O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Sob o Céu da Índia - Tracy Cozzens


Índia, 1893.


Ela queria aventura... e encontrou a paixão!

A visita à irmã que mora num país exótico é a oportunidade de Pauline viver as aventuras emocionantes com que sempre sonhou. E nada poderia ser mais empolgante do que saber, logo após chegar à Índia, que o audacioso Nate Savidge está planejando uma caçada na selva!

A caçada é um evento importante demais para Nate permitir que uma jovem atrapalhe sua concentração. Ao descobrir que Pauline conseguiu incluir-se no grupo, Nate decide dar-lhe uma lição, fazendo-a conhecer os perigos do mundo selvagem. Mas Nate conseguirá admitir que aquela mulher linda, inteligente e cativante... capturou seu coração e sua alma de maneira irreversível?




Palavras de uma leitora...


- Este ano eu decidi reler alguns livrinhos que tinha lido há alguns anos, mas ainda não havia resenhado no blog. Escolhi muito bem os livros.rsrsrs... Somente aqueles que eu lembrava de ter gostado e realmente desejava reler. Queria reviver o que vivi ao ler esses livros, sentir tudo que senti antes. Também seria uma forma de saber se ao reler esses livros eu ainda gostaria deles e os veria da mesma maneira. E posso dizer que eu realmente acertei dessa vez (tinha que acertar depois de tantas escolhas erradas para a Maratona de Banca.rsrsrs...). Reler "Sob o Céu da Índia" foi uma experiência simplesmente deliciosa. Era como se eu estivesse lendo o livro pela primeira vez... Me senti viajando para um mundo lindo, novo, selvagem e romântico. Um mundo no qual duas pessoas únicas, teimosas e loucas viveriam momentos de perigo, aventura, amizade, amor e paixão. Um mundo para o qual Pauline perderia para sempre o coração.



- Sabe quando um livro te faz viajar e te deixa em paz consigo mesma? Quando ele te emociona ao falar de coisas simples? E quando você simplesmente deseja que ele não acabe? Creio que já li esse livro três vezes (tenho quase certeza.rsrs...) e não me canso dele. Ele é mágico, simples, doce, romântico e me faz bem. Adoro quando um livro me deixa com aquela sensação de paz. Faz com que eu fique tranquila e sonhando acordada. (suspiros...)






" - Ora, se tem algo a compartilhar, por favor, faça-o e diga em voz alta para todas ouvirmos.


- Não foi nada - começou Lily.


- Sim, foi - afirmou Pauline. - Não concordo que os indianos estejam abaixo de nós. São simplesmente diferentes e...


- Moça impertinente! Sua opinião não tem importância. Você precisa aprender que uma lady de verdade morde a língua ante seus superiores.


- Pauline não compreendeu... - começou Lily.


- Posso falar por mim própria - interrompeu Pauline. - Sra. Winston, a senhora não é a pessoa mais apropriada para falar sobre morder a língua. Um criado indiano, um gentleman, está em pé bem atrás da senhora, no entanto, a senhora fala sobre seu povo como se ele não pudesse escutar nenhuma palavra do que está dizendo!


- Criança imprudente! - O rosto da sra. Winston começou a ficar vermelho. Sua mão tremia. - Sua falha educação ianque está se mostrando. A Índia é a jóia na coroa da rainha Vitória. Agora este é nosso país. É nosso dever cristão reformar esses pagãos deploráveis, idólatras. Se os negros não concordassem com a nossa superioridade concedida por Deus, não estaríamos aqui.


- Tem certeza de que eles consentem? - redarguiu Pauline. - O que você me diz sobre a rebelião de 1857?


A sra. Winston parecia ter visto um fantasma. As outras senhoras trocavam olhares enquanto descia um silêncio assustador." (págins 41)


- O livro conta a história de Pauline Carrington, uma jovem lady teimosa e rebelde que se recusa a ser o que querem que ela seja e não o que ela realmente é; e Nate Savidge, um aventureiro que recusou uma vida inútil para voltar para sua amada Índia e tornar-se o Tigre Branco, um homem corajoso que caça os animais selvagens que aterrorizam as aldeias e já destruíram muitas vidas.


