O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 2 de fevereiro de 2013

O Colar de Pérolas - Violet Winspear [Maratona de Banca 2012 - Fevereiro]




Em Fevereiro: Vingança



Os dedos dele, visão de seus olhos cegos, encontraram as pérolas do colar e começaram a acariciar a jóia, rodando pelo pescoço de Melissa. – Eu deveria apertar sua garganta até você não respirar mais... – Apesar do medo que Paul lhe inspirava, ela estremeceu de prazer quando ele, depois destas terríveis palavras, correu os lábios por sua boca, por seu pescoço macio e quente de desejo... Ela nunca sonhara que sua reação ao sentir o corpo de Paul colado ao seu fosse tão excitante, tão paradisíaca! E, enfrentando o perigo, decidiu se casar com esse homem que a odiava.




Palavras de uma leitora...




"-  Os nativos têm um pouco de medo dele, mas também o respeitam. Sang Harimau, é como o chamam.
- Que significa isso?
Melissa pôde sentir as batidas de seu coração sob o leve tecido do vestido. Viera preparada para o calor daquele lugar, mas, nesse momento, sentia gelo correndo por suas veias.
- Tigre Rei – explicou o piloto. – Aquele que vê no escuro, que nada onde nadam os tubarões que não tem medo de nada. Existem na ilha moças que seriam capazes de deitar-se a seus pés, mas ele não as vê com os olhos, nem com o coração. Há uma grande frieza nele, nonya. Uma frieza ardente como a do tigre que caça aquilo que o feriu."


- Ela vivia em agonia há meses, embora sua agonia sequer pudesse se comparar com a que Paul sentia. O desespero por não poder enxergar. Por não poder sequer fazer mais o que ele tanto amava: curar as pessoas. Suas feridas físicas e emocionais através da cirurgia plástica. Com suas mãos, sua habilidade e seu dom, ele conseguia devolver à beleza para as pessoas que tinham sofrido queimaduras e/ou cortes ou tinham nascido deformadas. Ele amava o que fazia. Amava poder devolver o sorriso para aqueles rostos, mas tudo lhe foi arrancado cruelmente por causa da estupidez (ou maldade) de uma maldita enfermeira, que em vez de lhe dar o colírio que ele sempre jogava nos olhos após uma cirurgia, tinha lhe dado um outro líquido... um líquido que o cegou e lhe arrancou todos os sonhos. Embora a desgraçada tivesse sido despedida, ele não podia se sentir satisfeito. Ela o tinha mergulhado no escuro. O tinha feito cair num buraco escuro e sem fim... Sua demissão não era nada se comparada com o que ele pretendia lhe fazer se tivesse a oportunidade de colocar suas mãos nela. Vingança... Uma palavra muito doce e que lhe provocaria imenso prazer. Como ele desejava se vingar! Destruir aquela enfermeira assim como ela tinha destruído a sua vida. Só necessitava de uma oportunidade... Que ele não seria tolo em desperdiçar. 

- Melissa desejava se punir. Ou melhor, desejava ser punida pelo homem que ela amava em segredo há tanto tempo e que ela tinha deixado cego com a sua negligência. Porque era seu trabalho verificar várias vezes se fosse necessário o medicamento que iria aplicar num paciente. E com o colírio não era diferente. Ela deveria ter preparado pessoalmente o que Paul sempre aplicava nos olhos. Ao menos, prestar atenção no cheiro que ela sabia que estava diferente. Se percebeu a diferença no cheiro, por que entregou o copo para ele? Por pura estupidez. Uma estupidez que tinha custado muito caro para Paul. Sua demissão foi mais do que merecida e embora não fosse culpada por inteiro, ela sabia que não tinha sido assim tão injustiçada. Durante os meses que passou no apartamento, ela se condenou e se amaldiçoou, desejando voltar no tempo e se impedir de entregar aquele copo para Paul, mas o que estava feito, feito estava e não havia nada que ela pudesse fazer para mudar as coisas... A não ser se candidatar ao emprego que Paul oferecia. Se candidatar para ser sua secretária e o ajudar a escrever seu livro. Assim, estaria perto do homem que tanto amava e poderia viver numa mistura de céu e inferno. 


- Para conseguir o emprego, Melissa usou um nome falso. Bem... Não necessariamente um nome falso, mas voltou a usar o seu nome de batismo para conseguir o emprego. Como ninguém a conhecia como Melissa Lakeside, ela achou que o melhor seria usar esse nome, pois se soubesse quem ela realmente era, Paul jamais a contrataria. Ela acabou sendo aceita para o cargo de secretária. Como Paul não podia enxergar, ela o enganou, fazendo-o acreditar não só que ela não era a enfermeira causadora de sua desgraça, mas também fingindo que era uma mulher de uns sessenta anos, uma solteirona com idade para ser mãe dele. Com a convivência, como Melissa poderá sustentar tantas mentiras? O que acontecerá quando toda a verdade vier à tona? Ainda haverá tempo para consertar os erros cometidos ou nada poderá aplacar o desejo de vingança de Paul? Nem mesmo... o amor? Ainda haverá lugar para o amor no coração de um homem profundamente ferido? Isso, só o tempo dirá... 


