por causa da maratona e decidi eliminar o mal de uma vez por todas!kkkkkkk... E valeu a pena. Sinto raiva de mim mesma por ter chegado a pensar em não ler o livro! Seria um grande engano. Perderia a chance maravilhosa de me emocionar com essa belíssima história de amor e vida.

- Concordo com a querida  Emilie (já a trato como amiga! rsrsrs... Espero que ela jamais saiba que falei mal de Risco da Paixão. Mas a culpa foi do livro!). "A vida é aquilo que acontece quando estamos ocupadas fazendo outros planos". E foi exatamente isso que aconteceu com esse casal maravilhoso. Cada um estava fazendo determinados planos. E amor não fazia parte deles. Ambos tinham sido machucados. E muito. Não queriam amar. Voltar a sofrer?! Não eram masoquistas para desejar isso. O amor só sabe machucar e por isso eles o renunciaram. Ah! Mas a vida tinha outros planos para os dois. E tudo que eles poderiam fazer era ser teimosos e lutar contra isso. Sem sucesso.


- Essa história nos ensina coisas valiosas. E emociona. Muito. A autora tocou num tema muito delicado e outras autoras poderiam falar do mesmo assunto, sem o cuidado dela. A Emilie foi sensível e dá para perceber isso em cada linha sobre o assunto. Ela nos faz olhar para a Carly sem condená-la por sua escolha. Pelo menos, fez isso comigo. Condenar é errado. Fato. Mas fazemos muito isso. Seja nos livros ou na vida real. Me considero uma pessoa mais compreensiva ao lidar com as pessoas na vida real. Mas quando leio um livro... dificilmente posso entender certas coisas. E certa vez li um livro da Miranda Lee que falava sobre a mesma coisa. O que aconteceu? Abandonei o livro antes mesmo de chegar ao final. Odiei. Senti uma raiva intensa da mocinha. A desprezei por sua atitude e não quis entender. Também, não havia algo que podia ser entendido. A situação era semelhante, porém o modo como as autoras colocaram as coisas, foi bem diferente. A Miranda me fez odiar sua mocinha. Já a Emilie, tornou a dela minha amiga. Eu entendi a Carly. E mais do que isso: consegui sentir seu sofrimento. Consegui "vê-la" passando por tudo aquilo. Tendo que fazer uma escolha que afetaria sua vida para sempre. Quis protegê-la...rsrs... Ela não merecia sofrer. Enfim... E apesar da minha decepção com o livro Risco da Paixão, a Emilie já se tornou uma das minhas autoras favoritas. Simplesmente porque esse segundo livro da Trilogia Vale Tudo no Amor mexe com nossas emoções, nos toca e cativa. Simplesmente porque Mitch e Carly são dois personagens profundos. Com alma. Eu me apaixonei por eles! :)



Um pequeno resumo:



Tudo que ela queria era uma segunda chance... E jamais abriria mão dela.


Carly Corbin conheceu bem cedo o lado escuro do amor. Aos 16 anos se apaixonou por um homem que ela achava digno de sua confiança. Ela caiu no seu jogo e deixou ele fazer o que quisesse com ela. Mas pagou caro demais por seu erro.

Ela engravidou, mas isso não a preocupou tanto no momento. Ele a amava e certamente se casaria com ela. Eles seriam felizes e criariam seu bebê com todo o amor. Mas as coisas não aconteceram como Carly imaginava...

Ela não sabia, mas tudo que aquele homem queria era brincar com ela. Por um tempo. Depois a abandonaria para voltar para sua esposa e filhos. Carly sequer sabia que ele era casado e o mundo caiu sobre a sua cabeça quando ela descobriu. Assustada e ferida, ela correu para os braços dos pais, que levaram o fato à polícia, já que Carly era menor de idade e o homem que a havia seduzido, era seu  técnico de vôlei na escola. Mas o infeliz optou por uma alternativa diferente: foi à mídia. Disposto a acabar com a imagem dela, antes que fosse obrigado a enfrentar um processo.