Nate não tem medo do perigo. E não tinha medo de nada nesta vida até conhecer Pauline, a jovem que abalou todo o seu mundo e o fez ter medo de acreditar no amor e ao mesmo tempo desejar com todas as suas forças que dessa vez fosse diferente. Que dessa vez entregasse o seu coração sem acabar machucado depois. Que aquela mulher que mexia tanto com seu coração, como nenhuma outra mexeu, valesse a pena e não fosse simplesmente uma ilusão.






"Nesse momento, o desconhecido levantou os olhos para onde ela estava. Depois a fitou uma segunda vez e capturou seu olhar. Pauline ficou paralisada, sentindo um choque atravessar seu corpo. Parecia uma criança apanhada roubando. Havia percebido que ela o estivera encarando sem a menor cerimônia. No entanto, era demasiado orgulhosa para permitir-lhe a satisfação de afastar o olhar; por isso, o encarou sem pestanejar.


Depois do que pareceu uma eternidade, ele voltou a colocar o chapéu na cabeça e tocou a borda na saudação tradicional de um gentleman para uma lady. Em seguida afastou-se, sem olhar para trás nenhuma vez, enquanto a multidão de admiradores o cercava."


" - Tahmeed, por que eles não param de repetir tigre branco? - perguntou, fazendo um gesto para a multidão.


- Ah, o misterioso Tigre Branco voltou das montanhas. Derrotou o tigre amarelo que andava atrás de sangue humano. - Tahmeed sorriu e apontou para o homem de roupa cáqui. - Lá está ele.


- É esse seu nome? - indagou Pauline excitada e compreendendo, afinal.


- Essa é sua lenda. Ele é um shikari, um rastreador de grandes animais. Libertou as aldeias de tigres assassinos que nenhum outro homem ousou deter. Por isso é reverenciado pelos aldeões. É um sujeito muito interessante, mas não para alguém como você." (página 13)






- O primeiro encontro entre Pauline e Nate aconteceu na estação ferroviária de Kalka. Pauline tinha acabo de chegar na Índia e as palavras "Tigre Branco" repetidas tantas vezes pelos nativos chamaram sua atenção. Primeiramente, ela acreditou que eles realmente estivessem falando de um tigre branco, um mito, mas logo descobriu que não era de um animal que falavam e sim de um homem. E quando olhou para o Nate, sentiu coisas que jamais tinha sentido por homem algum. Ele era muito diferente dos "cavalheiros" estúpidos que ela tinha conhecido. Possuía uma beleza selvagem, seu olhar era de um homem que muito tinha visto nesta vida, e Pauline percebeu que ao lado dele sua vida nunca seria sem graça e que ele não era como os outros. Depois de conhecer Nate, sua determinada decisão de não se casar e construir uma família, sofre um sério abalo.


"Quando ficou consciente do lugar onde estava, sentiu a proximidade deliciosa de um corpo aquecido Ele estava deitado a seu lado e deslizou um braço ao redor de sua cintura. Pauline sorriu de satisfação. Ele a estava segurando outra vez. Dormir perto dele, na noite serena de uma cabana indiana, era tão íntimo como o beijo no templo.

- Não queria acordá-la - sussurrou ele.

- Hum. Está tudo bem. Estou contente que você esteja aqui. - Suspirou e se aninhou mais em seus braços.

