O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Amor À Primeira Vista - Catherine Anderson




2º Livro da Série Kendrick/Coulter


Catherine Anderson tem um talento incrível para inventar personagens que todas amamos e histórias que nunca mais esquecemos. Com grande ternura, ela capta momentos de paixão e de sofrimento que calam fundo em cada leitora. E leva a literatura romântica até requintes poucas vezes atingidos.


Bastou um olhar para Ryan Kendrick, o rancheiro magnata, se apaixonar perdidamente pela bela Bethany Coutler. Com uma mistura sedutora de ousadia e timidez, de ingenuidade e maturidade, ela partilha a sua paixão pelos cavalos, tem um imenso sentido de humor e pode com um só sorriso animar uma casa inteira. É absolutamente perfeita, em todos os sentidos do termo, excepto num único.


Um acidente sofrido há anos num rodeo deixou-a presa a uma cadeira de rodas. Desde então conheceu tanto as traições como os desgostos de amor, e por isso jurou nunca mais entregar o seu coração a um homem. Admitiu inclusivamente nunca vir a ter uma relação íntima e a ser capaz de conceber um filho. Mas qualquer coisa em Ryan Kendrick a fez de súbito acreditar que talvez todos esses obstáculos pudessem ser ultrapassados. Qualquer coisa que a fez de novo crer num amor para toda a vida.




Palavras de uma leitora...



Eu vejo as perguntas em seus olhos
Eu sei o que está passando pela sua cabeça
Mas você pode estar certa que eu sei qual é o meu papel
Eu ficarei do seu lado ao longo dos anos

Você só chorará lágrimas de felicidade
E apesar dos erros que eu possa cometer
Eu jamais vou partir seu coração

Refrão:


Eu juro
Pela lua e as estrelas do céu
Que eu sempre estarei lá
Eu juro
Que tal como a sombra que caminha ao seu lado
Eu estarei lá
Nos bons e nos maus momentos
Até que a morte nos separe
Enquanto meu coração bater, eu vou te amar
Eu juro

Eu te darei tudo que eu puder
Vou erguer seus sonhos com essas duas mãos
Nós vamos pendurar memórias na parede
E quando seus cabelos estiverem grisalhos
Você não vai precisar perguntar se eu ainda te amo
Porque o avançar do tempo
Não vai envelhecer jamais o meu amor

Refrão

Eu juro
Pela lua e as estrelas do céu
Que eu estarei lá
Eu juro
Que tal como a sombra que caminha ao seu lado
Eu estarei lá
Nos bons e nos maus momentos
Até que a morte nos separe
Enquanto meu coração bater, eu vou te amar
Eu juro

(Música original: I Swear /Tradução: Eu Juro/ Cantor: John Michael Montgomery)



- Bem... Essa música que coloquei logo acima é a tradução de uma música belíssima que o Ryan canta para a Bethany no livro. Quem traduziu a música foi nossa querida amiga, Carla. E eu agradeço muito a ela, pois, como vocês devem saber, eu não entendo inglês.




- Para quem não sabe, nesse mês de outubro, está completando um ano que eu, a Carla e a Mónica nos conhecemos e somos amigas. Nós não nos conhecemos pessoalmente, mas isso não faz a menor diferença, pois a nossa amizade é até mais forte do que a amizade que tenho com amigas que conheço pessoalmente. É uma amizade que começou naturalmente e quando eu menos esperava. Acredito que essas duas amigas maravilhosas foram enviadas por Deus. Elas são presentes de Deus para mim. Não sei se sou digna de tê-las como amigas, mas agradeço muito a Deus por tê-las enviado. Por elas fazerem parte da minha vida. Que esse seja apenas o primeiro de muitos anos de amizade. Amo muito vocês, amigas! Obrigada por serem minhas amigas e por sempre me apoiarem. Por me aceitarem como eu sou. Vocês são preciosas demais para mim. :)




- E para comemorar esse primeiro ano de amizade, nós decidimos ler um livro especial juntas. Escolher um livro que acreditássemos que iria ser especial. A Mónica sugeriu o livro "Amor À Primeira Vista" e nós apostamos nele. E foi uma experiência maravilhosa para nós três. Eu acreditava que o livro seria lindo, mas não tanto... Ele é muito mais do que poderíamos imaginar e tenho certeza absoluta de que você concordará com a gente depois de ler esse livro. É... Porque eu já o recomendo antes mesmo de terminar a resenha! É um livro que você não pode deixar de ler. É a primeira história que leio da Catherine Anderson e ela já ganhou uma fã por isso (a Carla e a Mónica também se tornaram fãs dela, então, ela ganhou três novas fãs...rsrs...).


