O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Agora Seremos Felizes - Penny Jordan [Maratona de Banca 2012 - Novembro]





(Título Original: Second-best husband
Editora: Nova Cultural)


Em Novembro: Penny Jordan


Primeiro vem o amor, depois o casamento.

Não há nada mais patético que uma secretária apaixonada pelo chefe, especialmente se ele acabou de anunciar seu noivado com outra mulher. Infeliz, Sara não tinha esperanças de emendar seu coração partido. Mas Stuart Delaney sabia que poderia ajudá-la... Sabia tudo sobre a dor de desejar algo além de seu alcance. Era bonito, carismático e sedutor, mas, assim como Sara, seus sonhos de casamento, família e filhos ainda não haviam se realizado. Sara, ao ter Stuart insistentemente ao seu lado, sentiu uma onda de desejo perturbá-la de modo assustador... Mas mais surpreendente ainda foi a súbita proposta de casamento que ele lhe fez!




Palavras de uma leitora...



- Último dia do mês... E só agora estou fazendo a resenha do livro escolhido para o tema desse mês da Maratona de Banca 2012.rsrsrs...

- Confesso que eu acreditei que não fosse conseguir resenhar sobre esse livro. Além de ter deixado a resenha para a última hora, eu também deixei a leitura do livro para o último momento.kkkkk... Estava no trânsito desesperada, pensando em como faria para conseguir terminar de ler o livro e resenhá-lo antes da meia-noite. Eu tinha deixado para ler hoje quase o livro inteiro.kkk... Faltava mais da metade para eu ler e como ultimamente estou lendo com uma lentidão impressionante, achei que seria impossível terminar hoje até mesmo a leitura de um livro curtinho como esse. Mas a leitura flui fácil e quando vi já tinha terminado de ler a história. E aí pude respirar com mais tranquilidade.rsrsrs...


 "Teria realmente desperdiçado um precioso tempo de vida? Todos aqueles anos amando Ian, esperando e querendo... haviam sido apenas perda de tempo?

Não se estivesse preparada para aprender com os erros, reconhecendo a auto destruição de tudo o que havia feito e prevenindo-se contra a possibilidade de repetir as mesmas atitudes."


Sara havia sofrido uma terrível decepção. Estava com o coração partido por descobrir que o homem para quem ela tinha dedicado dez anos de sua vida, não era o que ela pensava. E mais. Além de descobrir que o homem amado estava muito longe da perfeição que ela idealizou, também descobriu que ele pretendia se casar. Mesmo sabendo o que Sara sentia por ele. Mesmo tendo alimentado, ano após ano, aqueles sentimentos. O golpe foi terrível, mas, masoquista como só ela consegue ser, Sara colocou na cabeça que continuaria trabalhando para Ian, sendo sua secretária e administrando tudo sozinha como sempre tinha feito. Pois Ian precisava dela. Ela não podia abandoná-lo só porque ele tinha pisado em seus sentimentos e zombado dela com a futura esposa. Não. Ela era uma profissional e continuaria fazendo seu trabalho de cabeça erguida. Vendo Ian à distância e sofrendo ao vê-lo com outra como sempre tinha feito cada vez que ele resolvia ter algum relacionamento amoroso. O que acontecia com frequência. Ela sempre tinha aguentado tudo calada. E continuaria aguentando. Esse era seu destino, pois jamais conseguiria amar alguém como amava Ian... Também sentem vontade de matá-la?rsrs... Fiquem tranquilos. Essa vontade de assassiná-la vai passar. Sara acaba por criar juízo. Não imediatamente... Mas também não se pode ter tudo na vida.rsrs... Nem sempre as coisas são como desejamos.

Embora estivesse disposta a continuar sofrendo, como uma tonta, por alguém que não a merecia, as coisas não acontecem como Sara desejava. Ela até podia desejar continuar bancando a tola masoquista, mas Anna, futura esposa de Ian, a queria bem longe dele e fez questão de usar o veneno ideal para atingir Sara e fazê-la fugir para sua cidade natal, em busca de conforto e um lugar para lamber suas feridas. Anna tinha conseguido destruir por completo a autoestima de Sara e ela se sentia quase um lixo. Tudo que desejava era o abraço carinhoso e compreensivo dos pais, era passar um tempo com eles até ter coragem de voltar para Londres e encarar a realidade: tinha amado durante dez anos um homem que sequer existia, estava com 29 anos e permanecia virgem e, o principal, ainda não tinha realizado o maior sonho de sua vida: ter sua própria família. Um marido e filhos. E depois das palavras da cobra, o sonho se tornava cada vez mais impossível de ser realizado.

