O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!

O AMOR VERDADEIRO JAMAIS MORRE!
O coração de uma mulher é um oceano de segredos

domingo, 1 de maio de 2011

Feitiço Branco - Bronwyn Williams


1º Livro da Série Cabo Hatteras


Kinnahauk fitava incrédulo a criatura pálida e frágil deitada na areia. Então era aquela a virgem que o Grande Espírito lhe prometera trazer do outro lado das águas? A marca feita a fogo na testa da moça branca confirmava a profecia.

 
Temerosa, Bridget examinou o magnífico selvagem seminu que tinha diante de si. Com certeza ela estava longe das colônias inglesas e do fazendeiro com quem prometera se casar. Seria possivel que tivesse escapado de morrer queimada como feiticeira na Inglaterra apenas para cair prisioneira de um índio de olhos dourados?

 
Fugir era o único pensamento claro na mente atordoada de Bridget enquanto Kinnahauk apertava os punhos com força e erguia os olhos para o céu que começava a escurecer. Só podia ser um castigo dos Deuses!





Palavras de uma leitora...

 


Eu gostava de olhar para ti
E dizer-te que és uma luz
Que me acende a noite
me guia de dia e seduz

 
Eu gostava de ser como tu
Não ter asas e poder voar
ter o céu como fundo
ir ao fim do mundo e voltar

 
Eu não sei o que me aconteceu
Foi feitiço!
O que é que me deu?
para gostar tanto assim
de alguém como tu

 
Eu gostava que olhasses
para mim
E sentisses que sou o teu mar
Mergulhasses sem medo
Um olhar em segredo
Só para eu te abraçar

 
O primeiro impulso é sempre o mais justo
É mais verdadeiro
E o primeiro susto
Dá voltas e voltas
Na volta redonda de um beijo profundo

(Música: Foi Feitiço/Cantor: André Sardet)

 
 
- O que posso dizer? Que essa história é uma das mais lindas que já li? Que eu me emocionei demais com ela? Que já sinto uma saudade enorme dela? Nunca a esquecerei, gente! O livro é mágico... romântico, doce... com momentos de intensa angústia, mas com uma história de amor tão forte que me fez suportar todos aqueles momentos torturantes só para ter o prazer de ver eles juntos no final... Só para ler o "felizes para sempre" desse casal tão apaixonante. Eu não tenho palavras suficientes para descrever o Kinnahauk... Um dos mocinhos mais inesquecíveis que já conheci ao longo do meu tempo como leitora... Ele é simples, amoroso, humilde, arrogante quando quer, carinhoso, com um coração tão puro, tão precioso... Ele é todos os melhores adjetivos juntos... Ele é T-U-D-O e eu o amo com todo o meu coração...rsrs...
 
E houve um momento que eu me emocionei muito... Isso aconteceu quando ele a reencontrou no final... quando pensou aquelas palavras tão simples e tão valiosas. Claro que colocarei essas palavras aqui só para vocês sentirem um gostinho da história. Mas antes vou falar da música que coloquei acima... A Monica me enviou essa música tem alguns dias, mas eu só baixei ontem... Aí, coloquei ela para tocar e achei que a música era perfeita para a história... Ela é cantada com simplicidade, beleza, amor, faz vc sonhar acordada e... é mágica! Tão mágica quanto essa linda história de amor... Por isso, recomendo para quem costuma ler ouvindo música, que ouça essa música tão linda ao ler o livro "Feitiço Branco"... É uma combinação perfeita!
 
