O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

quarta-feira, 9 de março de 2011

Herança da Paixão - Lynne Graham




Aristandros Xenakis é como um leopardo pronto para o bote. Moreno, elegante e poderoso, ele logo provará do doce sabor da vingança... Ella quer desesperadamente ver sua sobrinha crescer, mas a guarda da criança pertence a Aristandros... seu ex-noivo! Ela não tem escolha, a não ser se submeter a seus desejos... e se tornar sua amante! Ingênua e sem malícia, Ella não é como as alpinistas sociais que já esquentaram a cama de Aristandros. Seria apenas questão de tempo até que ele se cansasse dela... ou não?...





"Querida leitora,



Tudo que Ella Smithson queria era sua filha. No entanto, as circunstâncias estavam a favor de Aristandros Xenakis, um bilionário grego, detentor da guarda da pequena Callie. Sem esperança de vencer uma batalha legal, sua única saída era se aproximar dele pessoalmente... e lidar com as farpas remanescentes do passado dos dois. Não imaginava, contudo, que seu reencontro fosse reviver mais do que as mágoas... ou que a impiedosa proposta de Aristandros fosse forçá-la a lidar novamente com a paixão.


Equipe Editorial Harlequin Books"





Palavras de uma leitora...



"Logo Ella também teria de destruir todos os princípios nobres e preconceitos e obedecer a seus comandos. Ele estava ansioso por isso. Na verdade, mal podia esperar pelo momento que Ella percebesse que ele estava em poder do que essa mulher mais queria. Aquele primeiro gosto da vingança prometia ser muito doce."


***


"— Há algo que preciso lhe explicar sobre Callie...



— Acha que não sei que você é a mãe biológica dela? — O sotaque grego era carregado agora. — É claro que sei disso."



***




"— O que preciso saber agora é quão longe você está preparada para ir a fim de obter o que quer? O quanto vai se sacrificar?


— Está dizendo que tenho a possibilidade de manter um relacionamento com minha sobrinha? — pressionou Ella, perguntando-se por que ele estava falando em sacrifícios.


Um sorriso lento curvou os lábios da boca esculpida.


— Se você me der prazer, o céu é o limite, glikia mou."


"— Está sugerindo que, se eu fizer sexo com você, irá permitir que eu veja Callie? — ela perguntou num tom incrédulo.



— Não sou tão rude assim, glikia mou — respondeu ele. — Nem tão facilmente satisfeito. Estou até mesmo preparado para lhe oferecer algo que nunca ofereci para uma mulher antes. Quero que você vá morar comigo...


— Morar com você? — ecoou Ella, atônita.


— Morar e viajar comigo como minha amante. De que outra maneira poderia cuidar de sua sobrinha? É claro, haveria condições — continuou ele suavemente. — Você não poderia trabalhar fora. Viver comigo e cuidar de Callie seriam ocupações de período integral."



- Bem... Continuo esperando... Ainda não chegou! O que será que não chegou????!!! O humilde pedido de desculpas do Aristandros. Não chegou nem um pedido arrogante quanto mais um humilde! Eu li o final do livro duas vezes, procurei as seguintes palavras: 'me perdoe', 'me desculpe' ou algo do gênero. Até 'estou arrependido' eu pensei em aceitar (só pensei). Mas nosso amado e idolatrado mocinho-vilão se esqueceu de pedir perdão por tudo de nojento que tinha feito. Ele ficou se justificando. Falou do passado, falou da mãe, do casamento fracassado dos pais deles, falou inclusive que sabia que tinha errado, mas não pediu perdão. Pelo menos eu não enxerguei nenhum pedido de perdão nesse livro. Não da parte do arrogante mocinho. Já a mocinha pediu perdão por cada mínima coisa de errado que havia feito. O que eu faço agora? Perdoo ou não esse mocinho? Ainda estou pensando...rsrs...

