O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 22 de abril de 2018

Como se Vingar de um Cretino - Suzanne Enoch

(Título Original: The Rake
Tradutora: Thalita Uba
Editora: Harlequin
Edição de: março/2018)

Lady Georgie está cansada de ver Tristan Carroway, visconde de Dare, partir os corações das jovens damas da sociedade londrina. Ela o considera um cretino por fazer isso sem remorso e porque também já caiu na sedução dele. Seis anos atrás, Tristan se empenhou em cortejá-la, tudo por causa de uma aposta que quase arruinou o futuro da jovem debutante. Disposta a se vingar, Georgiana acha a forma perfeita: seduzir o terrível visconde e abandoná-lo. Dessa forma ele aprenderá a respeitar os sentimentos das outras pessoas. 

Tristan está em um momento perigoso: sua família está à beira da falência e a única forma de solucionar o problema é se casando com uma herdeira que esteja interessada no título de viscondessa de Dare. Mas como é possível se aproximar e conquistar uma esposa se Georgiana Halley está sempre atrapalhando, seja batendo-lhe os dedos com um leque ou... simplesmente roubando o seu coração? Ser seduzido não está nos planos de Tristan, mas se Georgie acha que pode sair impune dessa lição, talvez ela esteja muito enganada!



Palavras de uma leitora...


Eu fiquei louca para ler Como se Vingar de um Cretino logo que soube de seu lançamento. Mas os Correios, que nutrem um forte afeto por mim, resolveram dificultar bastante as coisas já que mandaram o livro de volta para a editora e a Harlequin teve que reenviá-lo, o que, consequentemente, atrasou minha leitura. Enfim... Ainda vou acabar matando os Correios, e não me digam que isso é impossível

Assim que o recebi fiquei ansiosa para terminar a leitura do livro sombrio que estava me perturbando para poder me perder na história de Georgiana e Tristan e entender o que diabos ele tinha feito para que ela quisesse lhe ensinar uma lição. Estava preparada para odiar o mocinho ou, pelo menos, o traste que ele tinha sido no passado. Mas, sinceramente, nem cheguei perto de sentir algo semelhante a ódio por ele. Muito pelo contrário!

" - Eu sinto muito, sabia?
Ela desacelerou, o coração disparado.
- Sente pelo quê?
- Por tê-la enganado. Havia coisas que eu não estava...
- Não quero ouvir. Você está seis anos atrasado, Tristan."

Seis anos atrás, quando tinha apenas 18 anos e acreditava que passaria o resto da vida ao lado de Tristan, Georgiana sofreu uma grande decepção, pois o homem que amava e que lhe fizera tantas promessas só brincara com seu coração, destruindo sua inocência e confiança nos outros. Ela sobreviveu ao duro golpe, ergueu a cabeça e seguiu em frente e somente os dois sabiam toda a verdade por trás da forte inimizade que a sociedade passou a presenciar daquele momento em diante. Porque onde quer que se vissem trocavam ofensas ferinas e Tristan sempre saía com alguma parte do corpo lesada. Ela o odiava e não fazia questão de esconder isso. Jamais o perdoaria. 

Cansada de vê-lo tentando destruir o coração de outras jovens debutantes, Georgiana finalmente percebe que chegou o momento de fazê-lo provar do próprio veneno. Ele despertava o que de pior existia nela e seu descaso para com os sentimentos das outras pessoas apenas intensifica seu desejo de retaliação. Se vingaria de Tristan e o faria se arrepender de um dia ter cruzado o seu caminho. 

Mas para colocar em prática os seus planos necessitaria estar mais próxima dele. O que não seria nenhum problema, certo? Afinal de contas, muitos anos se passaram e saber do que ele era capaz a tornara imune ao seu charme. Não importava o quanto seu sorriso fosse irresistível ou seu toque capaz de fazê-la esquecer o próprio nome. Não cairia outra vez no seu jogo. Dessa vez, ela ditaria as regras. 

Todavia, com coração e mente travando uma batalha implacável, e com Tristan determinado a tê-la de volta em sua vida... todo plano bem traçado tem tudo para dar errado. 

Ela queria vingança... Ele queria bem mais que o seu perdão. Seus corações só queriam acreditar outra vez no amor. 

