O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 22 de julho de 2012

Lembranças da Meia-Noite - Sidney Sheldon


(Título Original: Memories Of Midnight
Tradutor: A.B. Pinheiro de Lemos
Editora: Record)


Continuação do livro: O Outro Lado da Meia-Noite
 (não leia esta resenha e nem a sinopse do livro se ainda não leu a primeira parte da história)


Depois de sobreviver a um atentado, Catherine Douglas encontra-se num remoto convento carmelita na Grécia. Enquanto seus olhos vislumbram o horizonte em busca de respostas, sua mente, povoada de imagens vagas e efêmeras, está perigosamente dividida entre assumir o passado e excluí-lo. Com o tempo, a inquietação e a incerteza tomam conta de Catherine. Ela sabe que seu passado está distante daquele convento e do silêncio angustiante das freiras. Mas como sair dali?

A oportunidade surge na figura do armador e bilionário grego Constantin Demiris, colecionador de arte, conquistador de todas as mulheres e principal responsável por todas as desgraças ocorridas a Catherine. Sem saber, ela caminha de olhos vendados para uma terrível armadilha. Demiris já se vingou de Noelle Page, a mulher que o traiu, e Larry Douglas, o homem que a roubou dele. E agora ele trama seu ato final de vingança. 

Deslocando-se das exóticas praias do Mediterrâneo a Londres nos anos posteriores à Segunda Guerra Mundial, Lembranças da Meia-Noite é o retrato fascinante de uma mulher em luta contra um destino aterrador. 



Palavras de uma leitora...


- Eu já avisei, mas vou voltar a avisar só por precaução: NÃO leia esta resenha e nem o livro Lembranças da Meia-Noite se ainda não leu O Outro Lado da Meia-Noite. Ele é uma continuação do primeiro livro e há spoilers do primeiro livro, obviamente. Ninguém pode dizer que eu não avisei que teria spoiler nesta resenha. Spoiler do primeiro livro e talvez (ainda não sei) do segundo também. Ok? Creio que agora eu posso continuar.rsrs...


"- Trouxe algo para você.

Ele tirou uma pequena caixa do bolso e estendeu para ela. Ela olhou para a caixa como uma criança pequena.

- Vá, pegue-a. 

Lentamente ela pegou a caixa. Levantou a tampa e dentro, envolto em algodão, estava um lindo passarinho em miniatura, de ouro, com os olhos de rubi e as asas abertas em posição de voo. Demiris observou enquanto a criança-mulher o tirava da caixa. O sol brilhante refletiu o brilho do ouro e o cintilar dos olhos de rubi, lançando pequenos arco-íris coloridos pelo ar. Ela virou o passarinho de um lado para o outro, observando as luzes dançando em torno dela. 

- Eu não a verei mais - disse Demiris. - Mas você não precisa preocupar-se, pois ninguém lhe fará mal agora. As pessoas más estão mortas."

[Página 494 do livro O Outro Lado da Meia-Noite]



- Só para lembrarmos: Noelle Page foi traída pelo pai, vendida por ele para o seu patrão. Noelle, depois de enganar o patrão, fugiu para Paris disposta a recomeçar (maiores detalhes na resenha sobre o primeiro livro). Lá, ingênua, crédula, foi enganada pela segunda vez indo parar numa casa de prostituição. Mas antes de se tornar vítima de outras pessoas que viam na sua beleza fonte de dinheiro, ela escapou, sem levar sua mala e bolsa. Faminta e sem ter onde dormir, entrou no restaurante de um hotel, esperando encontrar algum cavalheiro que lhe pagasse o jantar. Não havia a menor possibilidade dela conseguir um emprego naquela noite e ela precisava sobreviver até o dia seguinte (e para isso não poderia dormir na rua, é claro.) para conseguir um emprego. Um policial, acreditando que ela era uma prostituta, se aproximou para expulsá-la de lá... E foi aí que apareceu o nosso príncipe encantado.rsrs... Um homem lindo, simpático, capaz de seduzir qualquer mocinha ingênua. E até aquelas que não são tão ingênuas assim (Larry era um ótimo ator! Se seguisse essa carreira teria se dado muito bem na vida.rsrs). Ele salvou a nossa Noelle do policial e ela se viu fascinada por ele. Ele ofereceu dinheiro para ela pegar um táxi, mas ela não queria seu dinheiro. Ela na verdade não sabia o que queria. Ficou parada no meio da calçada, perdida no olhar dele. Larry se aproveitou de sua oportunidade de ouro: Noelle não tinha ninguém, estava faminta e sem lugar para dormir, também sentia gratidão pelo que ele tinha feito. Estava sozinha e desesperada. Uma presa fácil. 

