O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Bodas de Ódio - Florencia Bonelli


Uma história de paixão e intriga na época de Juan Manuel de Rosas...

Ano de 1840, Buenos Aires

Com sua beleza ruiva, sua obstinação e seu espírito impulsivo, a jovem Fiona Malone faz jus à sua origem irlandesa. Nega-se a seguir os costumes portenhos da época, pois está decidida a casar-se por amor. Por isso, se desespera quando seu pai acerta seu casamento com Don Juan Cruz de Silva, protegido do tirano Juan Manuel de Rosas.

De Silva, apelidado o Diabo, tem um obscuro passado e deve sua riqueza tanto a sua inteligência, valor e frieza como ao afeto que Rosas sente por ele. Para consolidar sua posição deve casar-se com uma jovem de boa família e a beleza de Fiona o conquistou. 

Porém, o casamento começará marcado pelo ódio. Juan Cruz e Fiona só serão felizes se souberem ceder à imensa força do desejo... e do amor. 


Palavras de uma leitora...


"Para mim, o amor já não existe. É um sonho que jamais será realidade."

- Fiona Malone é uma jovem de personalidade forte, que sabe exatamente o que quer da vida. Sonha em casar-se por amor, viver o romance que só encontrava nos livros e parecia cada vez mais inalcançável. Nenhum dos pretendentes que conhecia, naquela sociedade fútil que ela tanto desprezava, mexia com seus sentimentos ou despertava qualquer interesse... até que ela o viu pela primeira vez. Existia naquele homem algo que a impedia de desviar o olhar, que a fazia desejar conhecê-lo mais, porém tudo termina antes mesmo de começar... E todos os sonhos que ela alimentava em seu interior são desfeitos...

" - Espero que o cavalheiro morra de amor por você. E você por ele. 
   - Jamais! Jamais morrerei de amor por alguém que me comprou como a uma vaca na feira. Me entende, Maria? Jamais!"

- Depois de levar a família à ruína, o pai de Fiona, que se negava a reconhecer sua existência até então, decide que a única maneira de salvá-los (ou a si mesmo) seria entregando-a em casamento a quem pudesse quitar todas suas dívidas. E claro que não perderia o tempo perguntando o que ela achava disso antes de acertar tudo com Juan Cruz. E usando das mais baixas chantagens, ele comunica sua decisão à Fiona, jogando em seus ombros a responsabilidade não só de salvá-los financeiramente, mas sobretudo de impedir que o avô que a criara como um verdadeiro pai e estava seriamente doente, morresse ao se inteirar das enormes dívidas que o filho contraíra e que ameaçava tudo que ele tinha lutado para manter por toda sua vida. Sem opção, Fiona aceita casar-se com Juan Cruz, jurando em seu coração que faria da vida dele um verdadeiro inferno. 

Mas o tempo fará os dois perceberem que o coração não liga à mínima para as nossas vontades... e que não podemos escolher a quem vamos ou não amar...

"- Te odeio, maldito de Silva! Te odeio com toda minha alma! E você sim deve ser o mesmo diabo como dizem, porque isto se converteu para mim no inferno!"

- Por onde começar?rsrs... Quem acompanha meu blog sabe bem que a Florencia Bonelli não é só uma das minhas autoras preferidas. Ela é especial, está acima de todas as outras escritoras para mim. Por mais queridas que as outras sejam, a FB é a que eu mais amo, suas histórias sempre me levam ao céu e ao inferno e bagunçam por completo minhas emoções. Me fazem chorar de soluçar, me fazem ri e me emocionar de um jeito totalmente distinto das outras histórias. Nunca consigo explicar exatamente o que suas histórias provocam dentro de mim, o quanto elas atingem meu coração. São coisas que simplesmente sentimos, que não é possível colocar em palavras. Porém... pela primeira vez na minha vida... uma história da FB não atingiu meu coração. Não me fez sentir a "magia" que inunda as páginas de seus romances... não me fez sentir a paixão, a intensidade que une sempre os seus personagens. Não me fez sentir aquele amor que os faria dar a vida um pelo outro se fosse preciso. Aquele amor que os tornava vulneráveis e fortes ao mesmo tempo, como o que se passou com todos os outros mocinhos e mocinhas que conheci da autora. Nada disso se passa em Bodas de Odio. E vocês não sabem o quanto é difícil para mim dizer isso. 

