O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Eva - William P. Young

(Título Original: Eve
Tradutor: Fabiano Morais
Editora: Arqueiro
Edição de: 2015)

O que realmente aconteceu no Jardim do Éden?

Num suspense emocionante, William P. Young, faz uma abordagem totalmente nova e inspiradora da história da Criação.

Fruto de mais de 40 anos de pesquisas, fiel aos textos bíblicos originais e com uma narrativa primorosa, Eva apresenta um ponto de vista humano e reconfortante de um dos episódios mais tristes das Escrituras: o momento em que o homem vira a face para Deus e é expulso do Paraíso.

Com sua capacidade única de emocionar e fazer refletir, o autor trata de temas como perda, culpa, perdão e redenção, e cria uma alegoria sobre a importância de nossas escolhas, a verdade de nossas origens e o poder transformador do amor de Deus.


Palavras de uma leitora...


"Durante alguns instantes, ficou olhando pela janela. O impulso de saltar no vazio era tentador. Será que Adonai apararia sua queda? Será que ele ao menos perceberia se ela caísse?"

- Faz sete anos que li A Cabana, primeiro livro escrito pelo autor e que marcou profundamente a minha vida. Eu estava passando por um momento de muita dor. Estava sofrendo demais e desesperada por uma esperança, por algo que me desse consolo... paz. Que me fizesse crer que eu não deveria parar. O livro não "apagou" minha tristeza. Não fez com que tudo ficasse bem de um instante para o outro, mas foi como uma ponte que me conduziu novamente na direção de Deus. Chorei demais com A Cabana. De soluçar. Mas no final... eu pude sentir a tranquilidade que há tempos não sentia. Ele nunca foi resenhado no blog, pois o li cerca de um ano antes do blog existir. Ainda não sei se farei a resenha baseada em minhas lembranças ou se lerei o livro de novo antes. Porém, este post não é sobre A Cabana, certo?rs É hora de falarmos sobre Eva, um suspense que nos leva aos Inícios... que nos faz acompanhar como tudo começou... Vamos ao Éden, aos dias da Criação... e a um encontro com Adão e Eva.

"Fico olhando para as ondas do mar... O ir e vir da maré é mais ou menos como a minha vontade de viver e morrer ao mesmo tempo."

- Lilly Fields, uma adolescente sem memórias do passado e profundamente ferida tanto física quanto emocionalmente, é encontrada por John, quase morta. No início, ele acreditou que havia encontrado mais um corpo, o último das doze meninas das fotos, que tinham sido brutalmente assassinadas e lançadas ao mar numa espécie de contêiner, indo parar numa ilha entre mundos, num lugar conhecido como Refúgio. Abalado pelas condições em que Lilly se encontrava, John não consegue perceber que ela ainda respirava e que ele havia, na verdade, salvo sua vida. 

Com a ajuda de especialistas, ele luta para trazer Lilly de volta. A recuperação é lenta e delicada e enquanto seu corpo é curado, deixando cicatrizes que seriam para sempre uma recordação da maldade pela qual ela tinha passado ao longo de anos, sua mente parecia cada vez mais distante de qualquer possibilidade de cura. Ela estava quebrada. Em vários pedacinhos. Completamente destruída. Como recomeçar? Como voltar a confiar em quem quer que fosse? 

"Talvez eu precise que o gelo debaixo dos meus pés quebre para que eu possa cair e desaparecer. Oh, Deus, ainda que eu esteja totalmente maluca, Você viria me encontrar? Acho que quero mesmo ser encontrada, mas por Você, não apenas pelos outros."

- Ainda sob o efeito de fortes medicações, lembranças confusas, e uma dor tanto física quanto emocional, Lilly percebe que não está na Terra e que os estranhos que cuidavam dela não eram "normais"... não pareciam exatamente humanos, mesmo que dissessem que eram. Desorientada, acreditando estar a um passo da loucura, ela os escuta afirmar que uma promessa estava se cumprindo. Que ela tinha sido escolhida para ser uma Testemunha. Do que, ninguém sabia exatamente. Mas toda vez que mergulhava no sono, Lilly era levada a um lugar que ela sempre acreditou ser um mito, uma fantasia como tantas outras. Ao Jardim do Éden. Ao encontro com um Deus no qual ela tinha aprendido a não acreditar. 

"O sofrimento é uma coisa estranha. Como a alegria, ele nos pega desprevenidos, totalmente de surpresa. Faz parte da vida, faz parte da natureza humana."

- Estaria realmente louca? Teriam os seus traumas destruído também a sua mente? Por mais que não fosse capaz de recordar quem era e sobretudo que tragédia a tinha levado até aquele lugar... sabia que as cenas que via não podiam ser outra coisa senão alucinações. Tudo era fantasia. Tinha que ser. 

