O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sábado, 15 de novembro de 2014

E Foi Assim... - Fernanda Brum


O que fazer quando você é golpeado pela vida de uma forma muito cruel?

De repente, a família dos sonhos se encontra em pedaços, e relacionamentos cada vez mais conturbados passam a compor a música do seu coração. E, quando menos se espera, seus maus hábitos - antes raros, usados para diversão ou para fuga - tornam-se vícios arraigados.

Será que há alguma solução para recuperar alguém desacreditado da vida? Algo que não produza somente um efeito anestésico?

Há alguma decisão a ser tomada para que, de fato, as marcas mais profundas e doloridas se transformem em música para os ouvidos, a ponto de uma pessoa passar a ser como um "bom perfume" - exalando paz, cura e fé para quem a seguir?

Neste livro, a cantora e pastora Fernanda Brum, expõe, sem rodeios, as próprias experiências de vida para que você saiba que a resposta para as perguntas acima é "Sim". 


Palavras de uma leitora...


"Eu caí num buraco negro, como se estivesse sendo puxada para baixo com todas as minhas lembranças, como um filme rodado ao contrário, como um álbum de fotografias passado em velocidade máxima diante dos meus olhos, de traz para frente."


- Quando eu era menina, por iniciativa própria entrei numa igreja. Foi num momento muito difícil da minha vida. Naquele mesmo ano eu tinha perdido aquela que eu considerava minha mãe, a avó que me criara desde que eu era uma bebê. Quem tanto me tinha amado. Quem me ensinara a me importar com as outras pessoas, a nunca pensar só em mim mesma. Perdê-la foi um golpe e tanto. Que até hoje não superei. Eu já tinha ouvido falar de Deus antes (através da minha avó) e naquele ano não estava muito feliz com Ele. Muito pelo contrário! Ele me tinha tirado o chão e me deixara por conta própria. Eu não queria que minha avó fosse a estrela que mais brilhasse no céu. Não. Eu queria que ela fizesse chocolate quente para mim e sentasse ao meu lado para assistir nossas novelas. Eu estava com o meu coração de menina todo feito em pedaços. Mas naquele ano de tantas perdas e mudanças, uma noite, enquanto andava pela rua, passei em frente a uma igreja. Eu ia passar direto. Estava com minha irmã e um primo. Tínhamos que comprar algo e voltar. Sem pausas no caminho. Mas eu parei. Porque a música que vinha lá de dentro era tão linda que quando o rapaz que estava na porta da igreja me convidou para entrar, eu entrei. Não. Não fiz parte daquela igreja. Só estive lá uma vez. Mas aquela música me atingiu... abriu uma porta. 

Tempos depois, passei a frequentar uma igreja com minha mãe. E uma das minhas melhores lembranças daquela época são as músicas da Fernanda Brum. As letras falavam sempre o que eu precisava ouvir, ou o que queria dizer para Deus e não era capaz. Na época, eu não tinha nenhum CD dela e nada sabia de internet. Pegava o CD Quebrantado Coração emprestado e ficava ouvindo, repetindo várias vezes as mesmas músicas. Copiava as músicas num caderno e quando não estava com o CD, tentava cantar, pois precisava dessas músicas. Ele é por MimMarcas, Espírito Santo, O Amor que Cura, Lembranças de Jesus marcaram minha vida e eu acredito que de alguma forma, através delas, Deus foi fechando minhas feridas, que até então sangravam. E tem sido assim desde então... As canções dela são canções que curam, que fazem as lágrimas que tanto precisamos derrabar em certos momentos, rolarem. Vem me Consolar, Em Tua Presença, Cura-me, Coração que Sangra, e tantas outras... 

Eu conhecia a minha própria dor. E amava ouvir as canções dela, assistir os DVD`s... Sabia o bem que me causavam. O quanto eram capazes de me aproximar de Deus e me lavar por dentro, cicatrizar... E da vida da Fernanda Brum eu só conhecia a dor com relação aos filhos que ela perdeu. Seis gestações. Apenas dois bebês nasceram. Mas eu não conhecia tão profundamente esses momentos. Essa parte tão triste da vida dela. Não tinha nem noção do quanto ela sofreu na vida, do quanto perdeu... do tanto que a magoaram... do quanto duvidaram dela, dos momentos em que ela tentou sufocar a dor da sua vida com o álcool. Eu a via como alguém que compreendia a dor das outras pessoas e curava o sofrimento delas através das suas canções. A conhecia como alguém que viveu por duas vezes o milagre de dar à luz, embora muitos achassem já praticamente impossível. A conhecia como alguém que me ajudou muito através de suas músicas. Somente ao ler "E foi assim..." eu pude conhecê-la como pessoa. Uma pessoa normal, com qualidades e defeitos, com momentos de sofrimento e vitórias. Alguém que até mesmo quando tocava os corações das pessoas com suas palavras, estava vivendo uma intensa angústia, pedindo a Deus socorro. Suplicando que Ele se lembrasse dela. 

"No ano de 2001 muitas coisas ainda aconteceriam. Eu não tinha a menor ideia do quanto aprenderia a chorar, do quanto a vida ainda me quebraria. Eu era de ferro, não chorava, não me lamentava, seguia a passos firmes. Destemida, nunca percebi as muralhas que pulei, os desertos que atravessei, e durante muito tempo me considerei um soldado calçado com botas de couro, mas com bolhas de sangue nos pés. Um dia teria que tirar as botas e tratar as feridas do caminho."

