O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 21 de setembro de 2013

Dois Pesos, Duas Medidas - Judith McNaught

(Título Original: Double Standards
Tradutora: Alda Porto
Editora: Bertrand Brasil
Edição de: 2010)


Homem de viril beleza, Nick Sinclair, presidente da Global Industries, comanda os negócios da mesma forma como o faz com suas mulheres - com charme, ousadia e implacável autocontrole. Acostumado ao que há de melhor, ele contratou Lauren Danner e supôs que a orgulhosa beldade logo seria mais uma conquista fácil. No entanto, a brilhante inteligência e a rara energia da jovem o deslumbram. Aos poucos, contra sua vontade, ele se vê intrigado, desafiado e... apaixonado.

Entretanto, Lauren vive uma mentira, uma farsa que se torna mais perigosa a cada momento. Seu segredo pode destruir a frágil confiança de Nick - e a promessa de um futuro com o homem mais irresistível que ela já conheceu...


Palavras de uma leitora...


 "... Nick segurou o pé dela com a mão esquerda e estendeu a outra para pegar a sandália. Quando já ia calçá-la, ergueu o olhar e deu um sorriso preguiçoso, que fez o pulso de Lauren disparar, ao perguntar:
- Não há um conto de fadas sobre um homem que busca uma mulher cujo pé se encaixa num sapatinho de cristal?
Ela fez que sim com a cabeça.
- Cinderela.
- Que me acontece se esta sandália se encaixar?
- Eu o transformo num belo sapo - ela disse, irônica.
Ele riu, emitindo um som profundo e maravilhoso, quando os olhares se encontraram e ela viu alguma coisa reluzir das profundezas prateadas daqueles olhos misteriosos [...]"

- Eu já mencionei que amo contos de fadas? Sim?! Por um acaso também disse que a história da Cinderela é a minha preferida? :D

Lauren Danner não gostava de ir contra os seus "sentidos". Por mais que a necessidade dissesse que ela seria uma idiota ao rejeitar a proposta de Philip, um parente distante que no passado a tratou como se ela valesse menos que lixo, a consciência lhe dizia que ela estava se metendo num jogo perigoso, no qual só os melhores eram capazes de vencer e ela sequer conhecia as regras ou os adversários. A consciência a atormentava, mas a imagem do pai, deprimido e fraco, prestes a sofrer um segundo ataque cardíaco, foi o impulso necessário para fazê-la ir em frente e dizer sim para Philip. 

Tudo que Lauren precisaria fazer para conseguir o dinheiro necessário para pagar as despesas e o hospital no qual o pai se tratava, seria conseguir um emprego como secretária na Sinco e assim conseguir para Philip o nome do homem que estava traindo sua empresa e passando informações valiosas para a Sinco. Fácil, não?! Se isso não significasse espionagem e fosse um crime que poderia fazê-la passar um bom tempo na prisão.

Mesmo com todo o seu ser gritando desesperadamente "não", Lauren foi até a Sinco disposta a conseguir o tal emprego como espiã, digo, secretária.rsrs... Só que ao chegar lá sua inteligência falou mais alto e ela fez todo o possível para NÃO ser contratada. 

"Enquanto preenchia os intermináveis formulários e questionários exigidos pela Sinco, ocorreu-lhe que a melhor maneira de sair do apuro seria honrar a promessa candidatando-se a uma vaga - e depois ter certeza absoluta de que não lhe ofereceriam uma. Portanto, errou de propósito na ortografia, datilografia e estenografia, e deixou de incluir o diploma universitário. Mas o feito que coroou tudo foi como respondeu à última pergunta no formulário para candidatar-se ao emprego. As instruções mandavam relacionar, em ordem de preferência, três cargos para os quais se sentia qualificada na empresa. Lauren escrevera 'presidente' como primeira escolha, 'gerente de pessoal' como segunda e 'secretária' como terceira."

Sentindo-se muito satisfeita por não ter conseguido o emprego, Lauren saiu do prédio da Sinco imaginando que mentira descarada contaria para Philip, mas logo a noite escura e chuvosa tirou de sua mente qualquer pensamento sensato.

A chuva aumentava, deixando-a totalmente ensopada e para chegar ao carro o mais rápido possível, Lauren teve a brilhante ideia de cortar caminho através de uma área onde se lia "Acesso Proibido". O resultado de sua ousadia foi uma queda feia e o encontro com o homem mais lindo e irresistível que ela já tinha visto na vida. No final das contas, sua ideia foi realmente brilhante.rsrs...