- Eu já havia lido livros sobre índios antes. Me lembro de ter lido dois. Entre Dois Amores da autora Janelle Taylor e O Guarani do autor José de Alencar. A história da Janelle eu odiei. O Navarro, que era metade índio, havia sofrido muito na vida e ainda cometeu a estupidez de se apaixonar por aquela "coisa" chamada Jessica, que na primeira oportunidade o trocou por outro... Enfim... Eu não tinha nada contra os índios antes da história e nem depois... Porém, a história me fez sentir um pouco de receio, sabe? Não por causa do Navarro, que era índio, mas sim por medo das outras histórias com índios não terem final feliz...rsrsrs... Vai entender... Bem... Mas li a história do Peri e da Cecília, criada pelo José de Alencar e achei o livro muito fofo. Com uma história boa, leve e fácil de ler... Mesmo assim ainda não era suficiente para fazer eu me apaixonar por histórias com índios... Mas depois desse livro...rsrs... Depois de conhecer o Kinnahauk, livros sobre índios marcarão presença no blog! rsrs... Só lendo vocês podem entender o porque...
 
Nada, absolutamente nada do que diga pode transmitir um pouquinho sequer da beleza desse livro, da sua magia... Ainda estou vendo a história na minha mente... ainda posso sentir o amor lindo que existe entre a Bridget e o Kinnahauk. E sabe de uma coisa? Eu sempre costumo começar a ler outro livro, no mesmo dia, quando termino um. Mas hoje não posso fazer isso, pois não conseguirei me ligar na outra história... "Feitiço Branco" me enfeitiçou e creio que não sairá da minha mente nem tão cedo... Hoje ficarei "sonhando" com a história até dormir...rsrs...
 
 
- Hoje estou enfretando um grande desafio ao fazer a resenha desse livro. Estou sem palavras! rsrs... Me sinto com uma responsabilidade muito grande nas mãos... Quero falar do livro e fazê-las sair correndo atrás dele, quero que se apaixonem como eu me apaixonei... quero que sintam a magia da história, o amor... Quero que vocês sintam um pouco do que eu estou sentindo, mas não sei como fazer isso. E fico triste, pois sei que nada do que eu disser será suficiente... Mas vou tentar... Começando pelo trecho que falei:
 
 
"Kinnahauk não contou tudo que TausWicce lhe dissera [...]
 
Ouvindo, ele sentiu o próprio coração morrer mil vezes...
 
No entanto, mesmo diante de tudo aquilo, a Voz que Fala Silenciosamente dissera a Kinnahauk que sua oquio ainda estava viva. Mas por quanto tempo? Quanto uma mulher frágil como ela era capaz de aguentar, antes de perder a razão?
 
Ele se resignara a levar o que sobrasse de Bridget de volta para a aldeia, onde cuidaria dela pelo resto de seus dias. Talvez futuramente ainda arranjasse uma esposa, pois um homem precisa de filhos. Mas nenhuma outra mulher teria seu coração, pois o coração só é dado uma vez. E o seu fora dado a Bridget Abbott.
 
Só quando Bridget puxou a mão, Kinnahauk percebeu que lhe apertava os dedos brutalmente. Inclinando a cabeça num gesto que nada tinha de altivo, ele se desculpou:
 
- Acho que muitas luas vão se passar antes que eu possa dormir sem segurar você com força, em meus braços. Vou seguir você por toda parte como um animalzinho domesticado até que se canse de ver o meu rosto"
 
 
- Eu achei esse trecho muito belo e me emocionei muito. Talvez vocês não entendam porque ele é tão especial para mim agora, mas ao lerem a história irão entender... Ele se passa quando o Kinnahauk recupera sua amada... Ela havia enfrentado coisas horríveis e eu cortei algumas partes do trecho, pois não quero contar o que ela passou... São coisas horríveis... Muito ruins mesmo e já quero deixar vocês cientes disso, mas não vou contar o que foi. Também não quero contar toda a história... rsrs... Só vou contar o essencial... Enfim... Essa cena tão linda, quando o Kinnahauk, ainda sentindo a dor que tomou conta dele quando soube o que sua Bridget havia passado e estava passando, pensou que a queria de volta de qualquer maneira, se passa quase perto do final da história... Nesse trecho ele lembra do que havia prometido a si mesmo: que a traria de volta de qualquer maneira. Não importava o seu estado... Ele sabia que ela poderia ter perdido a razão, que poderia estar irremediavelmente ferida, mas não se importava... Sofreria muito se isso acontecesse, sofreria por ela... mas iria querê-la apesar de tudo... iria cuidar dela até a morte... e eu não pude aguentar a emoção dessa cena. Tanto amor... Sabe quando você pode sentir a emoção da cena? Parece loucura, mas eu senti "a cena"... E estou aqui interrompendo a resenha o tempo todo e lembrando de cada parte que coloco aqui...rsrs... Se vocês pudessem me ver agora... Pensariam que sou de outro planeta...kkkkk....
 