Sabe aquela história que invade seu coração sem pedir licença? Que te conquista de uma forma que não dá para explicar? Que te envolve, te emociona e faz você desejar que o final jamais chegue? Que faz você chorar de tristeza (pois o sofrimento dos personagens te atinge em cheio e você não consegue ficar indiferente) e alegria? (porque os momentos maravilhosos são tão tocantes que as lágrimas descem naturalmente) Que faz você sorrir e até mesmo gargalhar? (porque apesar de qualquer dor, as pessoas maravilhosas que você encontra ao longo da história conseguem tirar proveito dos piores momentos e rir até delas próprias.). Amor À Primeira Vista é um livro que marca. É aquele livro que te deixa sem palavras, sem fôlego... que faz, inclusive, você pensar na sua vida, nas suas atitudes e agradecer a Deus por tudo que tem. Bethany e Ryan nos ensinam lições valiosas... Jamais na minha vida conseguirei esquecer desses dois. Eles tem um lugar feito especialmente para eles no meu coração. Um lugar só deles.



Um pequeno resumo:


O que você faria se, de um momento para outro, toda sua vida sofresse uma drástica e cruel mudança? Enfrentaria as dificuldades com coragem e determinação? Ou ouviria aqueles que dissessem que você deveria jogar no lixo os sonhos que tinha antes da tal drástica mudança? Como você reagiria se acordasse num quarto de hospital e não sentisse seus dedos dos pés? Suas pernas? Se descobrisse que não poderia mais andar?


Quando sofreu aquele terrível acidente e soube que não poderia mais andar, Bethany também soube, através do seu ex-noivo e de um médico, que teria que abrir mão dos seus maiores sonhos. Casar? Ter filhos? Quem iria querer se casar com uma paraplégica? Uma aleijada que provavelmente sequer conseguiria ter uma vida sexual normal? Ninguém. E o homem que ela acreditava que a amava muito menos...


Quando Bethany estava ainda no hospital, foi traída de uma das piores formas que uma pessoa pode ser traída. Como se não bastasse toda a dor física e emocional que ela estava sentindo, ainda teve que sofrer mais aquele golpe. De um modo cruel, ela descobriu que sua melhor amiga e o homem que ela acreditava ainda ser seu noivo, estavam casados. As pessoas que ela acreditava se importarem com ela e que a estavam visitando com toda "preocupação" estavam também a enganando. Quando soube daquilo, o pouco brilho que ainda restava no rosto de Bethany, se apagou. Era como se a vida tivesse acabado para ela. Sentia-se como um fardo para sua família, tinha perdido o privilégio de andar, o noivo, a melhor amiga e a possibilidade de ser mãe. Seu cirurgião tinha sido bastante claro. Ela não conseguiria levar uma gravidez adiante. O mais provável seria que ela abortasse naturalmente toda vez que engravidasse. E além do mais, segundo ele, uma paraplégica nunca deveria ser mãe. Seria uma benção não poder ser! (Como????!!!! Necessito dizer que desejei matá-lo com minhas próprias mãos?! Claro que não, certo?!).


Quantas outras pessoas conseguem seguir em frente depois de tantos golpes? Quantas conseguem ser verdadeiramente felizes? Não muitas...


E a família dela ainda tentou... Alguns médicos acreditavam que Bethany pudesse voltar a andar. Ela passou por três cirurgias até que as esperanças finalmente se esgotassem. Seu pai usou todos os seus recursos para ajudar a filha de dezoito anos a voltar a andar, mas foi tudo em vão. Depois que perceberam que não havia mais jeito e tudo que poderiam fazer seria aprender a conviver com a deficiência da filha/irmã, sua família quis colocá-la dentro de uma caixinha de cristal. Queriam protegê-la, cuidar dela... mas Bethany partiu para Portland para se recuperar da última cirurgia e lá conheceu pessoas que passaram por uma situação como a dela. Ela passou a viver num apartamento de acordo com sua deficiência, arrumou um emprego, mas não encontrou a felicidade. Como poderia? Sua vida já não tinha sentido nenhum. Imagine-se perdendo tudo que vc mais ama, todos os seus sonhos e saberá exatamente, ou aproximadamente, o que Bethany sentia... Tudo que ela poderia fazer seria aceitar sua situação e fingir para todos que estava bem. Sofrer sozinha. E foi o que ela fez...