- Querida - murmurou, dando-lhe um beijo na orelha." (página 130)


- Pauline é uma jovem diferente e determinada. Ela odeia o fato de ser uma lady. Detesta estar rodeada de gente hipócrita e egoísta, que só pensa em festas e casamentos. Aquele mundo a sufoca e quando recebe o convite de sua irmã, Lily Drake, para passar uma temporada em Simla, Índia, ela fica cheia de esperança. Finalmente teria a oportunidade de viver aventuras, correr perigo em vez de ficar indo de festa em festa à procura de marido. Mas depois de três semanas naquele país, Pauline descobre que as coisas lá não são tão diferentes do que em Nova York. Mesmo na Índia, ela tinha que continuar se comportando como uma lady e ficar à procura de um marido, que só estaria interessado em sua fortuna. Pauline não queria nada daquilo. Não queria se casar, pois, através dos comentários dos próprios "cavalheiros, descobriu que tudo que viam nela era uma fonte de dinheiro. Ela queria conhecer a verdadeira Índia. O verdadeiro mundo. E depois de cinco encontros, provocados pelo destino, com o único homem inesquecível que ela conheceu naquele lugar, ela decide que é ao lado dele que ela vai ter o que sempre quis. Decidida, ela tenta convencê-lo que ele tem muitos motivos para levá-la com ele (Nate tinha sido chamado para matar outro tigre que estava assassinando aldeões e partiria no dia seguinte.), mas quando Nate deixa claro que não deseja tê-la ao seu lado, Pauline resolve que ele vai levá-la querendo ou não. Então, ela arquiteta um plano quase infalível.rsrs... E é a partir daí que a história realmente começa... Ao lado do Tigre Branco, Pauline irá viver muito mais do que gostaria e tudo que desejará será viver para sempre ao seu lado. Na Índia ou em qualquer outro lugar. Não importa que ele nunca venha a ser aceito por sua família. Embora não queira magoar as pessoas que só queriam o seu bem, Pauline não estava disposta a jogar sua felicidade fora só porque era inadequado se envolver com alguém como Nate. Se voltasse atrás, ela sabia que estaria abrindo mão da própria vida.

Mas segredos e fantasmas do passado podem pôr fim nessa relação...


"Pauline hesitou, e depois deu um passo para trás. Olhou-o magoada. Por que essa mulher tinha o poder de fazê-lo sentir-se tão mal apenas com um olhar?" (página 159)

" - Estou muito feliz por ter sido útil. - Todo o tempo soubera que ela o estava usando. Mas ouvi-la dizer em voz alta era pior.

Pauline levantou-se e ficou atrás de sua cadeira. Nate resistiu à vontade de olhar para ela. Sentia a pele formigar por sua proximidade. Então ela deslizou a mão por seu ombro e depois para a nuca. Ele respirou fundo, incapaz de impedir uma reação de seu corpo. Praguejou contra sua fraqueza.

- Se ao menos minha aventura estivesse completa.

- Completa de que modo? - indagou cauteloso, percebendo que estava confrontando a criatura mais perigosa da terra.

- Aquilo que homens e mulheres fazem, é claro. - Pauline deu a volta e ficou a sua frente. - Aquilo que quase fizemos no templo. E antes de o tigre nos atacar. E aquela noite na aldeia, você me mostrou o paraíso. - Deu uma risada cintilante e voltou a sentar-se. - Chegamos muito perto várias vezes, não foi?

Ele a fitou, atônito por abordar assuntos que outras mulheres, nem em sonho, não teriam coragem para discutir. Parecia que estava falando sobre o estado do jardim e não sobre sua virgindade.

- Parece confuso. - Pauline franziu a testa, e seus lábios fizeram um beicinho. - Estou falando sobre homens e mulheres, você e eu." (página 169)


"Nate se moveu bem devagar, acariciando-a e beijando-a, tomando-a por completo. Pauline fechou os olhos para impedir que ele visse uma lágrima ameaçando aflorar. Como adorava suas carícias! Para onde quer que a vida a levasse, jamais lamentaria ter dormido com Nate Savidge." (página 176)


- Eu recomendo muito esse livro. Ele merece todas as cinco estrelas do skoob. É leve e mágico e recomendo até para quem não gosta de romances históricos. É uma história de amor linda, escrita para aqueles que amam ler romances doces e inesquecíveis. Para aqueles que simplesmente adoram um bom romance, independente de ser histórico ou contemporâneo.
 