Carly foi crucificada pelos jornais e não teve nenhum direito de se defender. Seus amigos lhe viraram as costas, a esposa do infeliz levantou um processo contra e ela foi convidada a sair da escola. Estava perdida e se sentia suja. Acreditava que tinha cometido um erro terrível e ficou ainda mais magoada quando seus pais a colocaram num lar para mães solteiras e depois se mudaram para outro estado. Ela não tinha mais família. Não podia estudar e nem seria aceita num emprego, ainda mais com a imagem arruinada. Então, seis meses depois de viver naquele lugar, ela deu à luz a uma menina que amou desde o primeiro instante. E ela tomou a decisão que julgou melhor. Tinha que salvar sua filha. Impedi-la de ter um futuro incerto e passar fome por causa do erro dela. Então, sentindo-se morrer por dentro, Carly deu a filha para adoção.

E então doze longos e torturantes anos se passaram. Anos nos quais Carly foi atormentada pelas lembranças e se perguntou se havia feito a escolha certa. Se sua filha era feliz e perguntava por ela. Em muitos momentos, ela desejou não ter aberto mão da sua preciosa garotinha. Tudo que ela queria era ter uma segunda chance de ser a mãe que deveria ter sido...

Mitch não teve uma infância feliz. Ele sequer teve uma infância. Lutou muito pelo amor dos pais, mas desistiu dele aos doze anos de idade... Quando sua mãe, embriagada e infeliz, jogou o carro contra uma árvore, morrendo instantes depois. Aquele fato o fez desejar jamais se apaixonar. O amor apenas machuca. O amor que sua mãe sentia pelo pai dele a destruiu e marcou ele e seus irmãos no processo.

Então, Trish apareceu em sua vida. Linda, infeliz e desprotegida. Ela havia sido abandonada pelo marido infiel e tinha dois filhos para criar. Mitch se deixou envolver. A tomou sob sua proteção e assumiu os filhos dela, se apegando completamente às duas crianças. Eles passaram a fazer parte da vida dele e ele se sentia feliz ao voltar para casa toda noite e tê-los esperando por ele. Jamais antes havia desejado ter filhos. Mas aquelas crianças se tornaram sua vida. Ele adorava cada instante ao lado delas e se sentia o homem mais feliz do mundo. Porém, alguns anos depois ele teve, mais uma vez, que enfrentar a dor da perda. Sobreviveu, mas se tornou um homem amargo e cínico. Um homem que jamais voltaria a cair na armadilha do amor. Pelo menos, era o que ele pensava...

Mas então, seu pai morre e ele é obrigado a cumprir um dos últimos desejos dele. Algo que ele pensava que seria muito fácil. Mas acaba sendo mais difícil do que ele poderia imaginar...


A morte do pai de Mitch e da irmã de Carly, faz o caminho de ambos se cruzar. Os dois querem a criança que foi resultado da aventura entre o pai de Mitch e a irmã de Carly. Nenhum dos dois quer ceder. Então, a única opção é uma convivência forçada... que despertará sentimentos adormecidos nos dois.

Eles querem se deixar levar... Mas será que após tanto sofrimento... Tantas decepções, conseguirão se libertar dos fantasmas do passado e arriscar um futuro juntos? Bem... Sim. Mas terão que desenterrar o passado e enfrentar seus traumas antes. Descobrirão que amar pode ser muito bom, mas antes disso irão se machucar ainda mais...


- Bem... Falei do passado do casal e dos seus traumas. Então, obviamente, não falarei muito do presente...rsrs... Na verdade, não falarei quase nada. Não tem graça revelar a história toda, certo? Principalmente o essencial: que é a deliciosa história de amor entre Mitch e Carly. Não direi como as coisas serão entre eles. Só posso dizer que eu amei acompanhar cada instante. Me diverti em alguns momentos, chorei em outros, sofri com eles... E me encantei quando o Mitch provou que havia crescido. Que havia aprendido a lição. Foi um momento lindo e emocionante.


"... Eu perdi tudo. Meus amigos. Meu lar. A confiança dos meus pais.

Uma lágrima escorreu pela face dela. Carly secou-a. Lágrimas não resolviam nada. Chorara um oceano 12 anos atrás sem benefício algum.