"Lauren tropeçou e foi lançada no ar, com a boca aberta num grito silencioso; debatendo-se para equilibrar-se, pousou esparramada, com o rosto voltado para baixo, no chão aos pés dos homens.
- Sua desastrada! - disse um deles com a voz arrastada marcada por uma furiosa preocupação quando os dois se agacharam e examinaram-na ansiosos. - Que diabos você acha que está fazendo?
Apoiando-se no antebraço, Lauren ergueu um olhar magoado que foi dos sapatos para o rosto do homem.
- Teste para o circo - respondeu, secamente. - E para o bis, em geral, caio de uma ponte.
Uma sonora risadinha veio do outro sujeito, que a pegou com firmeza pelos ombros e ajudou-a a levantar-se.
- Como se chama? - perguntou. E quando ela disse o nome, ele acrescentou preocupado: - Consegue andar?
- Por quilômetros - garantiu-lhe Lauren, insegura."

Enquanto para Lauren ele era um pedaço de mau caminho, capaz de fazê-la esquecer-se de tudo, até mesmo do próprio nome, para Nick, ela não passava de uma divertida adolescente, com a cara cheia de lama. Mas a opinião dele muda completamente quando Lauren retira a sujeira (provocada pela queda) do rosto e ele vê diante de si uma linda mulher, capaz de despertar nele coisas que de modo algum ele queria sentir. Ou acreditava não querer sentir.


"Lauren sentiu um absurdo orgulho dele, e não fez qualquer tentativa de escondê-lo quando ele parou, afinal, à sua frente. 
- Alguém já lhe disse como você é lindo? - perguntou baixinho.
Um vagaroso sorriso infantil espalhou-se pelas feições dele.
- Que acharia se eu lhe dissesse que não?"

Depois desse primeiro encontro e do desejo que Lauren despertou em Nick, ele não pretendia voltar a vê-la. Ela era inocente e ingênua demais para participar dos jogos dele e Nick não queria magoá-la. Porém, Lauren não parava de pensar nele e resolveu que queria e iria ser seduzida por ele. E que o deixaria totalmente louco por ela. Quer ele quisesse, quer não. 


"No tocante às mulheres, Lauren duvidava que restasse uma única fibra de inocência naquele corpo de agressiva virilidade. Mesmo assim, teve a sensação de que Nick não ia querer seduzir uma virgem e levá-la para a cama. Claro, essa virgem específica queria muito ser 'seduzida' por ele, mas não tão cedo, e tampouco com quase nenhum esforço. Deveria fazê-lo esperar até gostar mesmo dela. Deveria, mas não tinha certeza de que o faria."

Ao fazer seus planos, Lauren não sabia quem Nick verdadeiramente era. Um empresário multimilionário, dono da empresa para a qual ela estava trabalhando e espionando. Ela acreditava, ao conhecê-lo e se envolver com ele, que Nick era apenas um engenheiro que possuía o sonho de um dia vir a ter sua própria empresa. Ela também não conhecia o passado que o tornara um homem cínico e desconfiado, alguém que não acreditava no amor e desprezava os padrões morais dela. Alguém que não se deixaria ser feito de bobo por um sentimento idiota e que tantos anos antes o tinha fragilizado e também, tinha que confessar, fortalecido com igual intensidade, pois o fez perceber que só poderia contar consigo mesmo. Que era um erro confiar e tornar-se dependente de alguém. 

Ele achava Lauren atraente e existia algo nela que o fazia querê-la com um desespero que lhe era desconhecido. Mas não queria nem poderia lhe oferecer nada além de um caso de final de semana. Breve e sem laços emocionais. Mas ao se envolver com ela, suas determinações e pré-conceitos começam a sofrer rachaduras e fica difícil continuar sendo o mesmo homem que tinha se esforçado para ser até então. 


"- Lauren? - ele chamou com a voz seca.
 - Hummm? - fez ela, os olhos cravados na lua.
Nick curvou-se, tomou-lhe o queixo e girou o rosto para o dele. Notou os olhos marejados, em aturdida descrença.
- Você está chorando! - comentou incrédulo.
Lauren acenou-lhe com a mão fazendo pouco caso do fato.
- Não ligue para isso... Também choro em filmes.
Nick desatou a rir e puxou-a para o colo. Ela teve um estranho sentimento materno ao passar o braço em volta dele e afagar-lhe de modo confortador os volumosos cabelos escuros."


- Nenhum relacionamento pode manter-se baseado em mentiras e segredos, verdade? Porém, a verdade pode ser tão nociva quanto a mentira... Sendo assim, qual a melhor opção? Manter uma mentira que pode ser descoberta a qualquer momento ou contar uma verdade que poderá acabar de vez com essa relação?