... E assim, oito longos anos se passam...




Ryan Kendrick estava furioso. Já fazia dois dias que ele aguardava ansioso a chegada das suas partes e nada delas ainda... Será que ninguém naquela loja podia entender que um homem necessita das suas partes?! A falta que as suas partes lhe faziam era tanta, que ele entrou na loja soltando fumaça e louco para descontar sua ira em alguém... e ele caminhou determinado até sua vítima em potencial... só para levar um choque ao olhar pela primeira vez em seus olhos...


Existe realmente amor à primeira vista? Se alguém tivesse lhe perguntado algo assim instantes antes, ele teria dito que, baseado nas experiências dos seus familiares, existe, mas que algo assim jamais aconteceria com ele. Até instantes antes... porque depois de olhar pela primeira nos olhos da bela moça sentada atrás daquele balcão, ele soube que ela era a mulher da sua vida. Bastou um olhar. Um simples olhar para ele saber que estava completamente perdido. Tinha chegado o momento de abandonar sua vida de mulherengo e encarar as maravilhas (e as dores) do verdadeiro amor. Só que as coisas não seriam muito fáceis.


A mulher da vida dele, sua outra metade, aquela com quem ele desejava viver até seu último suspiro, era paraplégica e não pretendia facilitar as coisas para ele. Ela havia sido profundamente machucada pela vida e pelas pessoas. Não queria sofrer mais uma vez. Arriscar seu coração uma vez mais era tudo que ela menos queria na vida. Já tinha arriscado antes e a dor da traição ainda era forte. Para que passaria por tudo aquilo de novo? Bethany estava cansada de sofrer. Tudo que ela queria era paz... Será que era pedir demais?!


Porém um Kendrick apaixonado sabe ser paciente... ou não. Ele a queria e mostraria para a moça de olhos da cor de amores-perfeitos que o destino dela era ao seu lado. Deficiência alguma seria impedimento para a felicidade dele. Ele só poderia ser feliz ao lado dela e não deixaria que a teimosia da sua futura esposa colocasse tudo a perder.


Até encontrá-la, Ryan sentia-se profundamente solitário. Mesmo tendo uma família amorosa e seus animais de estimação, ele se sentia sozinho... sua vida era vazia. Mas foi só olhar para aquela mulher de olhar lindo e triste para perceber que era dela que estava precisando. Era por ela que esperava...


Mas será que um ex-mulherengo, um homem perfeito fisicamente e acostumado a se envolver com mulheres perfeitas e experientes pode ser realmente feliz ao lado de uma mulher paraplégica, uma mulher que dependeria tanto dele? Ou será que com o tempo, que após a novidade passar... ele acabaria sentindo o peso da responsabilidade e todo aquele amor chegaria ao fim?


Porém, o amor verdadeiro pode mesmo chegar ao fim?



Ele estalou os dedos:
— As minhas partes.
— As suas partes? Ele riu-se:
— Quero saber onde raio é que elas estão.
Uma expressão de travessura passou pelo rosto dela.
— Perdeu as suas partes e acha que sou eu quem as tem? A maioria dos vaqueiros que eu conheço guarda as suas partes com mais cuidado do que um banco.

Ryan atirou a cabeça para trás e soltou uma gargalhada. A tensão que lhe prendera os músculos do pescoço e dos ombros durante toda a manhã desaparecera milagrosamente.

— Espero que não tenha algum encontro fantástico para sábado à noite — acrescentou ela. — Um vaqueiro que não sabe das suas par tes pode dar por si numa situação muito embaraçosa.

Ele endireitou a aba do chapéu.

— Ora bem, minha querida, isso depende. O que é que você faz no sábado à noite?

Foi a vez de ela se rir. Um som rico e musical que o percorreu como uma vaga de calor.

— Costumo evitar vaqueiros que não sabem onde têm as respectivas partes.

— Se sair comigo, garanto-lhe que as encontro num instante.


