O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O Lobo e a Pomba - Kathleen E. Woodiwiss


(Título Original: The Wolf And The Dove
Tradutor: Aulyde Soares Rodrigues
Editora: BestBolso)


Inglaterra, 1066. Lideradas por Guilherme, o Conquistador, as forças normandas invadem o território saxão. Erland, lorde de Darkenwald, perde a vida defendendo suas terras e servos. Após o assassinato do pai pelo exército inimigo, a jovem Aislinn e sua mãe são transformadas em escravas pelo cruel Ragnor de Marte. Impotente, ela assiste à destruição de tudo o que lhe é precioso e quando Sir Wulfgar chega para assumir a posição de novo senhor de Darkenwald, o ódio de Aislinn pelos invasores se torna ainda maior. Indiferente ao desprezo dela, o normando decide tomá-la para si, e logo a jovem descobre que seu maior inimigo pode ser o próprio coração.

Autora de mais de 13 best-sellers, Kathleen E. Woodiwiss (1939-2007) revolucionou o romance histórico moderno ao criar personagens inesquecíveis e tramas repletas de paixão.



Palavras de uma leitora...




" - Pensa que é mais capaz do que eles? - zombou ela. Com um movimento da cabeça, indicou Ragnor, que os observava de longe. - Como pretende fazer isso? Ele se valeu da dor física e me violentou. Vai fazer o mesmo?
Olhou para ele com os olhos cheios de lágrimas, mas Wulfgar balançou a cabeça e levantou delicadamente o queixo dela.
- Não, tenho métodos muito melhores para domar uma mulher como você. Onde a dor nada obtém, o prazer pode ser a melhor arma." 

- Sim, como podem perceber pelo trecho acima, ele é arrogante. Se acha!!!rsrs... E também já estava cativado pela mocinha. Era seu escravo, embora ainda não soubesse. Teimoso do jeito que é, nosso Wulfgar vai demorar um pouco (muito) para admitir. Afinal de contas, ele era o senhor, tinha conquistado as terras da Aislinn e já tinha decidido que ela era sua escrava e iria fazer tudo que ele quisesse.kkkk... Sim, nossa Aislinn é tão obediente que tinha que ser acorrentada para não fugir. Tão obediente que virou a mão na cara dele, deixou marcas no peito dele causadas por suas unhas afiadas, declarou seu ódio eterno por ele, gritou, bateu, chutou. Sim, sem sombra de dúvida ela é uma escrava obediente. Ele a domou completamente.kkkk...

" - Bastardo sem nome da Normandia! Em qual esgoto seu pai encontrou sua mãe?" 

- Que gênio!rsrs... Existiram momentos nos quais senti pena do arrogante, mas não muita. Eu me divertia bastante com os diálogos agressivos deles. 

Comecei a ler este livro porque depois de Marlene - Florencia Bonelli e das emoções provocadas pela história e o meu Carlo, as reviravoltas, o amor arrebatador (suspiros...), eu queria ler algo especial. Não queria ler qualquer livro, mas sim um que pudesse me fazer esquecer o tempo, o mundo e viajar para uma época e um mundo diferentes. Acabei pensando em O Lobo e a Pomba que já estava na minha lista há tempos e eu queria muito ler.

Confesso que estava com medo. Além do livro ser medieval e, presumivelmente, violento, com guerras e crueldades aterrorizantes, eu tinha lido Marlene. Tinha conhecido o meu Carlo Varzi. :D Pensei: "Será que o Wulfgar vai sofrer as consequências disso?" Só que senti medo à toa, pois apesar de em alguns momentos ter desejado que o Wulfgar agisse de modo diferente, conhecer o Carlo não me impediu de amar o Wulfgar, entendê-lo e aceitá-lo. O Wulfgar é cativante e não tem como se manter fria, indiferente. Mesmo se eu tivesse desejado permanecer fria, não conseguiria.rsrs... 

" - Wulfgar riu discretamente.
- Não preciso amá-la para dormir com você. Eu a desejo... Isso basta. 
- Não para mim! - exclamou Aislinn, balançando a cabeça furiosa.
Wulfgar riu, sacudindo os ombros.
- Você não é virgem. Que diferença faz mais um homem?"

