O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

terça-feira, 29 de maio de 2012

Raízes do Ódio - Sandra Marton [Maratona de Banca 2012 - Maio]


(Título Original: Out of the Shadows
Tradutora: Carolina de Hollanda
Editora: Nova Cultural)

Em maio: Secretárias


Basta uma centelha para dar início a um romance. Basta uma intriga para terminá-lo.

Abraçada a Matt, Lauren entrou na cabine do veleiro, na expectativa de viver seu grande momento de amor. Um raio de luar penetrando pela clarabóia foi a testemunha silenciosa dos suspiros que cortaram a noite, no instante mágico de tornar-se mulher.

Lauren havia se esquecido por completo de que aquele homem jamais poderia ser seu. O importante era aproveitar cada segundo de felicidade, ainda que lhe custasse lágrimas amargas de arrependimento.



Palavras de uma leitora...



- No mês de maio o tema da Maratona de Banca é "Secretárias". Chefe que se apaixona pela secretária. Desta vez estou fazendo o post bem tarde, não? Geralmente, faço no início do mês e não no final. Enfim...

- A história começa três anos depois do fim de um namoro proibido entre Matt e Lauren. Ambos se sentem atraídos depois de se verem pela primeira vez num clube. Matt impede Lauren de acabar indo parar no hospital por estar sem óculos (ela é bem míope. Nisso nós nos parecemos.rsrs...) e ela acaba se deixando envolver pelo charme dele. Mas a mãe dela quase faz um escândalo depois de vê-los juntos (só não faz porque não queria estragar suas chances de fazer parte do clube). Ela quase tira a Lauren à força de perto do Matt e depois diz coisas horríveis sobre ele, deixando claro que preferia a morte do que ver sua filha ao lado daquele homem (não estou exagerando, não. Eu pensei mesmo que ela preferia morrer do que ver a Lauren com o Matt). 

O Matt procura pela Lauren depois daquele encontro que para os dois foi inesquecível. Ele liga para a casa dela, lhe envia uma carta, mas a mãe dela esconde tudo da Lauren e ela só fica sabendo que o Matt não tinha esquecido dela porque acaba tendo que trabalhar diretamente para ele.rsrs... Ele não entendia de computadores (o livro se passa no século XX) e só a Lauren era capaz de ajudá-lo. Achei muito engraçado quando ele quase "matou" o computador.kkkkkk... Enfim... Ela fica sabendo que sua mãe estava fazendo a parte dela para separá-los, mas é graças a insistência do Matt que eles acabam se envolvendo. Não direi como é a relação deles, pois a história é tão curtinha que eu acabaria contando tudo. Só o que eu disse já achei muito. É um florzinha, entende? É um livro muito pequeno. 

- O que posso dizer sobre o casal? Acho melhor falar sobre cada um primeiro.rsrs..

Primeiro, o Matt. :) O achei um fofo! Desde o início ele é um amor. Compreensivo, apaixonado, carinhoso... um sonho! Não diria que o amo muito, mas gosto bastante dele. Não é um personagem que tenha me irritado (só em um momento e somente um!) e eu cheguei a achar que ele estava sendo castigado por algum pecado que cometeu em outra vida ao se apaixonar pela Lauren.rsrsrs... Pode ser implicância minha, mas eu achei que ele merecia uma mulher melhor. Sinceramente, essa é minha opinião. Ele era maravilhoso demais para alguém que não tinha um pingo de coragem de lutar pela própria liberdade e o amor que sentia por ele. Não pude deixar de sentir um pouco de pena dele por ter escolhido justamente a Lauren.kkkkkkk... Mas não acho que ele vá ser infeliz, tenho que confessar. Ele ama aquela garota e ficará muito melhor com ela do que sem a tonta! 

Agora sobre a Lauren... Eu entendo que ela tenha uma personalidade mais passiva. Que não tenha a mesma coragem de enfrentar as situações que algumas mocinhas que conheço teriam. Por exemplo, no lugar  da Suzana (O Diário de Suzana para Nicolas), Gelina (A Conquistadora), Jennifer (Um Reino de Sonhos), Whitney (Whitney, Meu Amor), Tracy (Se Houver Amanhã), Tessa (Nunca Sem Meu Filho!) e Annie (Identidade Roubada) ela simplesmente desistiria. Não creio que seja só pelo fato dela ser uma mocinha de um livro de banca, pois conheci várias mocinhas corajosas e determinadas nesses livrinhos que tanto amo. A Tessa, de Nunca Sem Meu Filho, por exemplo. Ela foi bem corajosa. Não era nenhuma fraca e eu a admiro muito. Mas a Lauren... Ela deixa qualquer um controlar sua vida, principalmente sua mãe. Acho que ela esqueceu que tinha crescido, que não era mais uma criancinha que deveria fazer tudo que a mamãe mandasse. A mãe dela a dominava completamente. Sempre que a Lauren tentava se fazer ouvir, a mãe dela dava uma de atriz (chorava e tudo) e ela logo estava pedindo desculpas e fazendo as vontades da mãe. Não sei como o Matt foi capaz de aturá-la!kkkkkk... A Lauren era incapaz de lutar pela própria liberdade e pelo amor que sentia pelo Matt. Se não fosse por ele, aquele romance nem teria começado. Resumindo: não sou fã da Lauren. Pelo contrário: não a suporto.rsrs...