- Enfim... Mas vocês precisam de um pequeno resumo, certo? :)
 
 
 
Um pequeno resumo:
 
 
Ela não pôde acreditar no que estava acontecendo... Desesperada, com o coração se partindo em mil pedaços, Bridget correu para perto da multidão que cercava sua mãe, tentando impedi-los de concluir o que planejavam...
 
Aquilo só podia ser um pesadelo do qual ela acordaria a qualquer momento. Aquelas pessoas, as quais sua mãe havia ajudado um dia, não estavam tentando matá-la. Não... Aquilo não podia ser real... Mesmo assim, bem no fundo, Bridget sabia que era realidade e a angústia tomou conta dela. Com lágrimas escorrendo pelo rosto ela lutou o quanto pôde para salvar sua mãe. Mas suas forças não foram suficientes para vencer todas aquelas pessoas que gritavam que sua mãe era uma feiticeira e estavam tentando matá-la afogada. Sua pobre mãe havia perdido a voz poucos dias antes e nem ao menos podia gritar por socorro. Mas Bridget gritou, com todas as forças dos seus pulmões ela gritou por ajuda, clamou pela piedade daquela gente e pela misericórdia divina... Mas nada foi suficiente. Nada os fez parar e no momento em que sentiu seu coração se rasgar ao meio, ela percebeu que sua mãe não se debatia mais na água... percebeu que estava sozinha no mundo e já não teve mais forças para lutar.
 
Não satisfeitos pelo assassinato cruel que tinham cometido, aquelas pessoas que tiveram suas vidas salvas pela mãe de Bridget um dia, decidiram que ela também deveria ser condenada à morte, pois tinha o sangue de bruxa correndo nas veias. Eles a agrediram e marcaram sua testa à fogo, colocaram nela a marca que a identificava como bruxa e a levaram para a prisão... onde ela ficaria até o julgamento no qual seria condenada à forca ou à fogueira.
 
Lá, Bridget enfrentou momentos de muita dor, atormentada pelas lembranças da vida que havia tido, da mãe que não pôde salvar e sentindo que já não tinha motivos para viver... sentindo que a qualquer momento sua vida também chegaria ao fim. Lá, ela reencontrou amigos que também haviam sido presos injustamente e lá também os perdeu... viu-os morrer bem na sua frente...E se perguntou se também terminaria assim. Sentia fome, sede e dor por todas as partes, suas forças estavam chegando ao fim e doía muito... Doía muito pensar que sua vida terminaria daquela maneira... Porém, Bridget voltou a sentir esperanças quando aqueles estranhos chegaram na prisão.
 
Eles foram até lá para oferecer uma saída para algumas presas. Elas poderiam trocar a "vida" na prisão pelo casamento com fazendeiros que viviam nas Américas. Muitas delas aceitaram e Bridget nem pensou duas vezes... E a partir daquele momento ela voltou a acreditar que saíria daquela, que voltaria a ser feliz...
 
Porém, durante a viagem para sua nova Terra, Bridget foi jogada no mar, num dia de tempestade... e foi parar numa Terra estranha, cheia de selvagens... Ela estava muito ferida e insconciente... E foi assim que Kinnahauk a encontrou...
 
