O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Votos Forçados - Lynne Graham


(Título Original: A Vow Of Obligation
Tradutora: Ingrid Guimarães
Editora: Harlequin
Edição de: 2012)

Casamentos Ordenados 3/3

Ela arrumava a cama dele. Mas agora iria ajudá-lo a desarrumá-la!

Com o intuito de salvar a reputação de uma amiga de trabalho, Tawny tinha como missão roubar o laptop de Navarre Cazier. Porém, ao ser pega em flagrante, seu rosto ficou mais vermelho do que suas madeixas ruivas. Não havia dúvidas de que seria demitida sumariamente. Mas Cazier a surpreendeu com uma proposta inusitada... Fingir ser sua noiva a fim de cessar as intermináveis fofocas acerca de sua vida. 

Seduzir mulheres ricas sempre fora uma tarefa fácil para ele, mas convencer Tawny a colocar sua aliança se tornara mais do que um desafio!



Palavras de uma leitora...


- "Ela arrumava a cama dele. Mas agora iria ajudá-lo a desarrumá-la!" Lendo isso eu penso: ainda bem que não escolho as histórias baseada puramente em sinopses. Porque se escolhesse... passaria a quilômetros de distância do livro após ler a frase acima. E assim perderia a oportunidade de ler uma história incrível, que tornou o meu dia muito mais leve e divertido. E sim. Ainda estou absurdamente chocada com isso. Afinal de contas, não tinha mais a menor esperança de amar algum livro desta trilogia, que me frustrou desde o princípio. Por conta disso, fiquei totalmente surpresa ao me pegar grudada ao livro, rindo como uma boba com o humor fascinante da Tawny e deliciada com os gestos românticos e irresistíveis do MEU Navarre. Sim! Ele já entrou direto para a lista dos meus mocinhos! :D

"Uma batida soou na porta.
- Atenda. - disse a ela. 
-Diga por favor - respondeu, desafiando-o. - Você está me pagando, mas ainda pode ser educado.

Não acreditou naquilo.
- Sou muito bem educado.
- Não, não é... Já vi como trata sua equipe. Faça isso, faça aquilo... Por que ainda não fez isso? Por favor e obrigado não constam...
- Abra a maldita porta! - disse, perdendo a paciência.
- Não é apenas rude, é também ameaçador - declarou Tawny, indo abri-la."

- Tawny sabia que estava numa terrível encrenca. E realmente isso era tudo que ela mais precisava na sua vida, naquele momento. Disso não tinha dúvidas! Mas ela não era do tipo que se lamentava por conta dos problemas. Se a vida lhe dava limões, ela os espremia e tomava azedo mesmo, para depois fazer piada sobre o assunto. Afinal de contas, a vida era curta demais para tanto estresse e drama. E não seria porque estava prestes a ser demitida e presa que ela iria entrar em pânico. E muito menos deixar de se divertir às custas do francês lindo e mal humorado, que seguia fascinando-a mesmo depois da frase "Vou chamar a polícia." Talvez ela fosse meio louca, conclusão a qual Navarre já chegara, mas a verdade é que não era o tipo de pessoa que acreditava que não existia saída para os problemas. Era corajosa, independente, bem humorada e louca o suficiente para saber que a saída existia... embora não fosse possível vê-la... ainda

" - Não me responda - advertiu-a enquanto Jacques entrava, curioso ao ouvir aquela última frase.
- É um alvo muito tentador - disse Tawny.
- Controle a tentação. Se não puder fazer o que mandam, não será de grande serventia.
- Por acaso ouço um chicote estalar acima da minha cabeça? - Ela olhou para cima."

- Em toda sua vida, Navarre jamais encontrara uma mulher como Tawny. Embora tivesse chegado à conclusão de que ela certamente não jogava com o baralho todo, havia algo nela que o prendia. Que o fazia admirá-la e desejar passar mais tempo com ela, ainda que soubesse que ela era uma ladra e uma mercenária, cuja lealdade possuía um preço. No entanto, nada disso o impedia de ficar mais e mais atraído conforme ia conhecendo-a e de desejar, em seu íntimo, que em toda aquela farsa que construíram juntos, existisse um fundo de verdade...