Eu não digo que ela não tinha direito de cometer erros, que não tinha direito de cometer algumas idiotices. Eu mesma faço cada tolice que fico brigando comigo mesma. Sou insegura, já me deixei manipular... Não sou perfeita e nem esperava perfeição da Lauren. Não. Não é isso. Eu só acredito que se dependesse dela, ela seria uma infeliz, pois jamais (jamais mesmo) teria forças para lutar pela própria felicidade. Sabe o que é deixar as outras pessoas te controlarem completamente? É isso que a Lauren permitia. Não deu para gostar dela. 

- Mas eu gostei da história. Nem a mocinha conseguiu fazer com que eu me arrependesse de ter lido o livro. Não é um romance inesquecível. Não é um livrinho que possa fazer parte dos meus favoritos, mas eu achei a história deles bem fofa (graças ao Matt é claro, que lutou pela Lauren). É uma história bem simples, suave, romântica, doce. Para passar o tempo. Para ler quando quisermos fugir daqueles livros mais complicados, cheios de reviravoltas que algumas vezes acabam destruindo nossos nervos.rsrs... É um livrinho para lermos quando apenas quisermos ler um romance bonito, sem dramas. Eu gostei da história.

- Só que não poderia deixar de comentar sobre algumas outras coisinhas. O fato da história se passar totalmente no passado (não achei que houve "história" no presente) foi algo que não me agradou muito. Achei que não foi justo com o casal, pois só ficamos conhecendo o passado deles. Como é um florzinha, faltou "espaço" para mais história, mas aí a autora poderia ter falado um pouco menos sobre o passado. O passado deles é bonito, claro. É toda a história do livro, mas não foi justo com o casal contar somente o passado. Na verdade, não foi justo com o Matt. E uma coisinha no final do livro também me desagradou, mas não posso falar sobre isso senão irei entregar um grande segredo. 

- Valeu a pena, sim, ler o livro! Não me arrependo. Dei quatro estrelas ao livro, pois o achei digno delas. E é um livro que eu acredito que irei reler um dia.rsrs... Sim, eu acredito nisso. Provavelmente irei xingar a mocinha, mas lerei de novo um dia. 

Eu recomendo o livro para todos que gostam de um romance suave. Que conhecem bem os florzinhas e são fãs dos romances de banca. Se você não é fã dos romances de banca eu não te aconselho a começar por esse, é claro. Também recomendo aos fãs da Sandra Marton. Creio que só gostei desse livro apesar da mocinha ser insuportável porque a autora tem uma escrita envolvente e criou um mocinho adorável. 

- Esse livro foi uma indicação da minha querida amiga, Carlita. Flor, como eu te disse, o livro valeu a pena e não me arrependo de tê-lo lido! Te agradeço pela indicação! Mas você sabia que depois de "A Conquistadora" (outra indicação sua) seria difícil outro romance me conquistar tanto. Depois da Gelina não pude aceitar a infantilidade da Lauren.rsrs... 

Para conhecerem as resenhas de maio dos outros participantes da maratona, cliquem AQUI

Bjs e até breve!



3 comentários:

Cris Paiva disse...

Adoro esses livrinhos antiguinhos. Passar nervoso é quase uma garantia, mas mesmo assim eu curto e não deixo de ler!

Beatriz Solano Pinzon disse...

A estória é muito fofa, muito lindinha, o mocinho é tudo de bom, amava demais a mocinha e foi super persistente, nunca desistiu dela, o livro é bom somente por causa dele. Não diria que a mocinha era insegura, ela se deixava manipular até certo ponto por sua mãe, mas acabou aprendendo a andar com suas próprias pernas. Agora a mãe dela, meu Deus com uma mãe dessas quem precisa de inimigos... Na verdade o câncer que corroía tudo e todos era a própria mãe da mocinha. Mulher recalcada, mal amada, rancorosa e projetou tudo isso na filha. Na minha visão a mãe tinha inveja da filha, como ele foi desgraçada no passado não aceitava que a filha se desse bem, fosse amada e feliz com Matt, já que ela não foi feliz, ao invés de esquecer e olhar pra frente ficou remoendo por anos... E a bicha foi ruim até a morte, inventando um monte de mentiras ao casal... Achei que no final faltou alguma coisa, sei lá talvez uma cena familiar cairia bem...

Luna disse...

Olá, Beatriz!

Sim, a mãe da Lauren era uma peste. Se tem uma coisa que me lembro desta história é de como eu detestei aquela mulher! Mas eu culpo a Lauren por ser tão boba, tão incapaz de se fazer ouvir, de tomar suas decisões. Era muito fácil para qualquer pessoa controlá-la.

Infelizmente, esse livro foi muito curtinho. Já não lembro do final, mas sei que eu desejava mais. Que ele tivesse mais páginas, mais história.

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.