O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Assim Fala O Coração - Johanna Lindsey



Nascida em berço de ouro, Brigitte de Loroux foi vítima de uma traição e submetida à servidão.
Ela tinha jurado jamais servir um homem.

Mas de repente, surgiu em sua vida Rowland de Montville, um impetuoso e obstinado guerreiro, a quem ela entregaria sua inocência devido à inusitada paixão que aflorou em seu coração.
Ambos viverão o feitiço do verdadeiro amor.


Palavras de uma leitora...

 
- Bem... Estou voltando oficialmente hoje. O que acham disso? rsrs... Não consegui ficar muito tempo longe do blog e meus olhos pagaram por isso, mas...Enfim... Porém eu não estou de muito bom humor, não. E isso se deve ao livro Assim Fala O Coração. Só em lembrar de alguns momentos da história sinto vontade de acabar com a raça do mocinho. Porém, tenho que admitir que ele paga com juros o que fez contra a Brigitte. E como paga! Não preciso nem dizer como fiquei feliz quando ele começou a sofrer, né? Comecei a rir. Sério. Eu senti um prazer muito grande pelo que ele passou. Ele pagou. E isso me fez adorar a escritora, que além de muito talentosa, não deixou o mocinho impune. Isso é um avanço, pois quase não vejo isso nos livros que leio. O Rowland teve que abandonar seu nojento e precioso orgulho e se humilhar para ter de volta sua Brigitte. Como amei! E não foi só isso que me fez adorar a punição dele, não. Não foi só esse o castigo. O que adorei foi o fato de ele ter recebido uma espadada nas costas e ter levado um soco do irmão da Brigitte. Nossa! Eu não acreditei que a autora conseguiria mudar minha opinião sobre a história quase no final. Estava quase decidida a mandar o livro para a lista de "romances que odiei", embora a história em si fosse muito boa mesmo. Mas eu fiquei com tanta raiva do mocinho que ia até ser injusta com essa história tão bem escrita e desenvolvida. O livro te prende e tem narrações tão fascinantes (boas e ruins) que você não deseja interromper a leitura enquanto não terminar a história... Enfim... Mas por que fui tão perversa ao ponto de ficar muito feliz quando o Rownland foi atingido pelas costas? Temos que admitir que um golpe assim é muito covarde, pois o adversário não está preparado para se defender e cavalheiros de verdade nunca agiriam assim. Mas não me prendi ao que foi justo ou não, pois esse mocinho tirano não foi justo com uma das minhas mocinhas favoritas...rsrs... Pois é. Me apeguei a mocinha. Ela sofreu tantas injustiças e mesmo assim continuou lutando mesmo temendo as consequências, que eu me vi desejando protegê-la de tudo. Ela não tinha uma mãe ou pai para protegê-la e só tinha dezessete anos. Eu me senti muito ferida quando o Rowland tratou ela daquele jeito... Ou melhor, quando ele fez o que fez. Como o odiei! Fiquei chocada com tamanha violência. E voltando a pergunta: por que fui tão perversa ao ponto de ficar muito feliz quando o Rowland foi atingido pelas costas? O motivo é bem simples e chocante... (respira fundo Luna senão vc vai desistir de perdoar a história...) Ele açoitou as costas da Brigitte!!!! Eu parei a leitura horrorizada na hora. Só imaginar sentir isso em mim mesma foi suficiente para que eu desse um basta na leitura por um momento. E o que eu fiz depois? Depois de gritar com ele com todas as forças dos meus pulmões, é claro. Comecei a chorar. Nenhuma novidade, certo? Mas há uma novidade sim! Foi de raiva! Muita raiva. Eu o desprezei muito nesse momento e pouco me importei se o livro se passava no ano de 972 (isso mesmo...). E quando ele se abaixou para consolá-la.... Foi aí que minha raiva aumentou ainda mais. Eu disse: "Eu o mato. Com toda certeza, o mato!" Aí eu respirei fundo e pensei comigo mesma que era só uma história. O que não me confortou muito. Como ele ousa agredi-la daquela forma e ainda consolá-la dele mesmo?! É louco ou o quê? Senti tanto pela Brigitte, gente! Fico imaginando como ela ficaria emocionalmente depois de tudo que passou se a história fosse real. 17 anos de idade... Nada mais do que uma adolescente descobrindo a vida. O dano seria terrível. Mas, como é uma história de romance, nossa mocinha não termina traumatizada. E é claro que pra isso tbm ela contou com o apoio do irmão que fez o possível para manter o infeliz afastado dela. Bem feito para o Rowland! Assim ele aprende a ser gente!