Quatorze anos antes, ele havia tido uma visão. Seu Deus havia dito que na época do ganso branco, chegaria para ele uma oquio vinda do outro lado do mar... Ela levaria sua marca na testa e ele deveria tomá-la para si, espalhando nela sua semente... e dessa união nasceria um filho que guiaria seu povo pelo caminho do sol poente.... E Kinnahauk esperou... Durante quatorze anos ele esperou pela mulher prometida. Sua mulher. Linda, perfeita e escolhida para ele. Ele não tomou para si uma primeira esposa, pois sabia que deveria aguardá-la... Mas ficou revoltado quando viu aquela criaturinha feia, fedorenta, magricela e quase morta jogada na praia. Ele não quis acreditar que ela poderia ser a sua tão aguardada oquio... mas a marca na testa não deixava dúvidas... Era ela! E ele sentiu o desânimo tomar conta de si... O que havia feito? O que havia feito de tão errado para merecer aquilo???!!! Ele sabia que um "presente" daquele só podia ser castigo dos deuses e que naquele momento eles deveriam estar rindo dele. Naquela criatura, era capaz da sua semente nem sequer germinar...
 
E a partir desse momento começa uma intensa, engraçada, angustiante e apaixonante história de amor. Marcada por reviravoltas e momentos de muita dor... Bridget e Kinnahauk terão que enfrentar muitas coisas antes de finalmente poder serem felizes juntos... Mas cada dor, cada lágrima derramada valerá a pena... Pois no fim, eles estarão juntos... cumprindo a profecia e prontos para enfrentar quantas tempestades ainda vierem... E eles jamais desistiriam, pois o amor que os unia lhes daria as forças necessárias para enfrentar o que quer que fosse...
 
 
- Bem... Fiz o resumo da melhor forma que podia. Sem revelar tudo, mas explicando o necessário. Pelo resumo, vocês perceberam que a mãe da Bridget foi assassinada pelo seu próprio povo e que ambas foram acusadas de bruxaria. A história se passa no século XVII, ano de 1681. E naquela época, pessoas que tivessem conhecimentos sobre ervas e curassem as outras pessoas com elas, corriam o risco de ser acusadas de bruxaria caso acontecimentos "estranhos" passassem a acontecer. A mãe da Bridget havia sido uma mulher muito boa e que tinha um grande conhecimento sobre ervas medicinais. E ela usava essas ervas quando era necessário para aliviar a dor de alguém e até livrar da morte. E teve uma vez que ela chegou a impedir que uma garotinha, que estava com a garganta fechada, morresse. Ela era muito "respeitada" e "querida" pelo seu povo... Até... o dia em que várias coisas "estranhas" começaram a acontecer. Pelo que me lembro, o leite de uma vaca, pertencente a um fazendeiro, secou (sendo que ela já estava muito velha), uma mulher ficou manca, estava sem chover por muito tempo e a mãe da Bridget havia tido uma infecção na garganta que a deixou sem voz... Através da influência de uma mulher que tinha muita inveja da mãe de Bridget, as pessoas enlouqueceram e querendo culpar alguém, acusaram a pobre Anne de bruxaria. Não satisfeitos só em acusar, eles se juntaram para tirá-la da própria casa e a arrastaram até um lago onde a mataram afogada. A cena é horrível e é logo no início do livro. Ver a Bridget implorando, pedindo que alguém ajudasse sua mãe, lutando com todas as suas forças e perguntando por que Deus as havia abandonado... é de partir o coração. A cena é muito triste e olha que é só o início do sofrimento dessa mocinha... Depois disso ela ainda passa por muita coisa. Eu não desejaria para o meu pior inimigo o que ela passou. Talvez desejasse para a Lontra Cinzenta ou para a Sudie que foram responsáveis por grande parte da dor dessa mocinha... Enfim... Aquelas malditas sim mereciam passar por aquilo!!!... Ah! E não posso esquecer dos malditos que mataram a mãe da Bridget... Para eles eu também desejaria um sofrimento igual ou até pior!


- Quando a Bridget aceita se casar com um americano e viaja para as colônias junto com as outras presas, mas acaba "caindo" no mar e indo parar em Croatoan... começa a parte engraçada e linda do livro...rsrs... O início do relacionamento desses dois é hilário. E a revolta do Kinnahauk fez eu me divertir muito!

