O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 12 de agosto de 2012

Ondine - Shannon Drake


(Título Original: Ondine
Tradutora: Ercília Magalhães Costa
Editora: Nova Cultural)

Inglaterra, 1679

Nas mãos do destino...

Subitamente envolvida num terrível jogo de influência e poder, lady Ondine viu-se a caminho da forca, sem que lhe dessem oportunidade de tentar provar sua inocência.... Os olhos cor de aço de lorde Warwick Chatham faziam jus à reputação de homem frio e implacável. Embora tivesse a seus pés todas as mulheres que desejasse, ele agora precisava de uma esposa, para poder executar seu secreto plano de vingança.... Ao ver Ondine no patíbulo, uma súbita inspiração impeliu Warwick a salvá-la, pedindo-a em casamento. Mas nenhum dos dois poderia imaginar que, em meio a intrigas e cercados de inimigos por todos os lados, encontrariam nos braços um do outro uma paixão capaz de aplacar a fúria de um homem e de realizar os anseios de uma mulher, numa gloriosa união de corpo, alma e coração!



Palavras de uma leitora...



- Nem sei por onde começar.rsrs... O que falar de um livro para o qual eu dei 2 estrelas? Um livro que quando foi chegando ao final eu comecei a ficar enjoada, pois não aguentava mais ler? Para falar a verdade, mal tenho vontade de escrever essa resenha. Ler esse livro não foi uma boa escolha. 

- Bem... Vou respirar fundo e começar.rsrs...


- A história é sobre uma mocinha que foi injustamente acusada de traição e um mocinho que teve sua esposa assassinada e decide descobrir por conta própria quem é o assassino já que para o mundo, Genevieve se suicidou.

Seus caminhos se cruzam no dia do assassinato de Genevieve. Nossa mocinha e o pai tinham sido convidados pelo rei Charles II à voltar para a corte depois de terem sido afastados. O pai de Ondine não apoiava a forma de governar do rei Charles I e por isso acabou sendo afastado da corte. Mas ele não apoiou quando os lordes votaram para o tal rei ser decapitado. Ele não apoiou a decisão e depois lutou para que Charles II assumisse o trono que era seu por direito. Sendo assim, ele acabou tendo permissão para voltar.

Porém, nesse dia uma terrível armadilha foi armada. Quando Ondine e o pai estavam próximos do rei, com poucas pessoas como testemunhas, o tio dela e o primo decidiram colocar em prática o que tinham planejado. Raul, primo da mocinha, puxou a espada e assassinou o pai de Ondine, declarando que ele tinha se preparado para assassinar o rei. Tudo aconteceu muito rápido e desesperada, Ondine resolveu fugir. Raul foi atrás dela e os dois discutiram. Warwick, o mocinho da história, estava por perto quando os dois brigavam. Ele escutou toda a conversa e gritou para a mocinha que poderia ajudá-la. Mas ela se lançou na água e desapareceu. Warwick acreditou que todo o ocorrido não passou de uma ilusão e não deu importância ao caso.

O pai de Ondine além de ter sido assassinado, ficou com o nome manchado e Ondine foi considerada cúmplice de tentativa de assassinato e traição. Com seu desaparecimento, o tio dela e seu primo ficaram com tudo que era seu e era justamente isso que eles queriam. 

Naquele mesmo dia, um outro assassinato foi cometido na corte. Genevieve, a esposa grávida do mocinho, foi lançada do terraço do quarto, mas, como não havia provas de que ela realmente tinha sido assassinada, todos consideraram que ela se suicidou já que era uma jovem extremamente frágil e medrosa. Todos sabiam que ela tinha medo de ter intimidades com o marido e não foi difícil acreditar que ela realmente tinha decidido acabar com a própria vida. Mas Warwick não acreditava nisso e depois de ter encontrado uma passagem secreta no quarto, onde se encontrava uma capa e uma máscara, teve certeza absoluta de que Genevieve não tinha se matado. Ele só precisava descobrir quem e por quê.

E assim, um ano se passa. 

Warwick está voltando para casa quando passa por ele uma carroça que está levando três condenados para a morte na forca. Os três estavam extremamente sujos e fedorentos, mas naquele momento Warwick encontrou sua alma gêmea. Sim. Dentro da carroça. A condenada que estava quase toda coberta pela sujeira chamou a atenção de Warwick e ele decidiu que ela era perfeita para ser sua esposa. 

Um condenado poderia ser salvo da morte se alguém o pedisse em casamento no último instante. E quem melhor do que uma condenada, que não tinha mais nada para perder, para servir de isca para o assassino de Genevieve? 

A mocinha, depois de ter fugido do primo e da morte por traição, passou a viver com os sem-tetos, roubando para se alimentar. Ela foi pega depois de matar uma corça que estava na propriedade de um lorde. E por esse motivo iria morrer na forca. 

Ela ficou surpresa quando aquele nobre a pediu em casamento poucos instantes antes de sua morte. Mas agarrou sua oportunidade de ouro para se vingar do tio e do primo. E assim, a história se inicia.