- E foi assim que tudo começou. As tais partes são umas peças que o Ryan tinha encomendado e estavam atrasadas. Ele necessitava desesperadamente daquelas peças para consertar um equipamento e por isso estava furioso. Mas foi só olhar para a Bethany para que ele se esquecesse de toda a irritação...rsrsrs...


- Estou pensando aqui no que ainda posso contar do livro sem revelar demais. É uma história muito bem escrita, uma história que a autora não teve pressa para terminar e muita coisa acontece, mas não é justo contar para vocês tudo... Tenho que pensar no que ainda posso falar... Difícil...rsrsrs...


- Como vocês já sabem nossa mocinha é paraplégica e já adianto logo: nenhum milagre vai acontecer para fazê-la voltar a andar. Não contem com isso. No início do livro a autora é clara ao falar que deseja mostrar algo diferente nesse romance. Ela disse que já tinha lido vários romances com mocinhos e mocinhas perfeitos fisicamente... e embora não tivesse nada contra isso, queria escrever um romance onde pudesse mostrar que uma pessoa com limitações físicas, deficiências também pode encontrar o amor e ser a protagonista de uma história de amor. Deficiência não é crime. E não são só as pessoas "perfeitas" fisicamente que merecem ser felizes, certo? Catherine Anderson quis mostrar isso para nós e eu adorei. Me apeguei muito a Bethany e não só por ela ter sofrido tanto na vida injustamente, mas sim também porque ela é uma pessoa maravilhosa. Adorei essa mocinha. Sua força, sua coragem... porque é necessário ter muita força e muita coragem para seguir em frente depois de tantos golpes. Tem que ter coragem para sofrer sozinho, sabiam? Bethany queria poupar as pessoas que amava e aguentou toda sua dor sozinha... é preciso ter coragem para isso, pois tudo que mais queremos quando estamos sofrendo é consolo... é nos jogarmos nos braços de alguém que amamos e ouvir que tudo vai passar. Não sei como ela suportou... Não sei como ela suportou fingir tanto. E fiquei muito, muito feliz pelo Ryan ter sido o escolhido de Deus, do destino, da vida para a Bethany. Ele é tão sensível... Tão homem de verdade, sabe? Aquele tipo de pessoa que consegue ver além das palavras, que consegue sentir a dor das outras pessoas, das pessoas que ele amava. Com o Ryan não adiantava a Bethany dizer que estava tudo bem... que ela não estava sofrendo, que ela entenderia se ele não pudesse isso ou aquilo... Com ele não adiantava ela forçar uma risada. Ele percebeu que muitos dos sorrisos dela apareciam quando tudo que ela mais queria era chorar. Ele via além do que ela queria mostrar. Ele foi feito sob medida para ela. Se alguém merecia um homem como o Ryan, esse alguém sempre foi a Bethany.



— Querida, não. Ouve-me. Estás-me a ouvir?

Ela gemeu e quase se engasgou, tentando conter os soluços.

— Eu amo-te! — disse ele com ferocidade. — Se não pudermos ter filhos, adoptamos.

— Não é a m-mesma coisa! Não para um homem. E posso não ser aprovada. Tu devias ter uma família. Nasceste para ser pai. Bastou-me ver-te com o T-bone para saber isso. Tens tanto amor para dar.
— Querida, nós vamos ter uma família. Queres uma dúzia de filhos? Muito bem. Podemos recorrer a uma agenda privada. Já comecei a sondar para saber quais são as de confiança. E quem é que disse que não era a mesma coisa? Sou capaz de amar filhos adoptados tanto como se fossem meus.

— Dizes isso agora. O que é que vais sentir quando fores mais velho?

— Exactamente o mesmo. Se não posso ter filhos contigo, não os quero ter com mais ninguém. Posso ser um pai solteiro e adoptar sem ti, mas nunca haverá outra mulher. Tu és a tal.

— Isso é um disparate. Não estás a falar a sério.

— Oh, mas estou. — Ryan virou a cara contra o cabelo dela. — Estou a ser sincero, Bethany. Do fundo do coração.

— Mesmo que eu não te possa dar bom sexo?

— Só o saberemos depois de experimentarmos. Talvez seja fantástico, talvez não. Havemos de encontrar uma forma, alguma coisa que nos dê prazer a ambos.

— E por que motivo havias tu de te contentar com isso?

