O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Doce Conquista - Julia James (Maratona de Banca 2011 - Dezembro)


Em Dezembro: Contemporâneo


Quatro anos antes, Sophie entregara seu coração a Nikos. O que ela não sabia era que Nikos tomaria sua virgindade e a deixaria em seguida... Agora, sem saber a quem recorrer e em busca de dinheiro, Sophie aceitou um emprego que não teria cogitado normalmente. Mas, justo em sua primeira noite, as coisas saem do controle quando ela desastrosamente esbarra com... Nikos. Ele fica furioso com a maneira como ela está se sustentando e sabe que precisa impedi-la imediatamente. Mas o único meio de fazê-lo é mantê-la por perto e pagar por seu tempo.



Palavras de uma leitora...


- Bem... Nem sei por onde começar... Talvez deva começar dizendo que sou uma estúpida.rsrsrs... Na hora de escolher os livros da maratona de banca, deveria estar com os neurônios danificados ou eles tinham viajado para algum lugar distante e ainda não tinham retornado. Não sei. De qualquer forma eu fui muito tonta ao colocar na lista da maratona certos livros. Eu deveria ter escolhido somente livros que me indicaram. Assim correria menos riscos de me decepcionar. Mas eu fiz isso? Claro que não! E nem sei o motivo.rsrsrs... Creio que foi estupidez mesmo. Enfim... Depois dessas palavras vocês já imaginam que "Doce Conquista" não me conquistou, certo?

Durante a leitura desse livro eu pensei em muitas coisas. Maneiras de bater na mocinha, acabar com raça do mocinho, "conversar" com a autora, acabar com o livro... E cheguei às seguintes conclusões: Primeira: com tanta coisa na cabeça, não valia a pena me estressar com essa história. Era melhor eu terminar logo de lê-la e fingir que ela nunca existiu. Segunda: ou a autora não estava inspirada ou escreveu esse livro por pura obrigação. Ela não queria criar essa história. Ainda não li muitos livros da autora. Somente dois. Três com esse. Mas os outros dois livros que li era bons. Não eram marcantes, mas a leitura dos dois foi fácil e agradável. Gostei dos livros. Diferente desse que não é agradável e me deixou morrendo de tédio. Eu sentia um desânimo enorme toda vez que pegava o livro para ler mais algumas páginas. Ia dormir e desejava intensamente que o livro desaparecesse e todos os ebooks dele virassem fumaça. (???) Assim não poderia terminar de ler o livro e ficaria muito feliz por isso. Seria maravilhoso!

Mas como nem tudo é como a gente quer, o livro não desapareceu enquanto eu dormia e eu tive que lutar contra a vontade de abandonar a leitura. A tentação era muito grande, mas eu sabia que precisava ler esse livro para a maratona de banca. Enfim...

- Bem... Agora preciso falar sobre o livro. Mas não irei me demorar muito. Perder mais algum tempo com esse livro é tudo que menos quero.

Tudo começou quatro anos antes. Nikos estava indo até a casa do pai de Sophie para falar sobre negócios. A empresa do pai de Sophie estava à beira da falência e Nikos poderia oferecer a salvação que a empresa precisava. Quando ele estava chegando de carro, viu uma linda menina atravessando a rua. Ele se apaixonou à primeira vista e mal conseguiu desviar os olhos dela durante o jantar na casa do pai dela. Eles se envolveram, mas depois de algumas palavras da mocinha, que nunca deveriam ser ditas, tudo acabou.

" - Ah, Nikos! Meu querido Nikos! Estou tão feliz... tão maravilhosamente feliz! Não consigo acreditar que aconteceu mesmo... não consigo acreditar que está tudo bem. É como um conto de fadas!

Ela o beijou, seus olhos como joias.

- Podemos nos casar agora, não podemos? E tudo será maravilhoso! Você e eu, juntos! Para sempre! Lindo, lindo, lindo! E o papai também ficará bem, porque sei que você vai salvar a empresa dele e tudo vai ficar bem de novo.

Ele parou. Podia sentir aquilo acontecendo.

- O que você disse?

Sophie o encarou, os olhos ficando de súbito velados.