- Pior de tudo, perdi o direito de ver minha preciosa garotinha crescer. Não sei nem o nome dela. Nunca verei seu sorriso ou ouvirei sua risada. Não escovarei seus cabelos ou secarei suas lágrimas. Nunca poderei dizer-lhe o quanto a amo e o quanto doeu desistir dela. Mas foi a escolha certa a fazer. Portante, fiz. - Um soluço escapou de sua garganta."


- Antes de julgar e condenar a Carly. Antes de atirar pedras, se coloque no lugar dela. Aí você pode me dizer: "Independente das circunstâncias, eu jamais abandonaria um filho meu." Ótimo para você. (já viram que se falarem mal da Carly irei defendê-la com unhas e dentes, certo?! rsrsrs...) Então, você jamais passaria pela tortura que ela passou. Jamais seria atormentada pelos fantasmas da lembrança. Jamais sentiria como se existisse um buraco no seu coração. Ao tomar a decisão de abandonar sua filha, Carly não pensou nela. Não. Ela chega a dizer que se fosse por ela jamais abriria mão da sua menina. Ela sofre muito e a gente acaba sofrendo com ela. Me vi à beira das lágrimas em muitos momentos. Tive que interromper a leitura várias vezes porque não queria chorar. Mas era impossível não sentir a dor daquela mãe. Em muitos momentos eu desejei poder impedir sua dor. Fazer algo... Queria que ela não tivesse passado por aquilo. Ela era só uma menina e poderia ter tido uma vida muito diferente. Mas acabou caindo numa armadilha. Se deixou enganar por um homem que dizia amá-la e pagou muito caro por isso. E no final... Quando aquilo aconteceu no final do livro, eu não pude mais segurar as lágrimas. Foi impossível. A Carly tomou uma decisão que eu seria egoísta demais para tomar. Ela precisou ser altruísta. Precisou abrir mão do seu desejo mais uma vez. Foi impossível conter a emoção. 


- E o Mitch?! Ai, Deus! Que mocinho complicado! rsrs... Inicialmente, eu o desprezei. O que ele queria fazer era muito errado e ele estava sendo cruel e egoísta. Planejou com atenção algo que machucaria muito a Carly e eu cheguei a desejar matá-lo com minhas próprias mãos. Porém, com o passar do tempo, eu acabei me envolvendo com a história dele. Seu passado foi revelado e a Emilie me fez sentir sua dor também. O Mitch fez algumas coisas abomináveis, mas no fundo não era uma má pessoa. E ele muda muito. Ao se apaixonar pela mulher que ele pretendia destruir, ele sofre uma drástica transformação. E o que achei maravilhoso foi acompanhar seu crescimento. Não é algo que acontece de um momento para o outro. Não. Mitch aprende errando. Até o momento que comete um erro terrível e se vê sem saída. Aí.... ele finalmente aprende a lição. E prova que ama a mocinha de um modo lindo. Estou aqui chorando só de lembrar...rsrsrs... Sou uma boba, eu sei... :)

- E o que falar do pequeno traquinas que provocou a aproximação do casal? O Rhett é um encanto, gente! Ele vai derrubando as defesas do Mitch fáci, fácil. É um bebê super carinhoso, teimoso e feliz. Quando o livro narra suas risadas, a gente se pega rindo também. Ele não invade só o coração do Mitch e da Carly. Toma conta do nosso coração também...rsrs... E eu achei lindo quando ele chamou a Carly de mamãe no momento que ela mais precisava. Sinto vontade de ler uma história sobre ele...rsrs... Quero acompanhar sua história quando ele for adulto. A Emilie bem que poderia fazer isso, não é verdade?! 


- Ao contrário do primeiro livro, Desejo Lavrado é pura emoção. O que a Emilie economizou ao criar a primeira história, ela caprichou ao criar essa. Penso que ela acabou se apegando muito aos seus personagens, pois até as palavras dela no início de cada livro, é diferente. No outro não teve o impacto que teve nesse. Acho que Mitch e Carly se tornaram muito especiais para ela também.

