O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Dulce Amargo - Dulce María

(Título Original: Dulce Amargo
Tradutora: Gabriela Cleefi
Editora: Universo dos Livros
Edição de: 2015)


Lembranças de uma adolescente

Neste emocionante livro, a cantora mexicana Dulce María abre o coração para compartilhar uma série de composições suas com os fãs, dando voz à montanha-russa de sensações que é a juventude. Com o propósito de incentivar no público a reflexão sobre diversos temas, como amor, solidão e relacionamentos, Dulce decidiu revelar seus mais íntimos pensamentos, além de diversos desenhos feitos por ela. 

"Esses escritos foram e serão parte de quem sou", declara. Com uma visão mais madura de si e do mundo, a autora deseja transmitir mensagens de seu interior para as antigas e novas gerações de jovens, discorrendo sobre emoções que percorrem tons desde um azul melancólico até o mais brilhante e feliz. E não é que a vida é mesmo assim, cheia de altos e baixos? Você já a conhece por meio de sua voz, conheça-a agora também por meio de seu coração!




Palavras de uma leitora...




- Alguém aqui, como eu, se lembra com carinho da época maravilhosa que foi aquela na qual nos emocionávamos, ríamos e chorávamos com uma novela que para mim foi uma das melhores já feitas? Rebelde. Já ouvi dizer que os fãs da Geração RBD se dividem em três espécies: aqueles que amaram e hoje não gostam mais; os que ainda gostam, mas sentem vergonha de admitir; e os que são fãs incondicionais e não têm um pingo de vergonha de dizer, gritar aos quatros ventos. Eu pertenço a esta última espécie. :D 

No início, eu não dava nada pela novela. Estava acostumada a assistir dois tipos de novelas diferentes: as infantis, como Chiquititas, e outras como A Usurpadora, Maria do Bairro, Rosalinda, Laços de Família, Alma Gêmea... Não assistia novelas com protagonistas adolescentes, algo voltado para esse público. Não que eu não gostasse. É que não passavam novelas assim com frequência e eu não fazia ideia se iria gostar de Rebelde ou não. Mas bastou o primeiro capítulo para que a novela me prendesse com força e eu fosse completamente incapaz de resistir à ela. :) Foram tantos momentos... Foi pura magia. Emoção. Risos e lágrimas. Eu vivia intensamente com eles. E a personagem que mais me cativou, aquela por quem eu torcia e chorava junto foi Roberta Pardo, a mais rebelde, guerreira e marcante de todas. Uma personagem da qual é impossível esquecer. Interpretada pela minha querida Dulce María, autora do livro que era para eu estar resenhando agora.rsrsrs

Rebelde passou. A novela chegou ao seu fim. E a banda RBD, que surgiu a partir da novela e foi sucesso mundial, também chegou ao seu final. Porém, nos corações dos milhões de fãs espalhados pelo mundo, a novela e a banda continuam "vivas" e estarão para sempre. Porque quando a gente ama, seja o que for... uma novela, uma música, um livro, uma pessoa.... aquilo que amamos vive para sempre. O amor não morre. Passe o tempo que passar. 

Após a novela e banda, cada um dos seis protagonistas seguiu seu próprio caminho. E aquela que interpretou a minha personagem favorita continuou sendo a que eu mais admirava. Porque conhecer sua personagem apenas abriu uma porta para que a conhecêssemos também como cantora, compositora incrível e uma pessoa maravilhosa, sempre disposta a transmitir mensagens de amor e esperança... escritos que nos chegam à alma. Alguém que não precisa se esforçar para ser muito amada por seus fãs. 


- Faz pouco menos de dois anos que eu tenho este livro. É um dos mais especiais, guardado com todo carinho e cuidado na minha estante. Eu o ganhei de presente da minha mãe, que sabe o quanto sou fã da Dulce e estou sempre falando dos textos dela, suas músicas etc.rsrs E apesar de ter desejado muito ler o livro há bastante tempo, não encontrava o momento perfeito. Pegava o livro nas mãos e pensava: "Não. Ainda não é o momento. Preciso mergulhar de corpo e alma nas histórias que estão em suas páginas." E então... Ontem eu o peguei e senti uma vontade irresistível de folheá-lo... quando dei por mim já estava quase terminando e desejando com todas as minhas forças que tivesse mais páginas, mais desenhos, mais textos tão tocantes.