"Eu daria tudo pra sentir de novo amor." [Música: De Volta pro Amor - Yahoo]

- Durante a leitura desta história, quanto mais conhecia o passado dos protagonistas e acompanhava as batalhas divertidas que eles travavam, com a química sempre muito presente, não importava quanto ressentimento os separasse, quanta mágoa ainda existisse... quanto mais próxima me tornava dos dois mais me lembrava de duas músicas que amo. E que parecem escritas para esse casal tão complexo e querido. Não nego que Tristan errou feio com nossa mocinha e que ela tinha todos os motivos do mundo para querer vingança, mas a verdade é que ambos desejavam algo bem diferente. Eles só queriam uma segunda chance. Só que Tristan acreditava que não a merecia, que jamais conseguiria que ela o perdoasse e voltasse a acreditar nele. E Georgiana, por outro lado, ainda estava muito ferida e encontra na vingança a oportunidade de fazê-lo enxergar o dano que tinha lhe causado e que isso não iria ficar assim. Que ele teria que pagar por cada sonho destruído. Seu coração, porém, só queria gritar que ainda o amava e que ela gostaria de estar em seus braços, de encontrar segurança ali, de poder entregar-se por inteira sem medo de sair machucada de novo. 

"Se eu abrir o meu coração... Eu só te peço que não me detone outra vez." [Música: De Volta pro Amor - Yahoo]

- Foi delicioso acompanhar o desenvolvimento da história entre os dois. Eu ria tanto com algumas cenas!kkkkkk... A troca de farpas, a mania dele de presenteá-la com leques cada vez que ela quebrava um nos dedos dele, as valsas que eles dançavam juntos como se o mundo não existisse mesmo que jurassem que não gostavam nem um pouquinho sequer um do outro... Qualquer pessoa, até mesmo uma bem míope como eu, enxergaria de longe que todo aquele ódio na verdade era amor... Um amor ferido, mas ainda assim amor. E que eles preferiam passar a vida se atacando porque a possibilidade de estar definitivamente separados era impossível de suportar. Eu amei os dois! Demais! Eles conquistaram meu coração. 

"E se eu abrir o meu coração... E minha alma te convidar. Todo cuidado pra não ferir. Não jogue meus sonhos fora outra vez..." [Música: De Volta pro Amor - Yahoo]

- Se alguém me disser que odiou o Tristan eu não conseguirei entender, confesso. Ainda que eu tenha sentido uma ligeira raiva pela maneira como foi um completo imbecil não achei que ele pensou nas consequências do que fez. Ele agiu mal, mas seus motivos, gente! Quem leu sabe que apenas escolheu o método errado e provocou uma grande lambança, destroçou com a própria vida, mas que nunca na vida quis magoá-la. Georgiana era tudo para o nosso mocinho. E toda vez que eu imaginava o quanto deveria ser difícil para ele sempre vê-la, sentir seu cheiro, lembrar do seu sabor, do seu toque e saber que jamais poderia tê-la de novo em sua vida... Isso partia meu próprio coração. E eu só queria prender os dois num quarto e jogar a chave fora.kkkkkk... Dois tontos que quase se condenaram à infelicidade por medo de tentar de novo. 

"Georgiana suspirou e deslizou os dedos pelo cabelo escuro e ondulado dele. Senhor, como sentira falta daquilo. Falta dele, da sensação dos braços fortes em torno do seu corpo e da boca curiosa e atraente. Ele intensificou o beijo. Um ruído escapou de dentro de seu peito."

- A autora não nos dá a oportunidade de conhecer muito bem o Tristan do passado. Acompanhamos a pessoa que ele é após o desastre que provocou em seu relacionamento com a Georgiana. Anos tinham se passado e sabemos que foi um cretino, que não tinha consideração por nada nem ninguém porque os outros personagens dizem isso e ele próprio recorda. O Tristan do presente é um homem irresistível, que tinha noção do que seu comportamento poderia fazer com os outros, se importava muito com a família e era capaz de tudo por eles, até mesmo de sacrificar a si mesmo para salvá-los da ruína. É alguém muito mais maduro e calejado. Ele aprendeu com os próprios erros e só consegui amá-lo e admirá-lo pela pessoa incrível que ele se tornou. Era um safado quando queria (e a Georgiana apreciava esses momentos.rsrs), mas também era um homem no qual se poderia confiar para além da cama. Pela Georgiana... ele seria capaz de qualquer coisa. Se ela permitisse, se lhe desse uma chance de consertar o passado, ele seria seu amante insaciável, marido protetor, melhor amigo, ombro pra chorar e aquele que a faria rir nos momentos mais inoportunos. Como não amá-lo, gente?! Suspiros... 

