O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Adorável Mentirosa - Celeste Bradley

(Título Original: Seducing the Spy
Tradutora: Silvia Lúcia Sardo
Editora: Nova Cultural)

4º Livro da Série Quarteto Real 
(Royal Four/Clube dos Espiões de Elite)

Inglaterra, 1813

Espiões de elite, os Royal Four são insuperáveis em coragem, honra e audácia... 

Conhecido por seus companheiros como Falcão, lorde Wyndham é o mais reservado e misterioso dos quatro. Mas ao conhecer a impetuosa lady Alicia, ele descobre uma alma gêmea à sua altura, uma mulher apaixonada que o fará reconsiderar seu conceito sobre o amor... 

Renegada pela sociedade por causa de um deslize inocente, Alicia Lawrence toma conhecimento dos detalhes de uma conspiração que poderá mudar o destino de seu país, e recorre à única pessoa que acreditará nela: Stanton Horne, lorde Wyndham. 

Fazendo-se passar por amante de Stanton, para surpreender o inimigo, Alicia se vê envolvida numa estranha e sedutora parceria...


Palavras de uma leitora...


- Eu sabia que tinha motivos para temer a história dele...

Foi algo que percebi ao ler o livro anterior, que conta a história de Marcus e Julia. Ao conhecer o famoso Falcão, quarto membro do Royal Four, eu soube que teria problemas com ele. E não estava enganada. Frieza parecia seu nome do meio.

- Pense em alguém intolerante, que não admite a mais insignificante mentira de ser humano algum, antiquado, amante de todos os bons costumes e convenções sociais. Que não aceita a imperfeição e nenhuma fraqueza humana. Alguém mais do que disposto a olhar para um pecador com seu olhar frio, impiedoso e superior e não apenas atirar a primeira, mas também todas as demais pedras. Pensou em alguém assim? Então já sabe quem é Stanton, o Falcão. Não. Eu não tive vontade de atacar algo na cabeça dele. Tive vontade de fazer coisa muito pior.

- Durante boa parte da leitura eu acreditei que estava tendo um pesadelo. Porque é claro que esse mocinho não podia ser da Celeste Bradley. Ela cria alguns mocinhos que sabem ser insuportáveis quando querem, que são intolerantes, arrogantes e tudo o mais, porém o Stanton vai além de tudo isso. Ele se considerava um ser acima dos demais. Alguém perfeito que os outros tinham que seguir como exemplo. Não é à toa que os membros do Royal Four eram seus únicos amigos. E seus empregados temiam até mesmo respirar perto dele. Quem iria querer ter por perto alguém como ele, tão disposto a julgar e condenar?

- Existem pessoas que pensam que Deus pediu a ajuda delas para nos julgar. E Stanton é uma dessas pessoas. Sei que todos nós já julgamos alguém nesta vida. Penso que é normal. Mas também somos capazes de reconhecer que também erramos, que não somos perfeitos. No caso do Stanton, ele se considerava alguém que estava acima de todos. E por causa disso, estava sozinho há mais de dez anos e provavelmente seguiria assim pelo resto da vida se não tivesse se apaixonado por uma mocinha que nunca desistia sem lutar. E que estava disposta a lutar por ele até o último dia de sua vida. Somente alguém como ela seria capaz de suportar um traste como esse.

- Que rumo pode tomar uma história que se passa entre um sr. Perfeição e uma mocinha vista como prostituta por toda a sociedade e tendo que viver isolada de todos por anos, mal indo à rua? Não sei o que a autora pretendia. Fazer o sr. Perfeição mudar seus conceitos, tornar-se mais humano e compreensivo ao se apaixonar por uma "mulher de reputação condenável"? Talvez. É bem provável que ela pretendesse fazer seu mocinho aprender algumas lições sobre a vida e os seres humanos, mas duvido que ele tenha aprendido todas.

- Alicia já havia sentido o gosto da traição. Não uma. Mas várias vezes. Aos 18 anos, ela descobriu que não podia confiar nem em seus próprios pais, pois eles foram os primeiros a arruiná-la e depois lhe virar as costas, como se ela já não fosse nada para eles. Como se estivesse morta. 

Foi um golpe muito difícil, pior do que a traição do homem que ela acreditava que a amava. Ela havia sido criada por aquelas pessoas, os chamara de mãe e pai e nunca seria capaz de esquecer o que eles lhe fizeram. E ela sabia que no dia em que a oportunidade surgisse, os faria pagar com juros todo o mal que lhe causaram... 

Durante cinco anos, ela suportara o ostracismo e vivera mergulhada numa vida de tristeza e miséria, mal tendo o que comer ou vestir. Pagando por ter se apaixonado. E por ter confiado em sua família. Mas, após ouvir uma conversa bastante suspeita e perigosa, sua vida sofre outra drástica mudança... lançando-a novamente no mundo dos nobres hipócritas, que a condenaram por pecados muito mais leves do que os deles. E lhe dando finalmente a oportunidade que ela tanto esperara: de ter a sua vingança. 