Ao voltar para sua cidade natal, Sara recebe uma notícia desanimadora: seus pais não estavam em casa. Tinham viajado para visitar a filha mais velha, que estava dando à luz ao terceiro filho e sendo assim, Sara não poderia sequer chorar no colo dos pais. Só que nem tudo é tão ruim assim...

Essa notícia é dada por Stuart Delaney, o novo vizinho de seus pais. Um homem que causa um impacto em Sara logo à primeira vista e desperta nela sentimentos confusos, excitantes e aterrorizantes ao mesmo tempo. A presença de Stuart mexia com todo seu corpo e fazia seu cérebro perder a capacidade de pensar com clareza. Existia algo nele... Algo que ela não conseguia explicar, mas fazia com que ela sentisse coisas que jamais havia sentido por Ian. E embora esteja mais do que disposta a lutar contra sentimentos tão intensos e desconhecidos, Sara não terá a menor chance. Stuart não tem a menor intenção de deixá-la escapar e se esconder atrás de uma ilusão. Ele a quer... E não vai sossegar enquanto não conseguir o que deseja: uma vida ao lado de Sara. Filhos e a certeza de ser amado por ela. Conseguiria arrancar Ian da mente dela. Ou ele não se chamava Stuart...


"Nunca um homem a tocara daquela maneira como preâmbulo de contatos mais íntimos. Jamais experimentara a tensão sexual proveniente da consciência de que as mãos masculinas passariam a deslizar por todo seu corpo, alcançando partes ocultas e sensíveis que jamais haviam sido tocadas por alguém.

Incapaz de controlar-se, cravou os olhos nos lábios de Stuart e uma sensação incômoda percorreu seu corpo, abalando as defesas que havia construído ao longo dos anos. Trêmula, se deu conta de uma tensão crescente que ameaçava adquirir vida própria em seu interior, tomando seu sistema nervoso e eliminando todas as possibilidades de controle."


- Durante a leitura desse livro eu fui me surpreendendo. Por quê?! Porque estava gostando do livro!kkkkkkkkkk... A Carlita tinha avisado que eu provavelmente não iria gostar muito da mocinha e eu pensei que isso poderia afetar o livro. Então, comecei a leitura achando que o livro iria receber umas duas ou três estrelas, por causa da mocinha. Achei que não fosse sentir nada de especial pelo livro. Mas eu estava enganada.rsrs...

- Apesar da Sara conseguir ser insuportável em certos momentos (principalmente quando ela não para de repetir o nome do Ian!), até que não a odiei.rsrs... Não. Ela não chegou a despertar meu ódio. Eu até a xinguei em alguns momentos (foi inevitável, gente), mas ódio eu não senti por ela, não. Até que passei a sentir carinho por ela.kkkkkk... Por mais tonta que a Sara seja, eu consegui entendê-la em alguns momentos. Não sua obsessão pelo Ian, mas sim seu medo de acreditar novamente em outro homem. E sua necessidade de ter filhos. Ela estava até mesmo disposta a arriscar um casamento sem amor, pois a necessidade de ter filhos era forte demais. Ela precisava ser mãe. Ela precisava ter sua própria família, ouvir um bebê seu chamá-la de "mamãe" e eu entendo bem essa necessidade. Sendo assim, não pude odiá-la. :D Sorte a dela, pois eu estava bem disposta a odiá-la.rsrrs... Sara não se tornou minha mocinha preferida, mas eu passei a torcer por ela. Passei a desejar que ela acordasse e percebesse que estava sofrendo à toa. Que tinha bem perto um homem disposto a realizar todos os seus sonhos, ser pai dos seus filhos e amá-la até o último dia da sua vida. O que mais ela poderia querer?! Ela tinha tudo ali!!! Sendo oferecido a ela! Felizmente ela acordou. Demorou, mas até que nem tanto quanto eu imaginava. Eu pensava que ela só fosse acordar na última página.kkkkk... Mas acontece bem antes disso.


"... em seguida, abraçou-a com carinho, confortando-a como se fosse uma criança assustada. Em silêncio, obrigou-a a levantar-se e puxou-a de encontro ao peito, fazendo-a recostar a cabeça em seu ombro.

Como se fosse a atitude mais natural do mundo, Sara aninhou-se em seus braços e deu vazão ao pranto que ameaçava sufocá-la."

"Stuart abraçou-a com mais força, como se quisesse absorver um pouco da sua dor."