- Ok. Já desabafei um pouco, né? rsrs.. Precisava, mas ainda estou confusa. Não sei ao certo se perdoo ou não esse patife infeliz. O miserável se aproveitou do corpo da Brigitte pela força e ainda ousou agredi-la. Mas pior do que abusar dela (nessa história) foi a agressão. Naquela época era comum e totalmente permitido os homens baterem nas mulheres, fossem elas servas ou ladys. Mas quando eram servas, a violência era maior, pois o servo é o escravo. Não tinha vontade própria. Não tinha vida. Sua vida era propriedade de seu "senhor" e ele tinha que obedecê-lo em tudo. No caso das mulheres servas, elas aprendiam desde pequenas que tinham inclusive que aceitar as "atenções" de seu senhor. Em outras palavras, eram ensinadas a encarar o estupro como algo normal. Misericórdia! Que época é essa?! Pegando emprestada as falas da Renata: eu adoro o século XXI! Essas épocas anteriores eram bárbaras demais. Hoje em dia até existe a mesma violência de séculos atrás, mas pelo menos existe lei contra. Existem punições. Naquela época não. As mulheres não contavam com ninguém para protegê-las. No caso das ladys, elas até eram protegidas se dessem a sorte de contar com parentes homens que gostassem delas e desejassem que elas fossem felizes. Aí elas contavam com a proteção deles enquanto fossem vivos, é claro. E qual era o caso de Brigitte? Nossa mocinha não nasceu serva. Ela é uma lady, amada e protegida desde o seu nascimento. Cresceu cercada de amor e mimos e foi muito feliz durante anos... Não conhecia a maldade nem o sofrimento. Todas as pessoas, servos ou não, que viviam na propriedade se contagiavam pela felicidade que reinava naquela propriedade. E quando tudo mudou? Depois que o pai dela faleceu e o irmão dela acabou sendo dado como morto erroneamente. Brigitte até tinha um outro protetor. Um tutor que também a adorava, mas com quem ela não conseguiu entrar em contato para pedir socorro... Aí vem a pergunta: como uma lady pôde acabar se tornando a escrava de Rowland? Vamos ao "um pequeno resumo", né? Vocês vão ficar confundidos sem uma explicação mais detalhada da história. Mas fiquem cientes de que esse resumo pode acabar contendo mais spoiler.




Um pequeno resumo:


Ano de 972, França. Brigitte já era uma adolescente de 17 anos. Era uma jovem de beleza rara e instantaneamente cativante, mas já não tinha o brilho alegre de anos antes. Não tinha mais motivos para sorrir. E somente seu gênio forte e uma imensa vontade de viver a impediram de se entregar à morte. Sim. À morte, pois era isso que a tia de seu irmão desejava. Druoda pretendia casar Brigitte com um homem perverso que a mataria depois de conseguir um filho varão. Ela planejou tudo detalhadamente... Mas não contou com a repentina aparição de Rowland, trazendo a notícia de que Quintin, irmão de Brigitte, ainda vivia... E é nesse momento que o destino de Brigitte é selado: pensando rapidamente, Druoda arquiteta uma trama maquiavélica e engana Rowland, entregando Brigitte à ele como uma serva. Mas como começa essa história?


Brigitte e Quintin eram meio-irmãos. O pai de ambos havia se casado com a mãe de Quintin, mas essa, depois de um tempo, acaba falecendo deixando o marido desolado pela perda. Mas um amigo do pai de Quintin, o conde Arnulf, acaba convencendo Thomas a se casar com a mais formosa das suas pupilas, Rosamond de Berry. Rosamond e o lorde foram muito felizes durante anos e a felicidade deles aumentou depois que Brigitte nasceu. Ela foi cercada pelo amor dos pais e adorada e protegida por seu irmão, que era só oito anos mais velho que ela. Brigitte viveu anos de pura felicidade, mas, ao completar doze anos, ela começa a encarar os sofrimentos da vida.