"Tristan a girou novamente, movendo-a em uma valsa silenciosa que ela parecia sentir tocando em seu coração."

- Já coloquei alguns trechos de uma das músicas que a história me lembrou... E qual é a outra música? :D Será que posso dizer?! Bem... A música é La Apuesta, interpretada por Thalía e Erik Rubin. Clique aqui para assistir o vídeo maravilhoso dessa canção belíssima. 

- Se, de repente, começar a aparecer aqui no blog resenhas de peças de Shakespeare sintam-se à vontade para culpar a Suzanne Enoch. Ela me atiçou tanto ao longo da leitura deste livro!kkkkk Abria cada capítulo com um trecho selecionado de alguma peça do autor e eu me via doida para conhecer tais histórias. Isso apenas enriqueceu mais o livro, tornando-o ainda mais querido. Confesso que não sou fã de Shakespeare, pois a única peça que li dele foi Romeu e Julieta e odiei a história. Todavia, a autora escolheu trechos tão impactantes que definitivamente darei outra oportunidade às obras dele.rs

-  O livro faz parte de uma trilogia e ainda tem ligação com uma outra série da autora. Mas como fiquei sabendo disso? Pesquisando na internet.rs Em A Verdade sobre Amores e Duques, Amor em Manhattan e na Saga dos MacGregor, a editora teve todo o cuidado de colocar que faziam parte de séries. Os livros chegam a ser numerados, o que deixa a organização da estante mais bonita. :) Todavia, em Como se Vingar de um Cretino não há a mesma indicação. Eu não consegui perceber. Talvez não tenham feito por que o prólogo sugere que é uma trilogia? Porque há um trecho em que, durante uma conversa, as três protagonistas da série criam uma lista e dão o nome de: Lições de amor, por Três Distintas Damas. Talvez tenha sido por isso, mas eu queria algo mais explícito, não nego. Sempre prefiro que os livros venham com indicações de que fazem parte de séries. Porque não tenho que pesquisar pra saber.rs


Trilogia Lessons in Love

1- Como se Vingar de um Cretino
2- London's perfect scoundrel
3- England's perfect hero (quero muito ler esse aqui! Porque vai contar a história do Robert, irmão do Tristan e um dos meus personagens preferidos)

O livro tem ligação também com a trilogia With This Ring, pois o Grey, primo da Georgiana, é protagonista do terceiro livro dessa série. A história dele e da Emma é contada no livro Aposta Escandalosa, publicado pela falecida Nova Cultural. Eu fiquei bem louca para ler o livro deles dois. :D Vou ficar aqui sonhando, desejando com todas as minhas forças que a Harlequin traga a trilogia de volta ao Brasil, vez que é bem difícil encontrar os livros publicados no passado pela Nova Cultural. 

Trilogia With This Ring

1- Libertino Apaixonado (Alexandra e Lucien) Título original: Reforming a Rake
2- Encontro à Meia-Noite (Victoria e Sinclair) Título original: Meet Me at Midnight
3- Aposta Escandalosa (Grey e Emma) Título original: A Matter of Scandal

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Lançamentos Harlequin (livraria) - Abril/2018



- Olá, meus queridos!

Este mês está sendo o mais curto de todos, meu Deus do céu! Até em fevereiro que teve apenas 28 dias eu consegui fazer mais coisas. Li mais, publiquei mais no blog... Enfim... Em abril mal estou conseguindo não enlouquecer.rs

Finalmente consegui tirar alguns minutos para vir aqui falar dos lançamentos de abril da Harlequin Books. Infelizmente, não falarei dos de banca, pois, sinceramente, não faço ideia de quais são os lançamentos de banca do mês. Não recebi essa informação. 


Nas livrarias


SOL EM JÚPITER - Lola Salgado

Sol Leão é uma famosa youtuber de Florianópolis. Apaixonada pela sua “juba”, que dá nome ao canal, a jovem mostra ao mundo seu estilo e sua vida perfeita em vídeos divertidos e calorosos. No entanto, a vida real pode ser um pouco diferente disso, e um jovem com o estranho nome de Júpiter aparece para balançar o mundo de Sol e questionar as certezas que ela achava que tinha.


