O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 25 de dezembro de 2016

Ame um Estranho - Kathleen E. Woodiwiss

(Título Original: Come love a stranger
Tradutora: Neide Camera Loureiro
Editora: Record
Edição de: 1994)

Lierin
Sem nome e sem memória, e com dois homens lutando por seu coração, ela vive um pesadelo de violência e loucura... 

Ashton
A esposa adorada e desaparecida volta a entrar em sua vida misteriosamente - fazendo recordar alegrias... e as sombras escuras de um perigoso passado. 

Impostora
Na sinistra teia de mentiras e trapaças, Lierin luta para recuperar a verdadeira identidade e pertencer ao estranho homem que a fez lembrar o que o amor não consegue esquecer.





Palavras de uma leitora...



- Vocês devem me achar um tanto louca por estar escrevendo uma resenha em pleno dia de Natal.rs Mas hoje eu basicamente dormi e li. Cada instante acordada eu me perdia nas páginas desta história e quando finalmente terminei de lê-la soube que não poderia deixar a resenha para amanhã. 

Li muitos comentários negativos sobre o livro Ame um Estranho. E este foi um dos motivos para eu ter adiado a leitura. Porém, os livros da Kathleen costumam me enfeitiçar, me envolver por completo, ainda que seus mocinhos não sejam politicamente corretos ou totalmente dignos de serem chamados de "mocinhos". Wulfgar que o diga, uma vez que fazia bem em certos momentos o papel de vilão no livro O Lobo e a Pomba. Ela sabe como prender os leitores às histórias, mesmo quando queremos assassinar certos personagens. Por isso, incluí o livro na meta de leitura, disposta a lhe dar uma chance. E não. Não me arrependi. 

A história se passa no século XIX. Após um primeiro encontro que lhe rouba o fôlego, Ashton se angustia ao imaginar que nunca mais veria a mulher que o enlouqueceu com um simples olhar. Mas o destino tinha seus próprios planos e não demorou para que ele tivesse a oportunidade de revê-la, num momento em que ela mostrou que seus olhos verdes eram capazes de brilhar com uma fúria incontrolável, enquanto ela lhe dizia tudo que pensava ao seu respeito. Naquele momento, ele perdeu para sempre o coração. Mas não poderia imaginar quão pouco duraria sua felicidade... 

Cerca de um mês após se conhecerem e se apaixonarem, Lierin e Ashton decidem se casar, sem esperar pelo consentimento do pai dela, que estava na Inglaterra e não nutria muita simpatia por americanos. Aproveitando-se de sua ausência e temendo que ele não permitisse que eles se casassem, Lierin contou com o apoio do avô e pouco tempo depois ela e o marido iam em direção ao seu novo lar, acreditando que nada no mundo seria capaz de separá-los ou se intrometer no mundo de sonhos que criaram para si. Porém uma trágica põe um doloroso fim à vida que pretendiam construir juntos.

Durante a viagem para o seu novo lar, Lierin acaba morrendo afogada quando a embarcação que os levava é atacada por piratas. Ela ainda lutou contra as águas que ameaçavam todos os sonhos que tinha. Não queria deixá-lo. Não queria morrer, mas quando percebe que seu marido havia sido atingido por um disparo, toda a força lhe escapa e ela se deixa levar pelas águas... para o fundo... E seu último pensamento foi para ele. Para o homem que ela não suportaria perder. 

"[..] e à claridade fria do dia ele tinha de enfrentar a realidade torturante de que seu amor se fora para sempre."

Três anos depois, Ashton ainda não conseguira superar a perda de sua amada. Da única que conseguira roubar seu coração. Sentia, mesmo que parecesse loucura, que ela estava por ali... e que algum dia perceberiam que tudo não passara de um pesadelo. E então a dor iria embora e ele poderia estar de novo com Lierin. Amá-la com a mesma loucura do passado... sorrir ao seu lado e criar os filhos que desejavam ter. Não podia suportar um mundo onde ela não existisse...

Então... enquanto ele regressava para casa após mais uma de suas viagens, sua carruagem atropela uma jovem a cavalo, lançando-a ao chão e fazendo-o temer que a mesma morresse com a queda. Desnorteado, ele vai em seu socorro, apenas para ver-se diante de alguém que era a imagem de sua esposa. De sua Lierin. 

Confuso com a intensa semelhança, ele luta para não acreditar que ela fosse sua mulher. Lierin estava morta. Não podia se deixar levar pela dor e criar a ilusão de que aquela misteriosa jovem fosse ela. Mas quando ela finalmente abre os olhos... toda dúvida dá lugar à certeza de que, fosse por um milagre ou qualquer outra coisa, aquela era sua amada. E ninguém seria capaz de separá-los de novo. 

"Tenha piedade de mim, Lierin, e fique para sempre ao meu lado. Não desapareça de novo, porque certamente não serei mais um homem."