- Outra coisa: a história desse casal se passa ao mesmo tempo que a história de Rand e Tara (do primeiro livro). Rand chega a aparecer nesse livro, apenas para me irritar...rsrs... Deve ter sido seu objetivo. Ele teve a coragem de chamar minha mocinha querida de vadia! Se ele estivesse na minha frente, eu quebraria todos os seus dentes. Nem que tivesse que subir numa escada para isso (já que ele é muito mais alto do que eu...). E depois eu correria!kkkkkkkkkk... Sou boa fazendo isso. (ai, Mónica! Não consigo esquecer o que vc disse....rsrsrs...). Já pensou o quanto ele ficaria furioso sem os dentes?! Iria querer me matar! Mas teria que me pegar primeiro!kkkkkkkkkk...  


- Enfim... Recomendo e muito esse livro. Vale muito a pena. Não é um livro apenas para passar o tempo. Tem uma história profunda, com personagens profundos e cativantes. E não apenas emociona. Ensina também. Não o leia em lugares movimentados. E tenha uma caixinha de lenços por perto. Se vc for sensível demais, irá precisar deles.


- Bem... Essa foi minha escolha para a Maratona de Banca desse mês. E fico muito feliz por ter acertado na escolha! :) Assim, fica minha dica. E se quiser conhecer as outras resenhas e participantes da maratona clique AQUI


"Carly virou-se, afastando-se. Ele quis chamá-la de volta. Para sua vida. Para seus braços. Para sua cama. Para compartilhar suas refeições.

Ele a amava.

A percepção comprimiu seu peito.


[...] - Carly. - Ele esperou que ela o olhasse. - Estou apaixonado por você."



Faz parte da Trilogia:


Risco da Paixão
Desejo Lavrado
3º Véu de Lágrimas


Bjs e até a próxima!



P.S.: Esqueci de algo importante. Eu lhes devo uma explicação. Quem visita meu blog, provavelmente, conhece o espaço no qual eu indico outros blogs. Blogs que são especiais para mim. A indicação tem dia marcado: é todo dia 10. Então, por que esse mês não teve? Acontece que, infelizmente, o blog que havia sido escolhido para o mês de setembro... não é mais um dos meus queridos. O motivo eu prefiro não falar. Mas não se assustem: eu nunca falei dele aqui no blog. Era importante por causa das resenhas. Eu sequer tinha algum tipo de amizade com a blogueira. Apenas adorava as resenhas. Mas eu fiquei decepcionada com certas coisas e... Enfim... Mas mês que vem indicarei um blog! E dessa vez é de uma blogueira amiga! :) Tenho certeza de que ela não poderá me decepcionar até lá. E acredito que não me decepcionará nunca! Gostaria tanto de dizer o nome da pessoa. Mas não posso...rsrs... Terão que aguardar até outubro! :D

2 comentários:

Ana Carolina Nonato disse...

Olá!

UAU! Olha, eu parei de ler romances de banca por conta de algumas futilidades que eles traziam... Mas este se superou! Traz uma temática que, se você for analisar, não é tão incomum assim, principalmente porque as pessoas não mais se casam e etc. Adorei a sua resenha! Eu gosto de deixar a minha impessoal (porque eu sou muito manteiga), mas eu gosto de como faz a sua. É como uma conversa com uma amiga. Muito legal!
Eu não sei, mas você já leu a série "O Casamento do Ano", da Sandra Marton? Eu a adoooooooooooooro, e a série é muito legal. Em especial o livro "A Divorciada Disse Sim!", que mostra o amor depois de anos de convivência. Muito legal mesmo!

Abraços!

Ana Carolina Nonato
Seis Milênios

Luna disse...

Olá Ana!


Muito obrigada, flor! :)


Ainda não li essa série, mas ela já me foi indicada. Muito obrigada pela indicação! Coloquei seu nome lá na lista! Creio que só li um livro da Sandra Marton e sinto vontade de ler outros.


Sobre futilidade em romances de banca: realmente existem em alguns. Mas não é em todos! Existem vários que tocam em temas reais e fortes. Posso te indicar alguns se vc quiser, é claro...rsrs... Eu sou apaixonada pelos romances de banca e embora leia livros de livraria tbm, sempre voltarei para os meus "filhos"...rsrs...


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.