- Este eu quero MUITO ler! :D Histórias de youtubers não costumam me interessar, mas fiquei curiosa por dois motivos. Primeiro: a autora é nacional e eu prometi a mim mesma que leria mais nacionais este ano. Segundo: amo astrologia.kkkkkkk... Sol e Júpiter  me fizeram pensar logo nisso. É possível que não tenha nada a ver com isso, mas foi um dos motivos que me fizeram decidir apostar nessa leitura.rs



OS SEGREDOS DOS OLHOS DE LADY CLARE - Carol Townend

Enquanto investiga a causa do aumento de bandidos em Troyes, sir Arthur Ferrer encontra a misteriosa Clare, uma possível filha ilegítima do conde de Fontaine, da Bretanha. Ele então percebe que ela pode ser a chave para a sua própria salvação. A honra exige que Arthur a leve até o pai para que possa ser reconhecida, mas o desejo prefere que ela fique em seus braços. Será possível conciliar honra e desejo?

A autora Carol Townend mais uma vez convida as leitoras para uma viagem inesquecível de volta a condados, cortes e reinos e às incríveis histórias de amor entre nobres da (nem tão) alta sociedade da época.


- Eu, particularmente, não sou fã dessa autora. Tive uma experiência negativa com um livro dela, então, não estou ansiosa por ele. Mas sei que muita gente aprecia os livros dela, sobretudo Os Segredos dos Olhos de Lady Clare, que na verdade é um relançamento. Ele foi publicado anteriormente no formato de banca e agora retorna no formato de livraria com esta capa belíssima. 

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Tudo que assisti e li - março/2018



Olá, meus queridos!

Este definitivamente não está sendo um bom ano para filmes, séries ou novelas. Por mais que eu tenha tudo planejado, que faça listas e mais listas... não está dando. :( Os dias estão terminando rápido demais e quando vejo mal sobra tempo para dormir (nunca durmo sequer por sete horas). Nos meses de janeiro e fevereiro ainda foi possível assistir pelo menos um filme. Em março? NENHUM.kkkkkkk...

Minha série amada Lei e Ordem - Unidade de Vítimas Especiais também saiu prejudicada na falta de tempo. Consegui assistir apenas seis episódios no mês passado: do episódio 12 até o 17. Infelizmente, o episódio 14 me surpreendeu com a saída do promotor Rafael Barba da série. Quase tive um troço. Fiquei realmente bem triste, pois ao longo das temporadas ele me conquistou e não consigo aceitar o seu substituto. 

Tenho a impressão que a série caminha para um envolvimento entre a minha querida Liv e o novo promotor. Não quero isso. Ela é uma guerreira, a alma desta série e não acho esse cara o suficiente para ela. Ele nem a conhece. Não sabe tudo o que ela passou ao longo dessas 19 temporadas. 



Só vi 1 episódio da sétima temporada de Once Upon a Time e foi o episódio 11. Fico feliz pelo cancelamento da série, por mais que me doa um pouco dizer isso. Vocês sabem que sou super fã dela e que fiquei animada quando soube que a sétima temporada teria foco na história da Cinderela, mas tudo caminhou mal. Os protagonistas são apagados demais. A temporada toda está "apagada", mesmo os personagens "de peso" como a Regina e o Sr. Gold perderam espaço e personalidade. É melhor mesmo encerrar a série antes que consigam detoná-la mais. 



Livros lidos

Não li tanto como nos meses anteriores, ainda assim 5 livros é um número considerável e eu fiquei bem feliz, pois a meta é ler pelo menos 2 livros por mês. 

Os três livros acima foram leituras inesperadas, não planejadas, sabe. A Verdade sobre Amores e Duques e Amor em Manhattan eu recebi de cortesia da editora Harlequin e foi um super presente, pois AMEI profundamente os dois. Mais Lindo que a Lua eu comprei, pois estava bem louca para ler e também foi uma experiência maravilhosa! Um dos meus livros preferidos da vida! 