Stanton, conhecido como Falcão entre os Royal Four, era um homem que sabia quando uma pessoa estava mentindo. Após anos e mais anos de intensa observação, ele aprendera cada sinal ou expressão que denunciava as mentiras que eram contadas por todos que o cercavam. Um "dom" muito útil quando se é um espião tão importante a serviço de sua pátria. Mas que o fizera manter-se distante das pessoas desde criança. Ele não suportava mentiras, pois era uma pessoa que sempre contava a verdade. Reprovava qualquer comportamento imoral, qualquer falha de caráter... qualquer erro. Não que ele julgasse os outros abertamente, mas um simples olhar era suficiente para afastar qualquer um e fazer essa pessoa se sentir mal consigo mesma. E tudo que ele menos poderia querer em sua vida era ver-se cara a cara com a mulher mais escandalosa que já ousara pisar nos salões da alta sociedade. Durante muitas décadas as pessoas ainda se lembrariam de lady Alicia e sua imoralidade. E ele não queria ver-se associado a ela. Mas também não poderia ignorar suas palavras. Se fosse verdade tudo o que ela dissera, o Príncipe Regente e toda a Inglaterra, estariam em perigo. Somente se fosse verdade... algo que ele ainda não conseguira descobrir, pois com Alicia, ele experimentou uma grande frustração: a incapacidade de saber se ela dizia ou não a verdade...

Disposto a fazer o que fosse preciso para proteger a sua pátria, ele decide fingir que os dois são amantes e assim fazê-la circular por ambientes nos quais pudesse identificar o traidor... expondo-a ao perigo e aos olhares e palavras de desprezo... algo que Alicia poderia suportar. Porém, mais do que isso... Stanton expõe o seu coração, tornando-a vulnerável apenas para fazê-la experimentar uma dor muito pior do que qualquer coisa que ela tenha sentido na vida...

"Pela primeira vez, Stanton sentiu uma pontada de culpa por expor Alicia daquela maneira. Não seria fácil enfrentar a sociedade que a condenara. Ele apertou-lhe a mão. 

- Não tenha medo, Alicia...

Ela o fitou com um brilho beligerante no olhar.

- Eles devem ter medo de mim."

- Nunca direi que não valeu a pena conhecer esta história. Valeu sim. E muito. Porque tive a oportunidade de conhecer Alicia, uma mocinha cruelmente golpeada pela vida, mas que jamais aceitaria permanecer no chão. Era alguém que não importava quantas vezes caísse, sempre se levantaria, ergueria a cabeça e seguiria em frente. Alguém que enfrentava as acusações e o desprezo dos demais de frente e os colocava em seus devidos lugares. Ela me causou uma grande admiração. E respeito. Além de ternura, é claro. Porque por trás de toda essa coragem impressionante, essa garra, vontade de viver e recomeçar, existia uma jovem profundamente machucada, que já não era capaz de confiar em ninguém. Eu senti imensa vontade de protegê-la de todas aquelas víboras e sobretudo do Stanton. Porque ninguém tinha mais poder para feri-la do que ele. Nunca vou considerá-lo digno de alguém como ela. Ele não a merece. A autora pode ter acreditado que sim, mas eu não fui convencida. Amor? Sim. Talvez ele tenha se apaixonado por ela, talvez a tenha amado... mas esse amor jamais foi capaz de impedi-lo de julgá-la, condená-la e tratá-la como qualquer outro cretino trataria. Todas as vezes que ele a tocava, eu sentia uma fúria e um golpe no coração. Porque ele a tratava como se ela fosse a prostituta que a sociedade a considerava. E me doía imenso que a Alicia estivesse disposta a aceitar tal comportamento, por estar perdidamente apaixonada por ele. 

Alicia não era do tipo que se apaixonava com reservas. Ela se entregava por completo ao sentimento, ao que o seu coração desejava. Sabia que jamais poderia casar ou ter filhos, já que estava totalmente arruinada e homem algum iria querer uma mulher nestas condições. Por isso, aceitava cada momento que pudesse ter com o Stanton, não importando a forma desprezível como ele a tratava. Ela podia suportar isso. O que ela não poderia suportar seria não ter sequer essas lembranças para carregar durante os anos que se seguiriam... e isso partia meu coração. Ele pisava nela e ainda assim ela ia atrás dele. Ainda assim ela tentava compreendê-lo... Ela o amava tanto que seria tanto capaz de matar quanto morrer por ele. E nunca ele valorizou tal sentimento. Sua demonstração de amor, na minha opinião, é totalmente insignificante perto das coisas que ela fez por ele. Ele nunca vai merecê-la. 

- Enfim... Vou dar quatro estrelas ao livro por causa da Alicia. Por causa da sua coragem e do seu amor. Por ela nunca ter se rendido, por ser a grande guerreira que é. Se fosse pelo Stanton, eu sequer me daria ao trabalho de avaliar o livro. Que ele e sua perfeição vão para um planeta bem distante e permaneçam lá! O mais longe possível das minhas vistas! 


1ª parte - Liar`s Club:


2ª parte - Royal Four Club:

Adorável Mentirosa 

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.