O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 5 de agosto de 2012

Marlene - Florencia Bonelli


Nasce o tango, nasce um amor

O tango nasce no bairro portenho de La Boca e um amor impossível cresce em suas ruas

Micaela Urtiaga Four, mais conhecida como a divina Four, é a soprano de maior êxito que pisa os palcos europeus do início do século XX. Porém a solidão e as lembranças fazem com que volte para sua Argentina natal em busca de um pouco de paz e consolo.

Em sua vida surge Carlo Varzi, o cafetão mais conhecido de La Boca, um homem baixo, sem escrúpulos, filho de imigrantes italianos que chantageia a Micaela, obrigando-a a cantar tangos em seus bordéis sob o pseudônimo de Marlene. Logo surge entre eles uma atração fatal contra a qual lhes é difícil lutar, apesar de que os dois sabem que pertencem a classes e mundos totalmente opostos.

Florencia Bonelli nos deleita com personagens que nos atingem a alma e um retrato preciso de uma época, a do nascimento do tango. 



Palavras de uma leitora...


"Que o amor é tudo, é tudo o que sabemos do amor."
Emily Dickinson



" — Promete-me algo, Micaela — disse a mulher, com esforço. — Promete-me que não se esquecerá de amar. Que buscará um homem a quem ame profundamente e que se casará com ele. — Ficou em silêncio alguns segundos. Logo, prosseguiu. —: Não há outro modo de ser feliz do que amando, acredite em mim. - segurou-lhe a mão e a apertou —. Promete-me!"


- Eu odeio a Florencia Bonelli. Sim. Isso mesmo que vocês entenderam. A odeio porque ela me faz amar seus personagens, me apegar a eles, torcer por eles, só para depois torturá-los sem compaixão e me fazer sofrer como uma condenada. Só para depois me fazer derramar lágrimas de profunda tristeza, de muita dor. Mas também a amo. Amo porque graças a ela, Roger, meu tesouro querido, existe. Porque graças a ela vivi fortes emoções ao ler "O Quarto Arcano" e nunca mais fui a mesma depois daquela história. A amo porque ela também criou o Carlo e me fez rir de alegria e não chorar só de tristeza. Porque me fez viajar ao ver meu Carlo e sua Micaela dançando o sensual tango, fazendo amor com o olhar como só eles sabiam fazer, me fez suspirar ao ouvir suas declarações simples e tocantes de amor, me fez chorar de emoção ao ver o quanto o amor que os unia era poderoso. Sim. Amo e odeio essa autora tão talentosa que mexe com minhas emoções como ninguém. Nem mesmo a querida Judith McNaught me "destrói" como a Florencia Bonelli. Será que é por ela ser argentina? Por ter o sangue tão quente? Não. Creio que não tem nada a ver com sua nacionalidade. Ela simplesmente tem o dom de emocionar, de nos destruir por ser tão cruel com seus personagens mais amados, de nos levar ao limite, de acabar com todos os nossos nervos, mas depois nos fazer sonhar acordadas com suas histórias e acreditar ainda mais que o amor verdadeiro realmente existe e que é capaz de suportar e superar qualquer coisa. Mas qualquer coisa mesmo. 


" — Quero que me veja como o homem mais lindo do mundo para que somente queira a mim. Quero que me deseje como eu te desejo. Quero que, quando esteja longe de mim, sinta o mesmo desespero que eu sinto. E quando me tenha perto, não possa evitar me tocar, como acontece comigo. Quero que pense em mim dia e noite, que tudo te faça lembrar de mim, até a coisa mais insignificante; eu vejo seu rosto e seu corpo onde vou. Todos os lugares estão cheios de você. Entende, Marlene? Quero ser o único para você."


