O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 14 de janeiro de 2012

Alana, a Bruxa - Samantha James (Maratona de Banca 2011 - Janeiro)


Em Janeiro: Históricos


Inglaterra, 1066

A bruxa e o guerreiro ...

Filha ilegítima do lorde da Fortaleza de Brynwald, Alana foi criada na floresta, reverenciada e temida como a curandeira do vilarejo. Alana resiste como pode aos brutais invasores normandos e corajosamente enfrenta seu líder, Merrick de Normandia, porém logo se vê à mercê do poderoso guerreiro, que faz dela sua prisioneira...

Orgulhoso e possessivo, Merrick reluta em reconhecer a crescente atração que sente pela atrevida Alana, mas por mais que ela tente escapar ou o desafie com palavras cortantes e um comportamento indiferente, ele sempre consegue trazê-la de volta aos seus braços. Pouco a pouco, a disputa e o rancor se transformam em uma paixão incontrolável, e quando a traição e a intriga levam Alana a ser capturada por malvados saqueadores dinamarqueses, Merrick sabe que fará o possível e o impossível para salvar e resgatar a dona do seu coração...



Palavras de uma leitora...


Eu quase abandonei a leitura deste livro. Só não o fiz por dois motivos: primeiro, porque detesto deixar algo incompleto, não ler um livro até o fim, sabe? Segundo, porque era uma resenha para a Maratona de Banca.


Ler este livro foi uma experiência muito estressante. Eu li cada página, desejando com todas as minhas forças que o final do livro chegasse logo. Ficava até mesmo contando as páginas.rsrsrs... Só queria ficar livre dele. Depois de ler um livro maravilhoso, que me emocionou demais, me fez rir e chorar, me tocou profundamente... ler "Alana, a Bruxa" foi uma verdadeira tortura. Um pesadelo, até.kkkkkkkk....

 
- Tudo começou com os sonhos esquisitos da Alana. Ela era vista como uma bruxa pelo seu povo, pois tinha visões estranhas, que muitas vezes se tornavam reais. As pessoas a temiam e odiavam. E além de ser excluída por causa dessas visões, era também rejeitada por ser filha bastarda do senhor daquele povo. Alana passou a vida inteira praticamente sozinha, contando com as migalhas da atenção do pai e o amor falso da filha legítima dele. O pai dela fez questão de que todos soubessem que ela era filha dele (filha ilegítima) e mesmo sendo casado, manteve a mãe dela como uma "prisioneira", pois jurava amá-la. Aquele amor egoísta só fez mal para a mãe de Alana, que nunca encontrou a felicidade e era vista como uma prostituta pelo seu povo e tinha que suportar ver o homem que ela amava, passar com a esposa e fingir que sequer a via. Quando isso acontecia, a mãe de Alana passava horas chorando sozinha, mas não conseguia se libertar do amor que sentia por aquele homem que só a usava e fazia infeliz.


Anos depois, a mãe de Alana acabou falecendo e a menina passou a contar somente com o afeto de um senhor que a tratava como filha e protegia como podia. Porém nada nem ninguém pôde protegê-la quando os normandos invadiram Brynwald, mataram seu pai, a mulher dele e todos que tentaram defender o que era deles. Muito sangue foi derramado, muitas famílias foram destruídas, e pessoas perderam tudo que tinham. Alana ficou arrasada com tudo aquilo e jurou odiar tudo que era normando. Além de sentir muito medo deles. Por isso, não poderia ficar mais apavorada quando sonhou com um cavaleiro que a perseguia e que ela sentia que tinha um papel importante na sua vida. No sonho, aquele homem erguia sua espada para matá-la... E com aquele sonho, tudo começou... Uma história de amor e ódio que poderia ser boa...


Pois bem. Confesso que não estou muito animada enquanto faço essa resenha. Nem sei o que dizer sobre este livro. Chato ainda é pouco. Nem o início do livro é interessante. Desde o começo dá para perceber que as coisas só vão caminhar mal, pois falta emoção. Falta "vida" nesta história. E eu já disse aqui que não suporto ler um livro vazio. Eu fico muito aborrecida, mesmo. Quero "sentir" o livro e quando há uma barreira entre o livro e eu, fico revoltada. Se não consigo sentir a história e nem as emoções dos personagens, não consigo vê-los como pessoas, o livro não significa nada para mim. Vira perda de tempo lê-lo. E para mim, ler este livro foi perder tempo. Só serviu para me estressar. E o pior é que a história poderia ser boa. Não sei se a culpa foi de quem traduziu. Chego a suspeitar de que talvez tenha sido culpa da tradutora tbm, embora não ache que seja "somente" dela. Uma coisa que tenho que comentar e que quase sempre deixo passar, é a quantidade de erros que tinha neste livro. E eram erros que dava para ver que foi por pura falta de atenção. Parecia que a pessoa tinha feito tudo de qualquer maneira. Existia até uma frase que não tinha absolutamente nada a ver com o trecho do livro. Estava escrito algo como: "Sei que você está com fome", quando dava para ver que era para estar escrito: "Sei que você está furioso". Não gostei disso. Sem mencionar outros erros que estão espalhados pelo livro. Confesso que costumo não me aborrecer muito com isso, mas dessa vez estava exagerado demais. Eram muitos erros. Na minha opinião, quem revisou esse livro não estava com a menor vontade de fazer isso. Lembrando que é a minha opinião.rsrs...