- Acredito que todo mundo aqui sabe que minha autora mais querida é a Lynne Graham. Sou simplesmente viciada nos livros dela apesar de já ter odiado muitos dos seus mocinhos e inclusive ter mandado um de seus livros para a lista de "romances que odiei" (pois é.. eu fiz isso...rsrs...). Eu estava sentindo muita falta dos livros dessa autora. Estava com uma saudade enorme e até que foi muito bom voltar a encarar seus mocinhos-vilões, arrogantes, mais que lindos, podres de rico, senhores absolutos etc, etc... rsrsrs... Eu já estou acostumada. Mas isso não significa que sou capaz de aceitar tudo que aconteceu nessa história. Houve momentos que senti um ódio enorme do mocinho e da estúpida da mocinha também. Teve um determinado momento no qual disse assim pra mim mesma "não vou perdoar nenhum dos dois por isso". Isso aconteceu na cena em que a pequena Callie estava passando mal e o mocinho quis sair mesmo assim para uma festa. E ele foi e a mocinha foi com ele! Eu fiquei muito furiosa. É assim que eles amavam a menina? Uma festa era mais importante do que a saúde dela? Tudo bem que o que ela tinha não era muito grave, mas a menina estava sofrendo, enjoada, querendo ficar nos braços da Ella. Foi muito egoísmo eles terem saído. Se a festa era tão importante pra ele... a mocinha poderia ter dito pra ele ir sozinho. A filha tinha que vim em primeiro lugar. Pelo menos eu penso dessa forma. E foi naquele momento que eu odiei muito os dois e decidi não perdoar nem sequer o livro... Mas a leitura foi avançando e, apesar desse não ser meu livro preferido da autora, consegui perdoar a história.


Vamos ao um pequeno resumo antes que eu xingue o mocinho e... a mocinha tbm (dessa vez a mocinha não escapa....rsrs...)


Um pequeno resumo:


Tudo que Ella mais queria na vida era ser médica. Desde que era apenas uma criança ela sonhava em estudar medicina. Queria curar as pessoas e ajudá-las a resolver seus problemas.

E ao sair da escola, ela começou a correr atrás do seu sonho. Entrou pra faculdade de medicina e se dedicou integralmente aos estudos, sentindo um enorme prazer no que fazia. Mas seu mundo calmo, controlado e dedicado somente aos estudos sofre um enorme abalo no dia em que ela conhece Aristandros Xenakis.

Ela estava passando as férias na Grécia com a família. Sua irmã, Susie, havia convidado ela para ir numa boate exclusiva, não aceitando um "não" como resposta. Mesmo de má vontade, Ella foi e lá o viu pela primeira vez...

Ela ficou enfeitiçada assim que o viu, mas as histórias que escutou durante a noite sobre ele, eram mais do que suficientes para fazê-la manter distância. Aristandros era um homem frio, que pensava somente em si mesmo e nunca passava muito tempo com mulher nenhuma. Assim que terminava de sentir prazer, dispensava a "companheira". Mas quando ele se aproximou dela naquela noite... Ella não conseguiu pensar em mais nada... Quando ela percebeu, já estava apaixonada por ele.

Eles passaram um mês maravilhoso juntos. Ella sentia como se ele fosse sua alma gêmea, o homem com o qual ela iria se casar... e ela mal pôde conter a felicidade no instante em que ele a pediu em casamento. Porém sua alegria não durou nem cinco minutos.

Eles estavam numa festa nesse dia. Era aniversário do avô de Aristandros. A família inteira estava reunida e ele aproveitou aquele momento para anunciar que Ella se casaria com ele... e largaria a medicina. Quando ouviu a última parte, ela ficou arrasada e eles tiveram uma séria briga que resultou no término do relacionamento deles.

Ella voltou para casa sem nada... Aristandros lhe arrancou tudo, incluindo seu coração e sua família. A família de Ella não aceitou o término do namoro dela com Ari e todos eles lhe viraram as costas... apoiando ele e desprezando ela. Ela foi embora, acreditando que nunca mais voltaria a ver o homem e nem a família que tanto amava.... Mas sete anos depois... o nascimento de Callie e as mortes inesperadas de sua irmã e cunhado... provocam um reencontro eletrizante.

Ella quer ser mãe de sua filha biológica, a pequena Callie, mas não tem nenhum direito legal sobre a criança... Aristandros, seu ex-noivo e o homem que partiu seu coração, é o guardião legal do bem mais precioso que Ella tem na vida.. e para ter acesso à menina ela terá que fazer absolutamente tudo que ele quiser, inclusive assinar um contrato nojento.

Pelo "bem da menina", Ella está disposta a se humilhar e se tonar a atual "companheira" de Aristandros... Mas por quanto tempo ela irá aguentar viver assim?