- Quando eu estiver bem velhinha, um dia sentarei para lembrar do passado. Lembrarei de momentos lindos que vivi e os momentos ruins não terão vez na minha memória.rsrs... E entre todas as lembranças, lembrarei do dia que procurei resenhas sobre Marlene e me emocionei tanto com as coisas que as meninas disseram sobre o livro. Lembrarei do amor que imediatamente passei a sentir pelo Carlo e do quanto gostaria de ter o livro dele em minhas mãos. Eu sabia que ele seria um dos mocinhos mais especiais que eu iria conhecer e queria demais esse livro. Também lembrarei com um sorriso no rosto o dia que cheguei em casa e uma caixa me esperava no meu sofá. Eu já tinha sido avisada pela Carlita que ela tinha me enviado dois presentes de aniversário. Ela queria fazer surpresa, mas ficou nervosa, pois o presente ainda não tinha chegado, então, resolveu me contar.rsrs... Eu já imaginava qual era um dos livros (Cavalo de Fogo - Paris - Florencia Bonelli), mas o outro me pegou totalmente de surpresa. Vocês não tem ideia da emoção que eu senti. Me perguntei como ela poderia saber que entre todos os livros que eu poderia desejar, Marlene ocupava o primeiro lugar. Me senti tão feliz! Foi um momento mágico e pude dizer para o Carlo que "ele" finalmente estava comigo. Que agora eu poderia tê-lo para sempre comigo. :) Não há maneira de eu agradecer a Carlita por esse presente tão valioso. Ela não tem ideia do quanto me emocionou ao me dar de presente Marlene. Eu sempre digo que ela é a intuitiva do nosso grupo e não é à toa que eu digo isso.rsrs... Ela sempre sabe se estou bem ou mal, se preciso de uma palavra de consolo, até mesmo de uma música e de alguma forma sabia que eu desejava esse livro com toda a minha alma. :) A Carlita e também a minha querida Moniquita, que tanto me faz rir e me defende com unhas e dentes de qualquer um que tente ou tenha me magoado, são minhas melhores amigas neste mundo e agradeço a Deus por tê-las como amigas. Sei que não as mereço, mas sou ciumenta e egoísta e quero tê-las como amigas para sempre. Elas que jamais pensem em me deixar!rsrs...


- Bem.. Hoje estou bastante sensível.rsrs... Já deu para perceber, não é?rsrsrs... Ler Marlene descontrolou minhas emoções, me fez rir, gargalhar em alguns momentos e chorar por dentro e por fora em outros momentos. Nem se usasse todos os adjetivos bons do mundo, conseguiria expressar o quanto essa história é incrível. O quanto é mágica e preciosa. O quanto ela é simplesmente única e arrebatadora. Nem se essa resenha se transformasse num livro de tão longa, conseguiria dizer tudo que sinto. Porque não dá para colocar em palavras, entendem? É impossível! 


" — Que se passa, Carlo?

— Nada se passa. Quero te ter perto de mim. Assim, bem perto. Que ninguém te machuque. Quero te proteger de tudo e de todos."



Um pequeno resumo:


Ano de 1891. Nasce uma estrela.


Isabel Dallarizza era uma atriz querida. Encantava os fãs com suas atuações, os fazia rir e chorar de emoção e amava sua carreira. Era tudo que ela mais amava na vida até conhecer Rafael Urtiaga Four e se apaixonar perdidamente por ele. 

Os dois pertenciam a mundos totalmente opostos, mas não se importaram com nada nem ninguém. Estavam apaixonados e se casaram, para espanto da sociedade. O casamento foi um escândalo e a família de Rafael a rejeitou cruelmente. E a fúria deles só aumentou quando os anos se passaram e Isabel não dava um filho ao marido. Rafael, pelo contrário, não se importava, acreditando que um dia Isabel se sentiria preparada e os dois construiriam a própria família. Mas Isabel não acreditava que estaria preparada logo. Amava os palcos. Amava sua carreira e não queria abrir mão dela. Precisava dela para viver, assim como precisava de  Rafael. Não existia algo que ela amasse mais do que seu marido e sua profissão. Mas Isabel engravidou.

A gravidez foi um pesadelo. Isabel passava muito mal, desmaia e vomitava direto, ela perdeu sua perfeita forma, seus cabelos perderam o brilho e ela sofreu até o fim da gravidez. O parto não foi mais fácil. Foi um tormento e o médico e a parteira decidiram que o melhor seria deixá-la sedada durante uns dias, para que ela pudesse descansar e se recuperar. Mas a atriz que encantava a todos, a jovem cheia de vida e amor, jamais se recuperou. Ela morreu naquele dia, oito anos antes de finalmente deixar este mundo. 