Quando pensava na sua oquio, na sua mulher prometida, ele a imaginava uma linda e perfeita mulher. A mulher ideal (risos). Ela seria alta, esbelta, com a pele morena, olhos negros e cabelos negros e lisos. E vocês não sabem o quanto ele estava ansioso por sua chegada. Mas quando ele para na frente da mocinha e vê a marca na testa dela... o coitado fica revoltado. Se arrepende amargamente de ter perdido tanto tempo esperando pela mulher prometida! Por "aquilo" não valia a pena esperar!rsrsrs...



"A marca de fogo? Não! Não podia ser. Ela era inglesa, com a pele da cor de carangueijo cozido e pintada como ovo de carriça. E os cabeços dela mais pareciam a grama morta do inverno do que as asas brilhantes do melro. Alta e bonita? Ela não tinha carne suficiente nem para cobrir os malditos ossos. Na verdade, ele nunca vira uma criatura tão digna de pena. [...]


Apertando os punhos com toda força, ele ergueu os olhos para o céu, que começava a escurecer. Como poderia uma criatura daquelas ser a mãe de seus filhos? Sua semente provavelmente nem viria à tona, por uma mulher como ela."


- A última parte é a que considero mais engraçada...rsrs... Mas acreditam que apesar de tudo, de considerá-la feia e odiar a cor de sua pele, ele começou a sentir carinho por ela? À sua maneira, ele a respeitou e cuidou dela... Claro que houve momentos em que ela desejou que ele nem se desse ao trabalho, mas...rsrs... Uma cena que achei muito engraçada também foi quando ele deu banho nela esfregando-a com terra. A garota estava cheia de dor, mas ele queria tirar o fedor de peixe podre dela e achou que estava fazendo aquilo pelo seu próprio bem... E até estava, mas a coitada já havia enfrentado dor demais e não precisava daquele banho naquele momento. Bem... o fedor que saía dela dizia que precisava, mas as dores no corpo dela diziam que não, entende? rsrs... Mas a parte mais engraçada é quando ele precisa tirar as próprias roupas para banhá-la... E mesmo enquanto ele estava revoltado por causa da oquio que haviam escolhido para ele e dizia para si mesmo que a desprezava... seu "corpo" dizia outra coisa! rsrs... Ele pensava uma coisa, mas seu "corpo" pensava de uma forma totalmente diferente...


E era tão lindo vê-lo cuidando dela... Ele a tocava com carinho, se importava com ela, com sua saúde e detestava vê-la infeliz. Houve momentos em que o livro narrou que o coração dele se apertava quando a via chorando. E ele não sabia como agir. Não sabia como fazê-la feliz. Mas com o tempo, um laço foi se formando entre os dois e eles passaram a pensar um no outro com muita frequência, chegando a se tornar amigos... o que evoluiu rapidamente para algo mais profundo.


" Você é a minha própria alma Bridget Abbott"

 
- Uma das cenas mais lindas do livro é quando eles fazem amor... Nossa! A cena é perfeita e o Kinnahauk é tão... tão maravilhoso! A Bridget sem dúvida nenhuma era uma sortuda. Talvez por isso ela tenha passado por tanta coisa... Era porque no fim ela seria muito bem recompensada...rsrs... Mas creio que já estou falando demais, não é? Não quero entrar em muitos detalhes. De jeito nenhum irei contar as maldades que farão com a Bridget, pois vocês podem desejar não ler o livro...rsrs... Eu disse para a Carla que se ela tivesse me contado as barbaridades que iriam acontecer antes de eu me apaixonar pelo livro, eu teria dado um tempo na leitura dele. Não digo que eu abandonaria, mas não teria coragem de avançar. Por isso, prefiro não contar o que exatamente acontece com ela. Quero que vocês leiam o livro, pois sei que se apaixonarão por ele e nada será capaz de fazê-las abandonar a história depois disso! A história é rica, preciosa... nos faz viajar por um mundo mágico, onde conhecemos um pouco da cultura dos índios da época, suas crenças, costumes... e é muito fofo ver o Kinnahauk descobrindo o amor. Ele detestava o povo da Bridget, pois os ingleses haviam levado somente dor e morte para seu povo e ele não queria de jeito nenhum se unir a ela mesmo que fosse sua oquio. Mas o amor vai surgindo contra a vontade dele e nosso amado mocinho acaba se rendendo. Quem luta mais um pouco é a Bridget e ela precisa levar um grande susto para poder admitir para si mesma que estava apaixonada por ele. O susto é mesmo muito grande e a coitada passa por mais um momento de dor... Mas é o próprio Kinnahauk que chega para consolá-la...rsrs... Depois ela também se rende. Bem... só que ela luta um pouquinho mais quando está na ouke dele e percebe que eles não "combinavam"...kkkkkkkkkkkkkkkk....