 
"Tigre Branco da Índia.

 
No coração da selva, as sombras do fim da tarde se apartam revelando uma visão gloriosa. Todos ao redor se rejubilaram, como eu, ao ficarmos na presença de um milagre. Dando um passo à luz do sol, surgiu uma fera de graça e força magníficas, o Tigre Branco. Nada em minha experiência me preparara para sua beleza selvagem, seu porte nobre, seus músculos ondulando com graça e poder, inigualáveis por nenhum outro de sua espécie. Nunca havia eu imaginado compartilhar a terra com criatura tão bela. Nunca alguém como ele havia tocado não apenas meu coração como a verdadeira essência de meu ser. Uma cicatriz desfigurava a perfeição de seu semblante, mas, onde outros viram imperfeição, eu vi a marca de um verdadeiro sobrevivente. Nossos olhos se imobilizaram em compreensão silenciosa, os meus castanhos, os dele azuis como o céu indiano. Nesse momento, perdi para sempre meu coração para a Índia."
 
 
 
- Ao reler esse livro e prestar atenção em algumas coisas sobre as irmãs de Pauline, eu suspeitei que esse livro fizesse parte de uma série. Fui pesquisar na internet e não encontrei nada em português sobre isso (não falo inglês). Então, fui pedir ajuda ao skoob e busquei por livros da autora. Encontrei o que buscava. Sim. O livro faz parte de uma série e a Nova Cultural "esqueceu" (algo que a Harlequin também faz algumas vezes) de deixar um aviso no livro. Ótimo, não? Quando fazem isso deve ser porque acreditam que nós podemos adivinhar que os livros fazem parte de séries. Enfim... Sim. Estou aborrecida. É obrigação das editoras nos dizer quando um livro faz parte de uma série. Assim como também é obrigação delas publicar todos os livros das séries em vez de pular para lançamentos de outros livros e simplesmente esquecer que deixaram séries incompletas.
 
- Segundo informações em inglês (como disse, não entendo inglês e assim fica difícil, já que não encontrei o nome da série em português) o nome da série é American Heiresses (Herdeiras Americanas, segundo o tradutor do Google) e a ordem deve ser é essa:
 
1- Flight of Fancy (Hannah Carrington e Benjamin Ramsey)
2- A Dangerous Fancy (Lily Carrington e Alexander Drake)
3- Sob o Céu da Índia (Pauline Carrington e Nathaniel Savidge)
4- Um Certo Fascínio (Clara Carrington e Stone Hawke)
5- Estação do Amor (Meryl Carrington e Joseph Hammond)
 
 
Bjs e até breve!

4 comentários:

Carla disse...

Homem de beleza selvagem é comigo mesmo. rsrs
Aquele encontro de olhares foi... intenso. Fiquei até arrepiada. kkk

Quero muito ler esse livro, amiga!


Bjs

Luna disse...

kkkkk...


Acho que você vai gostar desse livro. :)


Bjs!

Inara disse...

Ain... Eu não sei o que está acontecendo comigo... Não consigo mais ler romances... Eu sempre pego um aqui em casa para começar a ler e nunca consigo avançar na leitura... Acho que os livros que eu tenho aqui não estão conseguindo prender a minha atenção, preciso comprar outros... E você falou tão bem desse... Vou ver se acho para ler... Quem sabe o meu bloqueio termine, né?

Beijos,
Náh

Luna disse...

Espero que termine, Náh! Ler romances é muito bom! :) E existem uns mais maravilhosos do que os outros. Você poderia tentar ler um livro da Judith McNaught. Eu recomendaria para começar, "Alguém Para Amar" ou "Um Reino de Sonhos".


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.