Isabel entrou numa depressão profunda e seu leite não demorou a secar. Uma ama-de-leite, uma mulher que tinha acabado de perder um filho recém-nascido foi contratada para cuidar dos gêmeos, Micaela e Gastón, e se tornou a verdadeira mãe dos dois. Isabel vivia num mundo próprio, mas amava seus filhos. Quando se encontrava bem, o que era raro, mandava mamá Cheia, a babá das crianças, levá-las até ela e as acariciava, abraçava e beijava, para depois mergulhar em seu mundo novamente. Vários médicos foram contratados, Rafael a levou a especialistas em outros países, mas ninguém a conseguiu salvar. O desespero foi matando aos poucos Rafael, que não sabia mais o que fazer para ter sua esposa de volta. 

E um dia, quando Micaela e Gastón estavam com oito anos, o inevitável finalmente aconteceu. As crianças passaram o dia inteiro desejando ver a mãe, mas a babá não deixou, pois a patroa precisava descansar, estar tranquila. Por fim, ao anoitecer, decidiu deixar os meninos verem a mãe já que eles tanto queriam isso. Os dois saíram correndo na frente e quando chegaram no quarto de sua mãe, se depararam com uma cena que jamais poderiam esquecer: Isabel estava na banheira... morta. Os pulsos... cortados. 

Gastón, depois de um grito desesperado, soltou a mão da irmã e saiu correndo. Micaela, em choque, não acreditava no que via. Decidida, resolveu se aproximar da mãe a fazê-la despertar, mas antes que ela tocasse o corpo da mãe morta, a babá a segurou e só aí a pequena despertou para gritar e chutar descontrolada. Sua vida jamais foi a mesma depois daquilo. 

Seu pai, mergulhado na própria dor, quis ver os filhos longe dele e mandou ambos para estudar longe. Gastón foi para um colégio em Córdoba. E Micaela foi enviada para estudar num convento na Suíça. Ela só voltaria a colocar os pés em Buenos Aires, quinze anos depois.

No convento, Micaela viveu uns dos anos mais felizes de sua vida. Foi lá que ela conheceu Marlene, que passou a se chamar irmã Emma, após ser obrigada pelos pais a se transformar em freira. Marlene era professora de música no convento e foi amiga, mãe e irmã de Micaela. Ela descobriu o seu talento, sua belíssima e emocionante voz e decidida a fazer da sua menina uma estrela, convenceu a madre superiora a deixar as duas se mudarem para o convento em Paris e assim, matricular Micaela numa escola de música. Marlene fez Micaela superar seu passado doloroso, a rejeição do pai, a ausência do irmão e da babá, fez ela entender que amar e sentir prazer não era pecado. A fez acreditar no seu dom e como prometido, a transformou numa estrela.

Aos 16 anos de idade, Micaela já se tornou a soprano mais famosa da Europa. De início, ninguém acreditava que ela iria a algum lugar. Era jovem demais e certamente seria um fracasso. Mas ao cantar pela primeira vez, Micaela já conquistou seu público e nos próximos anos só foi alcançando mais e mais sucesso. Apesar de aceitar se apresentar em várias partes do mundo, se negava terminantemente a se apresentar em Buenos Aires. Ainda não tinha perdoado o seu pai. 

Mas uma fatalidade faz Micaela abandonar tudo e fugir para Buenos Aires. A irmã Emma, sua querida Marlene, falece precocemente, vítima de uma enfermidade rara no sangue, e Micaela perde o chão. Para fugir da dor que ameaçava destruí-la, ela resolve fugir de tudo e ir buscar consolo junto do irmão e da babá. E é graças a esse terrível acontecimento, que seu caminho e o de Carlo Varzi, um cafetão, um explorador de  mulheres e assassino cruel, se cruzam. Iniciando uma linda e turbulenta história de amor e ódio, vingança e paixão. Um amor proibido nasce juntamente com o tango, uma dança incrivelmente sensual, num dos piores bairros de Buenos Aires. Dentro de um bordel, rodeados de prostitutas e pessoas da pior espécie, Carlo e Micaela irão se apaixonar e encantar a todos ao mostrarem bailando o tango, o quanto o amor que os une é poderoso. E como tudo nesta vida tem um preço... eles também irão pagar caro por esse amor. 