- Sinto muito! Ah, sinto muito, Nikos! Não devia ter dito isso, eu sei. Mas tenho estado tão preocupada com ele, e agora estou tão aliviada por não ter de me preocupar, afinal de contas, e...

Ele não a deixou terminar. Ríspido, afastou-se. Para longe do abraço dela." (página 290)


- Duas palavras resumem o que a mocinha é: infantil e burra. Os dois tinham acabado de fazer amor pela primeira vez e uma das primeiras frases dela é sobre o fato de que ele poderá salvar a empresa do pai dela agora! Ela deu a entender que tinha ido para a cama com ele, pela salvação da empresa do pai dela. E no final do livro ela ainda admite que realmente fez aquilo pela empresa do pai. Embora amasse o Nikos, ela não decidiu seduzi-lo somente por esse amor... ela fez aquilo também pela empresa do pai. É como se ela acreditasse que a única maneira de manter o Nikos ao lado dela e salvar a empresa, seria fazendo amor com ele. Depois disso, ele "não poderia" deixá-la. Se sentiria obrigado a ficar com ela, entende? Ela não fez aquilo porque acreditou que era o momento certo para se entregar. Ela fez porque acreditou que era a única maneira de prendê-lo. E todas as atitudes da mocinha no passado tinham uma quantidade enorme de infantilidade. Ela era muito criança e embora tenha amadurecido um pouco, quatro anos depois, continua sendo tão burra quanto antes. Ela é aquele tipo de pessoa que caça a morte a cada dia. Parece não ter noção do perigo e faz as coisas sem pensar nas consequências. Confesso que gosto mais dela do que do Nikos e que entendo, mais ou menos, o motivo dela ter decidido ser acompanhante paga de um estranho, mas isso não me impede de achá-la uma tonta que deveria ser sacudida para acordar. Ela é tão ingênua, sabe? E deixa os outros guiá-la para onde quer que for. Ela permitiu que o pai a mimasse e a deixasse dentro de uma caixa de cristal, longe do mundo, trancada num mundinho cor-de-rosa, sem nada que a ameaçasse. Quis estudar música, algo que eu acho lindo. O problema de tudo é ela ter se deixado ser tão protegida. Isso, em algum momento da vida dela, a atrapalharia. Causaria sérios problemas. Porque, em algum momento da nossa vida, nós temos que encarar algum tipo de desafio, problema e em algum momento chegaria a vez dela. E ela não estaria preparada para enfrentar o desafio. E foi o que aconteceu. Ao dizer aquelas coisas impensadas, ela afastou o Nikos dela e com isso perdeu o chão, pois não tinha mais o homem que amava e nem a salvação para a empresa do pai.

Por causa disso, o pai dela acabou sofrendo um infarto e por causa de mais burrices dela, acabou sofrendo também um derrame. E foi para ajudar no tratamento do pai, que ela acabou se tornando acompanhante.

"A familiar onda de vergonha e amargura a atravessou. Deus, qual seria o limite entre a ingenuidade e a burrice?" (página 216)

- A Sophie não enxergaria esse limite nem se ele batesse no rosto dela. Ela o ultrapassou diversas vezes. É tão tonta que me irrita só falar dela. Como disse, não chego a não gostar da Sophie e até a entendo e a acho corajosa, mas ela é tão burra que chega a ser irritante, gente. E os pensamentos dela também são tão ingênuos que eu preferia que ela sequer pensasse. Se era para pensar em algo inúil, usasse a cabeça para outras coisas... Como bater na parede com ela, por exemplo.