- Bem... Eu ainda estou com muita raiva. Ainda não sei se detesto mais o mocinho-vilão ou a mocinha-capacho. Eu pensei que esse livro pudesse ser um pouco diferente dos outros livros da autora, pois a Ella não é uma coitadinha. Ela é uma médica bem-sucedida e não teria porque se humilhar perante o mocinho. Mas ela conseguiu até ser pior do que muitas outras mocinhas da autora. Ela cedeu fácil demais. Não pensou nem mesmo em recusar aquela proposta nojenta. Não lutou na justiça pela criança, não consultou outros advogados, não gritou com o mocinho e disse o quanto ele não prestava por ter feito um contrato tão absurdo... Nada. Ela reclamou um pouquinho, mas foi logo cedendo e seguindo as ordens dele. Eu acho que a detesto mais do que o mocinho...rsrs... Sinceramente, ela ofende nós mulheres. Largou o emprego porque ele mandou ela largar, vendeu sua casa porque ele mandou ela vender... vestiu somente as roupas que ele queria que ela vestisse... ela só fazia o que ele queria e eu fiquei com vergonha dela. Ela não tinha nem direito de dizer o que era ou não melhor pra própria filha. Ele mandava em tudo e nela e na filha também. Se ele dissesse que ela não podia consolar a menina, ela nem se aproximava... Eu achei tudo tão absurdo que comecei a rir...rsrs... Um risada sem um pingo de alegria....

Para mim, a Ella não passa de uma estúpida, tola, idiota e não é nem de longe uma das minhas mocinhas preferidas. Não tinha amor próprio e nem amava tanto a criança como dizia amar. Ela respirava Aristandros e esquecia de todo o resto. Eu não gosto dessa mocinha. No início eu gostava dela, mas ela me decepcionou muito. Foi uma estúpida até as últimas páginas e só voltou a trabalhar porque ele decidiu que ela poderia trabalhar. Se ele não quisesse isso... ela teria deixado de lado uma parte dela que ela amava... Ela adorava ser médica e o livro deixa isso claro mais de uma vez. Aquilo era muito importante pra ela, mas nossa querida mocinha teria deixado uma parte de si de lado somente pra agradar aquele egoísta machista. Eu a desprezo.

- E o mocinho???? rsrs... Eu o odiei muito, como já disse. Mas eu até que acabei gostando mais dele do que da Ella. Isso não aconteceu durante a história toda. Eu, na verdade, comecei a gostar desse mocinho somente quando ele passou a tentar amar a Callie. Eu o achava muito frio com a criança e sobre o relacionamento dele com a mocinha não preciso nem falar, não é? Então... quando ele começou a mudar sua maneira de ser, foi que eu passei a gostar um pouco mais dele. E acho que o perdoo...rsrs... Só acho. Ainda não tenho muita certeza...rsrs... Como disse, eu acho que desprezo mais a mocinha, pois ela abriu mão de tudo que tinha e se tornou a prostituta de luxo do homem que amava. Sim! Uma prostituta! Pois ela era mantida por ele, usava somente o que ele decidisse e no contrato que ela assinou ficou muito claro que ela era isso pra ele. Ela vivia usando o dinheiro dele e tudo era comprado por ele, pois a idiota abriu mão de tudo que tinha pra viver assim... desse modo nojento e ficando com a imagem manchada, sendo criticada por todos até pela própria família. E falando em família... seria melhor que a mocinha fosse sozinha na vida, eu preferia não ter ninguém do que ser parente de gente tão falsa. A mãe dela??? Pelo amor de Deus! Ela merecia a vida que tinha. Virou as costas pra própria filha porque o marido mandou que ela fizesse isso, chamou a filha de prostituta porque o marido quis assim... Tal mãe, tal filha! Enfim...

- Acho que é isso...rsrs... Não sei se estou sendo muito coerente ao fazer essa resenha. Ainda estou bastante furiosa e principalmente com a mocinha. Ela me dá vergonha e eu detesto dizer essas coisas sobre as mocinhas dos livros. Prefiro mil vezes criticar os mocinhos, mas ela é muito tola, muito fácil... Não disse "chega" em nenhum momento. Ameaçou ir embora, mas não foi. Não fez aquele machista cretino sofrer em momento algum pela humilhação que lhe fez passar. Ela assinou um contrato no qual estava inclusive detalhado o que ela teria que aceitar na cama.. um advogado leu coisas que eram íntimas, ele colocou tudo aquilo num papel de modo frio e cruel... até envolveu a filha biológica da mocinha naquele contrato... Será que ela não tem um pingo de amor por si própria? Não se respeita.