Mas um amor verdadeiro é capaz de enfrentar e vencer qualquer coisa. Por mais terrível que seja. 



— Desde que eu te conheci uma luta cruel se desatou dentro de mim. Duas vozes me atormentavam, dia e noite; uma me obrigava a te odiar, a outra me fazia te desejar. Por momentos, ganhava uma; por outros, a outra. Nessa luta, me destruíam sem compaixão, como cães brigando por um pedaço de carne. Passei noites acordada pensando em você, no quanto te queria. Nunca um homem tinha me atraído de tal forma. E de novo o teu mundo, tua sórdida realidade me aterrorizavam e me forçavam a me manter longe. Longe de você — repetiu, tristemente —. Já não posso, Carlo. Cansei de viver sem você. Não posso estar sem você. Já não quero mais lutar. Deus sabe que eu tentei, mas me rendo."


- Não quero falar demais e é por causa disso que só falei do passado da Micaela e não do Carlo. Vocês merecem conhecer essa história sem saber demais sobre ela. Sem saber certas coisas. Antes de começar essa resenha, eu pensei em contar todo o passado do meu Carlo, para impedi-los de condená-lo por seu modo de vida. Para salvá-lo das pedras que alguns poderiam atirar. Afinal de contas, desde quando um cafetão causa admiração? Um homem que vive do dinheiro que as prostitutas levam ao se deitarem com os clientes? Um tipo desse causa nojo, indignação, não é? Mas o mundo não é preto e branco, queridos. Existem muitas coisas por trás das decisões de algumas pessoas. E existe muito por trás da escolha de vida do meu Carlo. Por favor, peço que não o julguem antes de conhecê-lo. Lhe deem uma chance. Ele merece. Tenho certeza que ninguém conseguirá ficar indiferente a beleza dele. E não é da beleza exterior que estou falando. Ninguém ficará indiferente ao seu sofrimento e a tudo de bom que ele carrega dentro dele, sem ao menos imaginar isso. Carlo é um dos mocinhos mais incríveis, mais humanos e intensos que eu tive o privilégio de conhecer. Ele é puro sentimento. Só falar dele me emociona. Ele atingiu a minha alma. Entrou dentro do meu coração sem pedir licença e jamais irá sair de lá. Passe o tempo que passar, eu jamais irei esquecê-lo. Sempre irei amá-lo e defendê-lo com unhas e dentes. Com todas as minhas forças. Ele é totalmente digno de amor e perdão. Merece o melhor que a vida possa oferecer. Merece ser feliz e amado. E ter a vida que tanto desejou ter, os sonhos que lhe foram roubados. 


" — Será que tenho que te pedir de joelhos que seja somente minha? Tenho que me lançar aos teus pés para que não volte a me deixar? Eu faço, Marlene! Eu faço! — E se ajoelhou diante dela."



- Eu já amava o Carlo antes de conhecê-lo, mas o amei muito mais depois de conhecer esse homem tão incrível, um mocinho que mesmo depois de ter vivido o inferno na Terra conseguia abrir o coração para o amor. Que mesmo depois de tanto ter sofrido na vida e de se considerar um lixo, ainda conseguia ter esperanças e se entregar ao amor sem reservas. Sem limites, sem pensar em mais nada. Eu amo o menino, o adolescente, o jovem e o homem que ele era. Meu amor por ele não pode ser medido. Amo o homem apaixonado, que cortou a saia da Micaela e a obrigou a dançar tango dentro de um bordel, no meio de clientes e prostitutas. A cena do tango é uma das cenas mais lindas do livro. Nos faz viajar e suspirar. Sonhar acordadas.rsrs... É uma cena maravilhosa e tenho certeza que vocês também vão amar. Amo o homem que estava destruído por dentro e implorava a Deus por uma nova chance. O amo simplesmente pelo que ele é, queridos. E ele não é um cafetão! Essa podia ser sua profissão, mas ele não era aquilo em sua essência. Sua alma jamais foi contaminada por aquele mundo. 