Aos doze anos, Brigitte se viu perdida quando perdeu sua mãe. Seu irmão, a quem ela tanto amava e de quem necessitava consolo, estava longe e seu pai tentou compensar a dor da menina, mimando-a. Ela acabou se tornando uma jovem muito orgulhosa, porém muito dedicada aos que amava. Nunca maltratava ninguém, fosse essa pessoa nobre ou servo. Era apenas uma menina que não aceitava humilhação. Não caía sem se levantar com força total. Mas sua força é provada mais uma vez quando, três anos depois, seu pai também morre. A dor voltou a derrubar a menina que foi consolada e protegida pelo irmão que havia retornado para assumir a propriedade. Mas sua felicidade não dura muito, pois es que chega Druoda, tia de Quintin, e seu marido pedindo abrigo. Enquanto Quintin estava na propriedade, Druoda aparentava ser uma mulher submissa e tímida. Além de extremamente bondosa e gentil, é claro. Mas, quando uma guerra se inicia contra os sarracenos e Quintin, que era guerreiro, é chamado para lutar também e, pouco tempo depois é dado como morto, Druoda finalmente mostra suas garras.


Druoda era uma mulher invejosa que sempre quis ter tudo que sua irmã Leonie, mãe de Quintin, tinha. Com a morte de Leonie, Thomas, Rosamond e finalmente a de Quintin, ela se vê livre para tomar posse de todo o patrimônio da família de Brigitte. Algo que ela não tinha direito, pois Brigitte ainda vivia e enquanto vivesse, tudo era seu por direito de nascimento... Mas só que Druoda planeja eliminar Brigitte também, mas sem levantar as suspeitas do tutor da menina. Ela esconde do conde Arnulf, tutor de Brigitte, a morte de Quintin e mantém a menina como prisioneira dentro do próprio lar, eliminando a babá da menina (definitivamente... Assassinando a mulher) e contratando homens para que a mantivessem sempre vigiada.


Brigitte passa a viver seu próprio inferno na Terra, embora não saiba que isso é só o início. Ela se torna serva na sua própria casa e após saber dos planos de Druoda e tentar fugir, é devolvida à mulher por lorde Rowland, que a confundiu com uma serva e não acreditou quando a moça disse quem realmente era. Ele pensava que ela estava tentando fugir de sua senhora e que ainda por cima havia roubado o cavalo da senhora (um cavalo que na verdade era de Brigitte assim como tudo que Druoda roubara dela. Nem preciso dizer o quanto me senti furiosa com o Rowland por ser tão imbecil, né?). Ele devolve Brigitte e, acreditando que Druoda é irmã de Quintin, o homem que havia salvado a vida de Rowland, a informa de que ele segue vivo e que, dentro de um mês, irá voltar. Nesse meio tempo, Brigitte é amordaçada e espancada por uma criada de Druoda, que havia recebido ordens da senhora para puni-la por ter fugido.


Brigitte sofre, grita e chora, mas não desiste. Nunca desistiria sem lutar e por isso, tenta fugir pela segunda vez. Mas Rowland, que havia ficado na casa para passar a noite, frustra seus planos mais uma vez e ainda tenta violentá-la. Ele estava bêbado e ela ferida fisicamente. Quando ele a atira na cama, o golpe da cama contra suas costas a faz perder os sentidos. Rowland, por outro lado, desmaia de bêbado. E na manhã seguinte, Druoda encontra a solução para os seus problemas: presenteia Rowland entregando a  "serva" que ele pensava ter violentado.


E é assim que o caminho dos dois acaba se entrelaçando para sempre e se tornando um só. Mas o caminho será cheio de espinhos e quem mais vai sofrer durante essa jornada, é a jovem Brigitte que foi arrancada cruelmente da proteção de sua casa e jogada no mundo para enfrentar a vida real. Mas Brigitte não desiste nunca. Não importa o que Druoda faça, nem a madrasta de Rowland e até ele próprio... Ela nunca vai cair sem levantar em seguida. Ele pode abusar de seu corpo e até agredi-la, mas sempre que uma oportunidade surgir, ela vai sair em busca da sua antiga vida e de justiça... E danem-se as consequências!