E o Nikos? Não sei bem o que dizer sobre ele. Por algum motivo que ainda não ficou muito claro para mim, eu não fui com a cara dele...rsrsrs... Senti um desprezo enorme por ele durante a leitura inteira. Achei que ele se aproveitou muito bem da situação. Como assim? No passado, quando a Sophie e ele se conheceram, ele, tão inteligente e desconfiado como é, deveria ter percebido que a atração imediata que a Sophie demonstrou ter por ele, poderia ser uma armadilha para convencê-lo a salvar a empresa do pai dela. Ele deveria ter desconfiado de que ela o estava seduzindo como uma forma de fazê-lo salvar a tal empresa. Na minha opinião, ele fez amor com ela, desconfiando desde o início. Ele simplesmente se aproveitou do fato e eu o desprezo por isso. Pois ele a usou e em seguida a jogo fora, sem pensar duas vezes. Não quis falar com a garota, deixá-la explicar o que ela queria dizer (embora ela não tivesse muitas explicações que pudessem salvá-la). Ele se aproveitou das palavras tolas dela para cair fora. Claro, né? Ele só queria ter um caso e depois dela mencionar casamento, é claro que ele se aproveitaria da primeira desculpa para cair fora. Essa é imagem que o Nikos me passou. Nem por um segundo eu acredito que ele a amou à primeira vista. Se a autora queria nos convencer desse tal amor, cometeu algum erro, pois não me convenceu e acredito que também não convenceu muitos outros leitores que tiveram o desprazer de ler esse livro. Para mim, o que o Nikos sentiu pela Sophie foi puro desejo. Ele a quis e se aproveitou da situação financeira do pai dela, para tê-la. Para mim, ele sabia que a Sophie em algum momento usaria o corpo para prendê-lo e ele se aproveitou disso.

Resumindo tudo: esse foi o pior livro que eu já li dessa autora. A Julia James perdeu várias páginas do livro falando de nada. E várias outras, falando de um mesmo momento. Quando ela não estava narrando coisas que não eram importantes, estava se demorando demais em narração sobre um mesmo assunto, um mesmo momento. O livro acabou e o personagens não saíram do mesmo lugar. É como se a história não tivesse vida, os personagens não tivessem vida. A história é totalmente carente de emoções. E isso estressa demais, pois a gente não consegue sentir o que os personagens talvez quisessem passar. Acho que a história poderia ter sido boa se a autora soubesse desenvolvê-la. Faltou demais nessa história. Faltou a emoção, faltaram diálogos, envolvimento entre os personagens. Até a noite de amor deles, depois de quatro anos separados, foi carente de emoções. O livro não consegue nos atingir. Para mim, foi como se tivesse uma barreira entre o livro e eu. Eu não conseguia "enxergá-lo", entende? Não conseguia ver além das palavras no papel. Eram como palavras vazias de qualquer significado, como palavras jogadas fora, uma história jogada fora. A história é totalmente vazia e entediante e eu lamento tê-la lido. Não acrescentou nada. Só serviu para me estressar.


O tema da Maratona de Banca neste mês é romance contemporâneo e vcoê pode conferir as resenhas dos outros participantes clicando AQUI


E você também pode ler a resenha que a Mónica fez sobre esse livro clicando AQUI. A resenha dela está bem mais completa do que a minha, fala mais sobre o livro, conta mais da história. Eu não estou com paciência para falar mais nada sobre o livro...rsrsrs... Quero começar a ler um livro maravilhoso e esquecer que li esse. Recomendo que quem quiser saber mais sobre o livro, leia a resenha dela.


Sei que tenho estado muito ausente ultimamente, mas expliquei meus motivos no post Aviso Importante. Infelizmente, ultimamente o tempo não tem sido meu aliado. :(


Bjs!

3 comentários:

Carla disse...

Vc falou que a autora perdeu várias páginas falando de nada. Isso me irrita muuuito, especialmente em livros que já de si são curtos. Odeio igualmente histórias apressadas, mas ficar perdendo tempo com coisas sem interesse em livros tão curtos é algo que eu acho ridículo! rsrs

Mais um para eu colocar na lista dos que não quero ler! :P

Beijos, amiga!

Andrea disse...

Também achei esse livro uma bomba atômica! Nem sei como cheguei ao final, troço ridículo!

Mas fiquei com mais raiva dela do que dele. Garotinha boboca e imbecil. Ninguém merece...

Anônimo disse...

bem vinda ao clube meninas.Esse não deu para engolir nem com um copo bem grande de água rsrsrsr....

Parabéns Lú,vc é mais uma das que leu e sobreviveu rsrsrsr....

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.