- Tawny, que nunca antes tinha tido realmente uma amiga, ficara tocada quando Julie, a recepcionista do hotel no qual ela trabalhava como camareira para completar sua renda, oferecera sua amizade sem pedir nada em troca e ainda por cima a ajudara no momento em que ela mais necessitava. E quando a amiga, desesperada, lhe pedira para entrar no quarto de Navarre e pegar seu laptop "emprestado" para que pudesse apagar umas fotos comprometedoras, Tawny soube que precisava fazê-lo... porque possuía uma dívida com a amiga e não podia lhe virar as costas quando ela mais precisava. Além disso, depois do que Julie lhe contara, Navarre havia caído muito em seu conceito e merecia uma pequena lição, para deixar de ser tão depravado ao ponto de tirar fotos nuas de uma mulher e depois se recusar a apagá-las, mesmo após ela implorar para que ele o fizesse. No final das contas, ele pedira por aquilo e tal constatação aliviava sua consciência. 

Só que após ser pega em flagrante e de perceber o quanto havia sido estúpida por acreditar numa amizade que havia sido falsa desde o início, Tawny sentiu que recebia mais um golpe em sua vida. Só que não era o tipo de pessoa que simplesmente desistia. Se a vida lhe derrubava, ela se erguia novamente, levantava a cabeça e seguia em frente... sempre. E, ao ouvir a proposta que Navarre lhe fazia, em troca de não mandá-la para a cadeia, ela acabou por perceber que realmente existiam males que vinham para o bem...

Tudo que Tawny necessitaria fazer, para não ser presa, seria fingir ser noiva de Navarre durante um curto período de tempo. Um emprego pelo qual seria muito bem paga e que permitiria que ela continuasse pagando as despesas da avó, que era sua motivação para arranjar aquele trabalho como camareira. Ela sabia que era muito mais fácil arrumar os quartos de um hotel do que trabalhar para Navarre, porém pela avó valia o sacrifício.rsrsrs... Ainda que fizesse parte do seu trabalho suportar as constantes demonstrações de afeto que seu "noivo" recebia de uma mulher, cujo anel de noivado no dedo de Tawny não inibia...

"Uma noiva de verdade, refletiu ironicamente, teria vontade de atirar nela e enterrá-la ali mesmo."

- Com o convívio, o que era apenas uma atração intensa por parte dos dois, acaba por se transformar em algo muito mais profundo, que nenhum deles estava disposto a reconhecer. Era muito mais fácil levar aquele relacionamento como um jogo, um caso que logo chegaria ao fim... do que encarar as emoções tumultuantes que os invadiam e os faziam ansiar por algo que mais parecia uma ilusão. Eram de mundos diferentes. E Tawny era uma prova viva de que homens como ele jamais queriam algo sério com mulheres como ela. E não estava disposta a entregar seu coração para que o mesmo fosse feito em pedaços. Não. Não permitiria que tal coisa acontecesse. Mas uma coisa que ela ainda não sabia... é que o coração é muito desobediente e que quase sempre ama justamente quem não queremos amar... 

- Lembram do que eu disse sobre os dois livros anteriores serem carentes de emoção? Pois bem. Creio que toda a emoção que fugiu desses livros veio parar direto nesta história!rsrs... Porque uma coisa que realmente não faltou ao livro foi emoção, paixão, sentimentos. Eu comecei a leitura da história hoje e em pouquíssimo tempo já havia terminado. Lembro claramente de ter dito, ao virar a última página: "Já acabou? Não acredito!" E fiquei realmente decepcionada por conta disso.kkkkkk... Não queria que o livro acabasse. Por mim, todas as páginas que a autora usou para escrever a história das irmãs da Tawny, poderia ter usado para escrever a história dela e do Navarre. Porque 183 páginas é muito pouco! :( Embora a autora tenha talento o suficiente para conseguir escrever uma belíssima, e completa, história em poucas páginas, eu fiquei com um gostinho de quero mais... Simplesmente porque amei este casal e a história deles! E não queria de modo algum deixá-los. :( 

Eu estava com um humor terrível quando coloquei o livro na bolsa antes de sair de casa hoje. E fiquei ainda mais estressada depois de tomar um banho de chuva (risos), pois choveu tanto que o guarda-chuva não deu conta. Cheguei ao meu destino ensopada e morrendo de frio e peguei o livro acreditando que apenas me estressaria mais. No entanto, mesmo tendo certeza absoluta de que não existia a menor chance deste livro salvar a série, eu precisava me ocupar lendo algo, qualquer coisa, pois estava prestes a perder totalmente a minha paciência hoje.kkkkkkkkk... E o livro, para minha completa surpresa, conseguiu me fazer rir e até gargalhar em certos momentos, me encantando e fazendo o dia de repente ficar muito bonito. :) 