Para resumir: ele a seduziu. A levou para a cama, foi encantador com ela durante alguns dias, a levou para conhecer vários lugares interessantes e lhe prometeu casamento. Estava apaixonado por ela e queria se casar. Nossa Noelle, completamente apaixonada por seu anjo da guarda, acreditou nele. O infeliz precisou viajar e prometeu voltar dentro de uma semana para se casar com ela. Deixou o dinheiro para o vestido e tudo. Eles se casariam no campo. Só que Larry jamais voltou. A traição de Larry, suas promessas jamais cumpridas, destruíram a menina que o sofrimento anterior não conseguiu destruir. A traição de Larry fez em pedaços o coração daquela jovem e a deixou com uma sede de vingança que não seria facilmente satisfeita. Ela queria ver o Larry morto. Mais do que isso: ela queria matá-lo. 

Noelle descobriu que estava grávida antes mesmo de qualquer sintoma, antes de fazer qualquer exame. Ela simplesmente sentiu que estava grávida. E abortou. E não foi simplesmente um aborto. Ela deixou os meses passarem, alimentou o bebê dentro do seu ventre para deixá-lo forte... forte para enfrentar a morte. Ela queria que a criança sentisse quando morresse. Queria que o bebê sofresse. Jamais considerou aquele filho como seu. 

Depois disso, Noelle iniciou o lento processo para sua vingança. Durante quase sete anos ela planejou sua vingança e quando conheceu Constantin Demiris, soube que tinha chegado a hora. Usaria o poder de Demiris para levar o Larry até ela e acabar com ele. 


Nesses quase sete anos, muita coisa aconteceu. O nosso querido desgraçado (mais conhecido como Larry) fez uma nova vítima: Catherine Alexander (minha querida e tola Cathy.rsrs...). Só que ele se casou com ela. 

Cathy viveu ótimos meses com o Larry, mas seu casamento acabou depois que Larry foi para a guerra (o mundo estava enfrentando a Segunda Guerra Mundial). Ele retornou quatro anos depois e não era mais o homem encantador que ela tinha conhecido. Ele estava começando a mostrar quem realmente era. As noites de amor não eram mais noites de amor. Larry não se importava se a machucava ou não durante o sexo. Ele não se importava se suas atitudes em público a magoavam. Mas tudo piorou quando Larry conseguiu um emprego como piloto particular de Demiris na Grécia. Ele ficou entusiasmado e passou a tratar a Cathy com todo carinho durante algum tempo. Ele viajou primeiro e ela foi logo depois. Largou sua carreira brilhante, que lhe dava tanto prazer para seguir o marido que não se importava nem um pouco com ela. Mas Cathy estava apaixonada por ele e acreditava que era dever da esposa seguir o marido. Ela foi. 

Quando reencontrou Larry, Noelle sentiu que os anos não tinham passado. Ele ainda era o seu Larry, o único homem para o qual ela realmente se entregou. De corpo, alma e coração. E ela desistiu da vingança. Depois de tantos anos planejando-a, Noelle simplesmente desistiu da vingança porque queria o Larry de volta. Porque continuava precisando dele. 

Larry e Noelle se envolveram. Mesmo Noelle sendo amante de um dos homens mais poderosos do mundo (Constantin Demiris) e Larry sendo casado com nossa Cathy. Eles viveram um bom tempo juntos. Cathy descobriu as traições do marido e tentou suicídio quando Larry resolveu sair de casa. Noelle não queria mais manter seu amor escondido. Ela queria que Larry se divorciasse para que eles pudessem se casar e viver o amor que sentiam um pelo outro (ela sentia por ele. Não ele por ela.). Larry abandonou a Cathy e ela tentou suicídio. Foi salva pelo melhor amigo e ex noivo que tinha ido visitá-la. William a encontrou antes que ela sangrasse até a morte. Larry não se importou com o ocorrido. Não sentiu um pingo de arrependimento por todas as traições, por tudo que tinha lhe feito e continuou insistindo no divórcio. Mas Cathy não cedeu. Ela acreditava que ele iria se arrepender e voltaria para ela. Por isso, mesmo ele insistindo, implorando, ameaçando... Ela não aceitou lhe dar o divórcio.

Noelle então decidiu que só tinham uma saída: precisavam eliminá-la. Larry finge para a Cathy que quer uma segunda chance. Que está arrependido e ainda a ama. Ela acha estranho no início, mas ele é insistente e ela logo cai na armadilha. Larry decide que eles precisam de uma segunda lua-de-mel e a leva para um lugar que ela não conhecia. Lá, ele tenta matá-la, deixando-a sozinha numa caverna de onde ela jamais conseguiria sair sem ajuda. Era uma área nova e proibida de ser visitada. Por mais que gritasse, ninguém a ajudaria. Só que não era o destino da Cathy morrer ali. 