Mas o que acontecerá quando o amor entrar nesse jogo? Foi fácil para Brigitte lutar contra as pessoas que odiava. Foi fácil suportar o tratamento de Rowland enquanto o desprezava... Mas, contra toda sua vontade, ela começa a se apaixonar por ele... E isso complica muito a sua vida. Nossa mocinha se vê entre um dilema: O que fazer? Lutar pela liberdade e recuperar tudo que um dia lhe roubaram? Ou... Ficar e viver para sempre ao lado de Rowland, mesmo sem saber o que o amanhã lhe reserva? Mesmo que ele a maltrate e humilhe? Tomar uma decisão não será nada fácil para Brigitte.


- Bem... Fiz o resumo da melhor forma que pude tentando evitar revelar todos os detalhes da história. Sei que revelei muito, mas a história é muito mais do que isso.


- Antes de fazer essa resenha eu fui até as páginas 72 e 109 do livro (no "livro" que eu li ele contém 212 páginas.) para reler as cenas com atenção. Reli cada página umas três vezes. O que eu estava procurando? Aumentar a minha raiva ou descobrir um motivo para perdoar o mocinho. Esse motivo não me foi dado, pois independente da ternura dele na página 72 e do consolo na página 109, as coisas que ele fez contra essa menina eram, no mínimo, imperdoáveis. Mas eu percebi uma coisa que não tinha percebido na hora que li a história. Eu estava tão concentrada na raiva que sentia do mocinho-vilão por ter se aproveitado da menina, que não me liguei no que aconteceu com ele um pouco depois de abusar dela. Só quando li a parte do abuso de novo, pela terceira vez para ser mais precisa, foi que lembrei do primeiro atentado contra ele. Não sei se a autora fez de modo intencional e sutilmente para que só quem quisesse perceber, conseguisse perceber...rsrs... Se eu não tivesse voltado na página, não teria me lembrado desse fato. Mas recordei o primeiro ataque contra Rowland logo depois de violentar a Brigitte. Posso dizer que o castigo veio a cavalo e a autora nos mostrou claramente isso, embora eu não tenha enxergado de primeira. Sabe como foi? Na página 72 ele violou a Brigitte, certo? Pois logo na página 74 nosso lorde tirano é cruelmente atacado por trás (essa é a segunda vez... A primeira foi quando Quintin salvou a vida dele, antes que esse tirano conhecesse a Brigitte, por isso, não conta.) por um homem que o golpeia com uma tocha. Ele cai... Aí... O que será que acontece? A própria espada dele, que caiu numa posição fatal, penetra sua barriga quando ele cai. Perceberam? O castigo veio logo em seguida e só agora eu percebo isso! rsrs... Essa autora sem dúvida nenhuma é talentosa demais. Se a Brigitte não tivesse resolvido salvar a vida dele (ela pensou muito antes de fazer isso...rsrs... Recordemos que nossa mocinha o odiava.) esse tirano teria morrido. Que ironia, né? Ele ficou dependente da jovem que violou, a jovem que fez sofrer com seu tratamento desprezível. Essa reviravolta foi realmente admirável. E como disse antes, o mocinho ainda paga mais por todo dano que causa a mocinha. Ele paga sentimentalmente e fisicamente, pois recebe uma espadada por trás quase no final do livro e também um soco bem dado do irmão da Brigitte. A cena do soco é demais! Sabe por quê? rsrsrs.... Nosso querido, amado e idolatrado mocinho...rsrs... Nunca apanha sem revidar. Mas dessa vez ele faz isso. É obrigado a aceitar quieto o soco e eu amei isso. Ele teve que mudar. Se não mudasse nunca teria a Brigitte de volta e falo sério quando digo isso. Se Quintin não tivesse ido em socorro do Rowland no final das contas, Brigitte não teria voltado para ele. Ela podia amá-lo com todo seu coração e permanecer infeliz pela vida inteira, mas não esqueceria tão fácil tudo que passou, se não soubesse o que Quintin lhe revela no final. Esse mocinho tirano deu muita sorte!