- A primeira coisa que notei ao iniciar a leitura deste livro, foi que o livro tinha muito mais ritmo, "fôlego" do que os outros livros da série e que a Tawny era meio doidinha, muito divertida e descontraída, do tipo de pessoa que sempre olha para a vida vendo o que de melhor ela tem a oferecer em vez de ficar pensando em coisas que a entristeçam. Não que ela não seja capaz de ficar triste ou chorar e na verdade ela chora em alguns momentos (embora tente esconder isso do Navarre), porém ela não se deixar abater pelas adversidades e logo recupera seu bom humor de novo. Ela é uma pessoa simples, da qual é impossível não gostar. Eu já a amava e desejava ser sua amiga muito antes de ser conquistada também pelo Navarre. Já considerava o livro maravilhoso por contar com uma mocinha incrível, criada com todo carinho e atenção pela autora. Uma mocinha que em momento algum me decepcionou. Muito pelo contrário! Quanto mais a conhecia, mais me surpreendia e a admirava. E claro que isso poderia significar um problema para o Navarre, já que eu me considerava protetora dela e estava disposta a esganar qualquer um que se atrevesse a magoá-la. Mas o Navarre foi feito sob medida para ela e também não me decepcionou. Pelo contrário! Me fez suspirar aqui com a maneira linda de amá-la e de tentar conquistar seu coração. Ele comete erros? Sim! Como todo ser humano. E não era muito experiente nos assuntos do coração, portanto não sabia bem como agir. Mas ele tenta. E reconhece quando está errado. Sabe pedir perdão e tentar novamente. Eu o achei totalmente digno de alguém como ela e a autora até fez eu me esquecer da minha frustração com os outros livros. Com Votos Forçados ela voltou a me encantar com uma história que ela soube transformar numa verdadeira joia. :) É Lynne Graham no seu melhor estilo!

"- De que maneira eu o atingi?
- De todas as maneiras que uma mulher pode atingir um homem. Primeiro no meu corpo, depois na mente e, finalmente, em meu coração"

- Eu poderia dizer muita coisa, mas não quero contar a história toda.rsrsrs... Tudo que eu disse é apenas o princípio. Certas coisas vão se passar entre o casal. Desentendimentos, brigas, momentos que me deixaram com o coração partido (que crueldade eles dois sabem colocar em suas palavras!)... Enfim... E ambos me encantaram com a maneira como conseguiam lidar com os problemas que haviam entre eles... e a Tawny me divertiu demais no final da história.kkkkkkk... Mas não posso seguir falando. :D Tenho que permitir que vocês conheçam o livro por si mesmos! E espero sinceramente que o amem tanto como eu amo!  :) 

- Vale mencionar que a Beatriz e o Sergios, protagonistas de Acordo no Altar, aparecem nesta história. E até possuem uma participação importante, que me fez gostar um pouco mais deles dois.rsrsrs... Zara também apareceu e Vitale foi apenas mencionado (pelo que pude perceber). Mas falando da participação da Zara... eu preferia que ela não tivesse aparecido.kkkkk... No segundo livro eu quis que ela aparecesse, mas me arrependi amargamente quando ela finalmente apareceu neste livro aqui. A autora não parece ser muito fã de sua própria personagem, sinceramente. Porque sempre tem que colocá-la como uma imbecil, incapaz de fazer algo certo. A Zara é sempre muito fraca e impulsiva e senti vontade de esganá-la quando ela não percebeu que ninguém a tinha chamado para se meter onde não devia. Ela devia ter seguido cuidando de sua própria vida! Sinceramente! Como ela me irritou naquele momento! Sei que ela não fez por mal, mas foi impossível não me irritar. Enfim...

- Dei 5 estrelas ao livro sem sequer pensar duas vezes! :D E uma coisa que não consigo entender é a classificação dele no Skoob. :( Desejo de Vingança possui uma média de 3.6 estrelas; Acordo no Altar possui uma média de 3.7 estrelas; e Votos Forçados, que é realmente o único livro que vale a pena nesta trilogia (na minha opinião, é claro!!!!) tem uma média de apenas 3.8 estrelas. E dos três é o menos favorito e desejado no Skoob. :( Até o epílogo do livro é completo, a mocinha tem toda a personalidade que faltou nas outras mocinhas, o mocinho é incrível como os outros nunca conseguiram ser e no entanto o livro não é tão querido. Bem... não importa! Ele tem todo o meu amor e proteção! Eu o amo muito e isso é suficiente. :) Apesar disso... vou seguir torcendo para que o livro seja muito conhecido por outros leitores e receba todo o amor que merece! :D

Trilogia Casamentos Ordenados

3º Votos Forçados

3 comentários:

Mónica Castro disse...

Não jogava com o baralho todo hein?!
Aonde foi que eu ouvi isso?
kkkkk

Luna disse...

kkkkkkkk... De você mesma, amiga!kkkkkkkk...

Mónica Castro disse...

Eu sei kkkkkkkk.......

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.