Ela acaba sendo salva graças a um guia de turismo que tinha visto o Larry entrar com ela ali e depois retornar sozinho. Com medo de ser acusado pela morte da Cathy, Larry finge tê-la perdido e várias pessoas começam as buscas. Ela é encontrada muito ferida e é levada inconsciente para o hotel (por insistência do Larry. Ela deveria ter sido levada para o hospital, mas ele não quis). O médico resolve acompanhá-los, pois queria vê-la quando ela acordasse. Cathy acorda e diz ao médico que seu marido está tentando matá-la. Mesmo preocupado, o médico resolve sedá-la, acreditando que ela está apenas confusa. Antes de apagar Cathy diz que ele a estaria matando fazendo aquilo. Que seu marido a mataria enquanto ela dormisse. O médico vai embora e Cathy desaparece.

Larry e Noelle (que tinha sido vista no local do crime) são presos e acusados de assassinato. O julgamento acontece na Grécia, onde a pena para homicídio era a morte. Larry e Noelle são executados por um pelotão de fuzilamento.

- Mas o julgamento foi uma armadilha. Embora tenham tentado, eles não mataram a nossa Cathy. Ela tinha caído num lago e sido salva por umas freiras carmelitas... que recebiam doações de Constantin Demiris. Essas freiras, esconderam a Cathy no convento. Larry e Noelle não foram executados por matar a Cathy. Foram executados por terem brincado com Constantin Demiris. 

Demiris era um homem que jamais perdoava uma ofensa e fez questão de armar para que o casal fosse executado pelo Estado. 



"Não me cante canções do dia,
Pois o sol é inimigo dos amantes.
Cante as sombras e a escuridão, 
Cante as lembranças da meia-noite. "

[Trecho que está no livro Lembranças da Meia-Noite. Autor: Safo)



"Há uma teoria de que nada na natureza jamais se perde - que cada som já emitido, cada palavra já pronunciada, ainda existe em algum lugar no espaço e tempo e pode um dia ser recuperada."


"Tinha a sensação de que se encontrava à beira de um precipício, prestes a cair num abismo desconhecido e terrível."



- Um ano se passa... Cathy continua segura dentro do convento, rodeada pelo silêncio das freiras simpáticas que tinham feito voto de silêncio (elas não poderiam voltar a falar jamais.), mas os pesadelos vão se tornando cada vez piores e mais reais. Cathy acorda sempre gritando e não demora muito a perceber que aqueles pesadelos são mais do que isso. Que seu passado não se encontrava dentro do convento. Que alguma coisa tinha acontecido com ela do lado de fora e que ela precisava sair daquele convento e encarar seus fantasmas. Ela decide que vai embora e Constantin Demiris, que no final de O Outro Lado da Meia-Noite tinha dito que não voltaria a vê-la e que ninguém mais a machucaria, aparece lhe oferecendo sua ajuda. Mas Demiris não queria ajudá-la. Ele só tinha uma coisa em mente: terminar de se vingar. Não da Cathy. Mas de duas pessoas que já estavam mortas: Larry e Noelle. 


"- Já leu Encontro em Samarra, Catherine? Não? Ora, agora é tarde demais, não é mesmo? É sobre alguém que tentou escapar à morte. Foi para Samarra e a morte o aguardava ali. Esta é a sua Samarra, Catherine."


- A história tinha tudo para ser maravilhosa. Depois de ler o sucesso O Outro Lado da Meia-Noite, que acabou conquistando o segundo lugar na minha lista de livros preferidos do SS (perdendo apenas para Se Houver Amanhã), eu esperava muito da continuação da história. E a sinopse também me prometeu muito. Eu queria ver Catherine e Demiris brigando pela vida dela. Como posso explicar? Queria a emoção existente no primeiro livro. Queria que o livro fosse intenso, que houvessem momentos de roubar o fôlego. Queria o que foi prometido. Demiris planejava usar a Cathy, transar com ela como o Larry tinha transado com a Noelle, queria fazer isso na villa que Noelle tinha comprado para se encontrar com seu amante. E depois ele planejava matá-la, pois ela era a prova de que Larry e Noelle tinham sido condenados injustamente. Eu não digo que queria que ele realizasse seus planos (não odeio a Cathy, não.rsrs... Eu já a adotei!), mas eu não queria todo aquele vazio no livro. Cathy e Demiris se encontram no início do livro e depois passam o resto da história separados, se encontrando raramente. O autor passa a se concentrar em personagens secundários e na minha opinião, perdeu o foco. A história ficou muito morna, sem sal, entendem? E olha que é difícil para mim (muito mais do que vocês podem imaginar) falar algo assim de um livro do meu querido SS. Eu sou louca por ele!rsrs... Mas não poderia falar bem de um livro que para mim, é o mais fraco que já li do SS. :(