— Carlo, meu amor — sussurrou, e acariciou-lhe o rosto úmido —. Nada neste mundo poderia acabar com este amor que sinto. Eu te amo tanto que morreria por você."


" — Promete-me que nunca irá me faltar — suplicou —, que não vou ter que viver neste mundo sem você.

— Sempre vou estar com você — assegurou Micaela —. Até o fim. Eu te juro."


- Durante boa parte da história a Micaela foi minha menina querida. Eu tinha orgulho dela, a admirava por sua coragem e por amar tanto o Carlo, independente de qualquer coisa. Micaela é forte como poucas mocinhas que conheci e também é muito humana. Mesmo sendo uma pessoa boa e humilde, como qualquer ser humano, é capaz de ter sentimentos ruins, como o ódio que sentia pelo pai mesmo depois de tantos anos. Eu a admirava por ser tão humana. Mas houve um momento da história no qual ela me fez chorar tanto que eu desejei matá-la.rsrs... Nenhum mocinho-vilão dos livros que já li me magoaram tanto como ela magoou naquele momento. Desejei entrar no livro e dar uma surra terrível nela, xingá-la de todos os nomes ruins possíveis e queria matá-la com minhas próprias mãos. Mas depois me arrependi.kkkk... Me arrependi amargamente de tudo de ruim que disse sobre ela para a Carlita e a Moniquita.rsrsrs... Do mal que desejei para ela. :( Eu estava furiosa, pois ela tinha magoado o MEU Carlo e foi quase insuportável vê-lo sofrendo. Não aguentei. Tive que xingá-la para desabafar. 


" — Escute bem, Mudo. Marlene é minha mulher. Minha mulher. De ninguém mais. Se quer trabalhar para mim, vai ter que digerir esta ideia. Se não a entende, pode ir. Marlene é minha e ninguém, nem sequer ela mesma, vai nos separar. Entendeu?"


- Além do meu casal tão querido (sim. Depois de ter odiado a Micaela com todas as minhas forças, voltei a amá-la.rsrs...), a autora nos faz conhecer personagens secundários que também nos atingem a alma. Não esquecerei a Isabel. A mãe da Micaela. Aquela mulher tão cheia de vida, que sofreu depressão pós-parto e ninguém conseguiu salvar. Até agora acredito que o amor do Rafael poderia tê-la salvado se ele não a tivesse sufocado com tantos médicos e depois deixado só, acreditando que ela poderia melhorar se tivesse paz e silêncio. Mas eu não o condeno. Tudo que ele fez foi pensando nela. Nunca amou ninguém como amou aquela mulher. E a amou para sempre. Também não poderei esquecer a Marlene. A mulher que foi traída pela própria família e obrigada a passar o resto de sua vida dentro de um convento. Marlene marca o livro apesar de ficar por pouquíssimo tempo com a gente. :( Ela era um tesouro. Uma jovem cheia de vida, divertida, compreensiva. A mãe que a Micaela precisava ter quando foi cruelmente expulsa de sua própria casa por seu pai não suportar vê-la. Ela só tinha 8 anos e a Marlene preencheu o vazio deixado no coração daquela criança. E foi também nossa Marlene que ensinou a Micaela a dançar tango. É por isso que, em sua homenagem e por precisar senti-la por perto, a Micaela passa a usar o nome dela como pseudônimo. 

Também adorei o Gastón.rsrs... Desde o início eu soube que ele não era o monstro que a autora quis que acreditássemos que ele era. Quando o conheci, quando ele era ainda um menino de oito anos, soube que era impossível que ele fosse um monstro. Mas ele não é perfeito.kkkkkkkk... Erra demais. Mesmo assim, eu o perdoei e terminei o livro amando-o também.

- Mamá Cheia, a mãe de criação da Micaela e do Gastón, é outra personagem querida. O amor que ela sente pelos seus dois "bebês" é contagiante. Mesmo assim, senti raiva dela em alguns momentos... porque ela falava mal do meu Carlo!kkkkk... E como esquecer do Rafael? Ele errou feio com os filhos, mas não dá para odiá-lo para sempre. Ele nos mostra que não é alguém ruim. Sufocado pela própria dor, ele esqueceu que seus filhos também sofriam com a morte da mãe e errou feio, mas depois nos mostra ser digno de perdão. 