"- O que você está fazendo comigo, Fiona? O que você fez de mim que se não te tenho sinto que morro?"

- No início, a história me prendeu. Eu estava adorando cada momento, embora não simpatizasse muito com o mocinho. Porém, tinha a esperança de que ele fosse se tornar mais humano com o passar do tempo, que seria menos cruel e egoísta, que aprenderia a levar os sentimentos da Fiona em conta. E por mais que eu acredite que ele tenha aprendido a amá-la, não senti esse amor. Não me comoveu, não me provocou nada. Porque o Juan Cruz fez tantas coisas erradas, foi tão insensível e canalha com a mocinha, que eu já não me importava com o que ele sentia ou deixava de sentir. Eu peguei uma enorme antipatia por ele, um desprezo, e nada que ele tenha feito depois conseguiu mudar isso. E quando a Fiona, que era a única personagem que valia a pena nesta história, se tornou tão submissa às vontades dele, preferindo obedecê-lo e não mais enfrentá-lo como tinha todo o direito de fazer, eu perdi todo o interesse no livro e fui arrastando a leitura desde então. Desejando que a história terminasse logo para que eu pudesse me livrar dela. Esquecer que a tinha lido. E isso me encheu de tristeza porque eu jamais imaginei que chegaria o dia em que eu desprezaria um mocinho da FB, que desejaria esquecer que tinha lido uma história dela. Mas infelizmente foi o que se passou. 

"Agora está você. Minha vida é você. É minha paz, minha felicidade, tudo. Nunca me abandone, Fiona, meu amor, nunca me deixe. Isso sim eu não poderia suportar. Já não me odeie tanto, por favor... Por favor... Não me odeie mais."

- O único momento em que o livro conseguiu me tocar e até encher meus olhos de lágrimas foi no final. A lenda que contam para a Fiona é tão triste e tão emocionante, impossível ficar indiferente. E além disso aquelas cenas finais... Por causa dessas cenas não conseguirei esquecer esta história. 

"Desde o dia em que te conheci, Fiona Malone, não faço mais que amar-te com loucura."

- Recomendo a história?! Sim!rsrs... Por que acham que eu escolhi alguns trechos lindos para colocar nesta resenha? :) Eu posso não ter amado este livro, posso ter desprezado profundamente o mocinho e desejado esquecer a existência desta história.rs Mas isso não significa que a história é ruim ou que vocês sentirão o mesmo que eu senti. Existe muita gente que amou esta história, que a considera uma das suas preferidas e o livro é muito bem escrito e pode ser bem envolvente. Recomendo que deem uma chance ao livro. Podem acabar por amá-lo. :) E eu espero realmente que isso aconteça. 

"- Fiona, minha pequena e doce Fiona. Quanto te fiz sofrer! Poderá me perdoar algum dia?"


- O final da história me fez lembrar de uma música muito linda...

4 comentários:

Lu Zuanon Apaixonada por Romances disse...

Olá, não vejo a hora de ler este livro,me interessei por essa história.Gostei da resenha!

Se tiver interesse em vender lembra de mim rsrs

Beijos,Lu
Blog: Apaixonada por Romances Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.

Miriam Gardem disse...

Me parece ótimo! O livro foi publicado em Portugal?

Luna disse...

Olá, Lulu! :)

Obrigada, querida. Espero que quando você ler a história se apaixone por ela! :D Infelizmente, não é minha história preferida da autora. Longe disso.rs

rsrsrsrs...

Luna disse...

Olá, Miriam! :)

Até onde eu sei, não. Ainda não foi publicado em Portugal. Creio que só exista em espanhol mesmo ou em tradução de fãs.

Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.