- Depois desse trecho vocês entenderiam se eu dissesse que em certos momentos quis partir os dentes dele? Pois é. Houve momentos nos quais eu desejei socar a cara dele, quebrar seus dentes ou arrancar sua língua para impedi-lo de zombar da mocinha ou dizer palavras cruéis, mesmo que as vezes ele não percebesse que estava sendo cruel. Quando anotei o número da página num bloco de anotações para na hora da resenha colocá-lo aqui, escrevi da seguinte maneira: Página 58 - ele está querendo ficar sem a língua. Que diferença faz mais um, gente?! Se ela não era mais virgem por que se importava com o fato de ser possuída por outro homem???? Realmente ela não deveria se importar. Nem sequer se todos os homens do Wulfgar quisessem transar com ela. Ela não deveria se importar, afinal de contas não era mais virgem. Sim. Nesse momento eu quis matá-lo. Não acreditei no que estava lendo. Como ele podia ser tão indiferente ao sofrimento da Aislinn? Como podia ser tão frio? Era como se não significasse nada. Como se as mulheres fossem seres incapazes de sentir dor, de sofrer. Como se nós não merecêssemos consideração! A frieza dele conseguiu me chocar, mesmo que eu já tivesse visto atitudes parecidas e até mesmo piores em outros livros. Quem leu A Chama e a Flor, mesmo que tenha odiado o livro, se lembra da frieza do Brandon. Somente nisso os dois se pareciam. Mas o Wulfgar é mil vezes melhor do que o Brandon!kkkk... Sinto muito, Brandon! Mas ele era muito mais digno da Aislinn do que você foi digno da sua amada. 


" - Tome cuidado, jovem. Vou dizer a verdade. Depois de você, virá outra. E mais outra. Nada no mundo pode me prender a uma mulher. Portanto, proteja o seu coração."


- Bem... Pelo menos ele foi sincero.rsrs... Mas é muito engraçado reler os trechos nos quais ele jurava que jamais se casaria, nunca se apaixonaria ou confiaria numa mulher. As coisas entre ele e a Aislinn não começam nada bem e o Wulfgar faz muitas coisas que magoam nossa mocinha e nós leitoras, mas desde o início dava para perceber que Aislinn já o tinha atingido. Ele poderia não amá-la ainda, mas se importava muito mais do que gostaria de admitir. 

" - Oh! - exclamou Aislinn. - Quanta confiança! E eu sou uma entre suas várias prostitutas!

Passando a esponja no peito, ele olhou para ela.

- Digamos, chérie, que até agora é a mais interessante."


- Fiquei furiosa quando li esse trecho, mas ao mesmo tempo tive que rir, gente!rsrs... Era inacreditável a forma como ele conseguia ser extremamente frio, mas sorrir e nos cativar com seu sorriso. Como ele podia agir de maneira indiferente e depois tocar com ternura na mocinha, fazendo nosso coração amolecer.rsrs... Como ele podia ferir seu coração como ninguém e depois fazê-la sorrir e chorar de emoção com atitudes que nós jamais esperaríamos de um homem que gritava aos quatro ventos que odiava as mulheres. Wulfgar é complexo, mas no fundo tem um bom coração e uma alma muito ferida. Ele tinha seus motivos para ser como era. Motivos fortes. Mas mesmo que a época e o passado cooperassem para torná-lo alguém extremamente cruel, ele não conseguia ser esse tipo de homem. Ele tentava ser cruel, fingia não se importar, mas se importava demais. Ele fez muita coisa errada. Acorrentou a mocinha ao pé da cama, a exibiu como sua prostituta, fazendo-a descer a um nível humilhante, entre outras coisas. Não quero colocar aqui tudo que ele faz de ruim, pois isso seria pedir para vocês odiá-lo.rsrs... E isso não é justo. Porque ele não só erra, entendem? Ele não é perfeito. Está longe da perfeição, mas poderia ter sido um verdadeiro monstro e não foi. Ele teve piedade do povo da Aislinn e foi tolerante com duas certas pessoas.rsrs... Não direi quem são essas pessoas, mas outro no lugar dele teria terminado de vez com o problema: teria matado com as próprias mãos ou mandado alguém matá-los. Mas ele pediu ajuda para seu resto de paciência e perdoou.rsrs... Uma atitude em particular dele me pegou totalmente de surpresa. Foi uma surpresa maravilhosa, pois nunca passou pela minha cabeça que ele pudesse fazer aquilo. Só contribuiu para me fazer amá-lo ainda mais. :D

"A despeito do porte ameaçador e do gosto pela luta, aquele homem tinha um coração bastante sofrido. Por isso ele falava rudemente e blasfemava, dizendo que não precisava de ninguém para esconder os próprios sentimentos. Por isso, escolheu a carreira das armas, talvez esperando que seu tormento terminasse na ponta de alguma espada."