Ao ler A Promessa da Rosa eu cumpri três desafios ao mesmo tempo: Desafio Mensal, Desafio Literatura Nacional e Desafio 12 Meses Literários. Todavia, este livro foi uma baita decepção. Passei muito ódio com ele e quis matar o protagonista. Ele recebeu passagem só de ida para a lista de odiados. 

A Revolução dos Bichos completou o Desafio Mensal e meu plano de ler pelo menos 1 clássico por mês. É uma distopia que nos dá um soco no estômago. Leitura extremamente necessária, mas que nos deixa com um gosto amargo na boca, por conta do tema abordado. 

Melhor livro do mês: A Verdade sobre Amores e Duques. 
Pior livro do mês: A Promessa da Rosa. 

Quer ler as resenhas dos livros mencionados? Basta clicar aqui

domingo, 15 de abril de 2018

O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde

(Título Original: The Picture of Dorian Gray
Tradutor: João do Rio
Editora: Martin Claret
Edição de: 2014)

Escrito em 1890, este romance revela almas que se entregam a paixões e que são atormentadas por seus próprios pecados. Dorian Gray e Lord Henry mostram ao leitor duas faces diferentes de pecado e purificação. É considerada a mais intrigante obra de Oscar Wilde.



Palavras de uma leitora...


- Está aí uma sinopse que nada diz da história.rs Mas como a edição que possuo não vem com sinopse tive que colocar essa que encontrei no site da própria editora. 

Eu tinha toda a intenção do mundo de ler este livro até a quarta-feira passada e depois me dedicar a um romance ou um suspense. Apenas desejava cumprir meu Desafio Mensal. Se eu dissesse que estava ansiosa para ler este livro estaria mentindo descaradamente: eu não estava. Sabia que era uma história perturbadora e que iria provocar um nó na minha cabeça. Eu já tinha todos os spoilers do livro e me julgava preparada para o que encontraria, mas não ansiava pelo momento. 

Todavia, como a semana foi muito corrida e fiquei de lá para cá mal tendo tempo de respirar, não passei da página 40. Assim, tive que ler todas as outras 212 páginas do livro no sábado. O resultado foi que não tive um dia agradável e cogitei a possibilidade de ir até o latão de lixo e jogar o livro lá. Pensei seriamente em fazer isso. Por que a história é ruim? Longe disso! É um livro fantástico, muito bem escrito, único, para o qual dei 5 estrelas no Skoob (embora tivesse hesitado um pouco.rs). A questão é que é uma história podre, sórdida, maquiavélica. E não poderia ser diferente já que adentra pelo psicológico, mostrando com maestria a natureza humana, o comportamento patológico de certas pessoas que tendem para o que é destrutivo e que sentem verdadeiro prazer em desgraçar os outros. Se tem uma história que não te provoca nenhum sentimento bom com certeza é esta. E eu que achava que não poderia encontrar clássicos mais "sórdidos" que O Morro dos Ventos Uivantes e As Relações Perigosas!

- A história começa antes mesmo de conhecermos o jovem cujo quadro dá título ao livro. Primeiro conhecemos seu pintor, aquele para quem ele posava e nutria pelo modelo de suas obras um amor cada vez mais profundo, uma espécie de adoração... como se Dorian Gray tivesse se convertido em seu deus. 

Naquele dia em particular, conversava com seu amigo, lorde Henry, sobre o Dorian e num impulso lhe confessara seus sentimentos pelo rapaz. Intrigado pela paixão contida nas palavras de Basil, a quem julgava insípido e incapaz de despertar interesse em qualquer pessoa, mais quis saber sobre a obra-prima inspiradora de tão peculiar comportamento. 

"Subitamente, eu me encontrei face a face com o jovem cuja personalidade me havia tão singularmente intrigado; quase roçamos um no outro e, de novo, nossos olhares se cruzaram."

- Ao colocar os olhos pela primeira vez em Dorian Gray, Henry soube que aquele rapaz seria seu. Sua beleza era fascinante, mas o que despertava verdadeiramente a sua cobiça era ver naqueles olhos a pureza que se encontra naqueles que ainda não foram manipulados. Dorian era como uma página em branco na qual Henry poderia escrever o que bem quisesse. Ele ainda não possuía mácula. Cabia às suas mãos hábeis estragá-lo... e ele se divertiria muito no processo. Todavia, mais que as mãos ele utilizaria as palavras. Afinal de contas, existiria maneira mais eficaz de envenenar alguém? 

