O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A Caminho do Altar - Julia Quinn

(Título Original: On the Way to the Wedding
Tradutora: Viviane Diniz
Editora: Arqueiro
Edição de: 2016)

Série Os Bridgertons - 8/8

Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.

O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.

Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?

A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.



Palavras de uma leitora... 


"Beijou-a com todo o seu ser, com todo o ar, com cada batida do seu coração."

- Gregory Bridgerton, o último dos irmãos ainda solteiro, é um romântico. E não havia nenhum sentido em negar tal fato. Tendo crescido cercado de amor, acompanhando de perto a felicidade que seus irmãos encontraram no casamento, ninguém poderia culpá-lo por ansiar viver o mesmo. A mesma paixão. A mesma necessidade de amar e ser amado por alguém que o completasse. Que desse sentido à sua vida. E quando a vê pela primeira vez... percebe que finalmente encontrara aquilo que sempre desejou.... Ela. Aquela que havia sido feita para ele. 

Só que as coisas não saem exatamente como ele esperava... A mulher em questão, a que fez seu coração acelerar, roubou seu fôlego e o deixou completa e imbecilmente atordoado, não sentira o mesmo. Por mais estranho que isso pudesse parecer. Inacreditável, até. Hermione Watson, sua amada, estava apaixonada por outro homem e mal o notara. Na realidade, sequer o notara. Mas longe de perder as esperanças e considerar (sabiamente) aquilo apenas uma tolice, Gregory se empenha em derrubar as defesas dela e conquistar seu coração. É quando aproxima-se de Lucy, melhor amiga de Hermione, e a única capaz de ajudá-lo a fazer Hermione enxergar que ele era o homem certo para ela. O único capaz de fazê-la feliz. 

"Gregory podia imaginar o mundo inteiro ali, nas profundezas do olhar dela. Tudo o que precisava saber, tudo o que podia um dia precisar saber... estava lá, dentro dela."

- Lucy não acreditava no amor. Achava que tanto os poetas quanto os apaixonados exageravam esse sentimento e ela não desejava, nem por um instante sequer, que algo assim se passasse com ela. Não queria perder o controle de si mesma. Necessitar tanto de outra pessoa para viver e ser feliz. Não. Era prática demais para isso. Gostava de estar no controle de si mesma e todo o seu futuro estava perfeitamente planejado. Não existia espaço para o amor. E ela sentia-se perfeitamente confortável com isso. Em breve seria uma condessa. E teria uma vida bastante agradável. Qualquer uma gostaria de estar em seu lugar. E era isso que ela tentava fazer Hermione entender. Precisava convencer a amiga a esquecer as tolices do amor que ela dizia sentir por alguém completamente inapropriado e enxergar que necessitava pensar no futuro e no fato de que deveria fazer um bom casamento. Mas... ao unir-se a Gregory para ajudá-lo a conquistar Hermione, Lucy vê todos os seus planos, pouco a pouco, serem desfeitos. E tudo que ela sabia sobre si mesma já não parece certo. Quando olhava nos olhos dele... quando o via sorrir... não recordava mais quem era. Só sabia que queria ser... dele. Para sempre. 

"Ela, que sempre debochara do amor romântico, tinha se apaixonado. Completa e perdidamente - o suficiente para deixar de lado tudo em que pensara acreditar. Por Gregory, Lucy estava disposta a mergulhar no escândalo e no caos."

- Pela primeira vez na vida, ela era capaz de compreender o que os outros diziam sobre o amor. Estava sentindo. E o mais irônico é que se apaixonara justamente por alguém que não sentia o mesmo por ela. Que estava apaixonado por sua amiga e mal percebia que ela existia. Como se não bastasse a dor que isso provocava, era ainda pior saber que nem ao menos poderia lutar por seu amor. Que não poderia tentar conquistá-lo. Estava ligada a outro homem. Prometida a outro anos atrás e agora os papéis estavam finalmente assinados. Não havia volta. E de que valeria tentar? Gregory nunca a veria como algo mais...

"Ela o amava. Amava tanto, e ele não podia ser dela. Seu coração estava acelerado, a respiração, trêmula, e tudo em que conseguia pensar era que nunca iria se sentir assim de novo. Ninguém jamais olharia para ela da maneira como Gregory estava olhando naquele momento."

- Mas ele percebe. O quanto foi imbecil. Como foi cego ao não ver que não sentia por Hermione metade das coisas que Lucy sempre provocou dentro dele. A forma como ela o divertia, como era capaz de fazê-lo sorrir naturalmente, como seus olhos o atraíam e era delicioso estar ao seu lado, mesmo que fosse para falar sobre nada. Eles podiam ficar em silêncio, mas o simples fato de estarem juntos fazia com que tudo parecesse... certo. O fazia se sentir em casa. Não sabia que aquilo era amor. Aquela necessidade de fazê-la feliz... a dor que sentia quando ela estava triste. E a certeza de que daria até mesmo a própria vida para que ela vivesse. Sim. Ele demorou a ver.... mas quando viu... não desperdiçou um só instante. Ela era dele. Ou, pelo menos, seria. E coitado daquele que tentasse impedir. 

"Deixe-me beijar você - sussurrou ele. - Só mais uma vez. Deixe-me beijá-la mais uma vez e, se você me disser para ir embora, eu juro que vou."