- Enfim... o que mais posso dizer? Houve algum momento no qual detestei o Kinnahauk? Não!!!! Ele conquistou meu coração e em nenhum momento fez algo capaz de me fazer desprezá-lo. Ele é um sonho! É a encarnação do homem ideal e eu queria um índio desses para mim... Mas não podemos ter tudo que desejamos, não é? rsrs... É uma pena! Bem... Mas a Bridget sim chegou a me irritar uma vez. Ela quis virar uma Ever na vida! Confiou na inimiga!!! Como pode alguém cometer tamanha tolice? E sofreu muito por isso! Tudo poderia ter sido diferente, mas ela foi covarde nesse momento. Preferiu desistir e prejudicou a própria vida. Mas ela pagou por isso. Até demais... Enfim... Mas eu admiro muito essa mocinha. Ela tinha tanta força, tanta coragem e apesar de tudo pelo que passou, não deixou de acreditar na vida, no amor e nem nas pessoas. Ela não se tornou uma pessoa amargurada nem cruel... Ela era tão boa que me fazia ter vontade de protegê-la... Já o Kinnahauk eu não quis proteger, não! Queria era ser protegida por ele! rsrs... Ele era tão forte que combinava perfeitamente com o papel de herói... Como disse, um sonho (suspiros...).


- Eu ainda quero falar mais um pouco, mas creio que essa resenha já está longa o suficiente e há coisas que não podem ser ditas... E sei que minha resenha não chegou nem perto de transmitir a magia do livro. Mas eu recomendo o livro para todos! Creio que qualquer pessoa que ler esse livro com o coração ficará apaixonada por ele. É uma das histórias de amor mais preciosas que já li e sinto uma saudade enorme dela. Se eu pudesse começaria a lê-la toda de novo agora mesmo... mas não posso fazer isso. Porém, como hoje não lerei mais nenhum livro, creio que lerei de novo os trechos mais preciosos...rsrs... Ao som da música "Foi Feitiço", é claro.


- E não posso deixar de dizer que esse livro foi uma indicação da Carla, que é uma amiga muito preciosa. Muito obrigada, Carla! Graças a você tive a oportunidade de ler algo tão lindo! E nem preciso dizer que o livro é maravilhoso, não? Já disse isso! rsrs... Nunca esquecerei esse livro...


- E é mais uma série que começo sem ter completado as outras...rsrs... E eu nem sei quais os outros livros que fazem parte da série! :D

8 comentários:

. disse...

Oi, Luna. Amei a resenha! Se eu não tivesse lido já com certeza eu leria só por ela.

Eu fui investigar e descobri que a autora desse livro escreve tb com o pseudônimo de Dixie Browning e alguns livros dela sob esse pseudônimo tb foram publicados no Brasil. Quanto à série eu fui investigar e penso que são 5 livros, mas em português só encontrei mais dois. Talvez não tenham sido publicados outros.

São esses aqui:

http://www.skoob.com.br/livro/29789-anjo-apaixonado

http://www.skoob.com.br/livro/29790-mar-de-desejo

Se descobrir mais algum te aviso.

Beijos, amiga! (fiquei com vontade de ir reler algumas passagens depois do que vc falou) :)

Carla

Luna disse...

Olá Carla!


rsrs... É uma história tão linda que é muito difícil se separar dela, não é? Não canso de dizer que amo esse livro! Ele é muito, muito lindo!