Além de uma atriz capaz de viver por inteiro tanto uma adolescente rebelde, querendo ser amada e ter sua voz ouvida (Rebelde) quanto uma assassina complexa (Mujeres Asesinas) ou uma vilã disposta a fazer todo o necessário para conseguir o que deseja (Corazón que Miente), Dulce é também cantora e compositora de músicas que não me canso nunca de ouvir. Se fosse mencionar as músicas dela que mais amo, falaria de quase todas.kkkkkkk... Mas as especiais, sem sombra de dúvidas, são "No se Parece", "Dejarte de Amar", "No Sé Llorar", "No Pares", "Te Daría Todo", "Dicen", "Aire", "Llévame", "Más Tuya que Mía", "Reloj de Arena", "Yo Sí Quería"... 

Mas hoje não vim falar de seus papéis nas novelas ou suas canções que sempre me dizem muito. Vim falar de seu livro, no qual ela abre um pouco mais de seu coração, dividindo com o mundo escritos de momentos de dor e alegria, perdas e conquistas, lembranças de sua adolescência e a confusão de sentimentos que fazem parte de uma época tão complicada da vida de qualquer pessoa. 

- Quando comecei a ler o livro já fui atingida pelas palavras iniciais da Dulce, quando ela relembra sua adolescência e o medo que sentiu poucos anos atrás, quando sentiu que estava perdendo aquilo que havia sido, aquilo que era e acreditava. E então teve que acordar para reencontrar a si mesma. Para não deixar que o mundo, as exigências e preconceitos do mundo lhe roubassem sua essência. As palavras dela são tão lindas e motivadoras, nos impulsionando a fazer o mesmo por nós. A nos reencontrar. A buscar aquela pessoa que deixamos para trás, aquele "eu" que tinha fé, sabe. 

A vida não é fácil para ninguém. Isso não é algo que não saibamos. Todos nós vivemos com nossos próprios fantasmas, tivemos nossas perdas, desenganos, momentos que nos marcaram profundamente. Sejam momentos bons ou ruins. Sejam perdas que nos fizeram crescer ou nos arrancaram partes de nós mesmos. Mas não há dúvidas de que cabe a nós escolher se vamos deixar a dor, os momentos ruins nos afundar ou se faremos deles pontes para seguir adiante. Pode parecer fácil falar, mas sei bem como é difícil seguir em frente depois que caímos, sobretudo quando somos derrubados por aqueles que mais amávamos e em quem mais confiávamos. Mas se paramos para olhar para a vida... para crianças brincando nas ruas... o vento passando por nós, a chuva caindo ou um arco-íris surgindo, quando recebemos o carinho de um animalzinho indefeso que nos ama incondicionalmente... vemos que viver vale a pena. Que é um privilégio estarmos aqui. E que temos que fazer o melhor. Viver da melhor maneira. É uma oportunidade única. Nenhum dia volta atrás. Nada jamais vai voltar. Cada novo dia é uma chance de escrever uma nova história, de escolher um novo caminho. De simplesmente viver. Então, deixar a dor para trás e amarmos a nós mesmos é uma escolha. Que precisa ser feita. Para que no final... a gente sinta que fez o melhor. Que viveu tudo o que poderia ter vivido. Que tudo valeu a pena. 

Neste livro, a Dulce nos mostra sua alma. Seu coração feito em pedaços e que ela reconstruiu. Nos mostra que não é apenas uma artista. Que por trás da atriz/cantora/compositora amada por milhões de fãs, vive um ser humano que sente como todos. Que perdeu como todo mundo e que sempre escolheu seguir em frente e recomeçar. Suas palavras são belas e por vezes nos fazem chorar. São escritos tão lindos, gente! Meus textos preferidos são: "Um Mar de Gente", "Pobre Lua", "Sozinha na Batalha", "Resíduos de Amor", "Pedacinhos de Estrelas" (este eu já conhecia, pois ela já o havia dividido com a gente em shows do RBD), "Mais Sua do que Minha" (quem não se lembra da música?!), "As Aparências Iludem", "Que Ninguém te Mude", e, sobretudo, "O Mito do Esquecimento". 

- Me emociona ter tido o privilégio, a linda oportunidade de ler este livro. De ler suas palavras, conhecer um pouco mais do seu coração. A Dulce, assim como a Fernanda Brum, sem nem me conhecer já me ensinou inesquecíveis lições nesta vida. Ela é uma pessoa que sempre tem algo a acrescentar, mesmo na vida daqueles que não conhece. 

Espero muito que ela siga escrevendo, sejam músicas belíssimas ou textos emocionantes como os presentes neste livro. Quero ler mais livros dela! Muito mais! :)


Deixo aqui duas das músicas da Dulce para vocês conhecerem. Espero que gostem! 


No Sé Llorar



Dejarte de Amar

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.