"- Lauren pegou-o, como uma autômata, e saiu correndo. Ela achou que ia desatar de novo em prantos ao entrar no carro, mas isso não aconteceu. Tampouco chorou durante as três horas que passou lendo o arquivo. Não haviam restado mais lágrimas."


- Fazia muito tempo que eu não lia alguma história da minha querida JM. E confesso que sentia muitas saudades. Me pegava várias vezes lembrando do Jason e da Victoria, do Ian e da Elizabeth, da Whtiney e do seu Clayton para lá de complexo.rsrsrs.... Do meu querido Royce e da minha querida Jennifer. Eu queria, necessitava (com desespero até.rsrsrs...) ler uma nova história da minha autora. Mas acontece que passo o dia inteiro fora e não tenho muitos livros dela em papel (somente dois. Agora e Sempre. E Sussurros na Noite. Por enquanto. Pretendo conseguir todos os livros da autora! É uma promessa que me faço!kkkk...). Quando chego em casa não tenho a menor condição de ler uma história dela no computador. Meus olhos não suportam. E ler uma história da autora aos pingos não é nada agradável. Quando pego um livro de uma autora querida para ler, tem que ser sem ficar interrompendo a leitura por dias. Tem que ser de uma vez. Tenho que ter tempo disponível para me dedicar de corpo e alma ao livro. Sendo assim, cheguei a acreditar que demoraria ainda mais tempo para voltar a ler algo da minha autora. :( E isso me deixava triste, pois uma das minhas metas de leitura deste ano era ler vários livros da JM. Mas enfim... Só que aconteceu algo sensacional e que me fez dar gritos e pulos de alegria.rsrs... Encontrei uma biblioteca recheada de ótimos livros, lançamentos um tanto recentes até. E lá, para minha completa felicidade, existem livros da JM. Sendo assim, agora tenho oportunidade para ler novas histórias da minha autora, no papel, algo que não prejudica muito os meus olhos. Foi justamente lá que encontrei Dois Pesos, Duas Medidas. Eu não tinha a menor esperança de encontrar algo da JM naquela biblioteca e ainda não consigo crer que encontrei.rsrs... No dia que devolvi Dois Pesos, Duas Medidas, já tratei de pegar Em Busca do Paraíso emprestado. :D Mas enfim... Que tal continuarmos falando de Dois Pesos, Duas Medidas?rsrs...

"Ouviu atrás de si um sussurro quando a porta deslizante se abriu e fechou, e resignou-se à perda da solidão de que tanto necessitava. Jim viera juntar-se a ela.
- Como estou me saindo até agora? - perguntou, forçando uma alegre leveza na voz.
- Está se saindo muito bem - escarneceu a voz indolente de Nick. - Já quase me convenci de que sou invisível.
Lauren sentiu a a mão tremer com tanta violência que os cubos de gelo tilintaram."

"- Sentiu minha falta?
Ela arregalou os olhos com simulada inocência.
- Andei muito ocupada."
[...]
- Então - perguntou com um sorriso -, não sentiu nem um pouco minha falta?"

- Quem resiste a esse homem?!kkkkkk... Ele até pode ser um cretino (com certeza, é!kkkk...), mas é um cretino adorável que nos faz rir até mesmo quando desejamos matá-lo. E com esse sorriso ele consegue derreter nosso coração e até mesmo nos faz esquecer por que ele merecia uma surra momentos antes.rsrsrs... 

Nick é um mocinho fácil de amar. Um mocinho que começa a arrumar um espaço exclusivo no nosso coração assim que o conhecemos. Ele possui um charme, um sorriso, um jeito de falar que nos atrai, mesmo quando descobrimos o quanto ele é um canalha. E o pior de tudo: um canalha que admite ser um canalha, gosta de ser um canalha e despreza qualquer princípio moral, quando o assunto é sexo e sentimentos alheios. Egoísta, fez de tudo para levar a Lauren para a cama, sabendo desde o princípio que aquele tipo de relacionamento, casual, não era para ela. E que vulnerável, ela poderia sair muito machucada daquela relação. O que importou para ele naquele momento foi seu próprio desejo. Foi conseguir o que queria. E o mais incrível é que depois ele acha que tudo que fez era certo e que Lauren não tinha o menor direito de reclamar. Princípios morais eram tolice. Ser canalha, era a coisa mais sensata e correta do mundo. Tanto que ele a aconselha a ser como ele. Algo que ele vai pagar caro por sugerir.kkkkkkk...