- O que será que ainda posso falar sobre a história?rsrs... Gostei muito do livro. É uma história envolvente, meio mágica até (toda vez que a autora falava daquela ilha, de tradições, dos nativos e outras coisas... eu sentia como se estivesse lendo um conto... um daqueles contos de fadas, sabe.) e bem escrita. Não desejei em momento algum interromper a leitura, mas confesso que fiquei triste com alguns acontecimentos. A cegueira do Paul me entristeceu bastante, pois por causa do erro da Melissa, ele tinha sido privado do que tanto amava: seu trabalho no hospital e teve que passar a levar uma outra vida. Isolado numa ilha. Cercado de luxo, mas carente de vida. Sua vida não tinha mais sentido e ele próprio menciona que se morresse, não faria muita diferença, pois já se sentia morto. Pois sua cegueira era uma espécie de morte. Não tem como isso não tocar a gente. Não que ele fosse um amargurado todo o tempo, mas tinha motivos para ser, não acham? Uma coisa que me perguntei durante a leitura era como eu me sentiria... como eu me sentiria se perdesse a visão e não pudesse mais ler, não pudesse mais olhar para o rosto dos meus anjinhos ou ver aquele céu lindo, daquele azul que tanto me encanta. Se não pudesse mais ver os meus gatinhos brincando ou uma linda flor. Ou o mar. Seria um inferno, sem sombra de dúvidas. Muito cruel. Ao me colocar na pele dele, eu o entendi. Soube que no lugar dele, sequer teria toda a força que ele teve para se manter lúcido. Eu acho que não aguentaria. Admiro muito as pessoas que nasceram sem ver ou perderam a visão por algum motivo e se mantém fortes. Essas pessoas são verdadeiros exemplos de superação. 


- Tanto a Melissa quanto o Paul despertam o nosso amor. A Melissa também despertou a minha compaixão, pois todo aquele amor dela fazia eu me perguntar o quanto ela sofreria quando a verdade tivesse que ser descoberta. Ela não poderia esconder tudo para sempre. Em algum momento, Paul saberia tudo que ela escondia dele e aí... O que aconteceria? Isso me preocupava.rsrs... A relação deles não deixa de ser linda, gente. É muito linda e foi o que me fez dar 4 estrelas ao livro. Não quero falar muitas coisas, pois a história é bem curtinha, mas posso dizer que não me arrependi de ter lido a história. Só o que eu queria era que ela não tivesse tanto sofrimento. Quem conhece a Violet Winspear sabe o quanto ela amava torturar seus mocinhos. Sempre foi o prazer dela, acredito!kkkkkk... E ela não teve um pingo de pena do Paul ou da Melissa. Mas mesmo assim, a história não deixou de ser cativante e eu a recomendo. :) 


- Essa história foi uma indicação da minha querida amiga Carlita! :) Mais uma vez, muito obrigada, flor! Eu gostei muito da história, apesar da autora ser uma sádica.rsrs... O Paul conquistou muito o meu coração e vê-lo sofrer me deixou muito triste, mas valeu a pena ler a história. :)


- Essa foi minha escolha para o tema de fevereiro da Maratona de Banca 2012. Posso dizer que participar dessa maratona foi maravilhoso e que li muitos livros queridos, especiais... Achei a criação da Maratona de Banca uma ideia incrível, pois valoriza os nossos livrinhos que contém sim belas histórias e que podem ensinar tanto quanto os chamados livros de livraria. Para ser sincera, já li livros de banca muito mais especiais e educativos do que certos livros de livraria. E acho ridículo o preconceito que a maior parte das pessoas tem dos nossos livrinhos. Desejo que venha a Maratona de Banca 2013, 2014, 2015 e daí por diante! :D


Querem saber quais livrinhos li ao longo da Maratona de Banca 2012? Segue abaixo a lista completa!


12- O Colar de Pérolas - Violet Winspear


Bjs!

3 comentários:

Giuliana Cicone disse...

ammeii sou louca por romances e amo seu blog se puder da uma passada nesse http://apanhadordelivros.blogspot.com.br/

Giuliana Cicone disse...

amei a resenha vou ler, a minha autora favorita é Lynne Graham amo todos os seu livros vc é genial, bjssssssss!!!!!!

Luna disse...

Muito obrigada, Giuliana! :)


Também sou muito fã da Lynne Graham! Ela é uma das minhas autoras mais amadas! :D


Vou visitar o site sim!

Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.