Seria esta jovem ferida, perdida e sem memórias realmente a mulher que um dia ele perdera para as águas do mar? Às vezes a vida nos dá aquilo que nosso coração mais deseja... e às vezes... não.


- Eu fiquei grudada ao livro desde a primeira página, mas a semana foi extremamente corrida e sempre que eu queria parar tudo e me concentrar apenas no livro, surgia algo para fazer e assim eu fui me irritando.rsrs Só hoje pude realmente estar com os personagens, entrar na história deles e me deixar envolver por completo por todo amor, sofrimento e intrigas que fazem parte de suas vidas. 

A história é presumível. Pude adivinhar o que se passava bem antes de toda a verdade aparecer. Desde as primeiras páginas eu já sabia o que aconteceria e nada me surpreendeu. Nem um pouco.rs Claro que isso não me impediu de ficar com os olhos cheios de lágrimas, xingar e amaldiçoar certas pestes de personagens e torcer por um final feliz ao estilo de Judith McNaught. Suspiros... Mesmo sabendo que o final não seria como o da JM. A Kathleen tem uma maneira interessante de escrever finais. Já estou acostumada. No entanto, sonhar não custa nada, certo?

- Amei muito o Ashton, seu amor incondicional, que nem a morte seria capaz de destruir. Ele jamais aceitou a morte de Lierin. Nunca pôde arrancá-la de seu coração, construir um novo mundo onde ela não mais estivesse. Ele vivia das lembranças que possuía e da fé de que um dia voltaria a vê-la. É impossível não se comover com este amor tão lindo! 

E também pude compreender toda angústia, confusão e desespero que faziam parte dos dias da jovem que nosso mocinho afirmava ser sua esposa. Após o acidente envolvendo a carruagem do Ashton, ela perdeu a memória de quem era e mesmo que ele apresentasse provas de que ela era quem ele dizia ser, a dúvida permanecia, pois alguém morto não pode simplesmente voltar assim. Ainda que o corpo de sua mulher não tivesse sido encontrado, era impossível que alguém caísse naquelas águas e sobrevivesse após várias horas, dias e semanas de buscas. 

Porém enquanto se recuperava na casa dele e o via todos os dias, cada vez mais era envolvida pela certeza dele, querendo com todas as forças acreditar que era sua mulher. Que pertencia àquele homem.

"Às vezes o amor podia vir e ir como os ventos errantes habituados a passarem impetuosamente sobre a praia; mas, por outro lado, podia ser uma coisa eterna que a distância, os anos e as agruras não conseguiam derrotar."

- A história dá várias voltas, fazendo com que a felicidade vá para bem longe dos protagonistas. Eles sofrem bastante, têm suas vidas ameaçadas por intrigas e ódio e pela própria dúvida acerca da identidade da mocinha. Porque mesmo enquanto os dois queriam acreditar que ela fosse Lierin, certos acontecimentos e pessoas tinham toda a certeza do contrário, lançando-os numa luta intensa para terem o direito de estar juntos. Mas uma coisa era certa... Fosse qual fosse o nome dela, Ashton não estava disposto a perdê-la uma segunda vez. Faria o que fosse preciso para mantê-la ao seu lado. Ainda que isso lhe custasse a própria vida... 

- Eu gostei muito desta história. Muito mesmo! Mas não pude deixar de desejar que certas coisas acontecessem de maneira diferente, que a autora se dedicasse mais ao envolvimento entre o casal e menos a tudo que estava contra eles. Achei que o livro podia ter um ritmo diferente e um final mais de acordo com o amor que os personagens sentiam. Enfim... Mas nem tudo é como a gente quer.rs

Dei 4 estrelas ao livro. Mesmo sendo uma história bem construída, inteligente e linda, não chega a ser digna de 5 estrelas porque a autora se concentrou demais em coisas que não mereciam tantas páginas. É uma história que tinha tudo para se tornar uma 5 estrelas, mas infelizmente a Kathleen não explorou todo o potencial desta maravilhosa história, desta trama tão bem elaborada. O que é realmente uma pena. :(

Mesmo assim, é uma história que vale muito a pena ler! Claro que recomendo!


Feliz Natal, meus queridos!!!! Sei que o dia está quase terminando, mas desejo que a magia desta data tão especial permaneça com vocês! Que cada dia seja recheado de amor, paz, saúde e muita felicidade! Que saibamos todos amar. Perdoar. E nos importarmos com as outras pessoas, mesmo que não as conheçamos. Que venhamos a pedir a Deus por aqueles que mais necessitam de amor e ajuda. Que amemos, gente! O amor é o mais lindo sentimento que existe. E foi por amor que Jesus veio ao mundo e passou tudo que passou para nos salvar. Para nos dar uma nova chance. Se estamos vivos é  graças a Ele. Cada dia é um milagre. Aproveitem muito estes milagres! Estas chances de serem felizes! Viva o amor! Sempre!

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.