- Sei que já falei demais... Mas contei tanta coisa ruim contra o mocinho, né? Mas isso é injusto da minha parte. Tudo que eu contei, ele fez. Fez a mocinha sofrer muito. Ele abusou dela, a agrediu e mentiu sem consideração... Porém não quero ser injusta...rsrsrs... Ao contar só as coisas ruins, eu os estou fazendo odiá-lo sem que ele tenha alguma chance de defesa...rsrs... Mas não é bem assim. Nosso mocinho-vilão sofreu muito mesmo quando criança. Há um mistério sobre ele que ninguém suspeitava (nem passou pela minha cabeça)... Ele foi levado para a casa de Luthor, seu pai, como filho bastardo quando era apenas um bebê e assim que começou a andar, passou a ser violentamente agredido por sua madrasta e irmãs mais velhas. Elas batiam na criança sem piedade e motivos. Ele nunca (e quando digo nunca, é nunca mesmo) recebeu um pouquinho sequer de amor enquanto era criança. Somente surra atrás de surra. Até seu pai o batia, pois achava que somente através da dor ele se tornaria um guerreiro inabalável. E ele realmente se torna esse guerreiro. Não sabe como tratar bem uma pessoa, pois nunca recebeu um tratamento assim na vida. Não sabia o que era o amor, a bondade nem a ternura. Ele sofreu muito, gente. Teve uma vez que sua irmã o açoitou (recordemos o momento que ele açoita a Brigitte. Temos uma ideia de como ele aprendeu a corrigir as pessoas pela violência, né?) quase até a morte só porque ele teve a audácia de chamá-la de irmã. Como pode, né? Eu fiquei chocada. Ele chegou a sangrar e desmaiar. Viu muita violência em sua vida e realmente não sabia como tratar uma pessoa tão diferente como a Brigitte. Ele não sabia como agir. Quando abusa do corpo dela, ele não sente remorso algum. Ele age com violência? Não. Como a Renata falou, podemos interpretar a cena de duas formas: "contra a vontade de lady Brigitte, mas sem violência" ou " sem violência, mas contra a vontade de lady Brigitte". Eu escolhi a segunda alternativa, pois acho que nada justifica sua atitude. Ele não foi violento. A autora narra que ele agiu com extremo cuidado e ternura. Mas foi contra a vontade dela. Ele se aproveitou da sua força para submetê-la.


Já na cena da surra não posso dizer que ele agiu por impulso. Não foi assim. Foi premeditado, pois ele levou uma corrente para prender o cachorro da Brigitte. Por que tinha que prender o cachorro? Esse cão que mais parece um lobo é muito leal a sua dona e assassinou violentamente dois homens que tentaram atacá-la. Entenderam o motivo, né? Ele não queria morrer, é claro. Aí ele derrubou a mocinha no chão e açoitou duas vezes, com força, as suas costas. Foi uma cena chocante, pois a autora narra as lágrimas da Brigitte e seus gritos e ao imaginar a cena, a pessoa fica horrorizada só pelo pensamento de ouvir ela gritar. Sabe como é? Aí o mocinho se arrepende do que fez e fica revoltado consigo mesmo (eu adoraria que ele ficasse revoltado ao ponto de pedir para ela bater com o cinturão nele tbm... infelizmente, sua revolta não chegou a tanto...rsrs...) e tenta consolá-la. Bem... O que eu entendo disso tudo é que as ações do mocinho eram reflexo de tudo que ele aprendeu durante a vida. Sofreu muito, apanhou muito e me surpreendo de ele ter sido tolerante até demais com alguém que ele julgava inferior à ele. É muito difícil para alguém se desligar do que aprendeu, pois, pelo que sei a pessoa é o que se formou ainda na infância. É lá que o caráter da pessoa está se formando. Tudo que ele passou deveria tê-lo trasformado em alguém muito mais cruel. Tenho que ser justa, embora não seja psicóloga nem nada. O abuso pra ele não foi nada de importante ou vergonhoso. Ele aprendeu que não tinha que se importar com os sentimentos de uma mulher. Ela era sua serva e ele seu senhor. Tinha que obedecê-lo por bem ou por mal.