- Eu fiquei irritada com a quantidade de páginas que foram perdidas falando de personagens que não eram tão importantes assim. Se o autor queria falar deles, aumentasse o número de páginas do livro e se concentrasse em Cathy e Demiris, pelo menos. Cheguei a um ponto da leitura no qual deixei de acreditar que aquela história era sobre eles. Sinceramente, parecia que eles eram os personagens menos importantes desta história. Eu não vi o Demiris em ação e a Cathy foi praticamente "apagada" da história. Eu fiquei muito chateada, pois eu queria ver a minha Cathy dar a volta por cima. Tudo bem que tem final feliz para ela no livro, mas ela merecia que o SS se concentrasse nela em vez de apagá-la do livro da forma que apagou. 

Espero que vocês não estejam chateados por eu estar contando certas coisas sobre o segundo livro. Eu avisei que poderia ter spoiler! 

- Bem... E ainda preciso mencionar algo que também me incomodou.rsrs... Não sei se foi erro dos tradutores ou do SS, mas existem trechos mencionados em Lembranças da Meia-Noite que foram supostamente mencionados em O Outro Lado da Meia-Noite. Só que na verdade, jamais foram escritos no primeiro livro (não na edição que eu tenho, pelo menos.). Eu fiquei chocada quando algo foi dito e eu sabia que não tinha sido dito no primeiro livro. Fiz questão de pegar o primeiro livro e abri-lo na parte mencionada. Aquela frase nunca foi escrita na edição que tenho do livro!!! Há também uma informação equivocada sobre a Cathy. 


- Isso tudo junto (a falta de emoção no livro, os erros, a perda do foco) fez com que o livro recebesse 3 estrelas. Sendo que ele receberia menos.rsrs... Só não recebeu menos porque o autor escreveu um final impressionante. Eu gostei muito do final do livro, fiquei presa a história quando cheguei às páginas finais. Eu imaginava que certas coisas fossem acontecer e aconteceram (por exemplo: eu sabia quem iria tentar matar a Cathy), mas outras foram inesperadas.rsrs... Foi um final justo?! Sim. Eu preferia que tivesse sido de outra forma (mas seria por uma "vingança" pessoal.rsrs... Por causa da Noelle. Não adianta que jamais irei aceitar que ela tenha morrido daquela forma!!!), porém, o final do livro foi sensacional. Eu não esperava que terminasse daquela forma.rsrs... 


- Entre todos os livros que já li do autor, este é o único que eu poderia ter passado sem ler.rsrs... Não me agrada dizer isso, mas o livro não se tornou querido, não me conquistou. Somente o final valeu a pena. Dei 3 estrelas pelo final. Se o final não tivesse sido tão bom, nem 3 estrelas o livro teria recebido. Mas é a minha opinião. Fãs do SS, não se sintam ofendidos, por favor!rsrs... Eu também sou fã do SS. Eu o amo muito e  ainda dói saber que ele não está mais entre nós, que já está num lugar melhor (queria que ele ainda estivesse vivo). Não aceito o fato de outra escritora continuar as histórias que são dele e sou muito leal ao SS. E acredito que ele sempre esperou sinceridade dos seus fãs. Eu não poderia falar que amei um livro que não me cativou. O meu SS com certeza entende isso. 


Bjs e até breve!

3 comentários:

Bruna Fernandes disse...

Sidney Sheldon always divo k3
Li este livro 2 vezes, to querendo ler a terceira *.* rsrsrs

Bjoss

Kelly Cristina disse...

Prezada Luna,

Li o livro "O outro lado da meia-noite", mas não li "Lembranças da meia-noite". Para falar a verdade, não sou fã de Sidney Sheldon, mas estou aqui para dizer que sua resenha ficou EXCELENTE! Sua colocação a respeito dos livros ficou muito bem posicionada, tanto nos acontecimentos como nas suas observações e comentários. Não tenho blog nem site de literatura; postei este comentário para cumprimentar você.

Parabéns pela sua percepção tão clara a respeito dos livros!

Cordialmente,

Kelly Cristina.
Contato: kellycrisap@yahoo.com.br

Luna disse...

Olá, Kelly Cristina!

Lamento que você não seja fã do Sidney Sheldon. Mas entendo. E agradeço muito pelo carinho, querida. :) Fiquei muito feliz com o seu comentário. Realmente significou muito para mim.

Assim como sou apaixonada pelos livros, não consigo ficar sem dividir com vocês aquilo que a história provocou em mim.

Mais uma vez muito obrigada! :)

Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.