- O que falar do Stuart??? (suspiros...) É impossível não se apaixonar por ele. Assim como a Sara, somos vítimas de seu feitiço logo à primeira vista. Ele causa um impacto e conforme vamos conhecendo-o vamos nos apaixonando cada vez mais por ele. A cena em que ele abraça a Sara com todo aquele carinho e a consola, é uma das cenas mais queridas, mais lindas. Eu me emocionei com a beleza, o amor que existia na cena. Outro homem talvez se comportasse de forma diferente, por causa do motivo das lágrimas da Sara, mas o Stuart não se sentiu ofendido pela atitude dela. A primeira coisa que ele fez depois de descobrir o que a deixava tão triste, foi abraçá-la. Abraçá-la como somente quem ama sabe abraçar. Sabe aquele abraço que faz você derramar todas as lágrimas que estavam presas? Que faz você colocar toda a dor que te sufocava para fora? Foi esse o abraço do Stuart. Eu achei a cena simplesmente linda. Fofa e tocante.

Stuart é um daqueles mocinhos da PJ que sempre consegue me tocar. Eu sentia saudades deles. Já me decepcionei muito com a autora, já li livros terríveis escritos por ela. Livros que me deixaram com vontade de brigar seriamente com ela e perguntar o que ela tinha bebido antes de escrever aquelas "coisas". Mas também já li livros muito lindos e especiais escritos por essa autora tão querida. E são esses livros que a tornaram tão especial para mim. Eu também morria de medo de ler outra história da PJ. Não por temer encontrar um traste, uma praga como mocinho, mas sim... porque seria a primeira vez que leria algo dela depois de sua morte. E não me sentia tão preparada assim. É doloroso imaginar que nesse mesmo mês, ano passado, ela ainda estava viva. É doloroso saber que agora ela não está mais aqui. Quantas histórias será que ela ainda planejava escrever? Quantas histórias ficaram inacabadas e quantos personagens perderam a chance de ganhar vida? Quando a Penny Jordan faleceu não foi mais um ser humano que se foi. Foi uma estrela que perdemos. Uma estrela que voltou para o céu. Sinto muita falta dela. Ainda é difícil acreditar que ela realmente partiu. Mas me alegra saber que ela será eterna. Ela pode ter escrito livros capazes de deixar qualquer leitora indignada e com vontade de nunca mais ler nada escrito por ela, mas escreveu MUITOS livros especiais. Muitos livros com mocinhos que tocam nosso coração e nos emocionam. Histórias que nos fazem suspirar e sonhar acordadas. Belos romances. Essas histórias a tornam eterna. Ela nunca será esquecida. 


Stuart é um mocinho que nos conquista sem realmente desejar isso. Como posso explicar? Ele não se esforça para ser especial. Ele é especial. Ele me conquistou fazendo as coisas mais simples. Porque eu conseguia enxergar todo o amor e a dedicação por trás daqueles gestos. E ele fazia tudo em silêncio. Ele não ficava dizendo para a Sara o que sentia. Ele mostrava. Ele é maravilhoso, gente! O tipo de mocinho que eu necessitava no momento.rsrs... Depois do mocinho de Segredos Perigosos, ele é tudo que eu precisava para continuar acreditando nos meus queridos romances. Ainda existem mocinhos de verdade. E não imitações terríveis como alguns... rsrs...

Essa história foi uma indicação da minha querida amiga Carlita. Dessa vez amei a história apesar da mocinha, amiga! :) Ainda estou surpresa!kkkkk... Mas a história é exatamente o que eu queria e não esperava encontrar no momento. Foram livrinhos como esse que fizeram eu me apaixonar pelos romances de banca. Já li certas coisas que... Nem sei que palavra usar!kkkkkkk... Foi ótimo matar a saudade dos livrinhos especiais. Dos livrinhos de verdade. :) Gracias!


- Recomendo a história?! É claro!rsrs... Dei cinco estrelas ao livro no skoob, pois ele merece. E ele ainda ganhou passagem para os favoritos. :D


Em novembro o tema da Maratona de Banca 2012 foi Penny Jordan. Para conhecer a resenha dos outros participantes, clique AQUI.


Bjs e até breve!

2 comentários:

Carla disse...

(Limpando o suor da testa) Que bom que dessa vez eu acertei. kkkkk

Fiquei até com saudades do Stuart. :)
Amei a resenha, amiga.

Beijo!

Luna disse...

kkkkkkkk...


Muito obrigada, amiga! :)


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.