Aos poucos, por mais que um lado seu ainda acreditasse que ela estava enlouquecendo e que possivelmente estava internada em algum hospício, Lilly começa a se deixar levar pelas coisas que testemunha... enxergando, pela primeira vez, um Deus do qual apenas tinha ouvido falar e que preferira acreditar que não existia. Porque, a outra opção... seria acreditar que Ele existia, mas que jamais se importara com o que acontecia com ela. 

"Quando voltou a falar, sua voz, que não passava de um sussurro, fraquejou ainda mais. - Por que... por que Deus não me protegeu?
 Eva deixou que a pergunta pairasse no ar. Aquela mesma pergunta era feita por um bilhão de outras vozes, em sepulturas, mesquitas, igrejas, escritórios, celas de prisão e becos escuros. Atrás dela, um rastro de fé abalada e corações destruídos. Aquela pergunta clamava por justiça e implorava por milagres que nunca vieram."

- O que estaria se passando com Lilly? Seria o Refúgio um lugar real? Seriam as medicações as responsáveis por aqueles sonhos tão estranhos e ao mesmo tempo reconfortantes? Fosse o que fosse...uma coisa era certa: a cura para sua alma só poderia vir de Deus. Só Ele seria capaz de cicatrizar seu coração e lhe devolver a vida. 

"Soluçava por perdas das quais nem se lembrava; por memórias e rostos que ela não conseguia identificar; por ser apenas uma menininha que não sabia onde era o seu lar e se sentia perdida; e porque tudo doía e ela não conseguia conter suas emoções."

- Acompanhar a história de Lilly não é uma tarefa fácil. É algo doloroso e que também mexe muito com as nossas crenças e a nossa noção de "realidade". Não é preciso apenas acreditar para poder seguir em frente com a leitura. É necessário também abrir a mente, ler sem pré-conceitos... Temos que mergulhar no livro, naquele mundo... por mais inacreditável que ele pareça ser. 

Confesso que eu fiquei bem perdida em vários momentos, tendo que ler algumas páginas mais de uma vez e franzindo a testa em certas cenas.rs Afinal, como uma música que eu adoro da Bruna Karla bem diz: "sou humano, não consigo ser perfeito". É muito complicado deixar de lado aquilo no que acredito e ver as coisas pelos olhos do autor e dos personagens do livro. Mas quando aprendemos a fazer isso, a leitura flui naturalmente e nos deixamos envolver completamente por aquele mundo. E não queremos que a história termine. 

"Ela olhou para os seus dedos, ainda entrelaçados aos de Eva, e sentiu uma vontade repentina de chorar. 
 - Não me abandone, por favor - pediu Lilly, a voz quase inaudível.
 - Nunca me afasto. - A expressão suave nos olhos de Eva tornou-se nublada de lágrimas. - Afinal, você é minha filha. Eu estou em você, assim como você está em mim."

- Para mim, este livro não é somente sobre a Criação, a queda de Adão e Eva e em como tudo poderia ter sido evitado. Quando terminei a leitura, pude entender que a história era muito mais sobre Lilly... sobre sua dor e sua morte. Assim como o protagonista de A Cabana, Lilly pedia aos gritos por socorro, suplicava por uma ajuda que ninguém no mundo seria capaz de lhe dar. Que ela só encontraria em Deus. Mas como? Como ser curada se não acreditava nessa cura? Se para ela, Deus não existia? 

"O livro certo, assim como a canção certa ou o amor certo, pode mudar todo o mundo de uma pessoa. E então iniciar uma reação em cadeia."

- Eu acredito muito no trecho acima. O livro certo pode até mesmo salvar uma vida. E quantas vezes você já escutou uma música que te fez chorar até você sentir como se tivesse sido lavado por dentro? Sem mencionar aquelas músicas que nos fazem sorrir e o dia ficar mais bonito. E o amor... está aí um sentimento capaz de fazer milagres. 

"Se essas coisas não fossem Deus em essência, tudo iria pelos ares. - Seus dedos rodopiaram no ar como um balão que tivesse escapado. - Tudo, até mesmo nós, desapareceria na não existência."

- Eu amei a história! E pude adivinhar o final.rs Como eu disse, li A Cabana. Já conheço o autor e não foi difícil perceber que o livro seguiria o mesmo caminho. Acho que nenhuma história dele conseguirá superar A Cabana em meu coração, mas com certeza Eva está entre os meus preferidos. :) Recomendo muito!!!! 

" - O Senhor me amaria... - começou a falar Adão depois de um longo silêncio -, mesmo que eu carregasse a escuridão dentro de mim?
  - Meu amor nunca será condicionado por nada, nem pela escuridão nem por qualquer coisa que possa haver em você - respondeu Adonai, apertando a mão do filho. - Eu sei quem você é de verdade.
  - Se eu lhe der as costas, o Senhor dará as costas a mim? 
  - Não, meu filho. Você nunca será abandonado ou renegado."

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.