"- Porque considero que influir sobre uma pessoa é transmitir-lhe um pouco de sua própria alma. Esta pessoa deixa de pensar por si mesma, deixa de sentir suas paixões naturais. Suas virtudes não são mais suas. Seus pecados, se houver qualquer coisa semelhante a pecados, serão emprestados. Ela tornar-se-á eco de uma música estranha, autora de uma peça que não se compôs para ela."

- Pressentindo o perigo que seu objeto de adoração passava a correr por ter despertado a atenção do lorde Henry, Basil tenta apelar para qualquer vestígio de humanidade que exista em seu "amigo", implora que ele se mantenha afastado de Dorian, porque sua influência seria nociva. Mas mesmo antes de abrir a boca sabia que era em vão, embora, no fundo, desejasse acreditar que nada poderia roubar a beleza que Dorian possuía, algo que ia além da simples beleza física. Henry poderia tentar, mas certamente não o corromperia. 

"Ele tentaria dominá-lo, como aliás, já havia feito."

Determinado a iniciar o jogo que o divertiria nos próximos meses, Henry não espera um só segundo para atrair a sua presa. Hábil com as palavras como poucos, sabia exatamente o que dizer para provocar sedução, para que Dorian quisesse estar ao seu lado, aprender o que só ele poderia ensinar. E não demorou para acontecer. Acompanhou com prazer as transformações que ocorriam no rosto do rapaz enquanto o mesmo experimentava novos sentimentos e uma deliciosa confusão. 

"Ele apenas lançara ao ar uma flecha. Esta alcançara o alvo?"

Naquele dia tão decisivo para tantas vidas, Dorian posou mais uma vez para Basil, só que tudo foi diferente. Contaminado pela admiração que começava a sentir pelo lorde Henry, seduzido pelo que quer que existisse no outro, ele possibilitou ao artista pintar o mais magnífico retrato. Era como se sua alma tivesse sido transferida para o retrato. Nunca ninguém criou uma obra tão bela. 

Com as palavras do outro correndo por seu corpo como sangue, Dorian olhou para o próprio retrato e enxergou nele tudo o que deixaria de ser um dia. Uma forte inveja de si mesmo tomou conta dele. Por que aquele retrato possuía o direito de ser imutável enquanto ele estava condenado a envelhecer, definhar e morrer? Por que não poderia conservar-se belo para sempre? Parar no tempo como aquele quadro? 

"[...] Ah! se fosse possível mudar os destinos; se fosse eu quem devesse conservar-me novo e se essa pintura pudesse envelhecer! Por isto eu daria tudo!... Nada há no mundo que eu não desse... Até minha alma!...

Voltado para si mesmo e para a paixão por sua própria aparência, mal é capaz de notar que seus pensamentos já não são seus, que suas escolhas não são suas. Que tudo o que julgava acreditar na verdade era resultado do que Henry acreditava. Ele era uma marionete, um brinquedo para alguém experiente e astuto, que nutria um desprezo por tudo o que fosse bom e abraçava o que era perverso. 

Com o passar do tempo, Henry passa a ser o centro da vida de Dorian. Onde quer que um estivesse o outro também estava. Como consequência, ele se afastava cada vez mais de Basil e da inocência que um dia possuiu. Porém, embora já não se sentisse capaz de resistir à influência do outro enxergava que seu "amigo" seria sua ruína, que já mal conseguia reconhecer-se na pessoa que era. E é quase com desespero que ele busca uma saída... uma chance de escapar do mundo no qual estava mergulhando. E é quando ele a encontra

Sibyl Vane, uma atriz de dezessete anos, era tudo o que Dorian gostaria de ser. Bela, bondosa, dona de uma alegria e pureza emocionantes, ela lhe provocava sentimentos que ele nunca antes experimentara. Era como um anjo. Disposto a agarrar-se com força à sua oportunidade de salvação, ele acredita estar apaixonado por ela e promete-lhe casamento. Sabia que ao seu lado teria forças para se afastar de Henry, para ser o que era antes, para reencontrar sua própria alma. 

E o que será mais forte? A bondade de Sibyl que o faz querer ser melhor ou a depravação que Henry lhe apresenta e parece tão impossível de resistir? Ainda existia realmente alguma chance? 