- Foram oito livros. Contando a história desta grande, divertida e irresistível família. Oito irmãos em ordem alfabética (risos), oito diferentes histórias... Umas de nos fazer suspirar... outras maravilhosas e inesquecíveis... mas duas... simplesmente arrebatadoras. Não apenas maravilhosas, não apenas inesquecíveis. Não. Entre os oito livros desta série tão especial, dois realmente se destacaram. Roubaram meu coração e me deixaram no céu e no inferno ao mesmo tempo. Porque foi mágico viver essas histórias com eles, mas insuportavelmente doloroso o momento em que precisei dizer adeus.

- Será que é difícil adivinhar quais foram as duas histórias que me arrebataram? :) Um Perfeito Cavalheiro, sem sombra de dúvidas, foi a primeira. Benedict e Sophie mexeram com todas as minhas emoções, transbordando magia em cada página, me fazendo esquecer por completo o mundo e qualquer obrigação. Queria reviver cada instante. Como se fosse a primeira vez. Quero o baile de novo. Os olhares... os dramas... a perda e o reencontro. Quero tudo outra vez. Suspiros... E então... para fechar a série da maneira mais linda e emocionante... A autora faz de novo. Me dá algo como o que vivi com Benedict e Sophie. Me dá de novo a magia. Me arrebatando por completo. Me fazendo rir e chorar ao mesmo tempo. Sentir angústia pelos personagens e torcer com todas as minhas forças para que eles pudessem construir um caminho que os unisse. 

"Mas não importava se não sabia se ela preferia rosa, azul, roxo ou preto. Ele conhecia o seu coração. Queria o seu coração." 

- Posso dizer com toda a sinceridade que eu não esperava muito desta história. Nunca tinha dado muita importância ao Gregory. Ele era um dos caçulas, um pestinha que não levava nada a sério. Quase não o notei nos livros anteriores e não podia nunca imaginar que ele conseguiria me conquistar tanto, significar tanto para mim. Gregory roubou por completo meu coração. Sem aviso. Sem hesitação. Ele simplesmente o pegou e levou embora. Foi inevitável. Como não amar um mocinho tão apaixonante? Como não me emocionar com alguém capaz de tudo por quem ama? 

"- Eu te amo - sussurrou ele, deixando um rastro de palavras ao longo do pescoço dela até a clavícula. - Eu te amo. Eu te amo.
  Eram as palavras mais dolorosas, magníficas, terríveis e maravilhosas que ele poderia ter dito. Ela queria chorar... de felicidade e de tristeza."

- Lucy e Gregory me encantaram desde o início. Ela me divertia muito com o seu jeito contido e perfeccionista. Ainda me acabo de rir quando lembro da cena dos sapatos, quando ela fingia estar se sentindo mal, mas só esperou a amiga sumir de vista para levantar correndo e organizar os sapatos que Hermione tinha guardado de qualquer maneira. Ela não suportava ver nada fora do lugar, o que nos leva à cena dos sanduíches, quando ela tem uma daquelas deliciosas conversas com o mocinho. Eles me fascinavam mesmo quando falavam de absolutamente nada.kkkkk... Eu chegava a ler mais de uma vez as cenas em que conversavam, pois amava demais esses momentos. E quando o Gregory finalmente percebeu que era ela quem ele amava e não a Hermione, ele se tornou exatamente aquilo que eu desejava. Um tolo apaixonado pela mulher certa.rs Pela única que realmente iria completá-lo e fazê-lo feliz. Ainda que fosse bem provável que ele não demorasse a ter cabelos brancos.rsrsrs

"- É assim que a quero - falou, colocando a mão por cima da dela. - Com tudo o que tenho, com tudo o que sou."

- Esses dois me emocionaram muito. E foram também responsáveis pelos momentos nos quais senti enorme angústia, sem saber como ajudá-los. Tudo parecia estar contra eles. Parecia não existir solução para as coisas que estavam acontecendo e eu me vi completamente perdida, minha única esperança era saber que a Julia Quinn jamais escreveria um final infeliz para algum dos irmãos Bridgertons. O final feliz era garantido. Eu só precisava sobreviver até o final.rsrsrs

"O amor existia. 
 Estava bem ali, no ar, no vento, na água. Só era preciso esperá-lo. 
 Cuidar dele.
 Lutar por ele."

- Valeu muito a pena acompanhar esta série. Foi... maravilhoso. Uma experiência única e inesquecível. Não dá para dizer adeus. Não vou me separar deles nunca. Todos eles, até mesmo a chata da Francesca, estarão em minhas lembranças. Fazendo parte de mim. Mas Benedict e Sophie... Lucy e Gregory... estes têm um espaço todo especial no meu coração. Um lugar só deles. 

"- Eu te amo - repetiu ele. - Não há nada nesta vida ou na próxima que possa me fazer deixar de te amar."


Os Bridgertons

1- O Duque e Eu (Daphne e Simon)
2- O Visconde que me Amava (Anthony e Kate)
3- Um Perfeito Cavalheiro (Benedict e Sophie)
4- Os Segredos de Colin Bridgerton (Colin e Penelope)
5- Para Sir Phillip, com Amor (Eloise e Phillip)
6- O Conde Enfeitiçado (Francesca e Michael)
7- Um Beijo Inesquecível (Hyacinth e Gareth)
8- A Caminho do Altar (Gregory e Lucy)

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.emocoes_leitora@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.