— Contentar? Bethany, eu amo-te. Fui até ao fim de um monte de becos sem saída, à tua procura. Nenhuma dessas mulheres teve algum significado para mim. Só tu. Não estou a contentar-me, que raio. Se eu pudesse ter qualquer mulher no mundo, escolhia-te a ti.

— Não ouviste nada do que eu disse? As pessoas como eu tem uma vida emprestada. Riscos de saúde, coisas que não podemos evitar! Pode aparecer-me um coágulo para a semana e eu morro. E lá ficavas tu, com uma dúzia de filhos adoptados e sem mulher para te ajudar a criá-los. NÃO! EU não era capaz de te fazer uma coisa dessas. Não!

Ryan apertou-a contra si, receando perdê-la se a largasse.

— Bem, então, fica comigo até para a semana, pelo menos — murmurou ele com a voz entrecortada. — Deixa-me ter esses sete dias. Talvez tenha sorte e haja mais uma semana depois dessa, e outra ainda. Deixa-me ter o que for possível. Fica comigo enquanto puderes. Eu deixo-te partir quando Deus te levar e fico agradecido por todos os segundos que Ele me der, mas não te posso deixar partir assim.


- Terminei de ler esse livro ainda no domingo. Faltava exatamente um minuto para segunda-feira quando li a última linha do livro e ainda hoje consigo me emocionar com essa cena. As coisas que o Ryan fez pela Bethany, toda a paciência, todas as mudanças que provocou no rancho para que ela pudesse se locomover por lá. Ele preparou tudo para que ela pudese circular livremente pela casa e por toda a propriedade. Pensou na possibilidade de adotar filhos, pois embora quisesse ser pai, ele só queria filhos se fosse com ela. Como ele disse, ela era a tal, a escolhida. A mulher que ele estava esperando. Mas não pensem que ele não teve medo. Claro que teve. É humano e como todo humano também tem medo. Quando percebeu, na primeira vez em que a viu, que ela era paraplégica ele sentiu vontade de fugir. Não. Ela não podia ser para ele. A sua mulher ideal era paraplégica?! Alguém que sempre dependeria mais dele do que qualquer outra mulher?! Alguém também imperfeita para ser esposa de um rancheiro?!


— Amo-te. Não podes alterar isso, Bethany. Não há nada a fazer. E se fugires de mim, destróis a minha vida. És capaz de viver com esse peso na consciência?

- Um homem perfeito tanto no físico quanto no caráter. Uma mulher maravilhosa, boa e linda, porém prisioneira de uma cadeira de rodas. Será que uma relação entre os dois pode mesmo dar certo? Sim... só que para isso nosso casal terá que enfrentar alguns problemas. Os fantasmas do passado da mocinha são uns deles. Mas apenas uns... eles ainda terão que enfrentar outros problemas. E adianto que um deles é bastante angustiante. Do tipo de roubar seu fôlego e te deixar com os nervos à flor da pele. Eu fui pega de surpresa quando aquele momento chegou e fiquei muito nervosa. Parecia mentira que aquilo estava acontecendo... Bem... Mas não vou dizer o que é que acontece de tão angustiante, só posso dizer que você precisa se preparar bastante antes de ler aquela cena. Prepare o lenço também, é claro. Mas o lenço já tem que estar preparado bem antes, pois existem outras cenas dignas de lágrimas, tanto de tristeza como de alegria. Também não leia esse livro em lugares movimentados, pois além das cenas que nos fazem chorar, o livro é recheado de cenas engraçadas...rsrsrs... A autora nunca quis criar uma história pesada e acredito que foi por isso que ela criou personagens tão bem-humorados. Que conseguem rir deles mesmos, que falam coisas tão engraçadas...rsrs... Eu chorei com essa história, mas também ri muito. Foi uma leitura realmente deliciosa. E não é só o nosso casal protagonista que é maravilhoso. O Jake, irmão mais velho da nossa mocinha é um pedaço de mau caminho e participa bastante da história. As cenas nas quais ele aparece são sempre maravilhosas. Ele é parecido com o Ryan. Claro que não é tão perfeito como ele, mas chega próximo. Tenho certeza de que a mulher que o tiver como marido será muito sortuda. Só espero que ela seja digna dele. Os pais do Ryan também são outras pessoas incríveis. Me diverti muito com os comentários da mãe do nosso mocinho e achei fantástico o modo como o pai dele conquistou a mãe do Ryan...rsrsrsrs... Esses Kendrick realmente não dão a menor chance das suas queridas escaparem. Se eles as querem, eles as tem. E elas com certeza não necessitam reclamar. São sortudas demais.