"Os olhos de Nick varreram-na de forma insolente de cima a baixo. 
- Antes de eu ir, quero lhe dar um pequeno conselho: - avisou-a gélido - cresça!
Ela sentiu como se Nick a tivesse estapeado.
Enfurecida além da razão, revidou-lhe o golpe no ego:
- Você tem absoluta razão! - exaltou-se. - É o que devo fazer. A partir de hoje, vou crescer e começar a praticar o que você prega! Vou dormir com qualquer homem que me atraia. Mas não com você, pois é velho e cínico demais para meu gosto. Agora, dê o fora daqui!"

- Sabe quando você diz algo que não desejava dizer (ou não sabia que não desejava dizer?!kkkk...)? Quando fala sem pensar e depois deseja com todo o seu coração voltar no tempo e se impedir de dizer tal coisa? O Nick sabe.kkkkkkkkk... E como sabe! É muito divertido ver o tormento que ele passa depois de aconselhar a Lauren a ter relacionamentos casuais. Ao dizer tal coisa, ele estava furioso com ela e com ele próprio, pois estava sentindo coisas que não desejava sentir. Pois estava se apaixonando por ela e isso o deixava apavorado. Um dia tinha sido inocente o suficiente para amar. E a dor que aquele sentimento lhe provocou lhe deixou marcas profundas. Machucou. E mesmo quando a dor se tornou suportável, a cicatriz o fazia lembrar-se daquele momento, tão doloroso, como se tudo tivesse acontecido no dia anterior. Por isso não desejava mais amar. Não podia. E por isso estava tão confuso e atormentado: porque seu coração não o ouvia. Não queria ouvir seus motivos. Simplesmente queria abrir-se para o amor. Queria Lauren.

"- Eu preciso de você, doçura. Sabe que desde que cheguei...
- Não ouse me chamar de doçura! - ela explodiu, vacilante com indesejável alegria diante daquela ternura casual.
- Por que não? - bajulou-a, e um sorriso iluminou-lhe o rosto. - Você é doce.
- Vai mudar de ideia se tornar a me chamar de doçura - prometeu ela."


- Infelizmente, nem sempre querer é poder, verdade?!kkkkkkkk... Apesar de inocente e muito vulnerável, Lauren também é forte. E tem uma língua muito afiada.kkkk... E seus punhos são capazes de provocar grandes danos.kkkkkkkk... Ela nunca deixava passar em branco uma só coisa que o Nick fizesse. Cada ação dele provocava uma reação nada agradável para o nosso querido cretino, digo, mocinho.rsrs... E quanto mais ele tenta fugir dos sentimentos que ela lhe desperta, mais prisioneiro ele se torna. 

" - Você tem os olhos azuis mais incrivelmente lindos que já vi. Quando se enfurece eles...
- Poupe-me! - sibilou Lauren, sacudindo com violência o pulso.
- Já poupei - provocou-a com ar sugestivo.
- Não fale comigo assim... não quero parte alguma de você.
- Sua pequena mentirosa. Você quer cada pedacinho de mim."

- Sim, ela quer!kkkkkkk... Mas negaria isso mesmo sob tortura!rsrsrs... Em resumo posso dizer, queridos, que entre tapas, beijos, socos e pontapés (todos os tapas, socos e pontapés vindos da Lauren, claro. Ela não tem paciência para falar o tempo todo.rsrs...) esse casal nos diverte muito e nos faz amá-los sem medidas. Eles conquistaram totalmente o meu coração e me fizeram rir muito e chorar bastante também, no final. Me emocionaram, pois pude enxergar o amor deles. Sentir. É um amor muito lindo, capaz de perdoar e superar qualquer coisa. Até mesmo um passado traumatizante e segredos para lá de venenosos. 


"- Lauren - disse Nick numa voz de advertência - quero que você me conheça. Também sei que está furiosa comigo por iniciá-la sexualmente, e depois...
- Ah, mas não estou! - ela protestou com enganosa doçura. - Não trocaria aquela noite por nada no mundo. - Recuando um passo cauteloso, acrescentou com leviandade: - Na verdade, já decidi que quando eu tiver uma filha e ela tiver a minha idade, eu darei um telefonema a você. Se ainda estiver 'ativo', gostaria que a iniciasse...

Um passo não bastou. Ele arrancou para frente, agarrou-lhe os pulsos e prendeu-a entre as coxas, os olhos faiscando com uma perigosa combinação de raiva e desejo.

- Sua linda, atrevida... - precipitou a boca, tomando-lhe os lábios com bruta e devastadora fome e implacável insistência."

- Não é necessário eu dizer se recomendo essa história, verdade????!!! :D


"Nick sorriu com um ar melancólico.
- Eu quero pertencer a você... de todas as maneiras."

1 comentários:

Anônimo disse...

Suspiros,suspiros e mais suspiros......
Nick é o cara!!!

bjs

Moniquita

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.