- Poderia ter sido boa. Sim. Tinha tudo para ser boa. Mas nota-se desde o início o quanto o livro foi mutilado. O início da história é quase insuportável. Nem parecia um livro escrito pela Shannon Drake. O início da história se parece com o início de A Guerra das Rosas, pois o Tristán também perde a esposa grávida quando ela é assassinada. Mas as semelhanças acabam aí. Eu me emocionei muito com A Guerra das Rosas, um livro escrito pela mesma autora e também indicado pela Tina. A Tina me indicou Ondine muito tempo atrás, pois eu queria começar a ler os livros históricos da Shannon Drake e ela me recomendou Ondine por ele ser, segundo os fãs, o mais leve da autora. Como leu a história há muito tempo, ela nem se lembrava bem do livro, mas confiava que o livro era bom. Já viram as notas do livro no skoob??? Ondine está muito bem cotado e as resenhas que encontramos lá são positivas. Por isso, talvez o problema seja eu.rsrs... 


- Achei o início fraco e rápido. Nada emocionante. E só isso já me fez pensar que estava cometendo um erro ao iniciar a leitura. Não consegui sentir absolutamente nada pelos personagens quando comecei a ler o livro. Para mim, eram só palavras escritas. Carentes de emoção. 

Mas as coisas melhoraram. Depois que o Warwick salvou a mocinha da forca, a história ficou interessante. Até mesmo divertida. A relação do casal ficou agradável e a leitura foi indo bem. Enxerguei os ciúmes do Warwick, a atração sexual e até mesmo que ele não desgostava da mocinha. E fiquei esperando... Esperando... Esperando... E nada. Não enxerguei o amor. Não enxerguei intensidade no casal. Eles eram totalmente estranhos para mim. Não conseguia me emocionar com eles. Com seus sofrimentos, suas lágrimas. Não sentia nada. Estava tudo muito vazio. Como se existisse uma barreira entre os personagens e eu. Eu preciso acreditar nos personagens, me envolver com eles para gostar de um romance. Se não enxergo amor num livro que é sobre amor, sobre a relação amorosa de um casal, o livro não significa absolutamente nada para mim. 

E quando cheguei numa determinada parte da história, o livro morreu para mim. Se tornou um castigo continuar a leitura.rsrs... Os fãs do livro me perdoem, mas eu preciso colocar para fora o que realmente senti. Vocês sabem que prefiro ser sincera, gente. Não posso dizer que gostei de um livro que praticamente detesto. 


Quando li essa cena disse o seguinte para minhas amigas:


"Faz tempo que noto a semelhança desse livro com os livros sobrenaturais da autora. As sombras, os sussurros, criptas, capelas, etc... Num livro de vampiros, essa aura sobrenatural ainda é aceitável, mas em Ondine só contribuiu para complicar a imagem do livro. 

E agora foi feita a grande revelação! Quem era o assassino misterioso! Que cena ridícula, meninas!kkkkkkk... Eu tive que rir para não chorar de frustração!rsrs... E quando aquele cara começou a falar aí é que eu ri mesmo. Parecia que eu estava lendo um livro do Shakespeare. E não falo isso no bom sentido.rsrs... Não parecia um ser humano normal falando.kkkkkkk... Parecia algo como: "Oh, querida! Oh, formosura! Oh, raio de sol! Oh, céu, mar, estrelas, meu universo inteiro! Oh, tu és tudo para mim!" Algo assim, sabe?rsrsrs... Ficou tudo muito cômico e extremamente frustrante." 


- Um trecho que ficaria melhor num livro do Shakespeare não combinou nada com o momento. Era um momento dramático, terrível até e se tornou extremamente cômico e insuportável.rsrs... Os personagens não agiam como se deve agir numa situação como aquela. Uma cena que deveria ser emocionante já que a mocinha quase morreu, se tornou vazia. Não enxerguei o desespero de nenhum deles. Pareciam que só queriam dizer palavras bonitas, dizer para nós leitores que estavam sofrendo. Era para me mostrar isso e não dizer palavras tediosas.


- Enfim... Depois disso a história só foi ficando pior. E agradeço muito por esse não ter sido o primeiro romance histórico que li da Shannon Drake. Felizmente li primeiro A Guerra das Rosas, que é um romance muito lindo e emocionante e me cativou completamente. Li A Guerra das Rosas duas vezes e acho que hoje vou reler alguns trechos. Assim, não fico com trauma da Shannon Drake.rsrs... Gosto muito da escrita da autora, adoro sua série de vampiros (embora o livro do Finn esteja me irritando), A Guerra das Rosas é meu livro preferido dela e pretendo ler outros de seus romances históricos, mas Ondine é quase insuportável. Pode ser o mais leve, mas também é o mais fraco e o mais vazio. 


- Entendam. Também sou fã da Shannon Drake. Defendo os livros que amei da autora e não é agradável falar mal de um livro dela. Mas eu precisava dizer o que realmente sinto. Seria impossível falar bem dessa história. 


- Não recomendo. Mas lembrem-se que o livro está bem cotado no skoob e possui resenhas positivas lá. Acho que vocês não deveriam levar em conta somente a opinião de uma pessoa. Pode ser que eu não tenha lido o livro num bom momento ainda mais depois de Marlene e O Lobo e a Pomba. Se é fã da autora, dê uma chance ao livro.


Bjs e até breve!



0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.