E como não falar do Rafe? Ai, ai, ai... Eu também já o amo! rsrs... Não tanto quanto amo o Ryan, mas ele já conquistou meu coração. Jamais vou esquecer a conversa interessante que ele teve com o Ryan...kkkkkkk... O que ele falou sobre a relação dele com a Maggie me divertiu demais...rsrsrs... Mas também não esquecerei de como ele disse o que o Ryan precisava ouvir, mesmo que não quisesse ouvir, naquele momento... Quando o Ryan cismou em ser um idiota. Entendo o Ryan, como entendo a Bethany, mas achei que ele foi muito injusto durante aquelas semanas. Ela errou sim, mas custava tanto ele se colocar mais uma vez no lugar dela? Claro que ele acaba se colocando. É forçado pelo destino, mas eu gostaria que ele tivesse demorado menos tempo para fazer isso...rsrsrs... Meu Ryan é maravilhoso, mas como todo homem (mulher também, eu sei...rsrs... Tbm sou idiota algumas vezes), sabe ser um idiota às vezes. :)


- Além das cenas engraçadas, emocionantes e dignas de lágrimas. Há também algo interessante...rsrs... Jovens menores de 18 anos que também leem meu blog, prestem atenção! Como eu começo? rsrs... Bem... Não é aconselhável que vocês leiam esse livro, entendem? Sabem por quê? Ai, gente! Isso vai acabar provocando o efeito contrário. Bem... Esse livro é também bastante quente. Não chega a ser vulgar, mas eu não deixaria minha irmã ler. Não que eu conseguisse proibir se ela realmente quisesse ler. Mas com tantos livros que vocês podem ler, não acho muito aconselhável vocês lerem esse livro. Ele é lindo, lindo, lindo, não vou negar. Mas também é bastante adulto, compreendem? Espero que sim. Nenhuma cena é vulgar, é quente do tipo adulto (demais), mesmo assim as cenas são emocionantes, românticas e dignas até de lágrimas. Esse casal sabe tornar cada momento especial.


- Acredito que esse seja o livro mais quente que já li, mas eu amei cada cena, cada detalhe e até essas cenas. Na verdade, adorei essas cenas! Lindas! Quentes, mas belíssimas. E quando o Ryan chora.... Deus meu, a emoção toma conta da gente. Não dá para ficar indiferente, não dá para não sentir que aqueles dois se amam demais. E é por isso que essas cenas de amor são lindas... Exatamente por isso. Por terem amor. Não é algo só da carne, sabe? Não faziam sexo. Eles faziam amor. Isso tornava tudo perfeito. De fazer suspirar. Amei!


— Encará-la de uma forma racional foi a única maneira de não perder o juízo. Sabias que a ira é a emoção mais fácil de sentir para os seres humanos e, quando perdemos as nossas faculdades, é a última a desaparecer? É por isso que as pessoas com demência muitas vezes se tornam violentas, porque nas fases finais tudo o que lhes resta são sentimentos de raiva impulsivos. O sorriso de Bethany esbateu-se e ela olhou-o nos olhos. Já passei por lá, só conseguia sentir raiva. Não quero voltar a sentir-me assim. A amargura e a ira afectam todas as partes da nossa vida. Eu só quero ser feliz e tirar o máximo partido de tudo. Temos de aceitar e seguir em frente. Termos pena de nós próprios e procurarmos culpados apenas destrói o que restou.

- Como já sabem, eu recomendo e MUITO esse livro (exceto para quem é menor de idade). Essa história é muito linda e emocionante. Do tipo inesquecível. Jamais poderei esquecê-la. Já se tornou uma das minhas queridas. Amo esse livro com todo o meu coração!



- Uma observação não muito boa: o livro não foi publicado no Brasil. Nenhum livro dessa série foi. O bom é que vc pode lê-lo em português de Portugal. Não é difícil, gente. Eu achei muito bom ler em português de Portugal. Claro que tive dificuldades com as palavras desconhecidas, mas contei com a ajuda de duas pessoas que conhecem bem esse português (a Carlita que é portuguesa e a Mónica que já viveu durante um tempo em Portugal, adorou e adotou o país.).