- Mas eu não estou justificando as ações do mocinho. Não farei isso ainda mais porque gostei muito da mocinha e achei o que ele fez muito cruel. Mas tenho que ser justa e fazer vocês verem os dois lados da moeda. O mesmo homem que era todo violência lutou para aprender a tratar a mocinha bem. Ele não tinha ideia de como fazer isso, mas começou a tentar. Reconheço que ele não se sai muito bem nisso, mas quando a perde e sente uma dor terrível, resolve que precisa se tornar uma pessoa melhor para tê-la de volta. A quer fazer feliz, vê-la sorrir. Sentia-se mal ao vê-la chorar. Nossa querida mocinha despertou nesse mocinho-vilão sentimentos que ele não sabia que pudessem existir nele.


- Enfim... Já falei muito, né? rsrs... E me decidi. Eu perdoo o mocinho pelo que ele fez contra a Brigitte, mas que fique claro que não foi por causa da infância infeliz dele. Eu gosto de ser justa e o justo é que ele tinha que pagar pelo que fez contra ela, pois a Brigitte não tinha culpa nenhuma do que ele passou. Ela também era uma vítima. Assim como as pessoas que o maltrataram pagaram por isso, ele tbm tinha que pagar por ter feito a menina sofrer. E foi por isso que eu o perdoei. Ele pagou com juros o que a fez sofrer.


- Eu gostei muito da história apesar dos momentos chocantes e muito fortes. Foi uma leitura impressionante. Eu pretendo ler outros livros da autora, pois adorei o modo como ela criou uma história forte, com drama e sofrimento, mas que contém também amor. Um amor que não nasce à primeira vista, mas sim que demora para florescer. Um amor que foi capaz de fazer aquele mocinho cruel mudar. Que o fez esquecer o orgulho e tudo o mais e lutar pela mulher que ele perdeu por sua própria culpa. E foi bonito o final. Eles mereciam ficar juntos no final das contas. Depois de uma história tão intensa como a deles, seria inaceitável que eles não ficassem juntos.


- Eu recomendo a leitura para quem já conhece os livros da autora, tbm recomendo a quem gosta de romances históricos e já conhece a violência de alguns deles e tbm para quem tolera estupro e agressão por parte do mocinho numa história de amor. Eu consegui perdoar o mocinho no final, mas somente porque ele pagou pelo que fez. Mas não posso prometer que você tbm vai pensar igual.


- E, é claro, não posso esquecer de dizer quem foi que me indicou o livro. Foi a Renata do blog Mil Suspiroos (para quem quiser ler a resenha dela sobre a história, basta clicar no título do blog. O link está direto para a resenha.). Quando eu li a resenha dela sobre o livro, disse que a história estava fora de questão para mim. Mas ela disse que recomendava a leitura e que ficou curiosa para saber minha opinião sobre o livro. E por ser o pedido de uma amiga, eu resolvi lê-lo. Não me arrependi. A leitura é muito intensa, mas o talento da autora é evidente. Gostei de como a autora prendeu minha atenção até o fim, de como ela desenvolveu os personagens, de como ela fez o mocinho pagar pelo que fez e mesmo quando nos fez odiá-lo, tbm nos fez sentir compaixão pelo que ele próprio viveu. Ela soube mexer muito bem com as emoções dos leitores. Pretendo ler outros livros dela. Talvez não imediatamente, mas lerei mais livros dessa autora.


- Bem... Foi muito difícil para mim ser justa com o Rowland. A Johanna criou um personagem muito complexo, dificil de entender... Mas não deixou de ser um personagem fascinante. Embora, se fosse na vida real e comigo, o teria mandado para o inferno e seguiria minha vida sem olhar para trás...rsrs... Mas como foi num livro e não foi comigo... Tolerei. Foi difícil. Muito difícil mesmo.


- E devo voltar a dizer que tbm adorei a Brigitte. A autora criou uma mocinha muito forte, que chora, sente, mas que nunca desiste. A garra dessa mocinha me impressionou. Uma personalidade que não pode passar despercebida.


