O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Missa do Galo - Machado de Assis


Contos Escolhidos - 1/30


Machado de Assis é um dos mais renomados contistas da literatura brasileira. Transitando entre os diversos tipos de contos - do tradicional ao moderno -, seus textos são originais e complexos. São contos cheios de acontecimentos intensos - quase sempre envolvidos num clima de tensão -, repletos de personagens polêmicos e ambíguos e de jogos e armadilhas textuais que induzem à dúvida, relativizando a maior parte das ideias e levando o leitor a refletir sobre suas "certezas". 




Palavras de uma leitora... 


"Deus me perdoe, se a julgo mal. Tudo nela era atenuado e passivo. [...] Não dizia mal de ninguém, perdoava tudo. Não sabia odiar; pode ser até que não soubesse amar."

- Este é um conto bem curtinho mesmo, que logo no início nos apresenta o protagonista Nogueira e suas lembranças acerca de um acontecimento que lhe marcou a vida. Algo que, embora pudesse parecer insignificante para alguns, permaneceu em sua memória apesar do passar dos anos. Algo que ele jamais entendeu. Uma conversa. Uma simples (talvez nem tanto) conversa com uma mulher às vésperas da missa do galo. 

Ele já a conhecia. Mas, depois daquela noite, era possível que julgasse que nunca a tinha conhecido de verdade, tamanho o contraste entre a mulher reservada e infeliz e aquela que se aproximou dele inesperadamente e, sentando-se ao seu lado, lhe mostrou mais de si mesma do, quem sabe, jamais mostrou a ninguém. Seriam as duas a mesma pessoa? Quem, de fato, era Conceição? A verdade é que ele não sabia. Tudo o que tinha certeza é que, passasse o tempo que fosse, não conseguiria tirá-la de sua cabeça. 

"Há impressões dessa noite que me aparecem truncadas ou confusas. Contradigo-me, atrapalho-me. Uma das que ainda tenho frescas é que, em certa ocasião, ela, que era apenas simpática, ficou linda, lindíssima."

- Nogueira tinha apenas dezessete anos quando a misteriosa e marcante conversa ocorreu entre ele e Conceição, esposa de um primo seu, e a dona da casa na qual ele estava se hospedando naquela época. Era um estudante como outro qualquer, jovem, ingênuo e curioso. Naquela noite de Natal, seu maior desejo era assistir à missa do galo e, impaciente, recusou-se a dormir, preferindo a companhia de um livro enquanto não dava a meia-noite. 

Foi assim que ela o encontrou. Conceição já deveria estar dormindo, pois era muito tarde. Estranhamente porém, ela resolveu se juntar a ele e conversar com um rapaz que praticamente ignorava enquanto estava em sua casa. Alguém por quem ela jamais demonstrou qualquer interesse. Mas naquela noite tudo foi diferente. O marido dela havia saído, como sempre, para ir ao "teatro" (traí-la com a amante, em outras palavras) e todos na casa estavam dormindo. Trajando um roupão branco e com um brilho diferente no olhar, ela entrou na sala, surpreendendo-o e enfeitiçando-o, provavelmente sem ter a menor intenção de fazê-lo. Aquela era uma mulher que, talvez contagiada pelo clima de Natal e os mistérios da noite, ousou, uma única vez na vida, mostrar quem realmente era. A mulher que mantinha presa em seu interior, que sufocava num casamento infeliz, sendo constantemente traída e não podendo fazer nada a respeito, por viver numa época em que dependia totalmente da "bondade" do marido para ter um teto sobre a sua cabeça. Eu acredito que naquela noite ela quis ser apenas ela mesma. Conversar com alguém que estivesse disposto a ouvi-la. Contar seus sonhos... mostrar que era muito mais do que a mulher que andava sempre apagada pela casa. Ela quis mostrar que era simplesmente... mulher.

Foi breve o momento. Fugaz. Mas tamanho foi o impacto que as palavras, os olhares perdidos e os gestos dela lhe provocaram, que Nogueira nunca pôde esquecê-la. Ele próprio não a julgava alguém especial, importante, antes daquela noite. A via como uma mulher comum e é até mesmo divertido observar como ele ficou impressionado com a mudança que ela sofreu naqueles minutos. Como ela pareceu diferente... esperta, viva, inteligente, mulher.

- Sei que este conto deixa muito à imaginação. Uma característica que adoro nos contos e parece ainda mais presente nos do Machado de Assis, segundo li, é o fato de contarem algo sem de fato contarem muito. rs Os contos deixam coisas em aberto, questões que podem ser interpretadas livremente pelo leitor. E isso é bem presente neste conto aqui. Tenho certeza que muitos leitores acharam que rolou sedução e flerte entre a Conceição e o Nogueira. Sinceramente, não vi as coisas desta maneira. Da parte dele, houve um interesse evidente. Ele ficou muito impressionado com ela. Atraído, como podemos observar por suas próprias palavras. Mas da parte de Conceição, não dá para saber ao certo. Só tive a impressão forte de que ela queria apenas ser ouvida, por alguém que realmente a escutasse. 

- Nunca na vida resenhei um conto.rs E me dá certo receio começar justamente por um do Machado de Assis, grande escritor do século XIX, leitura obrigatória na escola e na vida dos vestibulandos. 

Apesar de ter sido uma boa aluna na minha época de colegial, jamais tinha lido nada deste autor. Eu torcia o nariz e fugia dele como o diabo da cruz. Tinha pré-conceitos (sim, escrevi assim de propósito), achava que era leitura difícil e chata e, mesmo tendo conhecido "por alto" alguns dos seus escritos por causa das aulas de Literatura e dos vestibulares, não tive interesse em pegar num dos seus livros para ler. Até agora

- Estou numa fase "clássica".rsrs Os dois projetos dos quais estou participando este ano já desenvolveram papéis importantíssimos no meu crescimento como leitora e escritora aprendiz. O Desafio 12 Meses Literários, por exemplo, me deu a chance de ler um clássico que estava há séculos na minha estante e depois da leitura só posso lamentar por todo o tempo que desperdicei sem tê-lo lido. Lamentar por ter sido tão estúpida e adiado a leitura de um dos melhores livros que já li na vida: Orgulho e Preconceito - Jane Austen

- Missa do Galo é o primeiro dos 30 contos que fazem parte de um livro lindo que adquiri chamado Contos Escolhidos. Todos da autoria do Machado de Assis. Pretendo carregá-lo comigo na bolsa ao longo das próximas semanas e ir intercalando a leitura dos romances com os contos presentes nele. :) Não prometo que farei a resenha de todos, apenas dos que me despertarem maior interesse e carinho. Missa do Galo me conquistou por completo! E recomendo muito! É uma leitura rápida, deliciosa e que deixa margem a várias interpretações.rs 

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.