 
- Enfim... Eu acredito que a história poderia ter sido boa. O tema é interessante, só faltou desenvolver isso. Colocar um pouco mais de sentimento nesta história. Um pouco não. Muito, pois não tem nenhum. A história é totalmente vazia. Chata. Entediante. O mocinho é um fraco na maior parte do livro. Fala, fala, e fala... e nunca faz nada. Nem sequer sabe defender de forma decente a mulher que ele estava "amando". Quando um soldado (dele) chicoteou a Alana, pois todos acreditavam que ela tinha destruído a Casa de Deus, o Merrick só mandou o covarde sair da frente dele. Não fez nada contra o homem. Pelo amor de Deus! Alguém que ama nunca teria o sangue tão frio. Nunca deixaria as coisas como o Merrick deixou. Diga-me, se alguém agredisse, cruelmente, alguém que você ama, você simplesmente mandaria a pessoa sumir da sua frente???? As costas da Alana ficaram em carne viva, gente! Não acredito que alguém que amasse agiria como o Merrick agiu. Ele foi muito frio. E olha que ele era um guerreiro normando! E a história se passa no século XI!!!!!!!!! Como um guerreiro daquela época poderia permitir que alguém agredisse uma protegida sua?! Alguém que ele amava? Não dá para entender.

- Alana é uma idiota. Os pensamentos dela são idiotas e as atitudes piores ainda. Não a achei a pessoa corajosa que a sinopse indica e que o Merrick afirma que ela é. Não achei nada. Ela cedeu muito fácil, na minha opinião e só ficou fazendo charme na maior parte do tempo. Fazendo gracinha, sabe?rsrsrs... Enfim... Na minha opinião, Alana é uma das mocinhas mais fracas que tive o desprazer de conhecer. Ela chega a ser mais insuportável do que o Merrick. Eu não aguentava mais vê-la "pensando", "falando" ou "brigando" com o Merrick. Eu cheguei a pensar que enlouqueceria a qualquer momento.

E a quantidade de vezes que as palavras "normando" e "saxã" apareceram nesta história????????!!!! Meu Deus! Eu senti vontade de puxar meus próprios cabelos! Gritar de tanta raiva que eu já estava sentindo. Cada vez que essas palavras apareciam, eu tinha que respirar fundo. Elas foram repetidas várias e várias vezes e aquilo deu nos nervos, gente! Fiquei tentada à arremessar o livro longe!


Em resumo: o livro é chato, vazio, sem vida. Os personagens são fracos e infantis. A história não vale a pena. Dou duas estrelas. E isso por causa da cena na qual a mocinha dá à luz. Senão nem duas estrelas este livro receberia.


- Confira as resenhas dos outros participantes da Maratona de Banca, clicando AQUI.


Bjs e até breve! :)

3 comentários:

Beli disse...

UAU! Luna... quando vc não gosta de um livro, sai de baixo! kkkk
Confesso que achei a sinopse bem bacana, mas o livro em si não me atraiu a primeira vista... E depois da sua resenha, está ai um livro que vou passar longe se o encontrar em algum sebo!
Sabe, as vezes, eu fico pensando que para uma história ser tão ruim, não pode ser por causa da tradução, dos cortes, das alterações e mudanças que a NC fazia com os seus livro... Esse dias mesmo li um livro que é super conceituado lá fora, mas que achei bem estranho, daí fui pegar o original em inglês, e para a minha supresa (não tão garnde assim..¬¬), a história foi completamente modificada!

Adorei a resenha!

Bjus

PS: O Diário de Suzana para Nicolas é um livro lindo, realmente lindo! Eu adoro livros com drama encantador... Se vc conhece e gosta do estilo de Nicholas Sparks, é um livro q vc vai gostar! Bom, mas para vc saber melhor, só lendo mesmo! Bjus

Luna disse...

Obrigada, Beli!

Eu tbm acho que a culpa muitas vezes é das editoras, que permitem vários cortes e alterações durante a tradução. Elas conseguem acabar completamente com uma história.


Pretendo ler esse livro sim, apesar de ter um pouco de medo dos livros do Nicholas Sparks.rsrs... Até gosto dos livros do autor, mas eles me deixam deprimida. De qualquer forma, quero acreditar que o autor de "O Diário de Suzana para Nicolas" não é tão dramático.rsrsrs...

Bjs!

Anônimo disse...

Achei este um livro maravilhoso que me prendeu a cada página. Não consigo imaginar o motivo de desinteresse em uma história cheia de conflitos emocionais e com um romance de prender o fôlego. Para aquelas que ainda não o leram eu o recomendo.É excitante do começo ao fim. Senti muito friozinho na barriga ;}

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.