- Enfim... É isso... Uma história que recomendo, porém não à qualquer pessoa. Como disse, as atitudes do mocinho podem provocar uma tremenda revolta no leitor e somente se você deixar a raiva de lado e ler o livro com a mente aberta pode ser capaz de perdoá-lo. A autora não minimizou a violência da época para adoçar o livro. Não. Ela nos mostrou a maldade, a brutalidade e o descaso para com a mulher. A mulher não significava nada além de um instrumento de prazer e um meio para colocar filhos no mundo. Eram poucas as pessoas que respeitavam as mulheres da época. É fácil odiar o Rowland e eu o odiei muito. E é muito difícil perdoá-lo. Foi muito difícil para mim, pelo menos.




O livro faz parte de uma série que não é realmente uma série, mas pode ser vista como uma. O nome da série é Ladys Escravas e Lordes Tiranos e segue abaixo os livros que fazem parte dela (a lista pode ser alterada, pois livros novos podem passar a fazer parte dela):


1-Assim Fala O Coração
2-A Noiva Em Cativeiro
3-Escrava do Desejo
4-Fogo Secreto
5-O Amor do Pirata.


OBS: não é necessário seguir a ordem, pois não prejudica em nada a leitura. São histórias diferentes e apenas correlacionadas.

16 comentários:

Anônimo disse...

Costuma dizer-se que quando a cabeça mão tem juízo o corpo é quem paga. rsrs Ou seja, nesse caso foram os seus olhos que pagaram por vc não conseguir ficar longe da gente... (olha a presunção!). kkk Fico muito feliz com o seu regresso às belas resenhas! Mais um mocinho canalha, hein... rsrs
beijos
Carla

Lulu Sempre Romantica disse...

Parabéns!!!!!!!!!!!!!!
Por isso, adoro suas resenhas estou aqui empolgadissima pra ele esse livro, claro que na minha humilderesenha não vai ter nenhuma comparação hahahaha.

Beijos
:*:♡•:*

Luna disse...

Olá Carla!

kkkkkk...... Mas valeu a pena! Fico muito feliz por está de volta! E obrigada.

É... Esse mocinho é um cretino, mas acabei perdoando. Foi difícil, mas perdoei. Mas ele pagou, pelo menos isso...rsrs...

Mas agora irei começar a ler o livro Alguém para Amar. Tanta gente disse que esse livro é bom lá no skoob! Acho que irei gostar tbm...rsrs...

Bjs!

Luna disse...

Olá Lulu!

Muito obrigada!

Que nada! Eu não seguiria seu blog se ele não tivesse resenhas maravilhosas tbm, né? rsrsrs...Eu sou uma pessoa exigente e simplesmente adoro seu blog! Vou ficar aguardando sua resenha. Tenho certeza de que será maravilhosa!

Bjs!

Anônimo disse...

Eu acho que vc vai amar. E depois vai querer ler outros e depois mais outros... rsrs

Eu acabei de ler "Agora e Sempre". Esse mocinho era um pouco diferente dos outros mocinhos da autora. O homem é um gelo!! Pelo menos até certa parte do livro. E acredita que eu terminei apaixonada por ele?? só mesmo essa autora para conseguir tal feito. rsrs Beijos!!!

Carla

Luna disse...

Olá Carla!

Foi nesse livro, Agora e Sempre, que vc disse que tem algo que eu não iria gostar? Traição, né? E vc conseguiu amá-lo?! rsrsrs...

Bjs!

Pamela Lemos disse...

Bem vinda Luna! amei a resenha. queria muito ler mas to com medo!kkkkk
bjus e bem vinda de volta estava com saudades de suas resenhas viciantes.

Anônimo disse...

Não foi traição, não. Tem uma parte em que parece que ele traiu, mas pela reação dele eu acho que ele só saiu com a ex-amante. A mocinha é aconselhada por uma dama de companhia solteirona que não sabe nada de nada, e essa solteirona lhe explica que os homens casados têm amante. É até engraçada a reação da mocinha porque ela não gosta de saber disso mas pensa que tem que aceitar isso. Então um dia ela diz algo relacionado com isso para o mocinho e ele fica muito desapontado. Do tipo "Ué! ela acha normal eu ter uma amante??!". rsrs O negócio é outro. Se vc for lá ler a minha resenha vê o que é. rsrs

bjs
Carla

Beijo

Anônimo disse...