- E antes de terminar a resenha vou explicar esse negócio de mãe biológica. Susie, irmã da mocinha, não podia ter filhos. Ela só poderia engravidar se alguma doadora lhe doasse óvulos. E ela voou da Grécia até Londres para pedir que a tolinha da sua irmã generosa lhe fizesse esse grande favor. A criança seria ainda mais "preciosa" se viesse da Ella. Em outras palavras, teria mais chance de se parecer com a Susie e somente por isso ela escolheu a irmã. Nossa mocinha super boazinha nem hesitou. Foi logo correndo pra ajudar a irmã invejosa a engravidar. Ela não quis ouvir nenhum médico, psicólogo ou amigo que dizia que ela poderia se arrepender depois. Ela não pensou. Assinou um documento no qual abria mão da maternidade. Ok. Foi tudo indo bem enquanto Susie estava com a filha biológica da Ella em seu útero... mas o que será que aconteceu depois que a criança nasceu????!!! A coitadinha da Susie cortou relações com a Ella e a proibiu de se aproximar da criança. Nem sequer deixou ela conhecer a menina ou ter alguma foto da criança. Ela simplesmente ordenou que a Ella deixasse "sua família em paz". Foi bem feito pra Ella deixar de ser tão tonta. Nunca teve um bom relacionamento com a irmã, estava brigada com essa invejosa antes da cínica ir procurar por ela, mas mesmo assim foi idiota o suficiente para fazer esse tal favor. E o livro não me convence ao dizer que a Susie teve depressão pós-parto. Ela não valia nada muito antes. Tinha inveja da mocinha e fez tudo aquilo porque era má e egoísta mesmo. E nem sequer no testamento devolveu a filha da mocinha. Foi tão perversa que escolheu o ex da irmã pra ser o guardião legal da criança.

- Bem.. é isso. O livro não é ruim. A história é muito boa, interessante, fascinante. É Lynne Graham! rsrs... Eu gostei muito do livro, embora não seja o meu preferido. Eu detestei a mocinha, mas não a história. E perdoei o mocinho...rsrsrs... Foi muito bom matar a saudade dos livros dessa autora. :) Ela sempre consegue me tirar do sério, mas eu não consigo resistir. Sabem quantos livros eu já li da LG? 59!!!! Isso mesmo que vcs entenderam...rsrs... Sou viciada nessa autora e em breve postarei mais livros dela aqui no blog. Aguardem...

- Não recomendo esse livro para qualquer um. Recomendo para quem é fã da autora e já conhece seu tipo de trama preferida (risos).

- Bem... Até breve!

5 comentários:

Anônimo disse...

Uhhh Em se tratando de Lynne Graham às vezes eu fico com um certo medo. Mas tem uns dois livros dela pelo menos que eu AMEI e constam dos meus favoritos. Quando ela quer ela sabe escrever uma história maravilhosa!!

bjs
Carla

Luna disse...

rsrsrs... Eu não tenho medo dos livros dela, não, pois já estou acostumada...rsrs... E que bom que vc tbm gosta da autora! Isso me deixa muito feliz :)

Tem gente que odeia a LG!

Bjs!

Anônimo disse...

Eu gosto muito das histórias dela, sim. Tem poucas dela que eu não gostei. E talvez as que gostei menos até se deva a cortes. Raros são os livrinhos de banca que não são mutilados. Por vezes isso não estraga a história mas outras vezes fica péssima!


bjs
Carla

Luna disse...

Olá Carla!

Eu acho um pecado mutilar os livrinhos. Tenho certeza que os livros seriam ainda melhores se as histórias não fossem cortadas.

Bjs!

Luli Ribeiro disse...

Adorei esse livrinho. É LG no seu melhor estilo. Achei a mocinha apaixonante, coerente, lidando da forma mais ponderada possivel com seu amor pela filha biológica e pelo mocinho e é claro, com a chantagem, muito comum nos escritos da LG O mocinho é uma mega ogro, porém obviamente é totalmente louco pela mocinha. Vale muito a pena ler, não percam....

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.