- Houve uma época em que ouvia sem parar uma vez mesma música: Destino - Lucas Lucco. Realmente considero a música muito bonita e com aquele "ar triste' que aprecio nas canções.rs Só que o que mais me atraía era o clipe, que mostrava duas vozes falando na cabeça do personagem. Uma, quase inaudível, tentando convencê-lo do que era certo. E a outra, muito mais "viva" e atraente, dizendo exatamente o que ele deveria fazer e ia na contramão do que era bom. Qual foi a voz que o personagem da música Destino preferiu ouvir? É bem óbvio, verdade? 

"Sim, Dorian, tu sempre me amarás; eu te represento todos os pecados que não tiveste a coragem de cometer.."

- Este livro me perturbou muito. Mesmo se eu não conhecesse spoilers da história antes de começar a lê-la seria capaz de prever o rumo que ela tomaria. Quanto mais profundamente conhecemos o Dorian, sua fraqueza de caráter e falta de inteligência própria... E, em contrapartida, observamos Henry, astuto, inteligente e sedutor, mover lentamente as cordas que guiam o protagonista... mais fácil é descobrir o final. 

"Há não sei o quê de fatal num retrato."

Dorian cresce muito ao longo do livro. Melhor dizendo: ele decresce bastante. Não nego nem por um instante que a manipulação do lorde Henry contribuiu e muito para torná-lo o ser baixo e repulsivo que se tornou. Mas há um determinado momento da história em que, estando o protagonista exatamente onde e da forma que ele queria, Henry solta as cordas. E Dorian passa a seguir com as próprias pernas. É possível, então, percebermos que Dorian gostava da podridão que era a sua vida, que ele sentia prazer em fazer com outras pessoas o que seu amigo tinha feito com ele, superando, em vários aspectos, o seu mentor. Embora tivesse "crises de consciência" em que jurava para si mesmo que lamentava profundamente o que acontecera com outros personagens, nós sabemos que é mentira. Que ele desempenhava um papel para si mesmo, tentando convencer-se que nunca tinha a culpa de nada. Não dava a mínima para quantas vidas havia destruído. Já não tinha amor no coração. E não queria ter.

"Um ódio sombrio vivia no seu coração."

- E é aí que entra o quadro, que representa na história a própria alma do protagonista. O retrato de Dorian Gray, pintado na ocasião do primeiro encontro entre o lorde Henry e ele, era uma obra de tirar o fôlego, jamais vista por ninguém. Henry desejou comprá-la de Basil, mas este a deu de presente para seu modelo, apesar da crise de ciúmes e inveja que Dorian teve ao ver a própria imagem, por ser muito injusto o fato da imagem ali eternizada jamais envelhecer enquanto ele, que servira para criá-la, estar condenado ao definhamento e morte. Pois bem... Ao longo da história, conforme o protagonista se corrompe o quadro sofre transformações. Após seu primeiro ato de crueldade, por exemplo, as marcas de perversidade que deveriam estar em seu rosto aparecem no retrato e daí por diante. Quanto mais desumano ele se torna pior fica o retrato e, tomado pelo terror, ele decide esconder o quadro de todos, trancar à chave no local mais afastado na casa, impedindo que outros percebam o que estava acontecendo no seu interior. Ele acredita que lançara uma espécie de "maldição" contra si mesmo ao proferir aquelas palavras quando da pintura do quadro. 

"O que os vermes são para um cadáver seus pecados seriam para a imagem pintada nessa tela."

Não sei o que pensar sobre isso. Ao mesmo tempo que enxergo que o retrato era a representação da alma do personagem, sei que não tenho explicação para certos acontecimentos envolvendo esse quadro. Deixo que os estudiosos encontrem as respostas devidas.kkkkkkkk... 

- Impossível dizer que apreciei esta leitura. Com certeza é um livro que não tenho a menor intenção de voltar a ler um dia!kkkkkk Tudo o que quero é esquecê-lo. Na história, Dorian chega a dizer ao lorde Henry que ele o envenenou através de um livro. Bem... eu não penso em ser intoxicada por esta história.rs

Recomendo o livro? Gente, é um clássico que realmente é digno de ser considerado como tal. O autor foi brilhante ao escrever algo assim e acredito que é válido lê-lo. Só que não é um livro saudável. Recomendo mais para quem estuda Psicologia ou aprecia livros voltados para temas psicológicos.