- Como eu disse, Wulfgar tinha seus motivos para odiar as mulheres. Quais eram esses motivos? Querem saber? rsrs... Cliquem AQUI para conhecer a resenha da minha amiga Carlita. Foi ela que me indicou essa história maravilhosa e também resenhou o livro aqui. A resenha está linda e eu a adorei. Na resenha, ela faz um ótimo resumo da história e por isso, decidi fazer essa resenha só para falar dos meus sentimentos sobre o livro. Eu recomendaria que vocês conhecessem a resenha dela, pois assim dá para vocês entenderem melhor a história. :) 

" - Não está com medo de mim, está? - perguntou Wulfgar.

Aislinn balançou a cabeça bravamente, fazendo ondular o cabelo longo. 

- Não temo homem algum. Só temo a Deus."


- Aislinn é uma mocinha que nos cativa logo que começamos a leitura. Ela é forte, muito corajosa e determinada. Não se deixava abater pelas coisas terríveis que tinham lhe acontecido. Ela tinha visto sua mãe ser brutalmente espancada, seu pai foi assassinado e ela foi estuprada. Mesmo assim, na manhã seguinte ela estava de pé, altiva e irônica, zombando do Ragnor e desafiando-o sempre que tinha uma oportunidade.kkkkk... Eu odeio o Ragnor até agora, mas confesso que ele até teve muita paciência naquele momento. Nem foi tanta paciência assim.rsrs... Foi mais vergonha por estar na frente do Wulfgar e não conseguir dominar uma mulher.kkkkk... A Aislinn me divertiu muito em vários momentos. Principalmente quando ficava furiosa com o mocinho e começava a agredi-lo fosse fisicamente ou com palavras. Ela entrou para a lista das minhas mocinhas queridas, pois tem uma coragem que impressiona e não desistiu daquilo que queria. Ela foi muito inteligente e fez o mocinho cair aos seus pés. Como eu amei isso!rsrsrs...


" - Tenha cuidado, meu senhor, não se apaixone por mim."


- Eu me divertia muito também quando o Wulfgar tentava convencer a Aislinn de que ela era sua escrava.kkkk... Nossa mocinha começava a sorrir do jeito sarcástico dela e a provocá-lo sem piedade. Ela não se rendia e quando se comportava como escrava era somente para provocá-lo e forçá-lo a perceber que significava muito mais para ele. Que o estava conquistando. Nosso mocinho ficava muito furioso, mas o coitado não conseguia resistir por muito tempo. Chegou a um ponto no qual começou a gritar que ela NÃO era sua escrava!kkkkkkk... Eu gargalhava aqui! Ele fica muito interessante quando está furioso e também quando parece um menino vulnerável sem saber como se comportar perto da Aislinn. Sem saber como tratá-la. 

" - Chérie - murmurou carinhosamente, apertando os dedos dela. - Resolveu então que é capaz de suportar o meu humor?

- Uma vez ou outra, meu senhor, mas não em excesso - disse ela, sorrindo também."


- O que eu faço? Coloco aqui a declaração de amor dele ou não? Acho que não, queridos. Bem... Só vou colocar um pedacinho. Nada mais!

" - Primeiro amor - murmurou ele, docemente. - Amor do meu coração, não me traia nunca. Tome o que eu posso dar e faça disso uma parte de si mesma."

- Para saberem a continuação dessa declaração linda de amor, leiam o livro! :D

- O livro recebeu todas as 5 estrelas do skoob e entrou para a lista dos preferidos. Adorei ler essa história, foi uma experiência inesquecível e não sei se algum outro livro da autora poderá me conquistar tanto. Acho que sempre irei comparar os outros livros da autora com este.kkkk... Recomendo muito a história, mas somente para aqueles que gostam de romances medievais ou dos livros da autora. Também indico para quem leu e amou "A Carícia do Vento" e "Assim Fala o Coração". O Wulfgar lembra tanto o Ráfaga quanto o Rowland, só que ele é mais bondoso do que eles.rsrs... Não é um livro que pode agradar a todos, pois tem crueldade nele. Mas não se preocupem: o Wulfgar nunca machuca a Aislinn de propósito. E nem bate nela. Bem...rsrs... Tirando uns tapas que ele dá nas nádegas dela de vez em quando.rsrsrs...

- Agradeço a querida Carlita pela indicação! Fiquei com medo à toa, amiga! Amei a história! :D


Bjs e até breve!

2 comentários:

Jaqueline disse...

Adorei a resenha.

Faz um tempo que tenho esse livro, mas tenho medo de o ler, pois fico com um pouco de receio da parte violenta, mas vou seguir seu conselho e conhecer essa estoria.

Carolina Garcia disse...

Eu também me apaixonei por ele na primeira vez que li o livro... E na segunda também!! hahaha
Esse romance se tornou um dos meus favoritos... Só perde para "Alguém para Amar"...
Eu simplesmente perdi a conta de quantas vezes reli esse livro. É maravilhoso!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.