"Algumas das maiores histórias de amor não tinham um final feliz simplesmente porque não tinham fim. Continuavam para sempre, até à eternidade."


Palavras da Carla e da Mónica sobre o livro:


Carla: "Eu conheci essa autora com o livro "Mais Perto do Céu" e, apesar de ter gostado dele, não achei um livro fantástico, em virtude tb de ter encontrado nele algumas falhas. Mas com esse a autora se redimiu totalmente. A história é maravilhosamente romântica, fala de amor incondicional, de superação, tem diálogos bastante engraçados e as famílias Coulter e Kendrick são duas famílias muito especiais. O mocinho, Ryan, é completamente indescritível. Não há palavras que o descrevam como ele merece. Não serei a primeira dizer isso mas ele me lembrou bastante o Patrick O' Casey de Lição de Ternura (Sandra Canfield).

Recomendo esse livro a todas as românticas de plantão. Não vão se arrepender!"



Mónica: "Nunca mais vou me esquecer desse livro e já sinto tanta saudade dessa família, desse casal. Uma mulher tão especial só poderia ter como companheiro um homem especial e o Ryan é isso e um pouco mais. Estou em estado de graça e suspirando. Foi um turbilhão de emoções do começo ao fim, risos e lágrimas caminharam lado a lado e em determinados momentos pensei que não aguentaria a avalanche de emoções, mas sobrevivi para recomendar o livro vivamente, tenho certeza que ninguém ficará indiferente a essa linda história de amor.  Dei ao livro 5 estrelas porque é o limite, mas pra mim uma constelação ainda não seria o bastante."


- Se deseja ouvir a música do casal do livro, clique AQUI. Ou AQUI


Informações da Carlita sobre a série:


Série Completa:



Série Kendrick/Coulter


1. Uma Luz na Escuridão
2. Amor à Primeira Vista
3. O Domador de Paixões
4. Mais Perto do Céu
5. Olhos Brilhantes
6. O Sol da Minha Vida


Falta publicar esses:

7. Summer Breeze (2006)
8. Sun Kissed (2007)
9. Morning Light (2008)
10. Star Bright (2009)
11. Early Dawn (2010)


Bjs!




Atualizado: 29/10/2011



- Tenho que pedir perdão por uma coisa. Este livro "Amor À Primeira Vista" além de ter sido escolhido para leitura de um ano de amizade entre eu, a Carlita e a Mónica, foi também indicação de duas amigas do blog: a Jaque e a Maria Quinto. Meninas, peço perdão por não ter dado os créditos antes. Só hoje eu dei uma olhada com atenção na lista de indicações e foi aí que percebi que vocês tinham me indicado este livro. Desculpem-me, ok? Prometo não esquecer mais...rsrs... Como vocês perceberam, eu amei este livro! Ele é lindo, emocionante e inesquecível. Obrigada pela indicação!


2 comentários:

Anônimo disse...

Lú,Carlinha que sorte eu tenho por serem minhas amigas.São presentes de Deus na minha vida.Uma bênção e agradeço a Ele de todo meu coração.

Lú sua resenha,uau!!!! me causou o mesmo turbilhão de emoções que o livro,ou seja lágrimas e risos rsrsrsrs...e pensar que você está dodoí e nos brinda com essas palavras e imagine se estivesse a 100%,mas vali ler na urgências rsrsrsr....era mais garantido rsrsrsr...


Esse livro foi a medida para celebrar a nossa amizade,especial como o sentimento que nos uniu a um ano atrás.

Fiquem com Deus e que Ele seja com vocês sempre,que guarde suas vidas e de suas famílias.Que abençoe seus lares,seus empregos,estudos,projectos.Que Ele derrame sobre vocês toda a sorte de bênçãos e que na sua infinita misericordia nos brinde com muitos anos de amizade,companheirismo e como parece que o posto de palhaça do grupo é meu que Ele continue me permitindo deixar o dia de vocês mais feliz.

Amo vocês.

Amiga Mó

Anônimo disse...

Tive que ler de novo a resenha. :) Além de profundamente "inchada" com as lindas palavras elogiosas, acho a resenha linda e plenamente à altura da história.

Amiga, querida, foi um prazer esse momento partilhado a 3. Sempre vou lembrar desse livro e associar a você e à Mónica. Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.