Quando eu mencionei no histórico de leitura que ele tinha uma amante, ele tinha mesmo mas não tinha compromisso algum com a mocinha. Mas eu fiquei triste porque geralmente o mocinho quando se apaixona fica sem "fogo" para as outras e esse mocinho é uma "máquina". Mesmo quando ele procura a amante numa fase mais avançada, onde ele já arrasta um bonde pela mocinha mas não confessa, o homem está sempre "disposto". Se é que vc me entende. Eu fiquei chateada com ele por isso. kkkk

Carla

Luna disse...

Olá Pamela!

rsrsrs.... O livro não é ruim, não. Se vc o lê ciente das partes que eu falei, vai conseguir lê-lo, pois já sabe o que te espera...rsrs...

Muito obrigada!

Bjs!

Mil suspiroos disse...

Ooiiieeee!!!!

que bom que vc leu!!!
Essa escritora não é fantástica? ela criou um peronagem tão complexo! adorei.
Bom ... como eu li esse livro lembrando que a história se passava em 972 nãi fiquei com tanta raiva do mocinho ( mas umas horas senti vontade de arrancar o pele dele)a parte em que ele dá uma surra nela realmente é chocante, nessa hora eu parei, respirei fundo pra poder continuar lendo. Realmente isso foi premeditado, mas acredito que aquela era a única forma que ele conhecia de repreende-la por ela ter se colocado em perigo, ele foi ensinado assim, não que isso jutifique mas enfim .. é atenuante. :)

Que bom que vc gotou de ter lido, por mais que o mocinho seja pra se etressar essa escritora é mravilhosa.

Bem vinda de volta!!!!!
Bjossss
Renata

Luna disse...

Olá Carla!

Eu tbm ficaria irritada com ele por causa disso. Então, ele podia ter amantes enquanto gostava dela (uma coisa não tem nada a ver com a outra, né? Ele deveria pensar assim...rsrs) e ela não podia pensar em outro? E ele é algum paranormal para saber o que ela pensa?! A pune por algo que nem podia ter certeza? Li a sua resenha...rsrs... Sei que vou me irritar muito com ele quando for ler esse livro (e só o lerei daqui há muitos meses...rsrs...)

Bjs!

Anônimo disse...

Eu não era a mocinha do livro e mesmo assim fiquei ciumenta com certas coisas. kkk Mas vc tem que ler para entender melhor tudo o que acontece. Eu não sou boa com as palavras como vc e esqueço muitos detalhes. rsrs Além disso eu não quero te contar demais. kkk bjs Carla

Luna disse...

Olá Renata!

Muito obrigada!

Sem dúvidas a escritora é mesmo fantástica. Ela sabe deixar sua marca. Adorei conhecer um dos livros dela e irei conhecer outros.

É... Não justifica, mas faz a gente considerar que sua violência foi reflexo da violência que tinha recebido. Mas só o perdoei porque ele pagou...rsrs... Senão acho que não o perdoaria.

O que gostei dessa parte foi o que a mocinha disse e como disse...rsrs... Ela falou que o castigo dela era ele tê-la encontrado...rsrs... Aí eu tive que rir. Ela não tinha jeito! Logo após apanhar já estava desafiando ele de novo. Adorei essa mocinha! Está entre as minhas favoritas.

Bjs!

Luna disse...

Olá Carla!

Em uma coisa vc mentiu: é boa com as palavras sim! Esqueceu que já li algumas resenhas suas? Não li todas ainda, mas li bastante embora não comente em todas. E as coisas que vc está dizendo sobre o livro estão me deixando curiosa, embora eu esteja tentando não ler esse livro por um tempo...rsrs... Tenho que conhecer a autora pelas obras com mocinhos bons primeiro, depois eu posso tentar encarar um mocinho-vilão.

Sei... Não quer me contar demais para me deixar curiosa!! rsrs....

Bjs!

Anônimo disse...

Ah, mas vc é muuuito melhor (sem discussão!)

rsrsrs Sim, não conto mais também por isso!

Beijo!!
Carla

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.