- Neste livro, a Fernanda Brum nos conta um pouco da sua história. Da sua vida. Desde o princípio, desde a sua infância. Ela decide dividir com a gente um pedaço grande dela, falando de seus erros e acertos, dos momentos nos quais tentou se anestesiar, se afastar de tudo. Fingir que não sentia. Fingir que não se importava. Fala do período em que esteve afastada da casa de Deus. Não me parece que algum dia ela tenha estado afastada de Deus. Pelo que pude conhecer dela através deste livro, diria que ela apenas viveu um período de tanta dor, de tanta mágoa, que apenas se afastou do caminho que conhecia. Do seu caminho. Mas jamais esteve longe de Deus. Nem mesmo quando esteve prestes a se deixar destruir pelo álcool. 

"Rasgada ao meio é uma outra palavra que pode expressar, um pouco, a situação em que eu me encontrava. Eu estava congelada por fora, fazendo um bom papel diante da família, mas emocionalmente não tinha mais por onde sangrar."

- Apesar do fato de ela geralmente descrever certos momentos de dor de maneira "leve", com um toque de humor, existem momentos nos quais ela coloca toda sua alma nas palavras, lembrando de tantos momentos tristes que ela viveu e que a fizeram até mesmo deixar de acreditar que existiria amor neste mundo para ela. Ao voltar para o seu caminho, ela decidiu dedicar-se de corpo e alma a Deus, à missão que ela acreditava possuir. O amor não fazia parte dos seus planos. Depois de tantas decepções e traições, não queria voltar a entregar seu coração. Ele estava fechado. Protegido contra novos sofrimentos. Mas acontece...rsrsrs... que um certo alguém já tinha cruzado o seu caminho algumas vezes. Apesar de em nenhuma dessas vezes eles terem se apresentado, ela o notou o suficiente para se lembrar de que o tinha encontrado naquele, naquele e naquele outro momento.kkkkkk... A história dela com o Emerson é linda. Foi uma das melhores partes do livro. Uma das partes mais emocionantes. Saber como eles se apaixonaram, como começaram a fazer parte um da vida do outro... tudo que enfrentaram para se casar, para construir tudo do nada... e as perdas. O quanto perderam. O quanto sofreram cada vez que ela perdia um novo bebê. E como não desistiram de acreditar em Deus. De confiar nEle. Como passaram por aquela dor sem perder a fé e o amor. 

"Os dias piores ainda viriam, e eu não tinha a menor ideia disso. Como sempre, eu me mantinha alheia a tudo, dormente, para não quebrar, não fragilizar meu coração."

"Emerson e eu nos abraçamos em nosso banheiro e choramos alto. O medo estava em nossos olhos."

- Ler este livro foi uma experiência única. Eu queria conhecer um pouco mais desta cantora, compositora, pastora e missionária incrível, que eu tanto admiro. E ao ler a história a dela, eu pude perceber que ela tanto compreendia da dor humana porque tinha sentido tudo na própria pele, porque passou por momentos que muitos não suportariam passar. Ao assistir o DVD "Cura-me", por exemplo, eu nunca poderia imaginar o que ela estava vivendo enquanto cantava, sorria e falava de Deus. O que ela estava enfrentando naquele mesmo dia, durante a gravação do DVD. O medo que sentia enquanto subia naquele palco... no lugar dela eu nunca teria a mesma força. A mesma fé. De modo algum

- Foram incríveis os momentos que passei ao lado deste livro. O tanto que absorvi dele, o tanto que aprendi e me emocionei. Porque não é possível ler certas partes sem se emocionar. Ficar indiferente é totalmente impossível. Não dá.

"Enquanto costurava, me derramei aos pés do meu Senhor dizendo: 'Meu Jesus, somos só nós dois agora. O Senhor me conhece e sabe o que eu tenho contigo. Se não queres mais me dar filhos, fecha a minha madre. Eu não quero mais filhos da minha carne, pela minha vontade; quero gerar segundo o seu sonho. Se o Senhor tiver alguém aí no céu para me confiar, por favor, Jesus, eis-me aqui!' Chorei sobre as cortinas por muitas horas... aflita, derrotada. Levantei-me resignada. Eu precisava reagir, seguir, não podia passar a vida sobre aquelas cortinas. E mais uma vez coloquei meus pés ensanguentados nas botinas da vida, amarrei bem amarrado e não quis mais olhar."

- Recomendo este livro para todos aqueles que quiserem conhecer um pouco mais da Fernanda Brum, da sua história. E, sobretudo, recomendo para aqueles que acreditam. Se você não acredita em certas coisas, espirituais, não acredito que vá gostar do livro, que vá sentir por ele o mesmo que eu senti. No entanto, creio que mesmo assim você deveria dar uma chance ao livro. Apenas uma chance. Uma oportunidade dele te atingir como me atingiu. :)

Lembre-se: não é uma ficção. Não é uma história criada por nenhum escritor de romances ou algo do gênero. É uma história real. Uma autobiografia. Contada de maneira simples, pessoal. Por alguém que abriu a sua vida, sua alma, seu coração... suas lembranças. 

Em Tua Presença

Ele Escolheu os Cravos

Espírito Santo

Dá-me Filhos


- O prefácio deste livro é escrito pela Eyshila, melhor amiga da Fernanda Brum. Quem canta ao lado dela músicas belíssimas sobre amizade, no CD Amigas vol. 1 e vol. 2. 


Vou te Levar

Canção para minha Amiga

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.