- Enfim... Poderia falar de muitas coisa aqui, mas eu não quero falar demais.rsrs... Já disse o suficiente.kkk... Ah, não! Estava esquecendo de uma coisa! Para abalar ainda mais as nossas emoções, existe um assassino misterioso nesta história. Um assassino frio que caça prostitutas, as asfixia e degola e para completar ainda corta a língua delas para levar como recordação. É de arrepiar, gente! E querem saber de uma coisa? Eu sempre soube quem ele era.kkkkkkkkkk... Vocês também saberão, podem ter certeza. :D


- Preparem-se para o final da história!!!!rsrsrs... A Florencia Bonelli sabe escrever finais emocionantes e não pôde deixar de nos torturar.rsrs... É o prazer dela!kkkkkk... O final é intenso, gente! Não digo mais nada!


- Eu recomendo e MUITO, MUITO, MUITO MESMO, esta história! Vocês precisam lê-la, gente! Me deixa triste saber que nem todos poderão ler esta história agora. :( Infelizmente, o livro ainda não foi lançado no Brasil (nenhum livro da autora foi) e nem em português de Portugal ele existe. Até onde sei, só existe em espanhol. A sinopse e os trechos que coloquei aqui fui eu que traduzi (por isso não está perfeito.rsrs... Não sou boa tradutora. Só traduzi porque queria que todos pudessem conhecer a sinopse e os trechos que escolhi). Desejo com todo o meu coração que o livro seja logo lançado em português e aqui no Brasil também, para que todos que desejarem tenham a oportunidade de lê-lo. É um livro que merecer ser conhecido por todos! 


" — Não chore, meu amor — suplicou-lhe —, não posso te ver chorar. Te faz mal e eu morro se te acontece algo. Não chore, eu te suplico. Que nada te importe, Marlene, que eu seja o único em tua vida, que eu ocupe todos os teus pensamentos, isso é o que quero."


Outros livros da Florencia Bonelli já resenhados aqui:


O Anjo Negro (O Quarto Arcano) (existe em português de Portugal)
O Porto das Tormentas (O Quarto Arcano) (existe em português de Portugal)
Lo Que Dicen Tus Ojos (Foi resenhado pela Carlita!!! Até onde eu sei, só existe em espanhol)


Bjs e até breve!

5 comentários:

Carla disse...

Linda resenha, amiga. Estou ansiosa para começar! :D


Não precisa agradecer, a melhor retribuição é sentir o quanto você apreciou a leitura. Isso me deixa mais feliz do que vc pode imaginar.

Te amo.

Bjs!

Luna disse...

Também te amo, amiga! :)


Creio que você vai amar o Carlo com todo o seu coração! É impossível não amá-lo.rsrs...


Bjs!

Inara disse...

Oi, Luna!
Acredita que eu ainda não conhecia a autora? Adorei sua resenha e fiquei bastante curiosa para ler. Os trechinhos que você citou são tocantes!

Um beijo,
Inara

p.s.: Saudades de vocês!

Anônimo disse...

Oi luna,ha um tempinho que nao dou uma "marocada" no seu blog,eu sou uma fã inveterada da Lynne haha,e por isso lia com bastante frequencia seu blog,mas isso nao vem ao caso agora,o que quero dizer mesmo é que passeando por aqui encontrei mais uma resenha linda sua,que por sinal me tocou tanto que resolvi caçar esse livro(mesmo q seja e-book)pra minha felicidade encontrei.porque adoro tango acho uma dança linda e ha tempos que procuro um livro de romance com o tema,ou com a referencia.obrigadaaaaaaa

Luna disse...

Olá! :)


Não precisa agradecer. Eu é que agradeço muito pelo carinho! :) Fiquei muito contente com o que você disse. Espero que você ame a história! Que ela te conquiste e se torne inesquecível para você! :D

Eu sou completamente louca por essa história. E o Carlo... (suspiros, suspiros, suspiros...) ele é simplesmente meu querido, meu "bebê" (kkkkkk....) Lembrar dele faz com que eu me emocione, faz com que eu sinta a história novamente. Ele é um mocinho inesquecível!


Bjs e ótima leitura!:D

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.