Esses outros livros são sobre índios??? :D Espero que sim! Vou colocar na lista! Obrigada pela pesquisa! :D

Bjs!

. disse...

Oi, Luna. Eu acho que não são sobre índios. Pelo menos me parece que não. Aliás, não entendi muito bem que ligação existe entre eles para serem uma série.

Um bom livro sobre índios, muito, muito lindo tb é "A Montanha dos Mackenzie". Li tb um que me emocionou bastante chamado Verão Eterno da Elizabeth Lowell. Até ao momento sempre dei sorte com os livros sobre índios. :)

bjs
Carla

Luna disse...

Olá Carla!

Vc já me indicou "A Montanha dos Mackenzie" e está na minha lista de prioridades! Creio que bem em breve irei lê-lo :D

Já o "Verão Eterno" eu não lembro. Creio que vc o está indicando agora! rsrs...

Obrigada pelas indicações!


Bjs!

Anônimo disse...

Acho que "Verão Eterno" ainda não tinha recomendado, não. Achei muito lindo. Não sei epxplicar bem, mas esse livro tem qualquer coisa de poético. Tem frases grandiloquentes, passagens muito bonitas. E tem uma parte em que o mocinho salva a mocinha de um canalha que quer molestá-la e depois de espancar o maldito ele fala algo que me deixou completamente apaixonada. Fui procurar essa passagem. rsrs

A mocinha diz:
— Se você não viesse, eu teria usado a faca... eu teria...
— Eu sei — murmurou ele, encostando o rosto no cabelo macio de Laura.
— Como você sabe? — perguntou ela, com certa curiosidade.
— Porque você é mulher de um só homem... e Deus que nos ajude mas... eu sou esse homem! — disse ele inclinando o rosto para ela, e encostando a boca com muito cuidado nos lábios ainda trémulos de Laura.


Me diz se isso não leva qualquer uma às alturas. kkkkk


bjs
Carla

Luna disse...

Olá Carla!


kkkkkkkkkkkkkkkkkk.... Com toda certeza do mundo! rsrsrs... Está na lista de prioridades!!!!! :D Estou aqui agora louquinha para ler esse livro! rsrsrs....


Bjs!

Romanceando disse...

Olá Luna, li sua resenha e posso te dizer que sua emoção cabe 100% no livro que é muito lindo mesmo!
Aliás esses e mais dois outros livros dessas autoras são belíssimos:Anjo Apaixonado e Mar de desejo. Os três compõem uma trilogia da série CABO HATTERAS.
Vale a apenas ler os três que estão interligados, o primeiro é o Feitiço Branco, o segundo Anjo Apaixonado e o terceiro é Mar de desejo; as estórias vão se compondo para a mesma familía que se inicia justamente com Kinnahauk e Bridget, e isso é magnifico, pois eles mereceram que a estória se perpetuasse além de todo o sofrimento vivido pelos dois no enredo do livro.

OBS: Bronwyn Wiilimas é o nome tomado pela associação de duas autoras que escreveram em conjunto os três livros: Dixie Bronwyn e Mary Williams Burrus)

Parabéns pelo Blog!
Tbém tenho dois onde comento e faço postagens de livros, qdo puder dá uma passada neles e deixe sua opinião ok:
http://rromanceando.blogspot.com/
http://romancesbanca.blogspot.com/

Luna disse...

Olá, flor!


Gracias! :) Te agradeço tbm pelas informações que eu desconhecia. É bom saber qual é a ligação entre os livros e tbm saber que a história foi criada por duas autoras que com certeza são sensacionais. :D


Bjs!

Postar um comentário

Seus comentários são sempre bem-vindos!

Porém, existem duas regras:

1º Comentários cujo ÚNICO objetivo seja divulgar seu blog, um sorteio ou algo do gênero, serão excluídos;

2º Comentários ofensivos também serão excluídos.

*Se deseja entrar em contato com a administradora do blog, basta mandar um email para luna.delua@hotmail.com e eu responderei o mais rápido possível.